Comentários de Dennis | Digestivo Cultural

busca | avançada
84229 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Ibraíma Dafonte Tavares desvenda preparação e revisão de texto
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
>>> Museu de Arte Sacra de São Paulo - Imagens de ROCA e de VESTIR
>>> Mostra de Teatro de Ipatinga comemora os 15 anos do Grupo 3 de Teatro com espetáculo online
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O pingente que deu certo
>>> Fidelio, primeira parte
>>> Um brasileiro no Uzbequistão (III)
>>> Os gatos, as bibliotecas e a literatura
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> A brother is a brother
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Um adeus pra Vonnegut Jr
>>> Curso superior de auto-ajuda empresarial
>>> Francisco Alves, o esquecido rei da voz
Mais Recentes
>>> Livro Quem pensa enriquece de Napoleon hill pela Cdg (2021)
>>> FLAGRANTES - Poemas em Busca de um Alvo de Rosivaldo do Nascimento pela Artner (2020)
>>> Formação Econômica do Brasil de Celso Furtado pela Companhia Edit. Nacional (1976)
>>> A Gorda e a Volta por Cima de Carlos Heitor Cony pela Ediouro
>>> Matemática Aula Por Aula 2° Série Ensino Médio. de Benigno Barreto Filho - Cláudio Xavier da Silva pela Ftd (2005)
>>> Quarto de despejo de Carolina Maria De Jesus pela Atica (2001)
>>> Che guevara por ele mesmo de Vários Autores pela Martin Claret (2005)
>>> O amor me trouxe de volta de Carol Bowman; Simone Lemberg Reisner pela Sextante (2010)
>>> Ramsés - a Batalha de Kadesh (vol. 3) de Christian Jacq pela Bertrand (1999)
>>> O Jogo do Anjo de Carlos Ruiz Zafón pela Suma de Letras (2008)
>>> O Físico - a Epopéia de um Médico Medieval de Noah Gordon pela Rocco (1988)
>>> A Dama Azul de Planeta do Brasil pela Planeta do Brasil (2009)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 9 de Yu Kuraishi pela Jbc (2017)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 4 de Mangá pela Jbc (2017)
>>> Chobits Especial - Vol. 1 de Clamp pela Jbc (2013)
>>> Comer, Rezar, Amar de Elizabeth Gilbert pela Objetiva (2008)
>>> Vida na Terra - Conhecer e Proteger de Rosicler Martins Rodrigues pela Moderna (1991)
>>> Coin Laundry Lady EAN: 9788545703730 de Hiro Kiyohara pela Jbc (2017)
>>> You on a Diet de Mehmet C Oz; Ted Spiker; Lisa Oz pela Simon & Schuster (2006)
>>> As 100 + o Guia de Estilo Que Toda Mulher Fashion Deve Ter de Nina Garcia pela Best Seller (2009)
>>> Fairy Tail - Vol. 52 EAN: 9788545701361 de Mangá pela Jbc (2013)
>>> O Paciente Número Um de Michael Palmer pela Prumo (2009)
>>> Rurouni Kenshin - Especial - versão do autor - Vol. 2 EAN: 9788545701576 de Nabuchiro Watsuki pela Jbc (2018)
>>> Chobits Especial - Vol. 2 EAN: 9788545700302 de Mangá pela Jbc (2013)
>>> Só a Gente Sabe o que Sente de Frederico Elboni pela Benvirá (2017)
>>> Estúpida, Eu? de Camila Coutinho pela Intrinseca (2019)
>>> Diário de uma garota nada popular 1 EAN: 9788576861034 de Rachel Renée Russel pela Verus (2014)
>>> O Catador de Sonhos de Geraldo Rufino pela Gente (2015)
>>> Inteligência - Representações do Cenário Internacional de Alexandre Andrade da Costa pela Paco Editorial (2019)
>>> Agência Enxuta de Natanael Oliveira pela Dvs (2018)
>>> Todas as Cores da Escuridão de Peter Robinson pela Record (2014)
>>> O Último Navio Negreiro da América de Erik Calonius pela Record (2008)
>>> Estação Infinita e Outras Estações de Ruy Espinheira Filho pela Bertrand Brasil (2012)
>>> O Senhor do Lado Esquerdo de Alberto Mussa pela Record (2011)
>>> Vampiratas - Império da Noite de Justin Somper pela Galera (2012)
>>> Vampiratas - Coração Negro de Justin Somper pela Galera (2010)
>>> Vida Assistida de Tess Gerritsen pela Record (2012)
>>> O Filho-presente de Kabouna Keita pela Bertrand Brasil (2008)
>>> Tenho uma Ideia de Roger Von Oech pela Best Seller (2011)
>>> Tríptico Astrológico de Dane Rudhyar pela Pensamento (1989)
>>> Ayahuasca - Alucinógenos, Consciência e o Espírito da Natureza de Ralph Metzner pela Gryphus (2002)
>>> A sabedoria nossa de cada dia de Augusto Cury pela Sextante (2007)
>>> Íntimo e Perigoso de Linda Howard pela Bertrand Brasil (2010)
>>> Mãos de Luz de Barbara Ann Brennan pela Pensamento (1996)
>>> O Segredo de Shambhala de James Redfield pela Objetiva (2000)
>>> A Vida nos Sonhos de David Fontana pela Record Nova Era (1994)
>>> Veterano? de Ismael Gomes Braga pela Kultura Kooperativo de Esperantistoj (1965)
>>> Filhos brilhantes alunos fascinantes de Agusto Cury pela Academia de Inteligência (2006)
>>> Além do Cordão de Prata, Labirinto dos Sonhos de Patrícia Fernandez pela Travassos (2015)
>>> Leasing Operacional de Carlos Alberto Di Augustini e Outro pela Fgv (2001)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Quinta-feira, 21/11/2002
Comentários
Dennis


Auf Wiedersehen!
Digestivo Cultural, Auf Wiedersehen!

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Dennis
21/11/2002 à
00h56 200.158.234.38
 
"ato falho"
Ops! Errata: "incontáveis lágrimas de emoção rolarão..." Claro, claro, nem sei como fui colocar no passado a cerimônia de coroação do messias. Sorry, deve ter sido ato falho.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Dennis
20/11/2002 às
15h22 200.204.143.186
 
Alice Inácio da Silva
Jorge Hernández Fonseca, cubano radicado no Brasil, escreveu um artigo interessantíssimo, publicado na seção “Tribuna Abierta”, do site “cubanuestra” (fácil de pesquisar). No primeiro parágrafo ele escreve (tradução minha): “A esquerda latinoamericana atual já não luta contra o “capitalismo explorador” como o fazia antes; a derrota do socialismo, em escala planetária - e a adoção do capitalismo de estado pela China comunista e por uma Cuba de Fidel Castro - ao deixá-los sem bandeiras, fez com que eles [todos da esquerda latinoamericana] redirecionassem seus ataques; agora materializam seus esforços contra o que eles denominam “o modelo neoliberal.” A observação de Jorge Hernández Fonseca não é novidade, mas – ainda assim - merece ser analisada com atenção. Antes, a ameaça vinha do capitalismo explorador, hoje vem do modelo neoliberal, amanhã virá das “forças ocultas”, as mesmas que foram responsáveis pela renúncia de Jânio Quadros (outro líder populista que admirava o pulso de ferro de Fidel). Curioso (ao menos para mim, que sou um pobre ignorante) é o fato de que a esquerda não sobrevive senão à sombra de um grande inimigo, e que este é sempre muito mais abstrato do que concreto, muito mais de natureza simbólica do que objetiva. O mundo só não é perfeito por culpa dos abjetos capitalistas, dos sórdidos neoliberais, do Armínio Fraga, etc... Agora teremos um governo brasileiro de esquerda, não teremos? Portanto, os esquerdistas deveriam estar imersos em tépida serenidade, vocês não acham? Afinal eles terão a chance de demonstrar sua competência, a eficácia de seus ideários socialistas. Entretanto... o pessoal de esquerda não me parece tão feliz quanto deveria estar. Por que será? Será aquele maldito cacoete, aquele sestro renitente de sempre apontar o dedo indicador para um pretenso culpado? Será que, mesmo estando na situação, no poder, eles ainda não conseguirão um só dia de paz? Helion, Irã, Marcelo e seus confrades parecem ser pessoas inteligentes, perseverantes, com um tipo de humor (ora voluntário, ora involuntário) que faz sucesso; então eu me pergunto: “Por que eles estão assim nervosos?” Por quê? Relaxem, criaturas! O Brasil é de vocês! Todinho de vocês! Aproveitem para reformar e dar uma mão de tinta látex nas suas fortalezas ideológicas! Sim, claro que Lula fará um governo honesto, progressista, justo e redentor! Claro que todos os loucos que duvidam da capacidade do PT ficarão rubros de vergonha e consumidos pelo remorso. Lula é o primeiro presidente cujo governo já está sendo considerado “ótimo” antes mesmo de iniciar. Diante disso, por favor (eu suplico), sejam mais serenos e tenham um pouco de compaixão. Apenas os loucos, os ignorantes e os cegos de espírito... ainda teimam em não acreditar na Wonderland de Alice Inácio da Silva. Tenham compaixão! Tenham grandeza d’alma! A estrela há de guiar os pastores e os reis ao lugar luminoso onde o messias será coroado. Carlinhos Brown e seus refinados músicos tocarão o hino nacional... incontáveis lágrimas de emoção rolaram... tudo é festa! Tudo é alegria! “Chegou a horaaaaa, chegou, chegooooou!” (Lembram dessa musiquinha?).

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Dennis
20/11/2002 às
14h29 200.204.143.186
 
Deliciosa crueldade de Francis
Quem sabe, quaquer dia desses, algum cervejólogo de pés inchados e bronzeados (metidos em sandálias pestilentas) resolva se inspirar em Madame Tussaud e fundar o "Museu de Cera Hugo Bidê"? Claro que haverá uma eficiente refrigeração, a fim de que não se derretam as estátuas de ipanemenses famosos (e do Baixo Leblon, claro!), todas feitas com cera dos ouvidos do pessoal de esquerda (coletadas e doadas nas praias, pois ninguém é de ferro). Não duvide, meu caro! Ah, que falta nos faz o Francis!Principalmente agora, nestes tempos da "Sagração do Populacho", onde tudo o que for autenticamente retrógrado, simplório e demagógico será louvado, e com mística reverência. Francis almoçaria, jantaria e defecaria esses imbecis. Foi ele, o Francis, o primeiro cronista que vi realizar impiedosos e deliciosos desmontes do "politicamente correto". Ele era cruel, sim, mas sua crueldade jamais foi vã. Ele mostrava que lixo é lixo, não adianta tentar disfarçar, dar banho de ouro, enfeitar com penachos de faisão. Lixo é lixo e o lugar de lixo é na lata de lixo! Viva Francis! Viva Mozart! A escuridão dará lugar à luz... basta ter paciência e manter a despensa sob controle. Alexandre, obrigado pela referência ao meu blog. Tentarei não decair, prometo! Abração!

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Dennis
15/11/2002 às
16h06 200.158.234.117
 
Quem são os chinesinhos mortos
Alexandre, meu caro, eu sei muito bem que a sua frase a respeito dos chinesinhos está com a centimetragem perfeita. Só que faltou especificar algo muito significativo. A verdade é que: "cada vez que se erra a ortografia, morre um chinesinho ANTI-MAOÍSTA no alto de um pagode." Quantas perdas irreparáveis! Quantas!

[Sobre "Lula Já É Um Coitado"]

por Dennis
28/10/2002 às
14h47 200.204.143.186
 
Grossura e refinamento
Alexandre, Alexandre, cuidado com aquela turba maluca que invadiu o Palácio Bourbon. Eles estão afiando as foices e restaurando os martelos. Seu texto mostra claramente que o refinamento é um estado d'alma, não uma coisa fantasiosa e cara, que possa ser comprada na Daslu ou no Empório Armani. Noel Coward, com ou sem trema, foi uma dessas almas refinadas, sem qualquer dúvida. Refinado em tudo e por tudo. Sim, era gay, mas só dava o rabo para quem realmente fizesse por merecer. Não é o caso de uns e outros que andaram empinando o traseiro até para o abominável Garotinho Von Trappo, ou para o fétido Paulo Maluf, tudo por uns votinhos a mais. Enfim, Alexandre, vamos à opera bufa. O libreto não ficou pronto, claro, pois as bases ainda não entraram em acordo a respeito da cor da capa. Abração, amigo.

[Sobre "Lula Já É Um Coitado"]

por Dennis
25/10/2002 às
20h51 200.158.234.253
 
Nem vem!!!
Nem vem! Eu escrevi pajem com "g" devido ao estado de intensa emoção no qual mergulhei, por obra dessa genial metáfora do leitor Feil. Não que eu seja burro, viu? Estou avisando antes que os inimigos venham com suas pedras e gritem que sou um ignorante. Eventuais erros encontrados devem ser atribuídos ao mesmo estado emocional, tá bom?

[Sobre "Maldita Ciência"]

por Dennis
30/9/2002 às
11h11 200.158.234.99
 
Desça a marreta, seu porreta!
Alexandre, a sua "Teoria da Gentinha" é tão cruel quanto realista. Claro que politicamente incorreta, o que só a dignifica ainda mais, porquanto o politicamente correto também é selecionado e vigiado por "gentinhas". O seu leitor Cristóvão Feil abominou as malvadezas que você escreveu, Alexandre. Sua impiedade, caro colunista, foi justamente puxar o tapete vermelho sobre o qual desfilam todos os crentes do "pentecostalismo universitário" e desse pentecostalismo de intelectuais à la Marilena Chauí (arghhh)! Como você foi destrutivo e desestruturalista, caro "pequeno anão vestido de pagem". Será que você realmente aspira ser um intelectual pós-moderno, como afirma seu leitor Feil? A meu ver esse texto apenas pecou pela teimosa soberba do autor, ao citar Wellek, Bóris Schnaiderman e outros famosos "de quem se trata, hã?". Alexandre, será que você pensa estar no locutório gótico da Sorbonne, seu maluco? Este é o site do Digestivo Cultural. Perdeu o pé na piscina? Tome juízo e modere o fluxo do seu saber, ó caríssimo! Mas adorei o texto todo e você sabe disso! Desconstrua mais, mais, mais... adoro contemplar desmanches. Pode descer a marreta, seu porreta!

[Sobre "Maldita Ciência"]

por Dennis
30/9/2002 às
09h22 200.158.234.99
 
Texto inteligente e saboroso
Alexandre, você nos trouxe mais um texto delicioso, que já começa bem, mencionando meu querido detetive Nero Wolfe (ele e seu altivo assistente Goodwin são personagens pra lá de tridimensionais) e vai ficando melhor a cada linha. Concordo que o realismo literário nunca seja puro, a menos que você chame de obras literárias os compêndios de medicina. Mesmo a Medicina Legal não é 100% realista. O mundo não é realista, nem precisa de realismo literário puro, a meu ver. Alexandre, concordo que essa mania de desprezar adjetivos (aquilo que chamam de "cortar o desnecessário") é puro modismo, e muito imbecil! "Um pano roto e malcheiroso, com pontas esfiapadas" não é o mesmo que "um pano", simplesmente. Cortar adjetivos é cortar nuanças, seria como obrigar um pintor a usar apenas cores básicas, nunca tons intermediários. Sem adjetivos não haveria Marcel Proust, não acha? Essa guerra contra adjetivos sempre me revoltou. Isso é coisa de quem nunca leu pra valer! Abração, parabéns por mais esse texto inteligente e saboroso. Abraços!

[Sobre "Onze pontos sobre literatura"]

por Dennis
6/9/2002 às
21h17 200.158.234.200
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Segundo Livro do Catequizando: Em Preparação á Eucaristia
Irmã Mary Donzellini
Paulus
(2011)
R$ 5,00



Gestão Educacional: Experiências Inovadoras
Antonio Carlos da R. Xavier e Outros
Ipea
(1995)
R$ 15,82



Ciências Sociais na Atualidade. Percursos e Desafios
Silvana Tótora
Cortez
(2004)
R$ 11,99



Brincando Com o Perigo - Com Suplemento de Leitura
Laís Carr Ribeiro
Moderna
(1995)
R$ 7,00



Opúsculos Vol 3 Teatro de Camões Antologia de Carnes Buranos Humani...
Jose Cardoso
Appacdm
(1996)
R$ 27,91



Coleção Machado de Assis- Escritos Avulsos I
Machado de Assis
Globo
R$ 20,00



O sítio do estrangeiro
Pierre Fédida
Escuta
(1996)
R$ 30,00



Introdução à Teoria Geral da Administração
Idalberto Chiavenato
McGraw-Hill
(1983)
R$ 16,00



A Maldição do Espelho
Agatha Christie
Nova Fronteira
(1977)
R$ 35,90



Deformação
Vera Albers
Perspectiva
(1980)
R$ 27,00





busca | avançada
84229 visitas/dia
2,4 milhões/mês