Apresentação | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Férias de Julho: Museu Catavento e Teatro Sérgio Cardoso recebem a Cia. BuZum!
>>> Neos firma parceria com Unicamp e oferece bolsas de estudo na área de inteligência artificial
>>> EcoPonte apresenta exposição Conexões a partir de 16 de julho em Niterói
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> PANFLETO AMAZÔNICO
>>> Coruja de papel
>>> Sou feliz, sou Samuel
>>> Andarilhos
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Chico Pinheiro
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> Entrevista da Camille Paglia
>>> Vamos sentir saudades
>>> Sexo virtual
>>> The more you ignore me, the closer I get
>>> Padre chicoteia coquetes e dândies
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
Mais Recentes
>>> Nação e Trono - Páginas de História de Antonio Lobo Vilela pela Movimento (1964)
>>> Erros e Dúvidas de Linguagem de Vittorio Bergo pela Lar Católico (1959)
>>> Gabriels Ghost de Linnea Sinclair pela Bantam (2005)
>>> Reforma Agrária - Volume 13 - Nº 1 e 2 de Jacques Chonchol e Outros pela Abra (1983)
>>> Desculpem - Me, foi por Engano...! de Carlos Henrique da Cruz Lima pela Do Autor (2016)
>>> Passos na Eternidade de Norália de Mello Castro pela Rebra (2010)
>>> Porque é Importante Sonhar de Clóvis Tavares pela Gente (1999)
>>> É Tudo tão Simples de Danuza Leão pela Harper Collins Br (2011)
>>> O Papagaio Cibernético de Eduardo Almeida Reis pela Record (1984)
>>> Vertigo N. 18 de Vários pela Panini (2011)
>>> Uma Vida pelo Seguro - a Trajetoria de Helio Opipari de Ricardo Viveiros pela Azulsol (2015)
>>> A Espada na Pedra de White pela Hamelin (2013)
>>> Chan Tao de Jou Eel Jia; Norvan Martino Leite pela Plexus (1998)
>>> Carnavalescos e Suas Criações de Arte de Maria Apparecida Urbano pela Clube do Bem Estar (2017)
>>> Dueto / Duet de Vera Mazzieri / Gemiann Augustus pela Do Autor (1982)
>>> Fuel Testing - Laboratory Methods in Fuel Technology de Godfrey W. Himus pela Leonard Hill (1954)
>>> Código Zero Magazine - Ano 1 - Nº 5 de William H. Fear pela Ediex
>>> Juca Mulato de Menotti del Picchia pela Martins (1972)
>>> Imaginário de Labi pela N/d
>>> Simplesmente Helena de Carolina Kotscho pela Planeta (2007)
>>> Viabilidade Econômico - Financeira de Projetos de Outros; Ricardo Bordeaux Rêgo pela Fgv (2007)
>>> Os Fabulosos X-men - Revista Mensal - Numero 45 de Varios pela Abril (1999)
>>> Sociologia para o Ensino Médio - Terceira Parte de Nelson Dácio Tomaz pela Saraiva (2014)
>>> Perguntar Ofende ! Perguntas Cretinas Que Jornalistas Não Podem Fazer de José Nello Marques pela Disal (2003)
>>> Bad Blood de L. A. Banks pela St. Martins (2008)
COLUNAS >>> Especial Apresentações

Quarta-feira, 6/11/1968
Apresentação
Alexandre Soares Silva

+ de 24400 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Meu nome é Alexandre Soares Silva, e nasci no ano de 68. Aquele, quando estavam proibindo proibir. Não sei bem o que isso diz sobre mim; mas, como a maior parte daqueles estudantes bobos, nunca gostei das aulas, e teria botado fogo na escola com muito prazer.

Fui um bom aluno, no entanto. Não botei fogo em nada. Ao invés disso, uma vez fui ao supermercado com a minha mãe e, por impulso, pedi a ela um caderno quadriculado. Nele escrevi a história (na época, estória) de Hugue - um garoto, como eu, de sete anos.

Era assim: Hugue certo dia acorda, escolhe o seu "carro favorito" (ilustração de vários carros na garagem de Hugue), e vai visitar a avó. No caminho encontra monstros, piratas, essas coisas. (Mas não a avó). Vinte anos depois, ele volta pra casa, só para descobrir que a avó tinha estado lá o tempo todo, tomando cafezinho com a mãe na sala.

Não parece promissor, contando assim, mas as aventuras no meio eram razoavelmente legais. Pelo menos eu acho.

Depois comecei algumas centenas de livros de aventura (e de horror, e policiais) que nunca terminei. Sobre um relojoeiro suíço chamado Albrecht Asper, que resolvia crimes. Sobre um país medieval, mais fino do que o Chile, entre Portugal e Espanha. Sobre uma dupla de esgrimistas franceses, na época em que "Jamaica" se pronunciava "Xamaica".

Mas só consegui publicar o primeiro livro aos vinte e seis. É um romance de aventuras para adolescentes, que foi publicado pela Global - A Origem dos Irmãos Coyote. O segundo também é um romance de aventuras para adolescentes (pelo menos é isso que a editora diz) - Na Torre do Tombo (mesma editora). E finalmente um romance adulto que eu vinha escrevendo e reescrevendo bem devagar desde os vinte anos - A Coisa Não-Deus (Editora Beca, 2000).

Recebeu boas críticas. Outra noite dessas reli o livro, e devo dizer que adorei. O mínimo que se pode dizer dele é que é cheio de panache.

Panache é uma grande coisa.

Que mais, que mais, que mais?

Uma vez, quando estava fazendo um curso de roteiro, ouvi uma voz dizendo lá no fundo da sala: "Professora, um momento, só queria dizer uma coisa. Não sei quem aquele rapaz é, mas tive uma visão e me pediram para dizer que ele ainda vai ser muito famoso". Virei pra trás já sabendo que ele estava falando de mim. Aceitei essa previsão muito calmamente. Aquela gentil alma gay - lembro que ele estava escrevendo um romance com quarenta personagens. Espero que esteja bem.

Acredito tanto na previsão dele quanto acredito na do sapateiro de Trancoso e na do alfaiate de Setúbal. O que é sim.

Mas espera, vamos voltar atrás . Eu quando criança, na biblioteca do meu pai. Me lembro de ter apontado melodramaticamente para o nome dourado de um autor numa lombada vermelha- Stendhal, se não estou enganado- e de ter dito: "O que quer que você tenha feito, posso fazer melhor". (Eu realmente era um moleque melodramático quando estava sozinho.)

Isso talvez explique o motivo de eu ter aceitado a previsão do roteirista gay tão calmamente. Você já deve ter percebido que eu tenho a tal da "saudável auto-estima" - também conhecida como empáfia.

Que mais? Deixe ver.

Não acredito em "viver a vida intensamente". Acho tanto o conceito quanto a expressão um tanto bregas. Pra começar, sempre que se diz isso o sujeito era drogado ou bebia até o ponto de chutar bandejas das mãos de velhinhas. Não. Prefiro viver a vida suavemente, obrigado. Ser gentil e tirar soneca no meio da tarde. Ler um bocado.

Sou um recluso (quase). Meu maior prazer é poder passar um dia sem falar com absolutamente ninguém. O telefone toca, e estou há tantas horas sem falar que a mandíbula abre com dificuldade, com estalo. Mas raramente consigo passar um dia assim.

Sou preguiçoso. Acho que a ética de trabalho foi realmente criada para manter os escravos no lugar. Como não sou escravo, relaxo. (Quando posso. E frequentemente quando não posso, também). Além dos dias em que não tenho que falar com ninguém, adoro os dias em que não tenho que ir a lugar nenhum, nem fazer nada. Nem no dia seguinte. Nem na mesma semana. Ter um compromisso de manhã cedo na quinta já me estraga a segunda.

Odeio bancos. Odeio a cara amassada dos políticos. Odeio autenticar documentos. Odeio conversar com MBAs.

Acho que Tolstói é o maior escritor de todos os tempos (mas talvez eu só diga isso porque não sei grego para ler Homero). Meu filme preferido é "Gigi", de Vincent Minnelli. (Sério.)

Acredito em Deus. Acredito em reencarnação. Acredito também que Marlowe escreveu as obras de Shakespeare- pelo simples fato de que é divertido acreditar nisso. Tenho tendência a achar os ateus um pouquinho chatos.

Que mais, que mais, que mais?

Ah - só uma coisa- eu realmente vou escrever livros melhores do que os de Stendhal. Me dêem algum tempo.


Livros de Alexandre Soares Silva
Adulto - Ed.Beca:
- A Coisa Não-Deus

Infanto-juvenis - Ed.Global:
- A Origem dos Irmãos Coyote
- Na Torre do Tombo

(Clique para ler críticas do livro A Coisa Não-Deus: Jornal da Tarde, Diário do Nordeste, Revista Cult, Weblivros!, Digestivo Cultural )

Blog: Alexandre Soares Silva


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 6/11/1968


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva
01. Polêmicas - 29/11/2002
02. Filhos de Francis - 15/11/2002
03. Defesa dos Rótulos - 30/5/2003
04. Apresentação - 6/11/1968
05. Quem Não Lê Não É Humano - 3/5/2002


Mais Especial Apresentações
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/3/2002
00h56min
O Livro "A Coisa Não Deus" mostra a criatividade do Alexandre. Quanto a preguiça, odios, empáfia ... Vou dar um tempo, nada além de um.
[Leia outros Comentários de Sérgio Tadeu]
19/3/2002
02h20min
A preguiça, pelo menos, eu garanto. Um abraço, Sérgio.
[Leia outros Comentários de Alexandre ]
26/11/2002
15h53min
Gosto de Gigi,mas ainda prefiro Gilda,Lola Lola de O anjo azul e Lola de Fassbinder!!!
[Leia outros Comentários de Daniel Nunes]
27/11/2005
21h21min
Puxa, e eu estava gostando tanto dos seus textos! Achando que estava lendo um velhíssimo terceira idade culto e já impotente (que os politicamente corretos me perdoem), até quase chorando sua morte, pq só tinha visto textos de 2002 e 2003, e daí descubro que nasceu em 68... Caracas... Que decepção intensa e funda.
[Leia outros Comentários de Eloisa Maranhão]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Moses in Egypt
Carol Christian
Macmillan
(1996)



Ultimato Nº312 Doenças que podem e devem ser tratadas
Vários
Ultimato
(2008)



Adorando o Deus de Daniel e Seus Amigos
Vera Tylde de Castro Pinto
Life
(2017)



Meu Primeiro Livro de Piadas
ângela Finzetto
Todolivro
(2004)



Os Pecados Cardeais(best Sellers)
Andrew M. Greeley
Nova Cultural



Cronistas do Estadao
Moacir Amancio (org.)
O Estado de São Paulo
(1991)



Sistema Financeiro Nacional
Denny Paulista Azevedo
Cetec



Teste Sua Resistência ao Estresse
Liz o Neill; Brian o Neill
Publifolha
(2002)



O Vento Solar
Arthur C Clare
Circulo do Livro
(1989)



Antes Que Eu Me Esqueça
Christine Bryden
Seoman
(2018)





busca | avançada
74045 visitas/dia
1,8 milhão/mês