O homem da paz celestial | Alexandre Ramos | Digestivo Cultural

busca | avançada
74383 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
>>> Amilton Godoy Show 70 anos. Participação especial de Proveta
>>> Bacco’s promove evento ao ar livre na Lagoa dos Ingleses, em Alphaville
>>> Vera Athayde é convidada do projeto Terreiros Nômades em ação na EMEF Ana Maria Benetti sobre Cavalo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que as curitibanas não usam saia?
>>> Jobim: maestro ou compositor?
>>> 7 de Outubro #digestivo10anos
>>> A insignificância perfeita de Leonardo Fróes
>>> Soco no saco
>>> De Siegfried a São Jorge
>>> O Paulinho da Viola de Meu Tempo é Hoje
>>> Pelas curvas brasileiras
>>> A pintura admirável de Glória Nogueira
>>> A Flip como Ela é... I
Mais Recentes
>>> Ao Redor do Mundo de Fernando Dourado Filho pela Fernando Dourado Filho (2000)
>>> O Administrador do Rei - coleção aqui e agora de Aristides Fraga Lima pela Scipione (1991)
>>> Memória do Cinema de Henrique Alves Costa pela Afrontamento (2024)
>>> Os Filhos do Mundo - a face oculta da menoridade (1964-1979) de Gutemberg Alexandrino Rodrigues pela Ibccrim (2001)
>>> Arranca-me a Vida de Angeles Mastretta pela Siciliano (1992)
>>> Globalizacão, Fragmentacão E Reforma Urbana: O Futuro Das Cidades Brasileiras Na Crise de Luiz Cezar de Queiroz Ribeiro; Orlando Alves dos Santos Junior pela Civilização Brasileira (1997)
>>> Movimento dos Trabalhadores e a Nova Ordem Mundial de Clat pela Clat (1993)
>>> Falso Amanhecer: Os Equívocos Do Capitalismo Global de John Gray pela Record (1999)
>>> Os Colegas de Lygia Bojunga pela Casa Lygia Bojunga (1986)
>>> Amazonas um Rio Conta Historias de Sergio D. T. Macedo pela Record (1962)
>>> A História de Editora Sextante pela Sextante (2012)
>>> Villegagnon, Paixaƒo E Guerra Na Guanabara: Romance de Assis Brasil pela Rio Fundo (1991)
>>> A Política de Aristóteles pela Ediouro
>>> A Morte no Paraíso a tragédia de Stefan Zweig de Alberto Dines pela Nova Fronteira (1981)
>>> Rin Tin Tin a vida e a lenda de Susan Orlean pela Valentina (2013)
>>> Estudos Brasileiros de População de Castro Barretto pela Do Autor (1947)
>>> A Origem do Dinheiro de Josef Robert pela Global (1989)
>>> Arquitetos De Sonhos de Ademar Bogo pela Expressão Popular (2024)
>>> Desafio no Pacífico de Robert Leckie pela Globo (1970)
>>> O Menino do DedoVerde de Maurice Druon pela José Olympio (1983)
>>> A Ciencia Da Propaganda de Claude Hopkins pela Cultrix (2005)
>>> Da Matriz Ao Beco E Depois de Flavio Carneiro pela Rocco (1994)
>>> Testemunho de Darcy Ribeiro pela Edições Siciliano (1990)
>>> Tarzan e o Leão de Ouro de Edgar Rice Burroughs pela Record (1982)
>>> Viagem de Graciliano Ramos pela Record (1984)
COLUNAS >>> Especial Copa 2002

Segunda-feira, 10/6/2002
O homem da paz celestial
Alexandre Ramos
+ de 4700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Um bilhão e duzentos e sessenta milhões de pessoas. Vai ter gente assim na China. É verdade que, dos noventa milhões em ação pra cá, a população brasileira quase que dobrou, faltam só uns dez milhõezinhos pra isso, coisa pouca, mas um bilhão, convenhamos, é muita gente. Apenas 600 milhões de chineses assistiram pela TV o jogo contra a Costa Rica, e ainda assim faturaram fácil o título de maior torcida do planeta. Os números são enormes, e as imagens, impressionantes. Mas, número por número, e imagem por imagem, eu ainda fico mais impressionado com o que considero um dos mais importantes eventos históricos do século 20: um homem, um único homem, diante de uma coluna de tanques na Praça da Paz Celestial. Pode ser que o dia 4 de junho de 2002 fique na história da China como a data de sua primeira participação num mundial de futebol, mas aquele 4 de junho de 1989 é um marco na história de toda a humanidade.

Se é verdade (e é) que uma imagem vale mais do que mil palavras, aquela frágil figura armada apenas com uma coragem extraordinária desmente os discursos dos ideólogos de todos os matizes, que insistem em que este ou aquele sistema filosófico ou político-econômico, esta ou aquela pedagogia serão capazes de produzir um mundo melhor. Não. Pessoas melhores produzirão um mundo melhor. Indivíduos. O gesto daquele homem não resultou de assembléias intermináveis que produzem declarações tão óbvias quanto inúteis, nem colocou em risco a vida de ninguém, mas apenas a sua própria.

As instituições existem para o homem, e não o contrário. O próprio princípio da prevalência do interesse social sobre o individual tem como fundamento os direitos e garantias do indivíduo, que são irredutíveis e constituem o ponto de partida de qualquer ordenamento jurídico sério.

A antropologia bíblica aponta com precisão para o alvo: tudo se decide no coração do homem. É lá que as decisões são tomadas, e é lá que se resolve se os "sistemas" - de resto sujeitos a contínua superação por causa de suas limitações intrínsecas - irão ou não funcionar, e de que modo. Não existe receita, nem fôrma, que possam produzir o tal mundo melhor, mas tão somente os abismos da alma humana, que conhecemos pouquíssimo, e de onde podem brotar tanto amor e tanto ódio, às vezes simultaneamente.

A história não é feita somente, talvez nem principalmente, pelos Estados ou pelos "grandes líderes" - que são necessários e têm um papel importante - mas pelas pessoas. Entre as "perguntas de um operário que lê", Bertolt Brecht queria saber quem cozinhava os banquetes das vitórias dos "grandes homens", ou quem mais chorou, juntamente com Felipe de Espanha, quando a (não tão) Invencível Armada naufragou.

É verdade que, além dos citados ideólogos, dos revolucionários e conquistadores de todos os tamanhos e modelos, também nós, pessoas comuns, temos nossa parcela de culpa pelas ditaduras de todo tipo e os horrores que as acompanham. Estudos recentes demonstram que uma boa parte dos envolvidos na realização do Holocausto nazista era constituída por funcionários, profissionais liberais, donas de casa, pessoas como cada um de nós, e que, com a proverbial eficiência germânica, fizeram o que conhecemos. Numa conhecida paráfrase, tão correta quanto irônica, Raymond Aron lembrava que "o marxismo é o ópio dos intelectuais", e com ele todas as doutrinas que pretendam sobrepor absolutamente o que quer que seja ao indivíduo, à exceção, claro, de Deus.

Não tenho a menor dúvida de que um dia reconheceremos, na origem de profundas mudanças no curso da História, a figura singela, corajosa, e de uma extraordinária dignidade - do homem que sozinho deteve os tanques na Praça da Paz Celestial.


Alexandre Ramos
Teresópolis, 10/6/2002

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Neste Momento, poesia de André Dick de Jardel Dias Cavalcanti
02. Imitação da Vida e as barreiras da intolerância de Carla Ceres
03. A rede contra as raposas analógicas de Carla Ceres
04. A sordidez de Alessandro Garcia de Guilherme Pontes Coelho
05. A decadência do herói de André Graciotti


Mais Alexandre Ramos
Mais Especial Copa 2002
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/6/2002
09h01min
Ah, meu amigo, faz isso não, senão eu choro... seu texto está lindo demais! É sempre isso que eu digo, o mundo acontece entre o eu e o tu, nesse espaço entre o "fale" e o "já falei". O que aconteceu na Praça da Paz celestial foi que o homem na frente do tanque "falou" ao homem que dirigia aquele tanque, um a um, e o homem escutou. Maravilha das maravilhas, ainda podemos escutar uns aos outros, se nos olharmos a todos como indivíduos. Obrigada pelo presente que este texto é. Beijos da Sue
[Leia outros Comentários de Assunção Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Por Que Elas São Infiéis
Leneide Duarte Plon
Ediouro
(2006)



Menina Mãe
Maria da Gloria de Castro
Moderna
(1998)



O Segredo Chinês
Chen Guidi , Wu Chuntao
Record
(2008)



A Cidade do Sol + A Utopia
Tommaso Campanella, Thomas Morus
Atena
(1956)



Sonho Estrelado
Ubaldo José Baiano
Jardim dos Livros
(2014)



Kuery
Júlio Emílio Braz
Moderna
(2014)



Ciranda do Tempo
Jussara Braga
Do Brasil
(1987)



Great War Speeches
Sir Wiston Churchill
Corgi Books
(1965)



Livro Literatura Estrangeira As Enganadas
Jo Soares
Companhia das Letras
(2011)



Sempre Foi Você
Carrie Elks
Universo Dos Livros
(2014)





busca | avançada
74383 visitas/dia
2,4 milhões/mês