Em defesa de John Neschling | Nelson Rubens Kunze

busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
>>> História da leitura (I): as tábuas da lei e o rolo
>>> Sinatra e Bennett (1988)
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
>>> The Shallows chegou
Mais Recentes
>>> Chico, Eu e a Oitava Séria de Lino de Albergaria pela Saraiva (2010)
>>> O Bicho-da-seda de Robert Galbraith; Ryta Vinagre pela Rocco (2014)
>>> Surfistas Beijos e um Pé de Pato de Carolina Cequini pela Atheneu Cultural
>>> O mundo tem de ser desse jeito? de Fernando Vaz pela FTD (1996)
>>> Pretty Little Liars, V. 7 - Heartless de Sara Shepard pela Harper Usa (2010)
>>> Lucíola de José de Alencar pela Martin Claret Pocket (2012)
>>> Vigilancia Em Saude Ambiental de Solange Papini pela Atheneu (2012)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua de Richard Carlson; Joana Mosela pela Rocco (1998)
>>> Rima do Azul Infinito de José Donizete Gonçalves pela Thesaurus (2004)
>>> O Silêncio dos Amantes de Lya Luft pela Record (2008)
>>> Principios Fundamentais e Normas Brasileiras de Contabilidade de Vários pela Cfc (2002)
>>> Filhos Para Leigos de Sandra H. Gookin pela Mandarim (1996)
>>> Cha Entre Amigas de Paula Jacome pela Multifoco (2011)
>>> Quando e Preciso Voltar de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciencia (2001)
>>> Rowan, o Guardião: Rowan e os viajantes de Emily Ronda pela Fundamento (2008)
>>> Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição de Antônio Galvão Novaes pela Campus
>>> Shibumi de Trevanian pela Círculo do Livro (1981)
>>> Metodologia do ensino Voleibol de Pedro luiz bulgarelli pela Distribuidora Educacional (2017)
>>> Escaldado Em Agua Fria de John Straley pela Globo (2001)
>>> Fire Watch de Connie Willis pela Bantam Books (1998)
>>> Organizações Inovadoras do Setor Financeiro: Teoria e Casos de Sucesso de José Carlos Barbieri/josé Carlos Barbieri pela José Carlos Barbieri (2009)
>>> Surfista, Ex-drogado, Ex Traficante de Franjaques Chulam pela Francisco Alves (2009)
>>> A Doutrina de Buda de Bukkyo Dendo Kyokai pela Bukkyo Dendo Kyokai
>>> Um Lugar no Mundo de Alberto Aggio pela Contraponto (2015)
>>> Constituição do Estado do Rio de Janeiro de Claudio Brandão de Oliveira pela Roma Victor (2003)
ENSAIOS

Segunda-feira, 20/4/2009
Em defesa de John Neschling
Nelson Rubens Kunze

+ de 4800 Acessos

É uma ironia do destino. No momento em que a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo alcança a maior repercussão da história sinfônica nacional, a Fundação Osesp decide romper o contrato e demitir o maestro John Neschling, principal responsável pelas conquistas da orquestra.

Não custa repetir. No que diz respeito à atividade de nossa música clássica, a Osesp é um marco histórico, um divisor de águas. Um projeto visionário e um investimento público inédito viabilizaram uma realidade cultural que alçou a vida musical paulista a patamares de qualidade internacional. São poucas as cidades no mundo que possuem uma orquestra que oferece um repertório equiparável ao da Osesp. Uma orquestra dinâmica, participativa, que impulsiona a vida e a cultura, com um repertório erudito, vivo, instigante e provocador. E isso se deve em grande parte à visão e à liderança de um empreendedor, o maestro John Neschling.

Qual é a força, senão a de interesses estranhos aos da promoção cultural, que faria cristalizar a decisão de demitir um maestro que realiza um trabalho paradigmático reconhecido cada vez mais no mundo inteiro? Qual é a motivação capaz de afastar antecipadamente da direção desse projeto o seu mentor e diretor?

Todos sabemos que o maestro Neschling é um homem de personalidade forte, que sabe o que quer e que não mede esforços para alcançar suas metas. Mas todos sabemos, também, que a Fundação Osesp, o maestro e a orquestra vinham sofrendo pressões. Por que razão? Por que não havia mais "condições políticas" de sustentar o maestro? Por que tornou-se imperativo demitir o maestro que demonstrava, dia após dia, um trabalho exemplar com crescente repercussão mundial? E onde fica o tal do interesse público ― concertos, programas educacionais, formação de público, edição de partituras, encomenda de obras, gravação de CDs, projeto academia, transmissões radiofônicas etc. ―, que nessa área nunca fora tão bem atendido?

Claro que a orquestra sinfônica que desejamos ― como projeto cultural público ― é aquela que não dependa exclusivamente de um maestro. A orquestra deve estar inserida em um arcabouço institucional maior, que promova a produção cultural bem como a sua inserção social. Também esse passo foi dado por John Neschling em conjunto com o governo, quando foi criada a Organização Social Fundação Osesp e assinou-se o contrato de gestão. Naquele momento, em 2005, quando implantou-se um novo e moderno modelo de gestão pública, a orquestra ganhou uma estrutura institucional, que tem como finalidade fornecer as condições para a consolidação de suas importantes conquistas.

O modelo das Organizações Sociais da Cultura repousa sobre dois fundamentos: o do financiamento seguro e o da autonomia de gestão. Fernando Henrique Cardoso, presidente do Conselho da Fundação Osesp, garantiu que, no caso Neschling, a autonomia da Fundação perante o governo esteve preservada. Quanto ao financiamento, esperamos que a Fundação Osesp tenha a percepção cultural e a força necessária para que possa ― mesmo sem ter ao lado alguém com a perseverança e o compromisso do maestro Neschling ― garantir a continuidade do investimento financeiro estatal que este projeto paradigmático exige.

Não sei se a comunidade musical já se deu conta de que, além de termos perdido um maestro, também perdemos um dos mais eloquentes, articulados e aguerridos defensores de nossos interesses e da promoção da música clássica no Brasil.

Não será necessário zelar pela divulgação e memória do trabalho extraordinário que o maestro John Neschling realizou ― tenho certeza de que ele se inscreverá sozinho na história de nosso país. Ainda assim, é uma pena que nossas autoridades não reconheçam o trabalho que o maestro Neschling realizou em prol da cultura e do desenvolvimento de nosso país.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na Revista Concerto nº 148, edição de março de 2009. Nelson Rubens Kunze é diretor-editor da Revista Concerto.


Nelson Rubens Kunze
São Paulo, 20/4/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Jobim: maestro ou compositor? de Luís Antônio Giron
02. Parei de fumar de Milton Hatoum
03. Achtung! A luta continua de Sérgio Augusto


Mais Nelson Rubens Kunze
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Desenvolvimento Regional Em Santa Catarina
Claudia Siebert
Edifurb
(2001)



Estimulando Inteligência
Pier
Goya
(2014)



Histórias Românticas II
Machado de Assis
Clube do Livro
(1958)



Vidas Secas
Graciliano Ramos
Record
(2002)



O Buraco na Parede: Contos
Rubem Fonseca
Companhia das Letras
(1995)



Educação: Desafios da Práxis e Formação
Ivo Dickmann e Aline Fatima Lazarotto (orgs.)
Clube dos Autores
(2018)



Como Lidar Com Pessoas Manipuladoras
George K. Simon
Universo dos Livros
(2016)



Os Pensadores: Bacon
Nova Cultural
Nova Cultural
(1988)



Corrupção Mostra a Sua Cara
Marco Morel
Casa da Palavra



Hellraiser -- N º 1
Clive Barker
Abril jovem
(1991)





busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês