Píramo e Tisbe | Ricardo de Mattos | Digestivo Cultural

busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sobre o Jabá
>>> Crise da Democracia
>>> Bill Gates e o Internet Explorer
>>> LEM na TV Cronópios
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Poesia para jovens
>>> São Paulo, que dá nome à nossa cidade
>>> Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3)
>>> Um estranho incidente literário
>>> Na Cama Com Tarantino
Mais Recentes
>>> O Cipreste no Jardim de Osho pela Cultrix (1997)
>>> Los Hermanos Rico de Georges Simenon pela Punto de Lectura (2005)
>>> Não conte a ninguém de Harlan Coben pela Arqueiro (2009)
>>> Uma dobra no tempo de Madeleine L'Engle pela Harper Collins (2017)
>>> Diários de Berlim de Marie Vassiltchikov pela Boitempo (2015)
>>> Fidel Castro. Biografia a Duas Vozes de Ignácio Ramonet pela Boitempo (2016)
>>> Globalização, Dependência e Neoliberalismo na América Latina de Carlos Eduardo Martins pela Boitempo (2011)
>>> Paris, Capital da Modernidade de David Harvey pela Boitempo (2015)
>>> Geriatria Moderna Para Leigos - Série Viver A Vida de Newron Luiz Terra e Colaboradores pela Leitura XXI (2007)
>>> O Ano I da Revolução Russa de Victor Serge pela Boitempo (2007)
>>> Práticas Psicogerontológicas Nos Cuidados De Idosos de Eliana Novaes Procópio pela Juruá (2012)
>>> O Envelhecimento de Luiz Eugênio Garcez Leme pela Contexto (1998)
>>> A Ilíada (Em Verso) de Homero pela Ediouro
>>> Psicogerontologia Fundamentos e Práticas de Diana Silvina Singer e Colaboradores pela Juruá (2009)
>>> A Montanha que Devemos Conquistar de István Mészáros pela Boitempo (2015)
>>> Desenvolvimento e Envelhecimento: Perspectivas biológicas, psicológicas e sociológicas de Anita Liberalesso (org.) pela Papirus (2012)
>>> A Ilíada (Forma Narrativa) de Homero pela Ediouro
>>> Poder e Desaparecimento de Pilar Calveiro pela Boitempo (2019)
>>> Eneida de Virgílio pela Ediouro
>>> As Ilusões Perdidas de Honoré de Balzac pela Abril Cultural (1978)
>>> A Aldeia Ancestral de Pearl S. Buck pela Gráfica Brasileira (1950)
>>> Trabalho e Dialética - Hegel, Marx e a Teoria Social do Devir de Jesus Ranieri pela Boitempo (2011)
>>> Crime e Castigo - 2 volumes de Dostoiévski pela Abril Cultural (1979)
>>> O Conhecimento do Cotidiano As Representações Sociais Na Perspectiva Da Psicologia Social de Mary Jane Spink (org) pela Brasiliense (1995)
>>> Lutas de Classes na Alemanha de karl marx e Friedrich Engels pela Boitempo (2010)
>>> O Conhecimento Confiável: Uma Exploração Dos Fundamentos Para a Crença na Ciência de John Ziman pela Papirus (1996)
>>> O Paradoxo da Moral de Vladimir Jankelevitch pela Papirus (1994)
>>> Uma Mensagem Profética Para Sua Vida de Silas Malafaia pela Central Gospel (2011)
>>> Educação não é privilégio de Anísio Teixeira pela Ufrj (2007)
>>> Germinal de Émile Zola pela Abril Cultural (1979)
>>> Soledad no Recife de Urariano Mota pela Boitempo (2009)
>>> Quando A Nossa Fé É Provada de Silas Malafaia pela Central Gospel (2011)
>>> As Aventuras do Sr. Pickwick de Charles Dickens pela Abril Cultural (1979)
>>> No Caminho de Swann de Marcel Proust pela Abril Cultural (1979)
>>> Dom Quixote de La Mancha de Cervantes pela Abril Cultural (1978)
>>> Aborto Perda e Renovação: Um Paradoxo Na Procura da Identidade Feminina de Eva Pattis pela Paulus (2000)
>>> Ana Karênina - 2 volumes de Tolstói pela Abril Cultural (1979)
>>> Sonhos A Essência Orientando A Existência de Djalma Argolo pela Amar (2012)
>>> A Sabedoria dos Sonhos Para Desvendar O Inconsciente Feminino de Karen A. Signell pela Ágora (1998)
>>> Vivências da Maternidade e Suas Consequências Para o Desenvolvimento Psicológico do Filho de Eliana Marcello de Felice pela Vetor (2006)
>>> Os Sentidos Do Sintoma Psicanálise E Gastroenterologia de Paulo Roberto de Sousa pela Papirus (1993)
>>> Almas Mortas de Nikolai Gógol pela Abril Cultural (1979)
>>> O Menino Que Não Conseguia Parar De Se Lavar: Experiência e Tratamento do Distúrbio Obsessivo- Compulsivo de Judith L. Rapoport pela Saraiva (1990)
>>> As Três Irmãs - Contos de Tchekhov pela Abril Cultural (1979)
>>> O Pai e a Psique de Alberto Pereira Lima Filho pela Paulus (2002)
>>> Privação e Delinquência de D. W. Winnicott pela Msrtins Fontes (2015)
>>> Laços e Rupturas: Leituras Psicanalíticas Sobre Adoção e o Acolhimento Institucional de Maria Luiza de Assis Moura Ghirardi e Márcia Porto Ferreira (orgs) pela Escuta (2016)
>>> O filósofo e sua história de Michael B. Wringley (org.) pela Fapesp (2003)
>>> Cadernos de Tradução de Núcleo de Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999)
>>> Afro Ásia 41 de Centro de Estudos Afro Orientais pela Universiadade Federal da Bahia (2011)
COLUNAS

Segunda-feira, 23/1/2017
Píramo e Tisbe
Ricardo de Mattos

+ de 4500 Acessos

"...o que não vê o amor?" (Ovidius)

1. A lenda de Píramo e Tisbe encontra-se no Livro IV das Metamorfoses, a grande obra em verso do poeta latino Publius Ovidius Naso (43 a.C./17 d.C.). O livro de ouro da mitologia, como ficou traduzido entre nós The age of fable, de Thomas Bulfinch, traz sua versão resumida e em prosa. Nada receie o leitor, nem se acomode: o texto original, se vertido por tradutor que tenha percebido o espírito de simplicidade dos antigos poetas, é de tranquila leitura.

2. Quem foram estes personagens? Jovens babilônicos vivendo durante o reinado da lendária Semíramis, rainha da Babilônia, da Assíria e de outros reinos. Já à época da conversaçãoem que se declina a lenda dos dois amantes, os fatos são projetados num ainda mais remoto e incerto tempo-espaço. Neste ano, percebo-o agora, completam-se dois mil anos de desencarne do próprio poeta...

3. Píramo, o rapaz, era vizinho da jovem Tisbe. Ambos de beleza física equivalente. Nenhuma barreira que lhes impedisse a aproximação e o envolvimento. Convivendo na mesma localidade, atraíram-se. Juventude, beleza física, boa saúde e disposição: eis os prováveis atributos então buscados e encontrados, formando os elos iniciais da relação. Jovens divertindo-se um à vista do outro, um avaliando o desempenho do outro com maior ou menor discrição. Haveria contato físico? Inviável saber. Que tenha havido, apenas aumentaria o vínculo entre dois corpos plenos de frescor e de vitalidade, mutuamente eleitos entre tantos outros.

4. A explicação do mundo natural, dos eventos sociais e mesmo do destino do espírito facultou a Mitologia. Mitos para a criação do mundo; mitos para a elucidação das ocorrências da sociedade; mitos tentando definir a jornada do espírito. Um panteão de deuses gregos e latinos que, conforme mostra-nos Agostinho em outro monumento literário, A cidade de Deus, precisa desdobrar-se e especializar-se para manter-se. Júpiter é o onipotente, mas em caso de aumento patológico da temperatura corporal, deve ser evocada a deusa Febre. Agostinho critica a confusão mental que envolveria o pagão na busca de socorro para uma demanda. Tendo enrolado o leitor um pouco, posso voltar ao casal.


Semíramis

5. Lamentável que a união entre Píramo e Tisbe estivesse fadada à irrealização. Não a queriam seus familiares. Ignora-se se havia de cada lado planos para eles, ou se tratava de rivalidade entre vizinhos. Caso William Shakespeare tenha realmente utilizado a lenda como base de sua peça Romeu e Julieta, preferiu a rivalidade. Mitos são registrados e reavivados adiante. São ímãs psíquicos que podem expor nosso conteúdo e, por sua vez, servem de estofo para outras obras.

6. Que fazia o casal pós o anoitecer, cada um recolhido em sua casa? Habitavam construções vizinhas, divididas por uma parede. Píramo e Tisbe encontraram uma fresta na parede, estreita o suficiete para ter sido ignorada, mas larga o bastante para deixar passar seus murmúrios de lado a lado. O laço entre eles aperta-se. O que é físico tende a saciar-se e afastar-se. De barriga cheia, quem assistirá programa de culinária? É até irritante... A paixão entre Píramo e Tisbe encontrou meio de alimentar seus sentimentos independentemente da presença física. Pela fresta comunicavam-se, trocavam recados e juras. E se não pudessem sair de casa por causa da chuva ou do frio, ou se alguém precisasse acompanhar os familiares em visitas ou trabalhos? A fresta estaria ali, constantemente conferida pelo que ficasse.

7. Lembremos que os familiares vetaram a união. Li algures que não se interfere entre o ser e seu destino, não se intromete com o indivíduo no cumprimento do sentido de sua existência. Havia mais que atração física e paixão entre eles. O Amor fez-se notado. O Amor, entidade resultante do encontro de duas individualidades, do encontro de duas singularidades, como que percebeu o terreno propício e plantou-lhes a ideia da fuga. E escolheram fugir: definiram horário e ponto de encontro.

8. Tisbe chegou primeiro. Trazia até um véu, atributo de toda noiva e aceno para a seriedade de sua atitude. Esperou por Píramo, conforme combinado, sob amoreira branca próxima a um lago. Conhecessem melhor a vida selvagem, saberiam que esta é mais ativa justamente à noite, quando a temperatura é mais amena, as presas mais lerdas e os predadores mais ativos. É uma leoa que veio ao lago beber, com a boca vermelha do sangue de sua recente refeição. Tisbe recolheu-se a uma gruta para esperar o animal afastar-se. Não percebeu a queda de seu véu. A leoa retirou-se, não sem prévia destruição do véu encontrado em seu caminho.

Tisbe, por William Waterhouse

9. Deveras, melhor deizar que cada um realize o sentido de sua existência. Que mostre quem é por meio do que faz. Na lenda de Píramo e Tisbe, a leoa ficou com o papel das intercorrências a vida, aqueles imprevistos que surgem e poluem a questão principal. Deixassem o casal em paz e não se decidiriam pela fuga. Se não acordes em fugir e não iniciado o plano, não estariam no caminho da leoa. Certas ocorrências podem ser contornáveis para uns e fatais para outros.

10. Contornável para Tisbe: viu o animal e afastou-se. Fatal para Píramo, que chegou ao local e encontrou pegadas e um véu roto e ensanguentado. "Acabou-se", pensou ele em desespero, tirando um punhal da cita e ferindo-se. Ovidius foi mais sanguinolento e comparou o sangue saído da ferida de Píramo à água que sai ruidosa de um cano de chumbo partido. O sangue, de qualquer forma, saiu com força suficiente para tingir nos galhos as amoras até então brancas. E também pentrou a terra, sendo absorvido pelas raízes da planta e originando nova variedade.

11. Triste desfecho para nosso casal. Tisbe saiu da gruta e não reconheceu a amoreira de frutos tintos. Correu ao corpo de seu amado e recebeu dele o último olhar. Suicidou-se pretendendo encontrá-lo no outro mundo. As famílias cremaram os corpos e reuniram as cinzas em túmulo único. Grande consolo.

12. Entretanto, caro leitor, permita-me considerar que na lenda de Píramo e Tisbe, pretendi identificar a atração física entre os jovens; identificar um entrosamento de afeições - poeticamente representado na conversa pela fresta - que permitisse falar em paixão ou, melhor ainda, em união psíquica entre eles; enfim, tudo coroar com a identificação do encontro espiritual que consagrou o Amor entre eles e possibilitou uma decisão, uma atitude perante o mundo. Ainda que mal sucedida, tomá-la reforçou seu valor. Permita-me, caro leitor, acreditar ter exposto neste exercício, recorrendo a personagens mitológicas, algo da teoria tridimensional do Amor elaborada por Viktor Frankl. Não creia, contudo que este humílimo seguidor esgotou o assunto.


Ricardo de Mattos
Taubaté, 23/1/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cidades do Algarve de Elisa Andrade Buzzo
02. Um Furto de Ricardo de Mattos
03. Senhor Amadeu de Ana Elisa Ribeiro
04. Casa Arrumada de Ricardo de Mattos
05. Omissão de Ricardo de Mattos


Mais Ricardo de Mattos
Mais Acessadas de Ricardo de Mattos
01. A Erva do Diabo, de Carlos Castaneda - 14/11/2002
02. Da Poesia Na Música de Vivaldi - 6/2/2003
03. A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón - 9/9/2004
04. O Presidente Negro, de Monteiro Lobato - 29/7/2008
05. Poesia, Crônica, Conto e Charge - 13/11/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AMIGOS
EURÍPEDES KUHL
VILLIMPRESS
(2000)
R$ 8,06



ENQUANTO BELA DORMIA
ELIZABETH BLACKWELL
ARQUEIRO
(2016)
R$ 25,00



ESCOLA SECUNDÁRIA E FÉ CRISTÃ
P. CLÁUDIO ORTIGARA
VOZES
(1970)
R$ 8,00



ASTROLOGIA KABALÍSTICA E O SENTIDO DE NOSSAS VIDAS
KABALISTA RAV BERG
KABBALAH PUBLISHING
(2012)
R$ 130,00



O MAPA DOS OSSOS
JAMES ROLLINS
EDIOURO
(2005)
R$ 10,00



A CHAMA DA NACIONALIDADE
MARCO ANTONIO CUNHA
BIBLIOTECA DO EXERCITO
(2000)
R$ 29,90
+ frete grátis



LENGUA CASTELLANA Y LITERATURA 4 COM CD
JULIO ARIZA CONEJERO
ALGAIDA
(2008)
R$ 24,09



TERAPÊUTICA GINECOLÓGICA TOMO I
CARLOS J. CALATRONI VICENTE RUIZ
GUANABARA
(1941)
R$ 30,00



INVENÇÕES DESAFIOS E DESCOBERTAS
RECREIO
ABRIL
R$ 5,00



A COR DA ESSÊNCIA
ANDRÉA MORAES
SCORTECCI
(1999)
R$ 17,00





busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês