Reminiscências de um campeão | Eduardo Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
101 mil/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
>>> Amilton Godoy Show 70 anos. Participação especial de Proveta
>>> Bacco’s promove evento ao ar livre na Lagoa dos Ingleses, em Alphaville
>>> Vera Athayde é convidada do projeto Terreiros Nômades em ação na EMEF Ana Maria Benetti sobre Cavalo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Chico Buarque e o Leite derramado
>>> A favor do voto obrigatório
>>> The Matrix Reloaded
>>> Por que as curitibanas não usam saia?
>>> Jobim: maestro ou compositor?
>>> 7 de Outubro #digestivo10anos
>>> A insignificância perfeita de Leonardo Fróes
>>> Soco no saco
>>> De Siegfried a São Jorge
>>> O Paulinho da Viola de Meu Tempo é Hoje
Mais Recentes
>>> Ao Redor do Mundo de Fernando Dourado Filho pela Fernando Dourado Filho (2000)
>>> O Administrador do Rei - coleção aqui e agora de Aristides Fraga Lima pela Scipione (1991)
>>> Memória do Cinema de Henrique Alves Costa pela Afrontamento (2024)
>>> Os Filhos do Mundo - a face oculta da menoridade (1964-1979) de Gutemberg Alexandrino Rodrigues pela Ibccrim (2001)
>>> Arranca-me a Vida de Angeles Mastretta pela Siciliano (1992)
>>> Globalizacão, Fragmentacão E Reforma Urbana: O Futuro Das Cidades Brasileiras Na Crise de Luiz Cezar de Queiroz Ribeiro; Orlando Alves dos Santos Junior pela Civilização Brasileira (1997)
>>> Movimento dos Trabalhadores e a Nova Ordem Mundial de Clat pela Clat (1993)
>>> Falso Amanhecer: Os Equívocos Do Capitalismo Global de John Gray pela Record (1999)
>>> Os Colegas de Lygia Bojunga pela Casa Lygia Bojunga (1986)
>>> Amazonas um Rio Conta Historias de Sergio D. T. Macedo pela Record (1962)
>>> A História de Editora Sextante pela Sextante (2012)
>>> Villegagnon, Paixaƒo E Guerra Na Guanabara: Romance de Assis Brasil pela Rio Fundo (1991)
>>> A Política de Aristóteles pela Ediouro
>>> A Morte no Paraíso a tragédia de Stefan Zweig de Alberto Dines pela Nova Fronteira (1981)
>>> Rin Tin Tin a vida e a lenda de Susan Orlean pela Valentina (2013)
>>> Estudos Brasileiros de População de Castro Barretto pela Do Autor (1947)
>>> A Origem do Dinheiro de Josef Robert pela Global (1989)
>>> Arquitetos De Sonhos de Ademar Bogo pela Expressão Popular (2024)
>>> Desafio no Pacífico de Robert Leckie pela Globo (1970)
>>> O Menino do DedoVerde de Maurice Druon pela José Olympio (1983)
>>> A Ciencia Da Propaganda de Claude Hopkins pela Cultrix (2005)
>>> Da Matriz Ao Beco E Depois de Flavio Carneiro pela Rocco (1994)
>>> Testemunho de Darcy Ribeiro pela Edições Siciliano (1990)
>>> Tarzan e o Leão de Ouro de Edgar Rice Burroughs pela Record (1982)
>>> Viagem de Graciliano Ramos pela Record (1984)
COLUNAS >>> Especial Copa 2002

Segunda-feira, 8/7/2002
Reminiscências de um campeão
Eduardo Carvalho
+ de 7500 Acessos
+ 3 Comentário(s)

O assunto parece estar esgotado. Mas, me desculpem, eu não resisti. Durante os quarenta dias de Copa, dificilmente consegui pensar em outra coisa. Deixei, então, minha resenha de Como ser legal, o novo livro de Nick Hornby, pela metade: e resolvi digitar algumas das minhas impressões sobre a Copa. Se até o Pedro Bial pode, eu também posso.

O Homem Gelatina

Galvão Bueno é insistentemente criticado, mas não adianta: sua posição como comandante do coro brasileiro é sagrada. É inútil resmungar. A Globo jamais o tiraria de lá por um motivo muito simples: o povo reclama, mas gosta.

Galvão fala uma quantidade de bobagens incrível. Mas o problema é que, se você desligar o som da tevê para evitá-lo, vai precisar agüentar outros babacas na sala fazendo comentários ainda mais estúpidos do que os dele. Todo mundo reclama do narrador da Globo - mas dificilmente alguem se comporta de maneira diferente da dele. Galvão representa exatamente aquilo que, em um jogo de Copa do Mundo, quase todo brasileiro quer ser: o sujeito arrogante que impõe sua opinião, por mais absurda que seja, ao resto do país inteiro.

A única diferença, então, entre o torcedor comum e Galvão é que o torcedor tem menos audiência. Se pudesse, o torcedor também estaria lá. Seu sonho é contaminar o país inteiro com as babaquices que fala entre os amigos. Mas ninguém consegue exercer essa função com tanta competência como Galvão Bueno - que, com estudada intimidade, chama o Brasil inteiro de seu amigo.

É verdade que ele consegue controlar o timbre de sua voz, alternando rapidamente entre o entusiasmo e a preocupação, com uma facilidade impressionante, na velocidade que o futebol exige. Mas eu desconfio que esta habilidade seja menos resultado de um treinamento para voz do que um reflexo de sua personalidade. Sua sensibilidade é forçada; suas emoções são controladas; sua empolgação é falsa. Galvão Bueno deve ter um espírito de gelatina - exatamente como sua profissão exige.

A profissão, não: os torcedores. Galvão - ou um substituto - poderia narrar de forma mais sóbria e direta, como devem ser narrados os jogos pela televisão. Mas o torcedor inconveniente precisa se identificar com o narrador, e reclamar dele pelos mesmos defeitos que possui - pensando, com a mesma segurança de Galvão, que só ele entende o que está acontecendo em campo. O espírito de Galvão pode ser de gelatina; mas o torcedor que, disfarçado de vítima, nos obriga a agüentá-lo é - mesmo que não seja palmeirense - um espírito de porco.

O Jogador Porcelana

Quando exigiu que seus jogadores sejam todos espada, o técnico da seleção mexicana, Javier Aguirre, deveria ser melhor compreendido - ou, se fui eu que não entendi direito, mais esclarecido.

Não importa qual seja a opção sexual do praticante: futebol é jogo de homem. Seja ele mulher ou invertido. Exige contato físico pesado, e isso não é coisa para bonecas de porcelana como, por exemplo, David Beckham.

Beckham não cai apenas porque é malandro. Cai principalmente porque é fresco. Esse tipo de atitude é tão reprovável quanto a do jogador cavalo. E deveria ser punida igualmente. Futebol, como boxe, não é esporte para bailarinas.

Se Ronaldo foi, nesta Copa, um exemplo como jogador e personalidade, o estilo de Beckham representa - com seus tombinhos e seu topete - o anti-jogo e a vulgaridade. A diferença entre o corte de cabelo dos dois, aliás, diz quase tudo: Ronaldo usou um corte inédito e engraçado; Beckham, como orgulhoso marido de uma Spice Girl, penteia seu cabelo como se fosse integrante da versão masculina da ex-banda da sua mulher. Se fosse mexicano, Beckham correria o risco de não participar da Copa. Nem sua crista artificial engana: David Beckham tem a mesma virilidade de um frango depenado.

Na lata

O fato de Pedro Bial apresentar um programa como o Big Brother não significa, necessariamente, que sua leitura de Guimarães Rosa esteja comprometida. Mas, que dá pra desconfiar, ah, isso dá.

Dava. Porque agora, depois da oportunidade que tivemos para acompanhar suas crônicas narradas na televisão, temos certeza. Pedro Bial não escreve como um admirador de Guimarães - escreve como um apresentador do Big Brother. Se ele joga para os dois lados, então, é em outro sentido - sua versatilidade parece não ultrapassar os limites impostos palas paredes do seu quarto.

E nem adianta ele tentar disfarçar, escrevendo poeminhas e fazendo referências manjadas a Nelson Rodrigues, como a de que, no domingo em que fomos pentacampeões, o povo brasileiro superou, por alguns instantes, seu complexo de vira-lata. Não é verdade. É evidente que ele - o povo - tenha preferido, em vez de se desgastar virando latas, assumir o orgulho de viver dentro de uma.


Eduardo Carvalho
São Paulo, 8/7/2002

Mais Eduardo Carvalho
Mais Acessadas de Eduardo Carvalho em 2002
01. Com a calcinha aparecendo - 6/5/2002
02. Festa na floresta - 9/9/2002
03. Hoje a festa é nossa - 23/9/2002
04. Todas as paixões desperdiçadas - 23/12/2002
05. O do contra - 11/3/2002


Mais Especial Copa 2002
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/7/2002
16h23min
Eduardo, Com certeza foi o melhor texto que já escreveu para o Digestivo. Parabéns o texto está bem engraçado.
[Leia outros Comentários de Otavio]
8/7/2002
21h24min
Caro Eduardo, Fico aqui imaginando como vc tem a percepção rápida e exata daquilo tudo que eu gostaria de dizer aos torcedores brasileiros. Continue assim!!! Arq. Anilson Gomes De Salvador
[Leia outros Comentários de Anilson]
15/7/2002
3. boa
10h46min
Realmente muito bom seu texto, Parabéns
[Leia outros Comentários de Ricardo Larroude]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Historia Dos Estados Unidos: Das Origens Ao Seculo Xxi
Marcus Vinicius De Morais, Sean Purdy, Luis Estevam Fernandes, Leandro Karnal
Contexto
(2021)



The Road To Middle Earth
Tom Shippey
Harper Collins
(2012)



A Personalidade Através do Desenho
Dra Fernanda Barcellos
Do Autor
(1975)



Vozes do éden
R. M. Lamming
Bertrand Brasil
(2011)



Primeiros Acordes ao Violão - Método Prárico
Othon G. R. Filho
Irmãos Vitale
(2008)



Tratado de Direito -penal Parte Geral 1
Cezar Roberto Bitencourt
Saraiva
(2011)



Inteligência das emoções
Alírio De Cerqueira Filho
Plenitude
(2013)



La Armonia En El Color - Nuevas Tendencias
Bride M Whelan
Color Harmony
(1994)



Livro Literatura Estrangeira 10 Coisas Que nos Fizemos (E Provavelmente Não Deveriámos)
Sarah Mlynowski
Galera
(2013)



A arte da guerra
Sun Tzu
Ciranda cultural
(2019)





busca | avançada
101 mil/dia
2,4 milhões/mês