Dois palmos de céu | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
44704 visitas/dia
2,9 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Espetáculo inspirado na vida cotidiana do Bixiga volta ao cartaz comemorando 28 anos do Teatro do In
>>> Semana Gastronômica do Granja
>>> Mulheres em meio ao conflito:sobre inclusão, acolhimento e sororidade incondicional
>>> Arsenal da Esperança faz ensaios de teatro com moradores em situação de rua
>>> Vem pra Feira do Pimp Estoque: Economia Circular com catadoras, catadores e artistas!
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
>>> O tipógrafo-artista Flávio Vignoli: entrevista
>>> Deixe-me ir, preciso andar, vou por aí a procurar
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
Colunistas
Últimos Posts
>>> Inteligência artificial e o fim da programação
>>> Temer fala... (2023)
>>> George Prochnik sobre Stefan Zweig (2014)
>>> Hoffmann e Khosla sobre inteligência artificial
>>> Tucker Carlson no All-In
>>> Keleti: de engenheiro a gestor
>>> LeCun, Bubeck, Harris e a inteligência artificial
>>> Joe Satriani tocando Van Halen (2023)
>>> Linger by IMY2
>>> How Soon Is Now by Johnny Marr (2021)
Últimos Posts
>>> Toda luz que não podemos ver: política e encenação
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Culpa não tem rima
>>> As duas faces de Janus
>>> Universos paralelos
>>> A caixa de Pandora do século XX
>>> Adão não pediu desculpas
>>> No meu tempo
>>> Caixa da Invisibilidade ou Pasme (depois do Enem)
>>> CHUVA
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sites que mudaram o mundo
>>> Textos, contextos e pretextos
>>> Dicas da Semana
>>> 19 de Abril #digestivo10anos
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> O perfeito cozinheiro das almas deste mundo
>>> O sol na cabeça
>>> Ozzy e Justin Bieber
>>> André Esteves e Felipe Miranda
>>> Ave Caesar, morituri te salutant
Mais Recentes
>>> Ressonância - apresente histórias visuais que encantam o público de Nancy Duarte pela Alta Books (2012)
>>> Influencie! de Michael Pantalon pela Lua De Papel (2012)
>>> Feedback para resultados na gestão por competências pela avaliação 360º de Rogerio Leme pela Qualitymark (2012)
>>> Guia Completo da Bíblia de Seleções do Reader's Digest pela Reader's Digest (2003)
>>> Cartas Dos Campos De Batalha Do Paraguai de Richard Francis Burton pela Fisicalbook (1997)
>>> O Soldado e o Estado - teoria e política das relações entre civis e militares de Samuel P. Huntington pela Biblioteca do Exército (1996)
>>> Formação Do Oficial Do Exército de Jehovah Motta pela Biblioteca Do Exército (1998)
>>> O Sal Da Terra de Joseph Ratzinger pela Imago (1997)
>>> História Política de Sergipe 3º volume de Ariosvaldo Figueiredo pela Do Autor (1989)
>>> Fundamentos de matemática Elementar 10 - geometria Espacial posição e métrica de Gelson Iezzi pela Atual (1978)
>>> Dá pra Consertar? Empresas que iam muito bem de repente passaram a ir mal de Julio Ribeiro pela Dash (2014)
>>> Fundamentos de matemática Elementar 5 - Combinatória, Probabilidade de Gelson Iezzi pela Atual (1977)
>>> Fundamentos de matemática Elementar 4 - Sequências, Matrizes, Determinantes, Sistemas de Gelson Iezzi pela Atual (1977)
>>> Fundamentos de matemática Elementar 3 (Trigonometria) de Gelson Iezzi pela Atual (1978)
>>> Feitas para o Cliente de Roberto Meir - Daniel Domeneghetti pela Padrão Editorial (2012)
>>> O Cerne Da Discordia: A Guerra Do Paraguai E O Nucleo Profissional Do Exercito Brasileiro de Vitor Izecksohn pela Biblioteca Do Exercito (1997)
>>> Execução - A Disciplina para Atingir Resultados de Larry Bossidy - Ram Charan pela Campus (2005)
>>> Os Visitantes da Noite de James Herbert pela Best Seller (1986)
>>> Vultos do Ensino Militar de Arivaldo Fontes pela Não Indicado (1991)
>>> História de Uma Alma - manuscritos autobiográficos de Santa Teresa do menino Jesus e da Sagrada Face pela Paulinas (1975)
>>> A Revolucão Fintech - O Manual das Startups Financeiras de Susanne Chishti - Janos Barberis pela Alta Books (2017)
>>> História Militar Do Brasil. -- ( Biblioteca Do Exército. Coleção General Benício ; 366 ) de Gustavo Barroso pela Biblioteca Do Exército. Bibliex (2000)
>>> Retalhos do Passado de J. Procópio Filho pela Do Autor (1966)
>>> A Vida de Santa Filomena dd de Cônego João Carneiro pela Não Indicada (1957)
>>> Plano de negócios com o modelo Canvas - Guia Prático de avaliação de ideias de negócio a partir de exemplos de Jose Dornelas e outros pela Gen - Ltc
COLUNAS

Terça-feira, 28/5/2002
Dois palmos de céu
Rafael Lima
+ de 9100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Quando o segundo sol chegar
Planetas alinhados
Saíamos da exposição do Nássara, ao pôr do sol, quando ele me parou para mostrar uma coisa no céu: a Lua, os planetas Júpiter e Vênus. Eu, que sempre tive dificuldade para localizar qualquer coisa mais complicada que Cruzeiro do Sul no céu, fosse constelação, cometa, ou planeta, fiquei impressionado por conseguir discernir os 3 corpos celestes. O degradé do crepúsculo compunha um belo pano de fundo para a rara chance de vê-los alinhados, conferindo a perfeita idéia de um plano no qual eu também me encontrava, além daquela tal inclinação do eixo terrestre que a gente sente nas estações do ano, mas nunca vê cadê. Meu amigo apontou para a Lua e disse, "amanhã ela vai estar ali; a Lua anda mais ou menos 2 palmos por dia" - medindo a distância com a mão aberta - e depois mostrou os planetas, avisando que logo Marte estaria visível... Dois palmos de céu!

Não foi o Di
Roda de Samba por Lan
Os desenhos de Lan foram os primeiros que vi ocuparem os muros de um museu - o Museu Nacional de Belas Artes - vindos não de um pintor ou gravurista, mas de um chargista de jornal. Agora, quando completa aniversário de 50 anos de desenhos entre comentários políticos, humorísticos, cenas de rua, de carnaval e de tango, e inúmeras!, inúmeras mulatas, Lan ganha, novamente, uma retrospectiva, e o melhor: uma página na internet totalmente dedicada ao seu traço: era inconcebível que ainda não houvesse coisa assim, dada sua envergadura artística. Di Cavalcanti acabou ganhando renome por retratar mulatas, mas segundo Carybé, "quem inventou a mulata, não foi o Noite de Tango, por Lan português, foi o Lan". Dá até para imaginar aquele italiano vindo do Uruguai e chegando aqui - por aqui subentende-se a (ainda mais naquela época) maravilhosa cidade do Rio de Janeiro - em 1952, completamente desconcertado com a intensa profusão de curvas cheias de sensualidade, movimento, vida, nos contornos da paisagem e nos corpos das mulheres, os quais fundiria em pleno delírio em cartuns futuros, enxergando mulheres reclinadas na silhueta do Pão de Açúcar, mulheres deitadas no Corcovado, na Gávea e no Dois Irmãos, mulheres se revirando no Cara de Cão, mulheres... Será que esse cara só vê mulher para todo lugar que olha? E tem coisa melhor para se apreciar, diria ele...
Carlos Lacerda, o corvo, por Lan Na verdade, os retratos femininos eram apenas as pausas mais agradáveis de Lanfranco Vaselli entre 2 charges políticas, seu ofício por mais de 30 anos, onde, por mais entediado e irritado com os desmandos do poder, encontrava talento para redescobrir a verdadeira face dos políticos, como no famoso retrato de Carlos Lacerda como um corvo (que acabou lhe pregando o apelido para o resto da carreira), tão simples que não esconde o jeitão nas coxas do nanquim rápido, nas coxas, em que foi feito. A mesma alegria com que capturou a paisagem e as cenas urbanas - o que Lan chama de "cariocaturas" - está presente nos lápis que fez para rodas de samba, alegorias de carnaval, alas de baianas, ou mesmo jogadores de futebol, as duas paixões que dividem seu coração: a Portela e o Flamengo. Foi para o Campeonato mundial de interclubes vencido pelo último em 1981 que Lan fez o que talvez seja sua mais impressionante charge: toda uma cidade, os prédios, as árvores, o trânsito, se contorcem fundindo-se na boca e nos punhos cerrados de um torcedor que parece explodir no grito de vitória: Mengo! Um grito visual.
Cariocatura por Lan
Apesar do aspecto macumba para turista (mulatas, samba, futebol) que seu trabalho possa ter à primeira vista, Lan foi reconhecido um dos grandes retratistas da alma carioca no século que se passou; que tenha gasto grande parte de seu talento no universo perecível das redações, é uma das grandes ironias de nosso tempo. Felizmente, o tempo lhe foi generoso o suficiente para recriar no papel, os temas bem mais caros e universais das cenas cotidianas, uma hilariante coletânea de charges sobre o amor (publicadas na 2 capa da Bundas), e a imensa galeria de personalidades cujas feições traduziu. Lan é o Al Hirshfeld brasileiro.

Eu não queria estragar a nossa amizade...
Ninguém gosta de levar um fora. Treinar cuidadosamente uma chegada, e levar um tôco da menina. Faz mal para o ego e para a auto-estima. E se tem uma coisa mais enervante do que o decidido e bem pronunciado não, é quando ela te dá condição, abre espaço, te ouve atentamente, e só depois corta. E, obviamente, o de campeão na categoria crueldade ao cair da madrugada é, indubitavelmente, aquela frase: "eu pensei que a gente era só bons amigos..."
Gustavo "Gustones" Almeida dedicou uma seção inteira da revista eletrônica Falaê! à essa triste modalidade de encerramento-de-namoros-que-nunca-houveram, com o inspirado nome "Te Vejo como um Amigo - a frase que estragou nosso verão". A seção aceita colaborações de leitores, na tardia oportunidade de um desabafo pessoal, de lavar a mágoa em lágrimas ou ao menos de trabalhar o recalque de uma maneira literariamente criativa (o próprio Gustavo tem sua versão pessoal desse tema). Solidariedade é o melhor que se pode prestar às vítimas dessas tristes histórias de desilusão, como aquela joaninha que quase acaba afogada...

Um dia eles todos se juntam e aí...
Não, fora de brincadeira, isso aqui é muito inusitado:
Eu sou um mini-cone laranja!
Faça o teste "Que tipo de cone você é?"
criado por sami

Estudo de caso
"O Hiro é uma daquelas pessoas que conecta um terço do mundo a outro terço" (Kazi)

eu também conheço o hiro
Agora o Hiroentregou o ouro, era tudo apenas um experimento de marketing viral, de infestação memética, de contágio de idéias. Pois bem, para quem leva estatísticas à sério: o número de page views da página do Hiro, para onde a foto acima aponta, quintuplicou em 3 dias. E tem gente que ainda acha que esse papo de meme é coisa de cientista maluco...
Mas voltando à vaca fria, a primeira vez que eu vi o Hiro na minha vida foi numa reunião que decidia quais curiosidades iriam entrar numa coluna singelamente chamada Cultura Inútil. Um cara tinha coletado aquelas frase iniciadas com Você Sabia? e, naquele momento, as lia em voz alta, submetendo-as ao escrutínio de todo mundo. Lá pelas tantas, ele começou uma frase assim: "Você sabia que maio, junho, julho e agosto..." no que foi bruscamente interrompido pelo Hiro:
-...São meses?!!!

Eu já sabia
Ondas quebrando contra uma falésia isolada. Um imenso campo de pasto verde. Tempestade numa noite de inverno. O nascer do sol. Imagens assim eram evocadas pela qualidade orquestral da música. As três, e não duas, guitarras, esculpindo texturas em camadas e níveis múltiplos, quase indecifráveis. A pressão acústica que saía dos alto-falantes era suficiente para empinar uma pipa. Distorções envolviam cada acorde, fazendo a apresentação do Sonic Youth de 2 anos antes parecer música de consultório. Perto daquela microfonia, Jimi Hendrix pediria desculpas e buscaria o extintor para apagar o fogo que tacou naquela guitarra. Ao fim do show, me abaixei, para catar pelo chão os caquinhos dos meus tímpanos rachados. Tinha acabado de assistir ao Mogwai.
Nunca ouviu falar? Vá perguntar ao cara do Radiohead onde ele se inspirou para fazer o último disco...


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 28/5/2002

Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2002
01. Coisas nossas - 23/4/2002
02. Pi, o [fi]lme, e o infinito no alfa - 25/6/2002
03. Ar do palco, ou o xadrez nos tempos da Guerra Fria - 16/4/2002
04. Quando éramos reis, bispos, cavalos... - 9/4/2002
05. Quebrar pratos com Afrodite - 14/5/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/5/2002
19h50min
Falaê! Rafael, Tudo em cima? Valeu pela menção ao nosso querido Falaê! - www.falae.com.br - na sua coluna. A seção "Te vejo como amigo" é uma espécie de menina dos olhos, minha e do Gustavão. Procurei teu e-mail no site, mas parece q o Julio não permite a divulgação do e-mail de seus colaboradores, sei lá ... Aliás, acho q nem o dele tem. Bem, é isso, parabésn pela coluna, pelo trabalho feito e fica tb um convite para colaborar com o nosso Falaê!. Entre em contato, Forte abraço, Augusto Sales Editor Falaê! www.falae.com.br P.S. Julio, parabéns pelo excelente trabalho. Seu site é DEMAIS!
[Leia outros Comentários de augusto sales]
30/5/2002
18h06min
tu e viado seu safado
[Leia outros Comentários de joão]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Histórias Que a Umbanda nos Conta
Marco Boeing
Coração Brasil
(2008)



/Mônica Nº 179
Mauricio de Souza
Globo
(2001)



Livro Literatura Estrangeira An Abundance of Katherines
John Green
Speak
(2006)



Toda Mulher Tem 7 Homens autógrafo da autora
Vera Lucas
Vermelho marinho
(2012)



D. Pedro I e o Brasil - Revisão da História
Avertano Cruz
Pallas
(1981)



Amar de Novo
Danielle Steel
Record
(1987)



O Fabuloso Patrocínio Filho 311
R. Magalhães Júnior
Lisa



A Vida dos Invertebrados
F.Harvey Pough / Christiane M. Janis/ John B. Heiser
Atheneu
(2008)



Memória, História e Imaginação
Teócrito Abritta
Oficina do Livro



Golpe de Vista
Palaoro
Atual
(2010)





busca | avançada
44704 visitas/dia
2,9 milhões/mês