O que você comeu no café da manhã? | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 20/7/2012
O que você comeu no café da manhã?
Marta Barcellos

+ de 3500 Acessos

Numa das histórias mais bizarras do filme Para Roma com amor (só perde para a estrelada pelo diretor Woody Allen), o personagem vivido por Roberto Benigni fica famoso do dia para a noite. Típico cidadão de classe média, que reclama de novidades ameaçadoras à sua rotina, como a tecnologia que tira empregos e o avanço chinês, Leopoldo Pisanello subitamente é perseguido por paparazzi e jornalistas interessados em saber o que comeu no café da manhã, se prefere dormir de bruços ou de frente, com que mão escova os dentes.

Como ele prefere suas torradas?, pergunta a jornalista, séria, no estúdio de TV onde o pacato funcionário vai parar. O filme está no começo e por vício ainda aguardamos alguma espécie de explicação para a intempestiva celebrização do personagem. Ele teria sido confundido com alguém? Mas logo lembramos: epa, nada de esclarecimentos realistas, é um filme de Woody Allen. Melhor assim. Podemos nos deleitar com as piadas e embarcar nas situações inusitadas.

Mas, na saída do cinema, o papo é inevitável. Interpretar. Quais foram as vítimas da ironia do diretor, em cada um dos quatro episódios que correm paralelos? Consta que os italianos vestiram a carapuça como um todo, e ficaram até indignados com a forma como foram tratados no filme. Pode ser. No caso da história de Benigni parece haver um consenso da crítica especializada de que a zombaria de Allen tem como endereço a indústria da celebridade, com certa origem italiana - daí inclusive a denominação "paparazzi".

Já eu associei a ironia a outra questão. Talvez por andar desatenta a revistas de celebridades ou canais de fofocas, as situações do filme me lembraram mais as fotos de pratos e os comentários banais sobre rotina postados nas redes sociais. Depois do impacto inicial da cena do estúdio de TV, não é mais a aleatoriedade da fama que causa estranhamento no filme (pessoas são famosas porque são famosas, ora), e sim a exposição do íntimo e privado no espaço público.

Estranhamento à parte, o episódio não nos parece familiar porque sabemos da existência de uma indústria que persegue artistas ou jogadores de futebol. Não foi por meio dela que você soube qual prato alguém - um tanto distante - comeu no almoço de domingo, ou que esta pessoa acordou cheia de preguiça para trabalhar. Você não tinha interesse, mas acabou sabendo, se sentiu próximo a alguém que não era próximo, e afinal a sensação não é ruim. Você começou a se acostumar com essa "evasão de privacidade", tão simpática, humana, camarada. Algo natural e espontâneo - não fosse o fato de ser estimulado pela indústria da tecnologia, tão eficaz para mudar nossos comportamentos. Você era alguém discreto, gostava de ser assim. Mas parecia rabugento com essa mania de freqüentar o espaço público da internet de forma tão compenetrada. Um dia, rendeu-se a algum estímulo novo, um botão, uma solicitação, colocou a foto da festa, você na viagem. Ou, sucesso retumbante, compartilhou bichinhos e crianças.

É um nivelamento por baixo, claro. Quem não tem muito a dizer, porque é famoso apenas porque é famoso, pode compartilhar sem problemas o que comeu no café da manhã ou a sua forma de escovar os dentes. Parece mesmo democrático - talvez daí a simpatia que tudo isso gera. Mas imagine se todo o espaço público, que em sua origem era um espaço político e intelectual, for tomado pelo privado desta forma. Imagine o tempo que perdemos se somarmos os segundos de atenção dados a intimidades dos novos famosos que todos nós somos agora.

Se o espaço público esperar de mim apenas que eu conte o que comi no café da manhã, porque cargas d'água vou me dar ao trabalho de construir um texto com 5 mil caracteres para expressar minha opinião sobre o novo filme de Woody Allen e a questão do público e do privado?

É verdade que acabei escrevendo, porque ainda tenho o estímulo do espaço (público) do Digestivo para textos longos. Escrevi, e juro que minha próxima coluna não será sobre meus hábitos alimentares. A não ser que gerem uma crônica não sobre mim, mas sobre todos nós, a humanidade, nossos afetos e nossas idiossincrasias.

Veja bem: sou uma entusiasta do uso da primeira pessoa, pela honestidade que este caminho impõe, pelo posicionamento que ele acarreta. Por isso, depois de tantos anos condicionada à total impessoalidade do jornalismo, no qual a primeira pessoa era terminantemente proibida (não é mais), aderi à onda dos blogs. Não para confidenciar que tinha ido ao dentista de manhã, mas para me posicionar sobre aquilo que eu achava importante, ou mesmo contar alguma história pessoal curiosa, que remetia ao outro, ao público, ao debate público.

Mas os tempos dos blogs diletantes acabaram. Agora a coisa é para profissional. No lugar da caixa de comentários; Facebook, Twitter e sucessores a caminho. Outros estímulos, outras configurações. Outros interesses que fizeram da internet, afinal, um lugar lucrativo. O risco é que estejamos nos acostumando a gerar e consumir apenas o conteúdo banal de nossas próprias vidas. E sem perceber o quão comum já é conhecer a intimidade de anônimos-celebridades. Como no filme de Allen.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 20/7/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Meu pé quebrado de Luís Fernando Amâncio
02. Fake-Fuck-Fotos do Face de Jardel Dias Cavalcanti
03. Abelardo e Heloísa de Gian Danton
04. 3 dicas para a escrita criativa de Marcelo Spalding
05. Oversharing: que negócio é esse? de Vicente Escudero


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2012
01. A Paris de Chico Buarque - 19/10/2012
02. O fim do livro, não do mundo - 20/4/2012
03. O Facebook e a Alta Cultura - 17/8/2012
04. Esquecendo de mim - 25/5/2012
05. O direito autoral vai sobreviver à internet? - 27/1/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PERTURBAÇÕES SONORAS NAS EDIFICAÇÕES URBANAS
WALDIR DE ARRUDA MIRANDA CARNEIRO
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2004)
R$ 30,00



GUIA HISTÓRICO DO ESPIRITISMO: O CENTENÁRIO DE CHICO XAVIER
EDITORA SAMPA
SAMPA
R$ 20,00



WOLVERINE Nº 97 - MARÇO / 2000 - O RESGATE DO PROFESSOR XAVIER
MARVEL COMICS
ABRIL
(2000)
R$ 7,00



GRANDE ENCICLOPÉDIA PORTUGUESA E BRASILEIRA VOL. 5 LISBO OLP
DIVERSOS AUTORES
EDIÇÕES ZAIROL
(1999)
R$ 45,00



APRENDA A INVESTIR COM SUCESSO EM AÇÕES
GIL ARI DESCHATRE E ARNALDO MAJER
CIÊNCIA MODERNA
(2006)
R$ 39,00



CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇOS
JOÃO PASSARELLI; EUNIR DE AMORIM BOMFIM
IOB
(2008)
R$ 25,00



PARANÓIA A SÍNDROME DO MEDO
STELLA CARR
FTD
(1993)
R$ 7,11



A MORENINHA
JOAQUIM MANUEL DE MACEDO
ATICA
(1982)
R$ 10,00



ESTILO DE ÉPOCA NA LITERATURA
DOMÍCIO PROENÇA FILHO
LICEU
(1973)
R$ 10,00



ÁTILA, VOCÊ É BÁRBARO
JAGUAR
SESI
(2014)
R$ 12,99





busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês