O homem da paz celestial | Alexandre Ramos | Digestivo Cultural

busca | avançada
88011 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nova Exposição no Sesc Santos tem abertura online nessa quinta, 17/06
>>> Arte dentro de casa: museus e eventos culturais com exposições virtuais
>>> “Bella Cenci” Estreia em formato virtual com a atriz Thais Patez
>>> Espetáculo teatral conta a história de menina que sonha em ser astronauta
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Autores & Ideias no Sesc-PR I
>>> Balangandãs de Ná Ozzetti
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> A sétima temporada de 24 horas
>>> De olho neles
>>> Saudações cinemusicais
>>> 1998 ― 2008: Dez anos de charges
>>> The Book of Souls
>>> Carta ao pai morto
>>> Rousseau e a Retórica Moderna
Mais Recentes
>>> Walter Benjamin: os cacos da história de Gagnebin, Jeanne Marie pela Mercado Editorial (2018)
>>> O Enigma de Teotihuacán de P. Guirao pela Hemus (1984)
>>> O mito, o ritual e o oral de Jack Goody pela Vozes (2012)
>>> O Peregrino Ilustrado de John Bunyan pela Mundo Cristão (2007)
>>> Cancioneiro para Encontro Vocacionais e de Jovens de N/t pela Loyola (1983)
>>> Cristãos Hoje de N. Maccari pela Paulinas (1976)
>>> Salmos de Edgard Armond pela Aliança (1979)
>>> Lobas, Lobos e Afins - a Eterna Busca da Liberdade... de Solange Torino pela Virgo (2001)
>>> Vida, Morte e Destino de Maria Fernanda S. e Edson Olivari de Castro pela Cia Ilimitada (1992)
>>> Rezas, Orações e Preces de Varios Autores pela Rita Carneti (1992)
>>> Como Falar em Publico e Influenciar Pessoas no Munndo dos Negócios de Dale Carnegie pela Record (1962)
>>> Uma Jornada Interior de Sara Mariott pela Pensamento (1993)
>>> Jovens e Adultos Dominical Fidelidade de Varios Autores pela Betel
>>> O Manual da Felicidade de Pe. Alberto Luiz Gambarini pela Ágape (2008)
>>> Como Enfrentar o Stress de Marilda Novaes Lipp e Colaboradores pela Ícone (1990)
>>> Auxiliares Invisíveis de C. W. Leadbeater pela Pensamento (1997)
>>> Oito Passos para Você ter Saúde de Ana Maria Freitas pela N/a
>>> O Livro do Destino de Herman Kirchenhoffer pela Círculo do Livro (1978)
>>> Eles Voltaram de Francisco Cândido Xavier pela Instituto de Difusão Espírita (1982)
>>> Os Remédios Florais do Dr. Bach de Dr. Edward Bach pela Pensamento (2006)
>>> Encontros, Desencontros e Reencontros de Florangela M. Desidério pela Paulinas (1982)
>>> Cavaleiro da Concórdia de Manoel Jacintho Coelho pela Racional (1988)
>>> Fátima, Aurora do Terceiro Milênio de João S. Clá Diaz pela Associação Cultural Nossa Senhora de Fátima (2000)
>>> I Ching, O Livro das Mutações de Juan Echenique Pérsico pela Melhoramento (2012)
>>> O Encontro, os mais Belos Encontros de Cristo de João Mohana pela Agir (1979)
COLUNAS >>> Especial Copa 2002

Segunda-feira, 10/6/2002
O homem da paz celestial
Alexandre Ramos

+ de 4000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Um bilhão e duzentos e sessenta milhões de pessoas. Vai ter gente assim na China. É verdade que, dos noventa milhões em ação pra cá, a população brasileira quase que dobrou, faltam só uns dez milhõezinhos pra isso, coisa pouca, mas um bilhão, convenhamos, é muita gente. Apenas 600 milhões de chineses assistiram pela TV o jogo contra a Costa Rica, e ainda assim faturaram fácil o título de maior torcida do planeta. Os números são enormes, e as imagens, impressionantes. Mas, número por número, e imagem por imagem, eu ainda fico mais impressionado com o que considero um dos mais importantes eventos históricos do século 20: um homem, um único homem, diante de uma coluna de tanques na Praça da Paz Celestial. Pode ser que o dia 4 de junho de 2002 fique na história da China como a data de sua primeira participação num mundial de futebol, mas aquele 4 de junho de 1989 é um marco na história de toda a humanidade.

Se é verdade (e é) que uma imagem vale mais do que mil palavras, aquela frágil figura armada apenas com uma coragem extraordinária desmente os discursos dos ideólogos de todos os matizes, que insistem em que este ou aquele sistema filosófico ou político-econômico, esta ou aquela pedagogia serão capazes de produzir um mundo melhor. Não. Pessoas melhores produzirão um mundo melhor. Indivíduos. O gesto daquele homem não resultou de assembléias intermináveis que produzem declarações tão óbvias quanto inúteis, nem colocou em risco a vida de ninguém, mas apenas a sua própria.

As instituições existem para o homem, e não o contrário. O próprio princípio da prevalência do interesse social sobre o individual tem como fundamento os direitos e garantias do indivíduo, que são irredutíveis e constituem o ponto de partida de qualquer ordenamento jurídico sério.

A antropologia bíblica aponta com precisão para o alvo: tudo se decide no coração do homem. É lá que as decisões são tomadas, e é lá que se resolve se os "sistemas" - de resto sujeitos a contínua superação por causa de suas limitações intrínsecas - irão ou não funcionar, e de que modo. Não existe receita, nem fôrma, que possam produzir o tal mundo melhor, mas tão somente os abismos da alma humana, que conhecemos pouquíssimo, e de onde podem brotar tanto amor e tanto ódio, às vezes simultaneamente.

A história não é feita somente, talvez nem principalmente, pelos Estados ou pelos "grandes líderes" - que são necessários e têm um papel importante - mas pelas pessoas. Entre as "perguntas de um operário que lê", Bertolt Brecht queria saber quem cozinhava os banquetes das vitórias dos "grandes homens", ou quem mais chorou, juntamente com Felipe de Espanha, quando a (não tão) Invencível Armada naufragou.

É verdade que, além dos citados ideólogos, dos revolucionários e conquistadores de todos os tamanhos e modelos, também nós, pessoas comuns, temos nossa parcela de culpa pelas ditaduras de todo tipo e os horrores que as acompanham. Estudos recentes demonstram que uma boa parte dos envolvidos na realização do Holocausto nazista era constituída por funcionários, profissionais liberais, donas de casa, pessoas como cada um de nós, e que, com a proverbial eficiência germânica, fizeram o que conhecemos. Numa conhecida paráfrase, tão correta quanto irônica, Raymond Aron lembrava que "o marxismo é o ópio dos intelectuais", e com ele todas as doutrinas que pretendam sobrepor absolutamente o que quer que seja ao indivíduo, à exceção, claro, de Deus.

Não tenho a menor dúvida de que um dia reconheceremos, na origem de profundas mudanças no curso da História, a figura singela, corajosa, e de uma extraordinária dignidade - do homem que sozinho deteve os tanques na Praça da Paz Celestial.


Alexandre Ramos
Teresópolis, 10/6/2002


Mais Alexandre Ramos
Mais Especial Copa 2002
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/6/2002
09h01min
Ah, meu amigo, faz isso não, senão eu choro... seu texto está lindo demais! É sempre isso que eu digo, o mundo acontece entre o eu e o tu, nesse espaço entre o "fale" e o "já falei". O que aconteceu na Praça da Paz celestial foi que o homem na frente do tanque "falou" ao homem que dirigia aquele tanque, um a um, e o homem escutou. Maravilha das maravilhas, ainda podemos escutar uns aos outros, se nos olharmos a todos como indivíduos. Obrigada pelo presente que este texto é. Beijos da Sue
[Leia outros Comentários de Assunção Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




História da Ll Guerra Mundial- 1939-1945
Edgard Mc Innis
Globo
(1956)



Iniciação a Administração de Recursos Humanos
Idalberto Chiavenato
Manole
(2014)



O crime do padre Amaro (15ª ed.)
Eça de Queirós
Ática
(2001)



Teatro Grego ( Ésquilo, Sófocles, Eurípedes, Aristófanes)
Osmar Perazzo Lannes (tradução e Adaptação)
Matos Peixoto (rj)
(1965)



Renato Russo: o Filho da Revoluçao
Carlos Marcelo
Agir
(2009)



Os Dispersos - Contos
Janette Fishenfeld
Do Autor
(1966)



Um Assassinato um Mistério um Casamento
Mark Twain
Rideel
(2007)



Como Fazer do Sucesso um Hábito
Mack R. Douglas
Pro Net
(1994)



Vamos para Casa: uma História de Amor
Maria do Carmo Lima de Rezende (dedicatória)
7letras
(2004)



Gregor Mendel - Vida e Obra
Newton Freire Maia
T a Queiroz
(1995)





busca | avançada
88011 visitas/dia
2,7 milhões/mês