O e-mail não é mais a mensagem | Luli Radfahrer

busca | avançada
55507 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 19/5/2008
O e-mail não é mais a mensagem
Luli Radfahrer

+ de 5700 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Comentaram uma entrevista minha ao portal Adnews, em que defendi, entre outros pontos, que o fim do e-mail estava próximo. Bem próximo.

Acho que não me expliquei bem (em entrevistas, sabe como é, nunca há tempo). Na verdade, acredito que a era do e-mail já acabou. Aquilo que todos usamos para combater spam, receber informações (e confirmações) desnecessárias e, de vez em quando, contactar amigos, é apenas o resquício de um meio de comunicação cujos dias de importância se foram. Em breve ele será tão relevante quanto uma carta manuscrita, enviada dentro de um envelope selado. O ciclo da tecnologia em plena ação.

Ele bem que teve seus dias de glória. Sua história se confunde com a da própria Internet e, mesmo sendo bem mais velho que a Web, nunca sofreu a humilhação de ser passado para trás por um "2.0" qualquer. Surgido na década de 1960 como uma forma de comunicação muito mais potente (e segura) que o correio, ele mudou pouquíssimo. Webmail, por mais que Microsoft, Yahoo! ou Google afirmem, ainda é o mesmo texto com arrobas, em um suporte mais conveniente.

O golpe veio de vários lugares, quase que simultaneamente, e foi uma genuína crise dos 40 anos que já dura um pouco mais de uma década. Tudo começou quando quatro rapazes de Liver Israel quiseram mudar o mundo e fizeram uma revolução ao criar um serviço de comunicação instantânea que permite saber se a pessoa com se fala está on-line ou não (ICQ ou, por extenso, I seek you). Coisa de nerd, diriam. A piada fácil na época era rimar o nome por extenso do serviço em inglês com o potente vírus de computador ILOVEYOU. Mesmo com muitas idéias tortas (a de usar um número para contatar o amigo, por exemplo), a moda pegou.

Mais ou menos na mesma época, alguns serviços de telefonia europeus promoviam o uso de mensagens de texto pelos celulares, que, naquele tempo, só falavam. Quer coisa mais de nerd que escrever "555885555444411088826 (pausa) 6667777026660222444663362111″ para dizer "Luli, vamos ao cinema?". Apesar de todo mundo ter serviços GSM ― uma inegável vantagem em termos de compatibilidade ―, o SMS esperaria o século XXI para pegar. E pegou. 10 bilhões por mês, só em uma operadora. Até porque todos logo perceberam que o envio de uma mensagem não deveria depender da intermediação de um computador.

E nem de texto: minha avó já sabia faz tempo que certas coisas não se diz por escrito. Eu não acredito que ela se referisse a estresse, sobrecarga de tarefas ou preguiça, provavelmente falava de privacidade. Pouco importa: a quantidade de informação a ser transmitida costuma ser inversamente proporcional ao tempo ou à disposição para escrevê-la e, em um mundo de banda larga (e conexão permanente), não faz mais sentido tentar "traduzir" seu tom de voz com emoticons, se você pode, simplesmente, falar! Não passa uma semana sem que alguém anuncie o fim da telefonia por causa de tecnologias como VoIP. Tudo bem, não há como negar que o tráfego de telecomunicações é importante demais para ser usado por voz em formato analógico (que, além de pesado, é ineficiente). Mas, enquanto a tecnologia não substitui de vez as linhas telefônicas, quem apanha mesmo é o e-mail.

A lista não tem fim: pelo Twitter, seus amigos sabem onde você está e o que anda fazendo. Ele é uma espécie de feed RSS do seu cotidiano (seja ele interessante ou não). Eu gosto dele, tem gente que não gosta, mas isso não é assunto para este texto. Por falar em feeds, qualquer blog decente envia seu conteúdo através deles, o que faz com que muitas malas diretas de conteúdo (newsletters) percam sua razão de ser. Como se não bastasse, o Flickr permite que seus amigos "assinem" as imagens que você cria... Você vai usar e-mail pra quê?

Talvez para a transmissão de comprovantes e documentos ― como tem gente que ainda usa o aparelho de fax hoje em dia ― e, claaaro, para publicidade não solicitada (e-mail marketing). Quem diria que os burocratas, advogados, jornalistas e publicitários seriam defensores desse meio que um dia foi a maior expressão da internet... (Quem sabe, daqui a uma década, deixemos a Web para que eles tomem conta...)

Descanse em paz, senhor e-mail! Poucos chorarão seu triste fim, sob certos aspectos semelhante ao velho, cansado e desatualizado serviço de envio de mensagens de texto por correio. Este, por mais que seja chamado de "tradicional", teve um importante papel na democratização, inovação e expansão do serviço de mensageiros (os tais moleques de recados) que veio a substituir. Mas quem se importa com isso?

O darwinismo tecnológico é cruel. Ainda bem.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no site de Luli Radfahrer.


Luli Radfahrer
São Paulo, 19/5/2008

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Twitter versus Facebook de Ricardo Freire
02. Ayn Rand ou o primado da razão de J.C. Ismael
03. 68 e a Música Nova de João Marcos Coelho
04. Monterroso e a microliteratura de Sérgio Augusto
05. A casa do homem de Pedro Maciel


Mais Luli Radfahrer
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
28/5/2008
13h18min
Concordo com quase tudo do texto de Luli. Gostei muito. É isso mesmo, os novos meios surgem para melhorar nossas formas de comunicação, nos adptamos a eles e a tecnologia evolui cada vez mais. Porém, "uma carta manuscrita, enviada dentro de um envelope selado" jamais será irrelevante!
[Leia outros Comentários de Juliana Galvão]
30/5/2008
14h01min
Idéias relevantes, Luli. No entanto, vale lembrar que recebi seu texto graças a um e-mail. Acontece.
[Leia outros Comentários de Bruno Mourão]
1/6/2008
16h24min
Como disse o Bruno, idéias relevantes! No entanto, também recebi seu texto pela newsletter deste digníssimo site. Portanto, não acho que o fim do e-mail esteja próximo e acho que não existirá um fim. Ele sempre será MAIS uma ferramenta de comunicação, como são as cartas manuscritas, muito relevantes ainda hoje.
[Leia outros Comentários de Taís Kerche]
11/8/2013
15h34min
Vidente!!!Os e-mails, como meio de comunicação e troca de ideias entre amigos, parceiros, etc. do pessoal da minha faixa etária (50 anos)ainda durou até o início de 2012, quando todos foram cooptados pelo Facebook. Agora, minha caixa de mensagens só tem spans (maioria esmagadora), publicidade consentida, alguns documentos de trabalho (substituindo o velho fax) e pouquíssimas mensagens pessoais. A situação de abandono é tão grande que, quando mando um e-mail importante, tenho que ligar para a pessoa e avisar que o enviei. Descane em paz ao lado dos cd's.
[Leia outros Comentários de José FRID]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




IDE CORPO
NÃO INFORMADO
BELLELIS
R$ 20,00



PIQUE
REGIS CASTRO
VOZES
(1982)
R$ 6,28



CAPITULOS DE HISTORIA COLONIAL (1500 - 1800) OS CAMINHOS ANTIGOS E ...
J CAPISTRANO DE ABREU
UNB
(1963)
R$ 14,00



CURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA - EN UN CONTEXTO INFLACIONARIO
RODOLFO APREDA
CLUB DE ESTUDIO
(1984)
R$ 50,00



PROCURE A MULHER! - COLEÇÃO R. F. LUCCHETTI - VOLUME 8 (AUTOGRAFADO)
R. F. LUCCHETTI
EDITORIAL CORVO
(2018)
R$ 34,90



A PSICOLOGIA DO ANORMAL E A VIDA CONTEMPORÂNEA (VOLUME 1 E 2)
JAMES C. COLEMAN
BIBLIOTECA PIONEIRA
(1973)
R$ 24,00



ANTIGOS ASPECTOS PAULISTAS
AFFONSO DE E. TAUNAY
DIARIO OFFICIAL
(1927)
R$ 44,91



DIGESTO DE JUSTINIANO (LIBER PRIMUS)
HELCIO MACIEL FRANÇA MADEIRA (TRADUÇÃO)
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2010)
R$ 30,00



GOZO FABULOSO
PAULO LEMINSKI
DBA
(2004)
R$ 60,00



O BRASIL NA CRISE PERIGOS E OPORTUNIDADES
PAUL SINGER
CONTEXTO
(1999)
R$ 19,99





busca | avançada
55507 visitas/dia
1,4 milhão/mês