Adaptação: direito ou dever da criança? | Marina Marcondes Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Além do mais
>>> Adeus, Orkut
>>> Sabe como é, pode rolar...
>>> Zeitgeist
>>> 9° Festival Internacional do Documentário Musical
>>> Até Faustão apoia os protestos
>>> Zastrozzi
>>> Direita, Esquerda ― Volver!
>>> Como os jornais vão se salvar
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Freud e a Educação - O Mestre do Impossível de Maria Cristina Kupfer pela Scipione (1997)
>>> Freud Antipedagogo de Catherine Millot pela Jorge Zahar (1987)
>>> Formação de professores indígenas: repensando trajetórias de Luis Donizete Benzi Grupioni (Org.) pela Unesco/Secad (2006)
>>> O Freudismo de Mikhail Bakhtin pela Perspectiva (2001)
>>> De Piaget a Freud - A (Psico)Pedagogia Entre o Conhecimento e o Saber de Leandro de Lajonquière pela Vozes (1998)
>>> Uma Breve História do Mundo de Geofrey Blainey pela Fundamento (2007)
>>> Piaget - O Diálogo com a Criança e o Desenvolvimento do Raciocínio de Maria da Glória Seber pela Scipione (1997)
>>> Cem Anos Com Piaget – Substratum Artes Médicas – Volume 1, Nº 1 de Ana Teberosky e Liliana Tolchinsky pela Artes Médicas (1997)
>>> Você e eu- martin buber, presença palavra de Roberto Bartholo Jr. pela Garamond (2001)
>>> Piaget - Experiências Básicas Para Utilização Pelo Professor de Iris Barbosa Goulart pela Vozes (1998)
>>> Revisitando Piaget de Fernando Becker e Sérgio Roberto K. Franco (Org.) pela Mediação (1998)
>>> Eu e Tu de Martin Buber pela Centauro (2001)
>>> Jean Piaget Sobre a Pedagogia - Textos Inéditos de Silvia Parrat e Anastasia Tryphon (Org.) pela Casa do Psicólogo (1998)
>>> Cinco Estudos de Educação Moral de Jean Piaget, Maria Suzana de Stefano Menin, Ulisses Ferreira de Araújo, Yves de La Taille, Lino de Macedo (Org) pela Casa do Psicólogo (1996)
>>> Percursos Piagetianos de Luci Banks-Leite (Org.) pela Cortez (1997)
>>> Piaget e a Intervenção Psicopedagógica de Maria Luiza Andreozzi da Costa pela Olho D'Água (1997)
>>> Fazer e Compreender de Jean Piaget pela Melhoramentos (1978)
>>> Dicionário do Renascimento Italiano de John R. Hale pela Jorge Zahar (1988)
>>> A Tomada de Consciência de Jean Piaget pela Melhoramentos (1978)
>>> Psicologia e Pedagogia de Jean Piaget pela Forense Universitária (1998)
>>> Dicionário Temático do Ocidente Medieval de Jacques Le Goff & Jean-Claude Schmitt pela Edusc (2002)
>>> Como Orientar a Criança Excepcional - vol. 8 - Curso de Orientação Educacional de Jay Aruda Piza pela Pontes (2020)
>>> O Estruturalismo de Jean Piaget pela Difel (1979)
>>> Higiene Mental das Crianças e Adolescentes- vol. 7 - Curso de Orientação e Educacional de Dep. de Instrução Pública de Genebra pela Ponte (1972)
>>> O Pós-dramático de J. Guinsburg e Silvia Fernandes pela Perspectiva (2009)
>>> Poesia soviética de Lauro Machado Coelho pela Algol (2007)
>>> Pétala Soletrada pelo Vento de Mariayne Nana pela Urutau (2018)
>>> Tomidez e Adolescência vol. 6 - Curso de Orientação Educacional de Jean Lacroix pela Pontes (1972)
>>> Ensaios Reunidos (1946-1971), V. 2 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (2005)
>>> Como compreender seu Potencial de Myles Munroe pela Koinonia Comunidade (1995)
>>> Louvai a Deus Com Danças de Isabel Coimbra pela Profetizando Vida (2000)
>>> A missão de Interceder de Durvalina B. Bezerra pela Descoberta (2001)
>>> O Contrabandista de Deus de Irmão André. John e Elizabeth Sherrill pela Betânia (2003)
>>> Ensaios Reunidos 1942 - 1978 Vol. 1 de Otto Maria Carpeaux pela Topbooks (1999)
>>> O Dízimo e o Sábado não são Cristãos de Fernando César Roelis Padilha pela Xxxxxxxxxxxx (1995)
>>> Socorro, Temos Filhos! de Dr. Bruce Narramore pela Mundo Cristão (1992)
>>> Fale a verdade consigo mesmo de Willian Backus Marie Chapian pela Betânia (1989)
>>> Como controlar as Tensões no Camento de Bill e Vonette Bright pela Candeia (1990)
>>> Satanás está vivo e Ativo no planeta terra de Hal Lindsey pela Mundo Cristão (1981)
>>> Venha O Teu Reino de David W. Dyer pela Ministério Grão de trigo (1985)
>>> Eu, um Servo? Você está Brincando! de Charles Swindoll pela Betânia (1983)
>>> Que Há Por Trás Da Nova Ordem Mundial? de E. G. White pela Vida Plena (1995)
>>> Cerco de Jericó a caminho da vitoria de Pe. Alberto Gambarini pela Ágape (2005)
>>> Comunicação a Chave para o Seu Camento de H. Norman Wright pela Mundo Cristão (1983)
>>> Princípios de Interpretação da Bíblia de Walter A. Henrichsen pela Mundo Cristão (1983)
>>> Apocalipse versículo por versículo de Severino Pedro da Silva pela Cpad (1985)
>>> Boas Esposas de Louisa May Alcott pela Principis (2020)
>>> O que o Ato Conjugal significa para o Homem de Tim e Beverly LaHaye pela Betânia (2020)
>>> Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski pela Principis (2020)
>>> Satanismo de Daniel e Isabela Mastral pela Xxxxxxxxxxxx (2001)
COLUNAS >>> Especial Volta às Aulas

Sexta-feira, 15/3/2002
Adaptação: direito ou dever da criança?
Marina Marcondes Machado

+ de 6600 Acessos

Quem foi criança durante a década de sessenta, ou antes, talvez só conheça o jargão educacional da palavra “Adaptação” como uma vivência de pai e mãe, avô ou avó de crianças pequenas; e quem nasceu durante a década de setenta, e adiante, talvez não se lembre (pode ter ido para a escola muito pequeno), mas pais ou mães ou avós estiveram presentes nos primeiros dias de aulas para “fazer a adaptação” deles, como se diz. “Fazer a adaptação” foi um cuidado que o saber da psico-pedagogia passou a introduzir nas rotinas das escolas, especialmente nas de crianças muito pequenas (de zero a seis anos, as pré-escolas e creches). Faz parte de um cuidado com a experiência emocional e afetiva de separar-se de um tipo de vida para adentrar noutro tipo. Trata-se de um modo equivalente a um novo “desmame”: o adulto entrega sua criança aos cuidados de um sistema (professora, coordenadora, orientadora, cozinheira, vigia, etc etc) e a criança passa a viver a rotina daquele sistema, o que se contrapõe ao vivido até então -- usualmente um cotidiano caseiro, mais baseado no ritmo próprio da criança e da sua família. A “adaptação” serve, portanto, para que tanto a criança quanto o adulto se acostumem paulatinamente e se entreguem a esse modo de viver.

É preciso estar bem preparado para “fazer a adaptação”. Trata-se de um procedimento mútuo: estão se adaptando a uma nova realidade tanto a criança quanto seus pais... Por mais bem pensada e elaborada a decisão de levar um filho pequeno para a escola, o fato dele espernear, não querer ir, chorar muito e gritar na hora de dizer...”tchau”, são vividos pelos pais de maneira dolorosa (e muitas vezes até contraditória ou ambígua). O choro e a dificuldade inerente para se separar do modo antigo de viver questiona até o fundo do poço as nossas escolhas urbanas: a necessidade concreta de deixar as crianças em algum lugar propício ao seu desenvolvimento, culturalmente aceito e bem visto, e na maior parte das vezes, também caro prá chuchu. E há logo de cara, ainda em casa, o sufoco de tirar o pequeno da cama, impingindo a ele a rotina dura dos horários do relógio (“Que hora fecha o portão?”), sendo que a criança pequena vive talvez numa outra temporalidade, aquela do sol e da lua, do antes, do durante e do depois da chuva, da duração de uma onda do mar, e tirá-la dessa sintonia muitas vezes significa uma intromissão enorme.

Mas depois a criança se acostuma; ela se mostra mais maleável que nós, e quer ser grande e ter mochila e lancheira, mas quando volta com uma mordida marcada no braço ou um dentinho lascado por uma queda do escorregador... são os pais que não se adaptaram ainda! Pois cada pessoalidade tem seu grau de tolerância/intolerância, cada pai e cada mãe suportam bem ou mal, num grau maior ou menor, a separação de seus filhos pequenos e a distância dos cuidados durante o conflito ou a queda. É fato que deixá-los na escola, por mais bem escolhida que seja a opção educacional que o adulto fez, implicará sempre num grau de institucionalização da vida. E talvez esse seja o fato mais doloroso, do ponto de vista do adulto.

Do ponto de vista da criança, o que dói talvez seja a dúvida colocada no que já foi, no vivido até então: não estava tudo bem ficar em casa com a mãe ou a avó, passear com o cachorro e a empregada, passar um tempinho no primo e voltar para almoçar e dormir?? E se a adaptação está ocorrendo depois de um período de férias dos adultos, quanto pior! Não era uma maravilhosa vida, e para todos!, morar numa casa na beira da praia, fazer buracos na areia e boiar no mar? Como compreender esta opção dos pais de lhe imprimirem a vida urbana e institucional de uma hora para outra e de uma vez por todas? Como aceitar a mão e o colo de uma desconhecida, a professora? Pagando uma mensalidade salgada nós acreditamos garantir uma mão segura e um colo aconchegante para nossos filhos pequenos. Ainda assim, sofremos.

Cabe lembrar que poder fazer essa opção é possível apenas para uma minoria das crianças brasileiras. A maioria delas está em adaptação, no sentido darwiniano da sobrevivência (ou morte) por toda sua primeira infância. Muitas estarão institucionalizadas desde seu nascimento, e uma das coisas mais tristes de se ver nesse mundo é um bebê institucionalizado. Outras crianças estão ficando oito horas por dia em creches, muitas das quais com estrutura frágil, com dificuldades básicas de manutenção, sendo a principal delas: poucos adultos para grande número de crianças. Isso faz ser preciso considerar sempre “o Grupo” de modo a dar conta dos cuidados e de todas as atividades previstas. Estarão essas crianças, então, em adaptação à falta de “Pessoalidade” que tende a ser negada desde o primeiro dia de freqüência, no entanto negada para que todos tenham de fato o direito de serem atendidos. Da mesma forma que para os pais que podem pagar uma boa pré-escola, o serviço prestado tem um custo financeiro alto, também para o Estado boas creches devem implicar em investimento quantitativo e qualitativo: dinheiro e recurso humano. Porque, se todas as crianças pudessem ter um bom começo, superariam as inúmeras fases de adaptação que se apresentassem a elas, e diante da experiência relacional da mão segura e do colo aconchegante, se tornariam aptos a dar um salto, digno, à categoria de cidadãos. Para que, anos depois, sejam eles mesmos pais e educadores conscientes de suas opções, deveres e direitos em relação às crianças ao seu redor.


Marina Marcondes Machado
São Paulo, 15/3/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Ler Oswald Spengler em 2014 de Celso A. Uequed Pitol


Mais Marina Marcondes Machado
Mais Especial Volta às Aulas
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O EVANGELHO DA MÃE EDUCADORA
PE. J. ROBALDO
PAULINAS
(1964)
R$ 5,00



O CLUBE DOS ANJOS
LUIS FERNANDO VERISSIMO
OBJETIVA
(1998)
R$ 15,90



REVISTA DO LIVRO 3 - 4
INSTITUTO NACIONAL DO LIVRO
M. E. C.
(1956)
R$ 20,00



SOB OS CÉUS DA EUROPA
OCTAVIO PEREIRA LEITE
NÃO INFORMADA
R$ 20,00



HOTEL ATLÂNTICO
JOÃO GILBERTO NOLL
FRANCISCO ALVES
(2000)
R$ 12,90



UM TELEFONE É MUITO POUCO
SILVIA ESCOREL
BRASILIENSE
(1983)
R$ 25,00



ENCONTRO COM O PASSADO
CELIA FREMLIN
GLOBO
(1976)
R$ 6,90



CRITIQUE AOUT - SEPTEMBRE 1979 NO. 387 - 388 LA LANGUE UNIVERSELLE
NOAM CHOMSKY, MARCELLO DASCAL ET ALLI
MINUIT
(1979)
R$ 25,00



ANTOLOGIA POÉTICA
VINÍCIUS DE MORAES
COMPANHIA DE BOLSO
(2010)
R$ 9,90



INDICADOR POPULAR DE HOMEOPATIA
ALBERTO SEABRA
DO AUTOR
R$ 15,00
+ frete grátis





busca | avançada
69585 visitas/dia
2,2 milhões/mês