Haydn: 200 anos da morte | Irineu Franco Perpetuo

busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
>>> Câmara Brasil-Israel realiza live com especialistas sobre “O Mundo da Arte”
>>> Misturando música, filosofia e psicanálise, Poisé lança seu primeiro single
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> O Céus e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (1989)
>>> Amor, medicina e milagres - A Cura espontânea de doentes graves de Bernie S. Siegel pela BestSeller (1989)
>>> Mayombe de Pepetela pela Leya (2019)
>>> Os Segredos Para o Sucesso e a Felicidade de Og Mandino pela Record (1997)
>>> Para Viver Sem Sofrer de Gasparetto pela Vida E Consciencia (2002)
>>> Guía Rápida del Museo Nacional de Bellas Artes de Vários pela Mnba (1996)
>>> A profecia celestina de James Redfield pela Objetiva (2001)
>>> The Forecast Magazine January 2020 - 2020 de Diversos pela Monocle (2020)
>>> O Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record (2002)
>>> The Forecast Magazine January 2017 - Time to Talk? de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Mojo December 2018 de Led Zeppelin pela Mojo (2018)
>>> Mojo 300 November 2018 The Legends de Diversos pela Mojo (2018)
>>> Mojo 299 October 2018 de Paul McCartney pela Mojo (2018)
>>> Mojo 297 August 2018 de David Bowie pela Mojo (2018)
>>> Mojo 307 June 2019 de Bob Dylan pela Mojo (2019)
>>> Mojo 296 July 2018 de Pink Floyd pela Mojo (2018)
>>> Mojo April 2018 de Arctic Monkeys pela Mojo (2018)
>>> Mojo 294 May 2018 de Roger Daltley pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 April 2018 de Neil Young pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 March 2018 de Nick Drake pela Mojo (2018)
>>> Mojo 291 February 2018 de The Rolling Stones pela Mojo (2018)
>>> Mojo 290 January 2018 de The Jam pela Mojo (2018)
>>> Mojo 289 December 2017 de Bob Dylan pela Mojo (2017)
>>> Mojo 286 September 2017 de Allman Brothers pela Mojo (2017)
>>> Mojo 310 September 2019 de Tom Waits pela Mojo (2019)
>>> Mojo 309 August 2019 de Bruce Springsteen pela Mojo (2019)
>>> Mojo 304 March 2019 de Joni Mitchell pela Mojo (2019)
>>> Como cuidar do seu automóvel de Ruy Geraldo Vaz pela Ediouro (1979)
>>> Mojo 236 July 2013 de The Rolling Stones pela Mojo (2013)
>>> Mojo 250 January 2014 de Crosby, Still, Nash & Young pela Mojo (2014)
>>> Gilets Brodés - Modèles Du XVIII - Musée des Tissus - Lyon de Várioa pela Musee des Tíssus (1993)
>>> Mojo 249 August 2014 de Jack White pela Mojo (2014)
>>> Mojo 252 October 2014 de Siouxsie And The Banshees pela Mojo (2014)
>>> Mojo 251 October 2014 de Kate Bush pela Mojo (2014)
>>> Mojo 302 January 2019 de Kate Bush pela Mojo (2019)
>>> Mojo 274 September 2016 de Bob Marley pela Mojo (2016)
>>> Universo baldio de Nei Duclós pela Francis (2004)
>>> Mojo 245 April 2014 de Prince pela Mojo (2014)
>>> Mojo 256 March 2015 de Madonna pela Mojo (2015)
>>> Musée de La Ceramique - Visit Guide de Vários pela Cidev (1969)
>>> Mojo 159 February 2007 de Joy Division pela Mojo (2007)
>>> Mojo 170 January 2008 de Amy Whinehouse pela Mojo (2008)
>>> Mojo 229 December 2012 de Led Zeppelin pela Mojo (2012)
>>> Retrato do Artista Quando Velho de Joseph Heller pela Cosac & Naify (2002)
>>> No Tempo das Catástrofes de Isabelle Stengers; Eloisa Araújo pela Cosac & Naify (2015)
>>> Manual de esquemas de Klöckner- Moeller pela Do autor (1971)
>>> Inesgotáveis Enigmas do Passado de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Evidências dos Ovnis - As Ciências Proibidas de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Características de Deus que chamam a nossa atenção. de Silas Malafaia pela Central Gospel (2012)
>>> Encontro diário com Deus de Frei Edrian Josué Pasini,Ofm pela Vozes (2010)
ENSAIOS

Segunda-feira, 8/6/2009
Haydn: 200 anos da morte
Irineu Franco Perpetuo

+ de 5600 Acessos

"Pai" da sinfonia e do quarteto de cordas, mestre do classicismo vienense, admirado por Mozart, professor de Beethoven: idolatrado por seus contemporâneos e reverenciado pela posteridade, Joseph Haydn (1732-1809) é uma daquelas figuras musicais tão gigantescas que nem todas as hipérboles e elogios parecem conseguir dar conta de sua real envergadura.

Em 2004, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão tomou-o como tema, e o planeta musical celebra o legado do compositor em 2009, ano do bicentenário de falecimento. Contudo, a quantidade, a qualidade e a importância histórica das obras de Haydn são tão avassaladoras que sempre parecemos estar em débito com esse artesão sofisticado e inquieto.

Não custa lembrar que o primeiro texto sobre música publicado no Brasil tinha como tema o autor de A criação. Trata-se da Notícia histórica da vida e das obras de José Haydn, do francês Le Breton, editado no Rio de Janeiro, em 1820.

A obra de Haydn era bem conhecida em nosso país graças a seu aluno Sigismund Neukomm (1778-1858), que viveu por aqui entre 1816 e 1821. O maior compositor brasileiro daquele período, o padre mulato José Maurício Nunes Garcia (1767-1830), citou um tema da Sinfonia nº 94 "Surpresa", em seu Método de pianoforte, e compôs um salmo Laudate omnes gente, para "encomendações dos inocentes falecidos", que era, ele mesmo escreveu na folha de rosto, "arranjado sobre alguns motivos da grande obra da criação do mundo do imortal José Haydn".

Como se vê, muito antes que se falasse em globalização, suas partituras eram publicadas e interpretadas por toda parte. Os quartetos op. 50, por exemplo, foram dedicados ao rei da Prússia; os op. 33, ao grão-duque (mais tarde, tsar Paulo I) da Rússia; as Sete últimas palavras de Cristo eram encomenda espanhola, de Cádiz, e as sinfonias Paris conquistaram a capital francesa.

Detalhe: a obra circulava, mas não seu autor. Nascido na vila austríaca de Rohrau, em uma família de artesãos e comerciantes, Haydn (cujos irmãos, o compositor Michael e o tenor Johann, também se tornaram músicos profissionais) foi contratado pelos nobres húngaros da família Esterházy em 1761, passando quase quatro décadas de sua existência a serviço dos mesmos.

No castelo de Eisenstadt (perto de Viena, o que lhe permitia atuar ativamente na capital austríaca) e, mais tarde, na isolada propriedade rural de Eszterháza, escreveu um volume monumental de música vocal (especialmente missas e óperas) e instrumental.

O catálogo publicado em 1957 pelo musicólogo holandês Anthony von Hoboken (1887-1983) traz cifras espantosas, não apenas no que se refere aos gêneros mais difundidos (mais de cem sinfonias, 68 quartetos de cordas), mas também itens que hoje vemos como curiosidades, como as 175 obras compostas para o baryton, instrumento de cordas da família das violas que era tocado pelo príncipe Nikolaus Esterházy (1714-1790).

Por sinal, foi só depois do falecimento de Nikolaus, e o consequente afrouxamento de seus laços com os Esterházy, que Haydn pôde viajar para o exterior. A convite do violonista e empresário musical J.P. Salomon, esteve na Inglaterra na década de 1790, divulgando sua música e compondo peças seminais, como as sinfonias Londres e os oratórios A criação e As estações. Foi ainda para emular o britânico God save the king que ele escreveu, em homenagem ao imperador da Áustria, Gott erhalte Franz den Kaiser, melodia que hoje é o hino nacional alemão.

Não deve ter feito nada bem a esse patriota ter visto Viena bombardeada e ocupada pelas tropas francesas em seus últimos dias de vida, em maio de 1809. Ao saber do declínio da saúde do músico, Napoleão, apesar da guerra, ordenou que uma guarda de honra fosse colocada à porta de sua casa, na capital austríaca. Um exemplo de respeito e reverência da política pela música que, infelizmente, continua a ser atípico e raro, 200 anos depois.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na Revista Concerto, em maio de 2009.


Irineu Franco Perpetuo
São Paulo, 8/6/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dos Passos: duplamente grande de Thales Guaracy
02. Volpi, Beckett e Mendes da Rocha de Daniel Piza
03. Mahler segundo Bernstein de Lauro Machado Coelho
04. Achtung! A luta continua de Sérgio Augusto
05. Paulinho da Viola: o melhor do Rio de José Nêumanne


Mais Irineu Franco Perpetuo
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ESTUDO DE PROBLEMAS BRASILEIROS
HILÁRIO TORLONI
PIONEIRA
(1976)
R$ 7,50



BOQUINHAS PINTADAS
MANUEL PUIG
SABIÁ
(1982)
R$ 10,90



RECIFE DE ONTEM E DE HOJE
EDVALDO ARLÉGO
AUTOR
R$ 30,00



BRASIL EM PERSPECTIVA: CORPO E ALMA DO BRASIL
CARLOS GUILHERME MOTA
DIFEL
(1978)
R$ 5,00



BONEQUINHAS MANCHADAS DE SANGUE
FERNANDO GRANATO
ESTAÇÃO LIBERDADE
(1990)
R$ 17,56



O SALÃO DE WURTEMBERG
PASCAL QUIGNARD
ROCCO
(1989)
R$ 6,90



PSICOLOGIA VOL 9 N. 1 REVISTA DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICOLOGIA
ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PSICOLOGIA
AFRONTAMENTO
(1993)
R$ 16,75



SHUNKO
JORGE W ABALOS
CDL
(1969)
R$ 12,80



WEB DESIGN NOÇÕES BÁSICAS
DANIELA BORGES DOS REIS
VIENA
(2014)
R$ 35,00



96 EXERCICES AVEC UN BALLON
ELIZABETH GILLIS
MARABOUT
(2007)
R$ 10,00





busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês