Comentários de Déborah Guaraná | Digestivo Cultural

busca | avançada
75201 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Renato Morcatti transita entre o público e o íntimo na nova exposição “Ilê da Mona”
>>> Site WebTV publica conto de Maurício Limeira
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
>>> Rogai por nós
>>> Na cacimba do riacho
>>> Quando vem a chuva
>>> O tempo e o vento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> História da Bola da Copa 2010
>>> Rituais de final de ano
>>> Poeirópolis (como no início do século XX)
>>> Ler, investir, gestar
>>> Bombril: a marca que não evoluiu com as mulheres
>>> Os Violinos do Silêncio
>>> Adriane Pasa no Canadá
>>> A rentável miséria da literatura
>>> Alex Grey
>>> Sombras Persas (V)
Mais Recentes
>>> Fala, Preto-Velho de Wanderley Oliveira & Pai João de Angola pela Dufaux (2018)
>>> Um Encontro Com Pai João de Wanderley Oliveira & Pai João de Angola pela Dufaux (2016)
>>> História do Espiritismo de Arthur Conan Doyle pela Pensamento (2015)
>>> Recursos Desumanos de Pierre Lemaitre pela Vestigio (2015)
>>> Os Sete Crimes de Roma de Guillaume Prévost pela Vestigio (2013)
>>> A Voz do Veto - a Censura Católica à Leitura de Romances de Aparecida Paiva pela Autêntica (2017)
>>> O Homem Que Venceu Hitler de Marcio Pitliuk pela Gutenberg (2012)
>>> Medeias Latinas de Márcio Meirelles Gouvêa Júnior pela Autêntica (2014)
>>> Gramática Completa Para Concursos e Vestibulares de Nilson Teixeira de Almeida pela Saraiva (2009)
>>> Os rituais do tombamento e a escrita da história de Márcia Scholz de Andrade Kersten pela UfPr (2000)
>>> Os rituais do tombamento e a escrita da história de Márcia Scholz de Andrade Kersten pela UfPr (2000)
>>> Mini-Enciclopédia do Futebol Brasileiro de Marcelo Damato (Coord.) pela Lance (2001)
>>> A Palavra é... Portugal de Paulo Mendes Campos (org.) pela Scipione
>>> Sartre - Coleção Os Pensadores de Jean-Paul Sartre pela Nova Cultural (1987)
>>> Sartre - Coleção Os Pensadores de Jean-Paul Sartre pela Nova Cultural (1987)
>>> Sartre - Coleção Os Pensadores de Jean-Paul Sartre pela Nova Cultural (1987)
>>> O Estudo Social em Perícias, Laudos e Pareceres Técnicos - Debates Atuais no Judiciário, no Penitenciário e na Previdência Social de CFESS - Conselho Federal de Serviço Social (Organizador) pela Cortez (2018)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2013)
>>> Marketing de Serviço Financeiro de Marcos Cobra pela Marketing (2003)
>>> Eu Consigo Emagrecer - A Dieta que está Fazendo os Estados Unidos Emagrecerem de Dr. Joel Fuhrman pela Agir (2013)
>>> O Céu e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (2008)
>>> Jesus - A Vida Completa de Juanribe Pagliarin pela Bless Press (2021)
>>> Fortaleza Digital de Dan Brown pela Sextante (2005)
>>> Como Vencer Suas Guerras Pela Fé de Edir Macedo pela Unipro (2019)
>>> O Glorioso Aparecimento - O Fim das Eras de Tim Lahaye e Jerry B. Jenkins pela United Press (2004)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Terça-feira, 9/10/2007
Comentários
Déborah Guaraná


Novas Observações 06
Uma das coisas que também se falava muito em relação à película era a velocidade de gravação. Além disso, enquanto a película fazia 24 fotogramas por segundo, as câmeras digitais semi-profissionais (e até mesmo alguns modelos digitais) gravavam de modo entrelaçado, ou seja, toda a resolução que tinham era de, no máximo, 1080 linhas entrelaçadas em 29,97 frames por segundo (não eram fotogramas). Chama-se 1080i, os formatos de gravação das conhecidas HDV. Hoje esse modo de gravação já estava superado pela Panasonic, que lançou uma camera HDV que gravava em 24 progressivo (e não entrelaçado, como nas outras digitais). Com a RED também não é diferente, podendo filmar em 24, 30, 60 e outros.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h16 200.249.25.12
 
Novas observações 05
Pesquisando encontrei uma empresa super legal! Imagine que você quer montar uma sala de cinema digital e alguém lhe oferece um computador (conectado à empresa distribuidora via satélite), projetor e tela. Faz um investimento inicial e depois paga apenas por sessão exibida! A empresa chama-se RAIN Network e, por incrível que pareça, é brasileira! Gente, o único entrave para que o cinema não se transforme é o dinheiro que as grandes empresas norte-americanas vão perder com essa conversão. Imagine todas aquelas câmeras da Panavision sendo jogadas no lixo. Imagine que as distribuidoras iriam lucrar BEM menos com o cinema digital. Imagine se elas vão deixar isso acontecer? Imagine se a gente tem poder pra fazer alguma coisa com o pensamento retrógrado da maioria dos cineastas cheios de fetiche burro...

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h12 200.249.25.12
 
Novas observações 04
E ainda tem quem diga que vídeo não é cinema. Ou seria o contrário? Uma vez fiz uma matéria, no Cine-Pe, festival de cinema aqui em Recife, sobre a empresa que possui um projetor móvel de película e exibe os filmes nos festivais brasileiros. Não lembro agora o nome da empresa, mas ia combinar de entrevistar o pessoal no intervalo e o técnico puxou uma cadeira e disse para conversarmos no meio da exibição do primeiro longa da noite. Fiquei com o coração na mão e perguntei se ele não ia ver o filme. O cara deu uma risada e disse que já tinha visto mils vezes. Fiquei curiosa e sentei: "Como assim?". Pergunta à qual ele respondeu com muita calma e naturalidade mais ou menos assim: só tem a gente com esse projetor no Brasil, a gente acaba indo pra todos os festivais e vendo esses filmes milhões de vezes.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h11 200.249.25.12
 
Novas observações 03
A empresa define a camera como Ultra High Definition. Onde editar? No Final Cut Pro 2, que já oferece suporte para edição em 4K. Claro que isso tudo vai aumentar um pouco o orçamento de qualquer produção digital, mas ainda assim, nunca chegará aos pés do preço da película.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h11 200.249.25.12
 
Novas observações 02
Uma das coisas que também se falava muito em relação à película era a velocidade de gravação. Além disso, enquanto a película fazia 24 fotogramas por segundo, as câmeras digitais semi-profissionais (e até mesmo alguns modelos digitais) gravavam de modo entrelaçado, ou seja, toda a resolução que tinham era de, no máximo, 1080 linhas entrelaçadas em 29,97 frames por segundo (não eram fotogramas). Chama-se 1080i, os formatos de gravação das conhecidas HDV. Hoje esse modo de gravação já estava superado pela Panasonic, que lançou uma câmera HDV que gravava em 24 progressivo (e não entrelaçado, como nas outras digitais). Com a Red também não é diferente, podendo filmar em 24, 30, 60 e outros.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h10 200.249.25.12
 
Novas observações 01
Bem, não exagerei não! Vocês provavelmente não entraram no site Red. Ela trabalha com uma configuração duas vezes melhor que a película, a começar pela quantidade de informação que ela grava. A película tem uma resolução que convenientemente chamamos de 2K. Isso significa que a película grava em 2024x1080 linhas numa janela nativa 16:9. Diz-se que o olho humano nem consegue enxergar toda essa resolução, pois, ao passar de duas mil linhas, não é possível perceber. Essa qualidade é boa, porque, para quem fotografa, quanto maior a resolução, melhor a latitude de gravação. Essa qualidade da película, era, até o começo do ano, insuperável, e em vista disso, ainda se valia a pena filmar em película. Entretanto, hoje em dia, com o lançamento das câmeras da empresa Red, o formato de gravação e as convenções cinematográficas terão de mudar. Ela filma com 4K. São 4520 X 2540 pixels de resolução! Isso aumenta e melhora a latitude, tornando o vídeo superior à película.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Déborah Guaraná
http://postodegasolina.blogspot.com
9/10/2007 às
20h05 200.249.25.12
 
Eu de novo
Profundidade de campo fica mais delicada a partir de duas coisas, Yuri: latitude e resolução. Quanto melhor esses dois itens numa câmera, mais e melhor você poderá controlar a profundidade de campo. A opção da galera que faz vídeo, como eu e você, por exemplo, é afastar a câmera, dá um zoom e acompanhar a cena. Com uma lente boa ficaria difícil perceber a diferença até mesmo usando uma câmera DV, como a XL1-s, da Canon, que é o modelo que eu tenho. E faça-se um favor: não alimente o ego dos conservadores fetichistas. São eles que fazem com que a indústria de cinema não mude, nem democratize-se.

[Sobre "Fetiche por película"]

por Deborah Guaraná
9/10/2007 às
16h09 201.50.159.239
 
Digital superou a película
Hahahahaha! Realmente, muita gente ainda não acredita na capacidade do vídeo sem saber que o vídeo já ultrapassou a pelicula em TODOS os aspectos: janela, latitude, qualidade, lente, etc etc etc... A Red One é a prova de que muitos dos argumentos dos fetichitas são puro e simplesmente fetiche. Uma câmera que custa U$17 mil nunca poderá ser tão boa quanto a película, cujo aluguel custa um preço absurdo. Em Pernambuco, onde moro, há apenas uma câmera 35 mm para locação. Película está no passado do cinema. O solução agora é capacitar as pessoas para que possam fazer vídeos de qualidade. Democratizar é preciso!!!

[Sobre "Fetiche por película"]

por Deborah Guarana
http://postodegasolina.blogspot.com
3/10/2007 às
18h18 200.249.25.12
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Viva em paz com o seu dinheiro
Erasmo Vieira
Literare Books International
(2018)



Análise de Balanços Livro de Exercícios
Sérgio de Iudícibus
Atlas
(1980)



Sauver nos Sols Pour Sauvegarder nos Societes
Rabah Lahmar (coord.) e Outros
Charles Léopold Mayer
(2002)



Cabeça, Corpo, Caveira e Alma
Fernando Burjato
Bom Texto
(2000)



Pequis - Química Cidadã 1
Wildson Santos e Gerson Mol ( Coor.)
Ajs
(2013)



Introducao a Semntica Lexical: Papeis Tematicos, Aspecto Lexical
Marcia Cancado & Luana Amaral
Vozes
(2016)



Sociologia Geral
Rudolf Lenhard
Pioneira
(1975)



Mulheres de Cabul
Harriet Logan
Geração Editorial
(2006)



Ruth Cardoso - Fragmentos de uma Vida
Ignácio de Loyola Brandão
Globo
(2010)



Seja Feliz já
Jorge Melchiades Carvalho Filho
Martin Claret
(1998)





busca | avançada
75201 visitas/dia
2,4 milhões/mês