Os filmes de Frederico Füllgraf | Manoel de Andrade

busca | avançada
65370 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> Viva a revolução
>>> AC/DC 1977
>>> As maravilhas do mundo que não terminam
>>> Nem Aos Domingos
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Mais Recentes
>>> Alma Sobrevivente: Sou Cristão, Apesar da Igreja de Philip Yancey, Almiro Pisetta pela Mundo cristão (2004)
>>> A Origem das Espécies de Charles Darwin pela Martin Claret (2014)
>>> Calibã e a Bruxa - Mulheres, corpo e acumulação primitiva de Silvia Federici pela Elefante (2017)
>>> Fazendo Terapia Familiar de Robert Taibbi pela Gupo Gen (2016)
>>> Psicologia nas organizações de Vilma Regato pela Gupo Gen (2016)
>>> Nutrição para o Esporte e o Exercício de William D. McArdle pela GEN Guanabara Koogan (2014)
>>> Primeiros socorros no esporte de Melinda J. Flegel pela Manole (2014)
>>> Diga Xis de Teresa Noronha pela Editora Scipione (2006)
>>> Brilho da Vida de Lynne Graham pela Harlequin (2006)
>>> As Aventuras de Tom Sawyer de Mark Twain pela Martin Claret (2007)
>>> Nosso Lar de Chico Xavier pela FEB (2014)
>>> Lucíola de José de Alencar pela Martin Claret (2006)
>>> Posicionamentos em exames contrastados de Diversos pela Corpus (2006)
>>> Raciocínio Lógico para Concursos de Samuel Liló Abdalla pela Editora Saraiva (2012)
>>> Brida de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> O Zahir de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> O Alquimista de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> O X da Questão de Eike Batista pela Primeira Pessoa (2011)
>>> Bíblia ilustrada para família de Mary Joslin pela Gold Editora (2008)
>>> Maktub de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> Nó na garganta de Mirna Pinsky pela Atual Editora
>>> Veronika Decide Morrer de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> A Equipe do Olho Aberto de Margarida Patriota pela Formato (2010)
>>> O Monte Cinco de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> As Valkírias de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> O Demônio e a Srta Prym de Paulo Coelho pela Gold Editora
>>> As Aventuras de Robin Hood de Howard Pyle pela Gênios (2005)
>>> Braçoabraço de Raimundo Matos de Leão pela Editora Saraiva
>>> A Volta ao Mundo em 80 dias de Júlio Verne pela Gênios (2005)
>>> Coisas que todo garoto deve saber de Antonio Carlos Vilela pela Melhoramentos (2006)
>>> O mistério da gaveta de Silvana Tavano pela Editora Saraiva (2004)
>>> Los Condenados de la Tierra (Os Condenados da Terra) de Frantz Fanon pela Fondo de Cultura Econónica (2018)
>>> Les Confessions de Jean-Jacques Rousseau pela Hachete (1903)
>>> O primo Basílio de Eça de Queirós pela Abril Cultural (1979)
>>> Revue Française de Science Politique Volume XXI Numéro 3 juin 1971 de Jean Brusset, Mattei Dogan e outros pela Puf (1971)
>>> Introdução à Geografia da População de Wilbur Zelinsky pela Zahar (1974)
>>> Revista do Brasil de Antonio Candido, Celso Furtado, Julio Cortázar, Manoel Bonfim, Poty e outros pela Rioarte / Funarte (1984)
>>> Painel da Literatura em Língua Portuguesa de José de Nicola pela Scipione (2010)
>>> Crónica de una muerte anunciada de Gabriel García Márquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Marlene D de Marlene Dietrich pela Nordica (1984)
>>> Notícia de un secuestro de Gabriel Gacía Máquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Há Males Que Vêm Para Bem de Alec Guinness pela Francisco Alves (1990)
>>> Vivir para Contarla de Gabriel García Márquez pela Debolsillo (2017)
>>> Tango Solo de Anthony Quinn, Daniel Paisner pela Nova Fronteira (1995)
>>> El Coronel no Tiene Quien le Escriba de Gabriel Gacía Máquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Laços Eternos de Zibia Gasparetto pela Edicel (1979)
>>> A garota que eu quero de Markus Zusak pela Intrínseca (2013)
>>> O inverno das fadas de Carolina Munhóz pela Casa da palavra (2012)
>>> Treinando a emoção para ser feliz de Augusto Cury pela Academia (2010)
>>> E se for você? de Rebecca Donovan pela Globo (2016)
ENSAIOS

Segunda-feira, 20/12/2010
Os filmes de Frederico Füllgraf
Manoel de Andrade

+ de 5700 Acessos

Recentemente assisti, pela segunda vez, ao filme Fogo sobre cristal ― Um diário antártico, do escritor e cineasta paranaense Frederico Füllgraf. O filme retrata as paisagens geladas da Passagem de Drake, nas Ilhas Orcadas do Sul, Shetland do Sul e do Mar de Weddell, no setor leste da Península Antártida.

Essa invejável aventura, filmada em fins de 1998, nasceu de um inesperado convite ao cineasta para embarcar num navio quebra-gelo da marinha argentina numa expedição de entregas de suprimentos e revezamento de técnicos e cientistas em base de estudos na Antártida.

A bordo do navio "Almirante Irizar", Frederico Füllgraf chega até ao fim do mundo para filmar as fascinantes paisagens brancas e silenciosas do sul do planeta. Rodado sem um roteiro previamente planejado, as cenas resultaram num documentário de uma hora que encanta tanto pela beleza imóvel das paisagens, quanto pelo inquietante movimento das geleiras retalhando seus imensos blocos para formar as inumeráveis frotas de icebergs em busca do oceano.

O que pensa o homem nestas paragens solitárias, isolado por meses ou anos do torvelinho incessante da civilização urbana? Dias imensos, paisagens imensas, enseadas de deslumbrante beleza, comunidades numerosas de pinguins, com suas elegantes posturas quase humanas nos sugerindo a ideia dos únicos seres com que pudéssemos partilhar, solidariamente, aquela assustadora solidão. É um cenário que induz o espectador, e por certo leva os que por lá se isolam à reflexão, à catarse e ao mistério. Como escrever um poema diante de tanta majestade, se tudo que a visão alcança é uma poesia constantemente reescrita pela própria natureza e indelevelmente impressa em cada traço de uma imensa tela? A reflexão sobre um poder oculto que comanda os elementos, que dita as leis que regem as variações climáticas que, a partir dali, invadem o continente, gerando as ventanias violentas, mudanças bruscas de temperatura, as chuvas torrenciais, enchentes e destruição. Que misterioso laboratório da natureza se esconde por trás de paisagens tão poéticas!

As imagens do filme nos transmitem tudo isso e muito mais. É uma viagem além de tudo o que nos propuséssemos imaginar. Um outro mundo, uma outra dimensão da vida, um outro planeta, poderíamos pensar. Apesar dos tantos documentários sobre o assunto, Fogo sobre cristal é a expressão visual da criatividade e do espírito aventureiro do autor, uma "crônica da solidão de um cineasta e sua câmera no fim do mundo". Entre tantas cenas marítimas e humanas, surgindo além da proa itinerante e nos pátios e interior das bases, um fato apenas, entre tantos que poderíamos citar: uma sequência comovente de cenas com o navio parado em alto mar, jogando coroas de flores às águas onde fora afundado o contra-torpedeiro General Belgrano, durante a Guerra das Malvinas ― conflito em que o Comodoro Micheloud, comandante de Marambio, presente a uma das bases visitadas, lutara como aviador...

A credibilidade de Frederico Füllgraf, como cineasta, vem de uma longa trajetória de realizações cujos rastros foram deixados, em 2006, no interior paranaense e na distante Namíbia, quando dirigiu a filmagem de Maack, o profeta pé-na-estrada, relatando as viagens e pesquisas geológicas feitas no Paraná, na década de 40, pelo cientista alemão Reinhard Maack, um precursor do ambientalismo, descobridor do Pico do Paraná e autor de estudos geológicos que ligam a bacia geológica paranaense à bacia de Gondwana, na Namíbia.

Seu primeiro filme, Queremos que esta terra seja nossa, rodado em Portugal, em 1975, aborda a Revolução dos Cravos, golpe militar pacífico que derrubou o governo herdeiro da ditadura de Salazar.

Em 1985, pelo seu filme Dose Diária Aceitável, sobre as consequências dos agrotóxicos no Brasil, recebe no RIEENA ― Festival Internacional do filme ambiental, na França, o prêmio de Melhor Documentário de Conscientização, considerado o primeiro prêmio internacional do cinema paranaense.

No seu invejável currículo acadêmico, Füllgraf, na década de 80, estudou Comunicação Social, Filosofia e Ciências Políticas na Universidade Livre da Alemanha, época em que realizou reportagens e filmagens de documentários para a ARD (rede pública de televisão da Alemanha). Em 1988, a Editora Brasiliense publicou seu livro (já esgotado) A bomba pacífica ― O Brasil e outros cenários da corrida nuclear.

Frederico Füllgraf é um respeitável intelectual que deverá publicar proximamente O Caminho de Tula, seu primeiro romance, a ser lançado pela Record. Essa casa editorial deverá entregar nos próximos meses o polêmico romance Sós, em Berlim, de Hans Fallada. A obra, com 700 páginas escritas em 24 dias, no ano de 1946, e publicada no ano seguinte na Alemanha Oriental, foi traduzida do original alemão por Füllgraf e estreia no Brasil depois de publicada na Inglaterra e nos Estados Unidos, onde aparece entre os títulos mais vendidos, no topo do ranking do site Amazon. Baseada em documentos da Gestapo descobertos pelo exército russo no fim da Segunda Guerra Mundial, relata a história real de um casal alemão executado em 1942 por distribuir cartões com frases ofensivas a Hitler e ao regime nazista.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no site Banco da Poesia.


Manoel de Andrade
Curitiba, 20/12/2010

Mais Manoel de Andrade
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURSO DE FILOSOFIA DA ARTE
SILVIO DE MACEDO
ELO
(1987)
R$ 12,00



EU ESTOU PENSANDO EM ACABAR COM TUDO
IAIN REID E SANTIAGO NAZARIAN
FABRICA 231
(2017)
R$ 39,90



DICIONÁRIO DE VOCÁBULOS BRASILEIROS
BEAUREPARE-ROHAN
GARNIER - ITATIAIA
(2007)
R$ 90,00



ATENÇÃO PLENA - MINDFULNESS
MARK WILLIANS/ DANNY PENMAN
SEXTANTE
(2015)
R$ 20,00



THE PRINCIPLES AND PRACTICES OF REHABILITATION
HENRY H. KESSLER
LEA & FEBIGER
(1950)
R$ 99,22



BICHO NA ESTRADA!
CLÁUDIO MARTINS
FTD
(2000)
R$ 6,90



PARIS PARA UM
JOJO MOYSES
INTRÍNSECA
(2020)
R$ 20,00



FILOSOFANDO INTRODUÇÃO À FILOSOFIA
MARIA LÚCIA DE ARRUDA ARANHA
MODERNA
(2009)
R$ 25,90



RECEITAS DE CLAUDIA PARA O OUTONO
CÍRCULO DO LIVRO
CIRCULO DO LIVRO
R$ 8,00



REFORMA AGRÁRIA - QUESTÃO DE TERRA OU DE GENTE?
PAULO MARTINEZ
MODERNA
(1987)
R$ 5,00





busca | avançada
65370 visitas/dia
2,1 milhões/mês