Traço superior do acontecimento | Daniel Piza

busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O do contra
>>> American Dream
>>> Todas as Tardes, Escondido, Eu a Contemplo
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
Mais Recentes
>>> Querência em Prosa de Manoel Lopes Haygert pela Do autor. (1991)
>>> Aspectos jurídicos do atendimento às vítimas de violência sexual. de Delano de Aquino Silva pela Ms (2011)
>>> Antes de dizer Sim de Jaime Kemp pela Mundo Cristão (1999)
>>> Fallen de Lauren Kate pela Galera Record (2012)
>>> Nu entre os lobos de Bruno Apitz pela Nosso Tempo (1971)
>>> Coisas que toda garota deve saber. de Samantha Rugen pela Melhoramentos (1997)
>>> A Queda para o Alto de Herzer pela Vozes (1983)
>>> As Vantagens de Ser Invisível de Stephen Chbosky pela Rocco (2007)
>>> Doces Venenos de Lidia Rosenberg Aratangy pela Olho Dágua (2008)
>>> A máquina extraviada de José J. Veiga pela Civilização brasileira (1974)
>>> Cara ou coroa ? de Fernando Sabino pela Ática (2000)
>>> Conte Sua História de São Paulo de Milton Jung pela Globo (2006)
>>> Letras Perdidas de Luís Dill pela Oceano Indústria Gráfica (2006)
>>> Minhas vidas passadas de Mario Prata pela Planeta (2012)
>>> A Cadeira do Dentista & Outras Crônicas de Carlos Eduardo Novaes pela Ática (2002)
>>> Os Recicláveis de Toni Brandão pela A Caixa verde (2010)
>>> Sete desafios para ser rei de Jan Terlouw pela Atica (2003)
>>> Quem Diria Que Viver ia Dar Nisso de Martha Medeiros pela L&PM (2018)
>>> Entre os Monges do Tibete de Lobsang Rampa pela Record (1960)
>>> O menino do dedo verde de Maurice Druon pela José Olympio (2013)
>>> Ruínas do Tempo de Jess Walter pela Verus (2013)
>>> Os nossos pés de todos os dias de Apollo Taborda França pela Do autor (1984)
>>> Por Um Fio de Drauzio Varella pela Cia das Letras (2004)
>>> Gay Plays de William M. Hoffman pela Avon Books (1979)
>>> Existe Sempre uma Razão de Elisa Masselli pela Mensagem de Luz (2007)
>>> A Segunda Vida: um guia para a mulher madura de Marisa Sanabria pela Êxito (2015)
>>> Outra Vez a Esperança de Antonio Carlos Neves pela Mercado Aberto (1987)
>>> Os Bons e os Justos de Lourenço Cazarré pela Mercado Aberto (1993)
>>> Clebynho - O Babalorixá Aprendiz de Leandro Müller pela Pallas (2010)
>>> As Maluquices do Imperador de Paulo Setúbal pela Nacional (1983)
>>> A Felicidade é Fácil de Edney Silvestre pela Record (2011)
>>> Contos. Porque Conto - autografado de Públio José pela Do autor (2009)
>>> Paratii: entre dois pólos de Amyr Klink pela Companhia da Letras (1992)
>>> É Possível Salvar a Europa? de Thomas Piketty pela Intrínseca (2015)
>>> Pensão Riso da Noite de José Condé pela José Olympio / Civilização Brasileira / Três (1973)
>>> O Caminho Para O Céu: Livro II das Crônicas da Terra de Zecharia Sitchin pela Madras (2014)
>>> Ioiô Pequeno da Várzea Nova de Mario Leônidas Casanova pela Clube do Livro (1979)
>>> O Papa e Mussolini. A Conexão Secreta Entre Pio XI e a Ascensão do Fascismo na Europa de David I. Kertzer pela Intrínseca (2017)
>>> Entrevero de Vários Autores pela L&PM / Mpm
>>> Pesquisa FAPESP Nº 265 de Diversos Autores pela Fapesp (2018)
>>> O Longo Adeus a Pinochet de Ariel Dorfman pela Companhia das Letras (2003)
>>> Contos de Voltaire pela Nova Cultural (2002)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 263 de Diversos Autores pela Fapesp (2018)
>>> Divina Comédia - Coleção A Obra-Prima de Cada Autor, Série Ouro de Dante Alighieri pela Martin Claret (2002)
>>> Babbitt de Sinclair Lewis pela Nova Cultural (2002)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 261 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Ana Karênina de Tolstói pela Nova Cultural (2002)
>>> Havia Gigantes Na Terra de Zecharia Sitchin pela Madras (2014)
>>> Pesquisa FAPESP Nº 260 de Diversos Autores pela Fapesp (2017)
>>> Divergente de Veronica Roth pela Rocco (2012)
ENSAIOS

Segunda-feira, 21/9/2009
Traço superior do acontecimento
Daniel Piza

+ de 3100 Acessos


Euclides da Cunha por Cícero.

A prosa de Euclides da Cunha não é menos controversa do que suas opiniões sobre raça e progresso. Mais do que em qualquer outro clássico brasileiro, inclusive Guimarães Rosa, ela tem sido um obstáculo para muitos leitores, tão árido e abafado quanto a travessia de Queimadas para Canudos. Por sinal, seu estilo é comumente associado à vegetação da caatinga, por seus galhos tortuosos, mas também poderia ser à floresta amazônica, pois caudaloso e superlativo. O fato é que suas dificuldades podem ser transpostas, sim, se o leitor chegar a ela preparado, e não como o Exército ao sertão baiano; e do lado de lá vai encontrar uma realidade poderosa, marcante, com um arsenal de recursos que o idioma não via desde o Padre Vieira.

Isso não é desculpar os excessos de Euclides. O grande crítico da época, seu amigo José Veríssimo, em mais de uma resenha se queixou das inversões sintáticas e períodos entrecortados. Euclides reconheceu, mas disse que já não tinha como se livrar desses "estigmas". Se atentamos para seus textos dos últimos anos, depois da viagem à Amazônia em 1905, percebemos que ele tentou frear mais, interpondo número maior de frases sintéticas, mais coloquiais, como "o Purus é um enjeitado". Mesmo assim, lá está seu fraseado extenso, grandiloquente, suas mesóclises ("revelou-se-lhe") e aquilo que a meu ver são seus maiores problemas: o vocabulário, mais do que amplo, repleto de nomes pomposos ao lado de termos técnicos ("esterilizam-se os ares urentes"); e a profusão de advérbios e adjetivos, uma mania gongórica de sempre acompanhar cada substantivo de pelo menos um qualificativo.

Não é o caso de dizer que sem tais excessos o estilo não seria o mesmo, não significaria a mesma experiência estética e existencial de sua leitura. Uma boa edição a deixaria ainda mais absorvente. Mas o que quero dizer é que a recompensa de tais esforços ao leitor ― ainda que ele tome a razoável decisão de seguir mesmo quando não compreende todas as palavras, a fim de se manter atado ao ritmo acima de tudo ― é incalculável. Há momentos tão belos na prosa de Euclides que dá vontade de ler em voz alta. Não por ser uma prosa poética, no sentido de uma prosa que tem métricas e rimas como as da poesia, mas por ser uma combinação de prosa poética com prosa científica. Sem esta, o estilo de Euclides não iria tão longe.

Afinal, mais do que leitor de John Milton, Victor Hugo e Castro Alves, ou de beletristas como Coelho Neto e naturalistas como Zola, ele era leitor de cientistas viajantes como Alexander Von Humboldt e Alexandre Rodrigues Ferreira, que faziam descrições às vezes líricas da geologia, fauna e flora; e de social-darwinistas como Herbert Spencer e positivistas como Benjamin Constant, com suas argumentações em torno de etnias evoluídas. Ponha mais uma pitada dos grandes historiadores do século 19, como Michelet e Carlyle, e as influências principais estão pesadas. Mas o estilo de Euclides, como o de Machado ou Rosa, não pode ser explicado assim; é muito próprio para ser visto como simples combinatória de influências. Com o ideal de unir ciência e arte, classicismo e romantismo, ele ousou e inventou como poucos.

Uma das linhas de força de seu estilo é a colagem de gêneros. Ora ele escreve como geógrafo, ora como historiador; ora como romancista, ora como ensaísta. É também o primeiro grande jornalista literário brasileiro, porque sempre tenta se ater aos fatos; melhor ainda, que permitiu que os fatos mudassem sua opinião, ainda que continue marcada em boa parte por preconceitos de época. Sua narrativa de guerra, A Luta, é um prodígio porque encadeia os eventos sem deixar de construir pontes intermitentes com o que disse antes em A Terra e O Homem. Euclides sempre abre seus textos com o "macro", com a descrição panorâmica de uma região, espécie de Google Earth em verbo. Depois vai fechando sua lente no grupo social e, por fim, em indivíduos, como a sertaneja de mangas sujas de sangue que teve pai e filho degolados pela República. A discordância sobre suas generalizações não tira a força dessa convergência.

Sua saudável ambição em Os Sertões era notar o que ninguém mais notara, o "traço superior do acontecimento". E "traço" aqui remete tanto à sua visada geológica (como a de Darwin), que destaca a topografia insular do arraial (a qual, impedindo a "mestiçagem extrema", teria preservado a bravura estoica dos jagunços), como à sua escrita pictórica. Ele recorre a todas as figuras de linguagem e retórica que conhecemos (metáfora, símile, antítese, hipérbole, enumeração, aliteração, até ironia e oxímoro) e a uma enorme variação de ritmos, a justaposições e cortes ― que hoje chamamos de cinematográficos, embora nenhum cineasta os recrie. Isso acentua as expressões memoráveis: "o espasmo assombrador da seca"; "arrastando a carcaça claudicante"; "cada parede se rachava em seteiras"; "peitos broqueados à bala ou sarjados à faca".

Quando vai à Amazônia, não por acaso, se refere a ela como o maior "quadro" da Terra, embora lamente sua falta de linhas verticais e variação cromática. No célebre texto "Judas Asvero" enfeixado em À Margem da História, é óbvia sua preocupação em transcrever a cena com a marcação de todos os pontos no espaço, desenhando a composição, e com alternância de frases breves e longas que lhe dá movimento: "Caminha. Não para. Afasta-se no volver das águas. Livra-se dos perseguidores. Desliza, em silêncio, por um estirão retilíneo e longo; contorneia a arqueadura suavíssima de uma praia deserta." Extensivo e intensivo, Euclides enxergava mais drama onde os outros só viam trama.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado n'O Estado de S. Paulo, em 16 de agosto de 2009.


Daniel Piza
São Paulo, 21/9/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mil dias na Biblioteca Nacional de Pedro Corrêa do Lago
02. A droga da felicidade de Sérgio Augusto


Mais Daniel Piza
Mais Acessados de Daniel Piza
01. Arte moderna, 100 anos - 10/9/2007
02. Como Proust mudou minha vida - 15/1/2007
03. Saudades da pintura - 16/5/2005
04. A pequena arte do grande ensaio - 15/4/2002
05. André Mehmari, um perfil - 20/11/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




IPANEMA DOM DIVINO
NORMA PEREIRA REGO
NOVA FRONTEIRA
(1983)
R$ 6,48



AS MAIS DELICIOSAS REQUINTADAS E EQUILIBRADAS RECEITAS DA CULINÁRIA
MÁRCIO BONTEMPO
GROUND
(1983)
R$ 6,00



EDUCAÇÃO & SOCIEDADE
REVISTA DA CIÊNCIA DA EDUCAÇÃO
PAPIRUS
(1991)
R$ 6,00



O PODER DOS ANIVERSÁRIOS-ESCORPIÃO
SAFFI CRAWFORD E GERALDINE SULLIVAN
PRESTÍGIO
(2001)
R$ 19,90



UM TÚMULO EM GAZA
MATT REES
RECORD
(2008)
R$ 7,90



SÉRIE REENCONTRO - ROBIN HOOD
JOEL RUFINO DOS SANTOS
SCIPIONE
(1987)
R$ 5,00



MUDANDO O MUNDO O CAMINHO PARA UMA VIDA FELIZ
SRILA B. A. PARAMADVAITI SWAMI
SRILA B. A. PARAMADVAITI SWAMI
(2013)
R$ 23,50



KIDS BOX ACTIVITY BOOK 4
CAROLINE NIXON E MICHAEL
CAMBRIDGE
(2015)
R$ 9,90



CIÊNCIAS SOCIAIS E SAÚDE NO BRASIL
ANA MARIA CAESQUI
HUCITEC
(2007)
R$ 25,00



O MUNDO DAS ORQUÍDEAS - ACOMPANHA VAPORIZADOR E TESOURA DE POLDA
BÉNÉDICTE BOUDASSOU
COOK LOVERS
(2011)
R$ 139,95





busca | avançada
55373 visitas/dia
2,0 milhões/mês