Apresentação | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> Por vocêw por mim no Vietnã de Ferreira Guller pela Sped
>>> Mussolini I Unleahed 1939-1941 de Mac Gregor Knor pela Cambridge (1986)
>>> Itajaí - Imagens e Memórias de Lindinalva Deóla da Silva pela Fundação Genèsio Miranda Li (1995)
>>> Atentados políticos: de César a Kennedy de Paulo Matos Peixoto pela Paumape (1990)
>>> Atentados políticos: de César a Kennedy de Paulo Matos Peixoto pela Paumape (1990)
>>> Atentados políticos: de César a Kennedy de Paulo Matos Peixoto pela Paumape (1990)
>>> Para gostar de Ler - Crônicas vol.1 de Carlos D. de Andrade, Fernando Sabino, Paulo M. Campos e Rubem Braga pela Ática (1999)
>>> Fendas Urbanas de Luiz Antonio de Queiroz pela Ofício das Palavras (2008)
>>> Quatro Mitos Brasileiros de Monica Stahel pela Martins Fontes (2003)
>>> Entretempo de Antonio Fantinato pela Topbooks (2008)
>>> A Casa de Babylônia: Estudo da Habitação Rural no Interior de São P... de Andrea Piccini pela Annablume (1996)
>>> Zupt...o Amigo do Peito de Stella Cobra Muraça pela Edicon (1997)
>>> Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias - Biologia de Escola da Juventude pela FDE
>>> Ciências humanas e suas tecnologias - Geografia de Escola da Juventude pela FDE
>>> A Resistível Ascensão do Boto Tucuxi de Márcio Souza pela Marco Zero (1982)
>>> Beijos Engolidos de Jurandir Pinoti pela Ssua (2007)
>>> Rita Você-é-um-doce de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1993)
>>> Grandeur et Servitude Patton de Ladislas Farago pela Stock (1963)
>>> A Ponte para o Passado de Ivan Jaf pela Atual (1993)
>>> Amazônia de Alan Oliveira pela Saraiva (1999)
>>> Auto do Frade: poema para vozes de João Cabral de Melo Neto pela Nova Fronteira (1984)
>>> Armada América: Relatos Sobre a Inquietudo do Império de Fernando Monteiro pela Francis (2003)
>>> A História de Lalo de Júlio Emílio Braz pela Saraiva (2003)
>>> Açúcar Amargo de Luiz Puntel pela Ática (1994)
>>> Malika Oufkir Prisioneira do Rei de Malika Oufkir e Michele Fitoussi pela Companhia das letras (2000)
>>> A Vaca Voadora de Edy Lima pela Global (2002)
>>> A noite da grande magia branca de Simone Sauaressig pela Kuarup (1991)
>>> Sol-solaris de Heloisa Helena Troncarelli pela Edicon (1985)
>>> A Caminho... Apelo À Pesquisa N. 2 - Jan / Dez. 2004 de Diversos Autores pela Ceuclar (2004)
>>> Revista do Centro Universitário Claretiano - N. 3 - Jan / Dez. 2003 de Diversos Autores pela Ceuclar (2003)
>>> A sombra da Águia de Mark Hertsgaard pela Record (2003)
>>> Contos Como Eu Conto de Jurema Waack pela Ônix (2008)
>>> O mistério da Casa Verde de Moacyr Scliar pela Ática (2002)
>>> Contos Escolhidos de I. L. Peretz pela Rampa (1950)
>>> Quero Ternura de Mãos Se Encontrando: de árabes e Judeus, de Branco... de Celso Barroso pela Independente (1978)
>>> Tem Carta pra Mim? de Fanny Abramovich pela Scipione (1994)
>>> Do arquivo e da memória: fatos, personagens e reflexões sobre o sio... de Samuel Malamud pela Bloch (1983)
>>> Qual é o Seu Preconceito Preferido? de Carlos Augusto M. F. da Silva pela Ateniense (1991)
>>> Serões de Dona Benta e História das Invenções de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1950)
>>> A Câmara das Pedras Fendidas de J. W. Seixas Santos pela Conan (1994)
>>> A Mesa do Silêncio - Dedicatória e Autógrafo de Armindo Trevisan pela Lpm (1982)
>>> A Cidade Reinventa a Democracia de Ademar José Becker pela Corag (2000)
>>> Quem Nasceu para Cintilante Nunca Chega a Francesinha de Magali Moraes pela Sulina (2002)
>>> Auschwitz Altar do Capitalismo de Cultura Vozes pela Vozes (1995)
>>> Fronteira Inclemente de Brasil Dubal pela Iel (1976)
>>> A represa / Suburbana de Maria Helena Khüner e Celso Antonio da Fonseca pela Funarte (1980)
>>> O Folclore da Caixa: Contos de Antenor Pimenta Madeira e Outros pela Caixa (1984)
>>> Do Simbólico ao Virtual de Jorge Lúcio de Campos pela Perspectiva (1990)
>>> A Linguagem no Pensamento e na Ação de S. I. Hayakawa pela Pioneira (1963)
>>> As Alegres Comadres de Windsor e a Megera Domada de William Shakespeare pela Edições de Ouro (1966)
COLUNAS >>> Especial Apresentações

Quarta-feira, 6/11/1968
Apresentação
Alexandre Soares Silva

+ de 19800 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Meu nome é Alexandre Soares Silva, e nasci no ano de 68. Aquele, quando estavam proibindo proibir. Não sei bem o que isso diz sobre mim; mas, como a maior parte daqueles estudantes bobos, nunca gostei das aulas, e teria botado fogo na escola com muito prazer.

Fui um bom aluno, no entanto. Não botei fogo em nada. Ao invés disso, uma vez fui ao supermercado com a minha mãe e, por impulso, pedi a ela um caderno quadriculado. Nele escrevi a história (na época, estória) de Hugue - um garoto, como eu, de sete anos.

Era assim: Hugue certo dia acorda, escolhe o seu "carro favorito" (ilustração de vários carros na garagem de Hugue), e vai visitar a avó. No caminho encontra monstros, piratas, essas coisas. (Mas não a avó). Vinte anos depois, ele volta pra casa, só para descobrir que a avó tinha estado lá o tempo todo, tomando cafezinho com a mãe na sala.

Não parece promissor, contando assim, mas as aventuras no meio eram razoavelmente legais. Pelo menos eu acho.

Depois comecei algumas centenas de livros de aventura (e de horror, e policiais) que nunca terminei. Sobre um relojoeiro suíço chamado Albrecht Asper, que resolvia crimes. Sobre um país medieval, mais fino do que o Chile, entre Portugal e Espanha. Sobre uma dupla de esgrimistas franceses, na época em que "Jamaica" se pronunciava "Xamaica".

Mas só consegui publicar o primeiro livro aos vinte e seis. É um romance de aventuras para adolescentes, que foi publicado pela Global - A Origem dos Irmãos Coyote. O segundo também é um romance de aventuras para adolescentes (pelo menos é isso que a editora diz) - Na Torre do Tombo (mesma editora). E finalmente um romance adulto que eu vinha escrevendo e reescrevendo bem devagar desde os vinte anos - A Coisa Não-Deus (Editora Beca, 2000).

Recebeu boas críticas. Outra noite dessas reli o livro, e devo dizer que adorei. O mínimo que se pode dizer dele é que é cheio de panache.

Panache é uma grande coisa.

Que mais, que mais, que mais?

Uma vez, quando estava fazendo um curso de roteiro, ouvi uma voz dizendo lá no fundo da sala: "Professora, um momento, só queria dizer uma coisa. Não sei quem aquele rapaz é, mas tive uma visão e me pediram para dizer que ele ainda vai ser muito famoso". Virei pra trás já sabendo que ele estava falando de mim. Aceitei essa previsão muito calmamente. Aquela gentil alma gay - lembro que ele estava escrevendo um romance com quarenta personagens. Espero que esteja bem.

Acredito tanto na previsão dele quanto acredito na do sapateiro de Trancoso e na do alfaiate de Setúbal. O que é sim.

Mas espera, vamos voltar atrás . Eu quando criança, na biblioteca do meu pai. Me lembro de ter apontado melodramaticamente para o nome dourado de um autor numa lombada vermelha- Stendhal, se não estou enganado- e de ter dito: "O que quer que você tenha feito, posso fazer melhor". (Eu realmente era um moleque melodramático quando estava sozinho.)

Isso talvez explique o motivo de eu ter aceitado a previsão do roteirista gay tão calmamente. Você já deve ter percebido que eu tenho a tal da "saudável auto-estima" - também conhecida como empáfia.

Que mais? Deixe ver.

Não acredito em "viver a vida intensamente". Acho tanto o conceito quanto a expressão um tanto bregas. Pra começar, sempre que se diz isso o sujeito era drogado ou bebia até o ponto de chutar bandejas das mãos de velhinhas. Não. Prefiro viver a vida suavemente, obrigado. Ser gentil e tirar soneca no meio da tarde. Ler um bocado.

Sou um recluso (quase). Meu maior prazer é poder passar um dia sem falar com absolutamente ninguém. O telefone toca, e estou há tantas horas sem falar que a mandíbula abre com dificuldade, com estalo. Mas raramente consigo passar um dia assim.

Sou preguiçoso. Acho que a ética de trabalho foi realmente criada para manter os escravos no lugar. Como não sou escravo, relaxo. (Quando posso. E frequentemente quando não posso, também). Além dos dias em que não tenho que falar com ninguém, adoro os dias em que não tenho que ir a lugar nenhum, nem fazer nada. Nem no dia seguinte. Nem na mesma semana. Ter um compromisso de manhã cedo na quinta já me estraga a segunda.

Odeio bancos. Odeio a cara amassada dos políticos. Odeio autenticar documentos. Odeio conversar com MBAs.

Acho que Tolstói é o maior escritor de todos os tempos (mas talvez eu só diga isso porque não sei grego para ler Homero). Meu filme preferido é "Gigi", de Vincent Minnelli. (Sério.)

Acredito em Deus. Acredito em reencarnação. Acredito também que Marlowe escreveu as obras de Shakespeare- pelo simples fato de que é divertido acreditar nisso. Tenho tendência a achar os ateus um pouquinho chatos.

Que mais, que mais, que mais?

Ah - só uma coisa- eu realmente vou escrever livros melhores do que os de Stendhal. Me dêem algum tempo.


Livros de Alexandre Soares Silva
Adulto - Ed.Beca:
- A Coisa Não-Deus

Infanto-juvenis - Ed.Global:
- A Origem dos Irmãos Coyote
- Na Torre do Tombo

(Clique para ler críticas do livro A Coisa Não-Deus: Jornal da Tarde, Diário do Nordeste, Revista Cult, Weblivros!, Digestivo Cultural )

Blog: Alexandre Soares Silva


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 6/11/1968


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva
01. Polêmicas - 29/11/2002
02. Filhos de Francis - 15/11/2002
03. Defesa dos Rótulos - 30/5/2003
04. Apresentação - 6/11/1968
05. Quem Não Lê Não É Humano - 3/5/2002


Mais Especial Apresentações
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/3/2002
00h56min
O Livro "A Coisa Não Deus" mostra a criatividade do Alexandre. Quanto a preguiça, odios, empáfia ... Vou dar um tempo, nada além de um.
[Leia outros Comentários de Sérgio Tadeu]
19/3/2002
02h20min
A preguiça, pelo menos, eu garanto. Um abraço, Sérgio.
[Leia outros Comentários de Alexandre ]
26/11/2002
15h53min
Gosto de Gigi,mas ainda prefiro Gilda,Lola Lola de O anjo azul e Lola de Fassbinder!!!
[Leia outros Comentários de Daniel Nunes]
27/11/2005
21h21min
Puxa, e eu estava gostando tanto dos seus textos! Achando que estava lendo um velhíssimo terceira idade culto e já impotente (que os politicamente corretos me perdoem), até quase chorando sua morte, pq só tinha visto textos de 2002 e 2003, e daí descubro que nasceu em 68... Caracas... Que decepção intensa e funda.
[Leia outros Comentários de Eloisa Maranhão]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




3° FESTIVAL DE CINEMA LATINO AMERICANO DE SP 2008
VÁRIOS
MEMORIAL
(2008)
R$ 5,00



O QUE A BIBLIA REALMENTE ENSINA ?
ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA
ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA
(2015)
R$ 6,00



OS LUSÍADAS
LUÍS DE CAMÕES
ABRIL CULTURAL
(1980)
R$ 15,00



DESENVOLVIMENTO E CRISE NO BRASIL - EDIÇÃO ESPECIAL
LUIZ CARLOS BRESSER PEREIRA (CAPA DURA)
BRASILIENSE
(1987)
R$ 26,82



TRAPAÇA
JAMES SIEGEL
RECORD
(2011)
R$ 18,00



VOCE PRECISA SER DETERMINADO
SILAS MALAFAIA
CENTRAL GOSPEL
R$ 8,00



ESAÚ E JACÓ
MACHADO DE ASSIS
GLOBO
(1997)
R$ 18,00



BOLETIM OFICIAL GRANDE ORIENTE DE SÃO PAULO
CLÁUDIO ROQUE BUONO FERREIRA
DO AUTOR
R$ 9,00



CONTOS BRASILEIROS - ANTOLOGIA ESCOLAR DE OURO
IVO BARBIERI MARIA MECLER KAMPELL

R$ 5,00



VIDA NAS CIDADES - EXPECTATIVAS URBANAS NO NOVO MUNDO
WITOLD RYBCZYNSKI
RECORD
(1996)
R$ 15,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês