Meu primeiro Camp | Digestivo Cultural

busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 18/4/2008
Meu primeiro Camp

+ de 2600 Acessos
+ 3 Comentário(s)


Fotos by samegui

Eu já tinha ouvido falar de outros eventos "Camp", é lógico, mas não entendia direito o funcionamento. Na verdade, não acreditava que pudesse funcionar. Se todo mundo podia falar ao mesmo tempo, como poderia sair alguma discussão decente?

Então, quando a Ceila Santos me convidou, fui mais por consideração a ela, que me levou para a Época e que sempre foi uma "discípula" estimulante das minhas idéias. (Não é comum encontrar alguém que acredita mesmo no que a gente prega...)

Eu estava bem humorado, havia tido uma semana boa, o NewsCamp aconteceria sábado, então pensei: "por quê não?" ― e resolvi confiar na Ceila (temendo, muito secretamente, uma roubada, mas não a ponto de desistir previamente do evento).

Hesito quase sempre, quando me convidam agora. No começo, quando era tudo novidade, havia naturalmente um maior interesse meu. Os eventos de internet eram poucos. Ninguém falava a respeito. Se não fôssemos prestigiar, quem iria então?

Atualmente, é quase o contrário, para mim. Me chamam: ou para eu fazer consultoria de graça (porque, em geral, sei mais que os presentes; leia-se: tenho mais experiência); ou para divulgar, de graça (novamente), no Digestivo Cultural.

Uma última mensagem que recebi, nesse sentido, veio assim: "Ei, Julio, não quer vir aqui tomar um café com a gente?". Olha a sacanagem: era um evento, um curso e o café (de R$ 1,00 a R$ 2,00) era para eu divulgar e dar "dicas". Enfim...

O NewsCamp me surpreendeu porque não era nada disso. Eu cheguei no Espaço Gafanhoto e foi ótimo: eu não conhecia ninguém, na ante-sala, e, ao mesmo tempo, ninguém parecia saber quem eu era.

A sensação era a mesma da primeira aula de um curso qualquer... Você não conhece as pessoas. Ninguém parece conhecer direito ninguém. Estão todos "na mesma". Unidos pela expectativa de que o evento, que provocou aquela reunião, seja proveitoso.

Por isso, talvez, o conceito "Camp" funcione. Porque as pessoas ― que vão ― querem, realmente, discutir aquilo, trocar experiências, encontrar saídas. Todos me pareceram ocupados o suficiente para não desperdiçar um sábado discutindo atabalhoadamente.

O mais impressionante é que ninguém é "dono" do evento. A Ceila e os amigos dela convocaram as pessoas, mas podiam sair da sala, podiam desaparecer de repente, poderiam até abandonar o NewsCamp, que ele aconteceria do mesmo jeito.

Para quem nunca participou, não faz o menor sentido, eu sei. Acontece que "se ninguém é dono", então "todo mundo é dono". Não existe turma do fundão. Ninguém está ali para cumprir tabela. Fica só quem quer. E quem fica, trabalha para que o evento renda.

Depois de todos os presentes se apresentarem, inclusive a Ceila e os amigos dela, a sala se esvazia e todos vão tomar um café. Na sala do café, que é a mesma ante-sala do começo, quem quiser pode escrever os temas num quadro, dividindo por horário e por espaço.

Sim, você entendeu certo: o evento não tem uma agenda prefixada, tem apenas um tema geral, no caso "jornalismo e internet", e os próprios participantes (não os organizadores, necessariamente), vão montando a agenda do dia, relacionando salas e subtemas.

Depois do choque inicial, e sem que ninguém me pedisse, tomei a iniciativa de escrever "velha mídia, nova mídia", no primeiro horário da sala maior, e também "monetização/ sustentação", no segundo horário da sala maior, uma vez que eu só poderia ficar até o meio-dia.

Alguém mais, que eu não vi quem foi, escreveu algo relacionado a "mundo corporativo", no segundo horário da sala menor, e mais alguém escreveu (ou ia escrever) algo ligado a "publicidade/ propaganda", no segundo horário da sala menor.

Então, sem que ninguém pedisse (nenhum "bedel"), os participantes civilizadamente se dirigiram às suas salas e, dentro da expectativa de horário, o evento começou, cada discussão no seu local designado. Eu estava boquiaberto...

Boquiaberto também porque o nível da discussão era alto. Ao contrário da grande maioria dos eventos do tipo "caça-níquel", a "platéia" (sei que, em "Camp", esse conceito não faz muito sentido) não era de "wannabes", era de gente que trabalha na área ou que luta por sua profissionalização.

Fazendo um paralelo com a Flip (um evento que eu respeito): é como se a platéia não fosse de escrevinhadores-querendo-publicar, mas, sim, de escritores já profissionais que, subitamente, poderiam assomar ao palco, dividindo suas preocupações e sua experiência com todos.

Mais tarde eu pensei que a internet se desenvolve tão rapidamente porque existe um tipo de "solidariedade", residual, que permite às pessoas se aproximarem, mesmo que, em teoria, elas estejam "concorrendo". (Conclusão: os blogueiros são muito mais unidos que os jornalistas.)

Para completar, eu descobri uma "cena" blogueira completamente nova. E encontrei, claro, gente que já havia lido ou lincado, mas que nunca havia visto "ao vivo". Quer dizer: quando achamos que estamos "por dentro" do que acontece na internet (brasileira), ela se revela mais complicada do que parece...

Gostei de conhecer o Wagner Fontoura, que trabalha na Riot; o André Deak, que já apareceu no Digestivo; o Eduardo Vasques, que "organizou" junto com a Ceila; o Manoel Netto, bem engraçado; o Gilberto Jr, bastante espirituoso; a Carol, já filha de blogueira, imagina...

Fora tantos outros de quem eu não guardei o nome (muito menos o nome do site ou blog). Como era sábado, não levei nada para anotar, mas percebi que as pessoas vão enchendo blocos com dúzias de informações novas, como se os links e as referências fossem vocalizadas na hora e evaporassem no ar...

Fui embora ao meio-dia e meia, quando todos saíam para almoçar, com um certo pesar, porque queria ter ficado. Ao contrário de tantas outras reuniões, não havia me cansado das pessoas ainda e sentia ― "como são adoráveis as pessoas que a gente não conhece muito bem..." (Millôr) ― que aquela era, momentaneamente, a minha turma.

Não prometo que vá a outros "Camp"; prefiro não destruir (ou arriscar) a boa imagem que construí com esse. Mas, possivelmente, tentarei lançar a iniciativa junto à comunidade do Digestivo. Outros "Camp" poderiam transcender a internet. Existem tantas áreas em que as pessoas estão "desconectadas"...

Para ir além
NewsCamp
BarCamp
BlogCamp


Postado por Julio Daio Borges
Em 18/4/2008 às 16h15


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
20/4/2008
13h57min
Julio, ótimo o post e fundamental essa reflexão sobre haver "camps" para outras discussões. Na verdade, se formos ver, nem tem nada tão novo nisso: é como os caras faziam lá na acrópole grega (claro que, lá, só os iniciados). Essa coisa de sentar e debater temas de interesse (e não só beber, paquerar ou se auto-divulgar, aparecer etc.) deveria ser natural. Entre rodas de escritores, cineastas etc., do século XX, me parece que havia isso. Essa coisa de não dissociar a vida, o bar, o momento de folga do trabalho, dos afazeres, da cultura... (ou talvez seja só impressão). Há muitos "eventos" hoje que são imbróglio, perda de tempo. E as coisas gratuitas, os encontros informais parecem não ter lugar para outros assuntos que babaquices, tentativas de impressionar, sei lá. Entre jornalistas, mesmo, a falta de idéias é enterrada sob papos que versam sobre como nos pagam mal, como trabalhamos tanto e como os editores são FDPs. Boas tuas idéias e impressões. Abraço
[Leia outros Comentários de Rogério Kreidlow]
22/4/2008
10h19min
Bacana, mesmo! Realmente qualquer convite, hoje em dia, é pra se ficar com os dois pés atrás... Sempre tem segunda intenção... Muito boa a dica. Indica onde há troca de idéias com outros que também se arriscam no novo! Como aprendemos com nossos erros e com os erros alheios, e, como os "alheios" erram muito mais que a gente (!), a chance de chegar à "perfeição" é muito grande (risos)! Abraço.
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
22/4/2008
12h06min
Nosso negócio são Políticas Públicas de Cultura, por um viés republicano, solidário e com sustentabilidade. Surpreender-nos-ia, tanto quanto a você, uma dinâmica desta natureza. Achamos o formato exótico para o que se tentou abordar. Os nossos monopólios midiáticos, que produzem a síntese do que se supõe aconteça no nosso dia-a-dia, o fazem a serviço de vários processos de alienação - estratégia diversionista, que esconde seu verdadeiro foco. Não se vêem visões abrangentes nesta discussão - faltam teóricos, doutrinadores e estadistas. Só uma oposição (enquanto alinhamento político-ideológico) tão panfletária, quanto dotada de uma visão fragmentária das nossas realidades e a serviço do que? A academia perdeu o bonde da história, com espaço de reflexão. No caso do tema que estou focado, não há nada de representativo, de republicano, como destaquei, em português. Não me surpreendeu, que o material que postei, nos últimos 60 dias, não provocou nenhum comentário...
[Leia outros Comentários de Wilson Merlo Pósnik]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE BEST OF AMERICAN GIRLIE MAGAZINES
HARALD HELLMANNZSH
TASCHEN
(2002)
R$ 52,06
+ frete grátis



A DIETA REVOLUCIONÁRIA DO DR. ATKINS
ROBERT C. ATKINS
RECORD
(1989)
R$ 7,90



THE LYRE OF ORPHEUS
ROBERTSON DAVIES
VIKING
(1988)
R$ 20,00



COMO ESCREVER TEXTOS 2°EDIÇÃO COLEÇÃO DIRIGIDA POR UMBERTO ECO
MARIA TERESA SERAFINI
GLOBO
(1989)
R$ 9,90



ANATOMIA HUMANA
JOHANES W. ROHEN & CHIHIRO YOKOCHI
MANOLE
(1993)
R$ 80,00



RESPONSABILIDADE CIVIL DOS ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS VOL, 4
VILSON RODRIGUES ALVES
BOOKSELLER
(1999)
R$ 13,65



EDUCAÇÃO E VIDA
PIERRE FURTER
VOZES
(1976)
R$ 10,00



IMPOSSIVEL EQUILIBRIO
MEMPO GIARDINELLI
RECORD
(1997)
R$ 6,90



O CROCODILO E O EXECUTIVO - COMO NASCE UM VENCEDOR
JUANMA OPI
CIRANDA CULTURAL
(2008)
R$ 10,00



VAGAS DE GARAGEM NA PROPRIEDADE HORIZONTAL
MARCO AURELIO
SARAIVA
(1981)
R$ 13,00





busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês