Página de rosto | Daniela Sandler | Digestivo Cultural

busca | avançada
29939 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
>>> Em busca de cristãos e especiarias
>>> Fim dos jornais? Desconfie
>>> O gênesis na argila
>>> Desejo de Status
>>> Até você se recompor
>>> Lobão e Olavo de Carvalho
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Crítica à arte contemporânea
Mais Recentes
>>> Fábulas de La Fontaine (02 Volumes/ Encaderndos) de Jean de La Fontaine (Ilustrações de): Gustave Doré/ Trad. M. Amado pela Itatiaia/Belo Horizonte (1989)
>>> Profiles Students Book (3) + Workbook de Nick Beare/ Jeanette Greenwell/ Terry Phillips pela Macmillan Education (2003)
>>> Profiles Students Book (3) + Workbook +... de Nick Beare/ Jeanette Greenwell/ Terry Phillips pela Macmillan Education (2003)
>>> Inteligência emocional de Sophie Martineaud e dominique Engelhart pela Ediouro (1997)
>>> O grande Gatsby - série grandes sucessos de F. Scott Fitzgerald pela Rio gráfica (1980)
>>> O dia do Chacal de Frederick Forsyth pela Rio gráfica (1980)
>>> O colecionador de John Fowles pela Rio gráfica (1980)
>>> Horizonte perdido de James Hilton pela Abril cultural (1980)
>>> A sangue frio de Truman Capote pela Nova Frnteira (1980)
>>> A mulher só de Harold Robbins pela Abril cultural (1985)
>>> Os insaciáveis de Harold Robbins pela Rio gráfica (1985)
>>> O Inconsciente, a Magia e o Diabo no Século Xx (Encadernado de Alberto Lyra pela Record/ RJ.
>>> A filha de mistral de Judith Krantz pela Rio gráfica (1985)
>>> A mulher do viajante do tempo de Audrey Niffenegger pela Objetiva (2009)
>>> Perdida de Carina Rissi pela Verus (2013)
>>> A farsa de Cristopher Reich pela Sextante (2008)
>>> O trono de diamante - Trilogia Elenium - Livro 1 de David Eddings pela Aleph (2015)
>>> Leave Your Language Alone! (encadernado) de Robert A. Hall- Jr. pela Ithaca/ N. Y. (1950)
>>> Água para elefantes de Sara Gruen pela Arqueiro (2007)
>>> Louco para Amar de Sam Shepard pela L&pm, Porto Alegre (1985)
>>> Gossip Girl - É você que eu quero- vol 6 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Gossip Girl - Ninguém faz melhor - vol 7 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Gossip Girl - do jeito que eu gosto - vol 5 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Gossip Girl - Nunca mais - vol 8 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Épico de conor Kostick pela Galera (2007)
>>> Na décima nuvem de Hugo rodrigues pela Record (2019)
>>> Vida! Reflexões sobre sua jornada de Louise \L. Hay pela Madras2012 (2019)
>>> Adobe Photoshop de MarceloGino Pereira pela Viena (2005)
>>> Preparações Ocultas para uma Nova Era de Dane Rudhyar pela Pensamento (1995)
>>> Memórias dos Profetas (Incritos no Lixo) de Pedro Figueiredo pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> Poços de Caldas Preparada para o Futuro - Dicas -nº 7 de Victor de Carvalho pela Sulminas (1996)
>>> Memorial da Companhia Geral de Minas - Subsid. da Alcoa Alumínio S/a de Alex Prado - Texto Central pela Alcoa (2001)
>>> Um É o Outro: Relações Entre Homens e Mulheres de Elizabeth Badinter pela Nova Fronteira/ Rj. (2019)
>>> Explorador - insetos de Jonh Woodward pela Ciranda cultural (2012)
>>> História Meio Ao Contrário de Ana Maria Machado pela Ática (1977)
>>> Le Grand Voyage - Roman de Jorge Semprun pela Éd. Gallimard/ Paris: France (1963)
>>> Physiological Psichology de Morgan (clifford T) pela McGraw- hill: Usa/ Kógakusha Co./ Tokio (1965)
>>> Quadribol através dos séculos de Kennilworthy Whisp pela Rocco (2001)
>>> Amor além da vida de Richard Matheson pela Buttefly (2016)
>>> O Congado Em Oliveira - Tributo a Leonídio João dos Santos de Hugo Pontes Autografado pela Sulminas (2003)
>>> Tudo que eu queria te dizer de Martha Medeiros pela Objetiva (2007)
>>> Invocações da Virgem Maria no Brasil de Nilza Botelho Megale Autografado pela Vozes (1998)
>>> Depois daquela viagem de Valéria Piassa Polizzi pela Ática (2015)
>>> Querido John de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Ramsés Sob a Acácia do Ocidente de Christian Jacq pela Berttrand Brasil (1999)
>>> O Ventre da Baleia de Esdras do Nascimento pela Nórdica (1980)
>>> A Turma da Rua Quinze de Marçal Aquino pela Ática (2015)
>>> Aí vem o sonhador de Ronald S. Wallace pela Vida (2014)
>>> Cantando ao Senhor de D. Martyn lloyd- Jones pela Pes (2013)
>>> A vida crucificada de A.w. tozer pela Vida (2013)
COLUNAS >>> Especial Literatura

Quarta-feira, 14/11/2001
Página de rosto
Daniela Sandler

+ de 4500 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Sinto como se me vigiassem, inquisitivos: eles, meus livros. Lombadas impassíveis, ombro a ombro, como um escudo em cada prateleira; seus nomes proclamam todas as idéias, todas as belezas, toda a dor de cada um dos romances, contos e poemas que já li. E então, Daniela, qual livro você vai escolher? Vasculho as estantes, estas aqui, exiladas, dominadas pelo outro idioma, o inglês, e pelos títulos de história filosofia arte sociologia e arquitetura, por ensaios e teoria, teses e crítica (suspiro). Eu aqui nos EUA, fazendo meu doutorado. Quem há de carregar livros, os livros da vida inteira, numa mudança temporária? No Brasil, as paredes do meu quarto abarrotadas, minha mãe coitada quase se afogou em tanto livro quando fez a mudança da casa. É lá que estão os outros: lá os romances, contos e poemas, lá o português dos autores intraduzíveis. Vasculho aquelas estantes também. Elas também me vigiam.

Tantos livros há tanto tempo, tão pouco tempo para os livros que ainda faltam: resultado, não releio, quase nunca. Esses livros habitam minha vida fisicamente, os volumes criando pó, as capas invólucros mudos e os textos escapando aos poucos da memória – sem que eu perceba. Afinal, esqueço o texto, mas ainda amo a obra. Lembro-me não do discurso dos autores, mas do meu próprio; com o tempo, até esse esqueço, e guardo apenas o vago sentimento: daquele livro gostei, o outro amei; um abriu mundos, outro roubou as palavras da minha boca; naquele mergulhei como uma alucinação, o outro levou meses para terminar.

Fora o fetiche dos livros como objeto concreto – a decoração involuntária formada pelas cores das capas, a curiosa série de mensagens enunciada nos títulos, nomes de autores, editoras –, sem falar na já abandonada ilusão da osmose (ah, se os livros entrassem na minha cabeça apenas por dividir o mesmo quarto...), há outras maneiras pelas quais os livros nos definem, ou me definem. Trocar, no primeiro encontro amoroso, confidências sobre os livros preferidos, como a sondar terreno. Transcrever passagens prediletas, epígrafes da nossa vida. Nunca mais ver o mundo da mesma forma, depois de ler aquele romance! Habitar por semanas um universo paralelo, deixar o livro invadir os sonhos, os afetos, os humores. E por fim – o maior terror? – ver meus próprios escritos impregnados involuntariamente pelos escritos dos outros que já li.

Delongas. E então, Daniela? O velho recurso, um monte de palavras, a distração da escrita, e ainda não citei um título sequer. O mais espantoso é que passei semanas recitando as obras e os autores favoritos, uma profusão de nomes e de motivos para escolher um ou outro (senão como prediletos, ao menos como tema desta coluna). Tenho pruridos, como se estivesse lidando com gente: como decidir a ordem de menção dos livros? como deixar claro que a seqüência à qual me obriga o fluxo da língua não corresponde à hierarquia afetiva ou intelectual? E quem disse que há hierarquia? E quem disse que não há? E os gêneros? E os híbridos?

Claro que tenho pruridos como se estivesse lidando com gente. “Os livros que amamos” – título deste especial – revela muito menos dos livros, os amados, e muito mais de nós, que amamos. Demoro a desvelar os nomes, os primeiros títulos da lista, como quem hesita ao remover a peça de roupa. Penumbra, por favor...

Sim, porque não há outra maneira de contar por exemplo que apesar de todas as minhas pretensões de originalidade eu também rezo pela cartilha dos livros-comuns, primeiros-clichês, como numa lista dos dez-mais publicada na virada do milênio: Grande Sertão: Veredas; No Caminho de Swann; O Retrato do Artista Quando Jovem; Hamlet, Macbeth, Rei Lear; contos de Chekov, estórias curtas de Wilde, Esperando Godot, Fernando Pessoa, Walter Benjamin, Werther, Fausto.

Ou como mostrar, então, as minhas idiossincrasias, o fato de eu amar segundos-livros, “obras menores”: de James Joyce, os Dublinenses; de Italo Calvino, Marcovaldo; ou de amar segundos-autores, aqueles que perderam favor intelectual ou saíram de moda: Mario de Andrade (a obra toda, poesia e prosa), Fitzgerald, Singer; ou o fato de eu ter chorado no final de O Nome da Rosa porque nunca mais poderia ler o livro pela primeira vez. Ou, mais curioso ainda, os motivos para gostar de cada obra – como uma certa refeição de ervilhas descrita num dos contos Dublinenses (que infelizmente não consegui achar a tempo de citar aqui), uma das passagens mais tocantes que já li (mais tarde, vi o comentário de um crítico dizendo que essa é uma das refeições mais melancólicas da literatura – hum, não fui a única a prestar atenção na tal passagem!). Ou outra refeição – uns miolos refogados que o Marcovaldo come, ou tenta comer, numa de suas desventuras urbanas. Esse episódio, juro, levou-me às lágrimas.

Terminar esta coluna não há de ser mais fácil que o resto do percurso. Hoje a memória, persuadida mais por fadiga que por julgamento, me oferece essa lista limitada de motivos e pensamentos, títulos e nomes. Amanhã, antes mesmo que eu releia meu relato, irei me lembrar de todos os outros, serei invadida pelos livros esquecidos, pelas passagens fundamentais que não citei, pelas minhas próprias razões – ainda que eu possa tentar me reconfortar (nos confortar), observando que afinal as nossas afeições e idéias mudam mesmo o tempo inteiro.

Ainda sinto como se me vigiassem. Fugi da questão. Como sempre, não escolho. Você tem idéia do quanto demoro quando vou à livraria? Não é só indecisão. Sou dispersiva. Enfio-me em alas secundárias, vielas; distraio-me. Distraio-me agora: terá todo leitor o impulso de escrever também, assim como eu? Na minha estante uma lombada não tem título: é um caderno, um diário, em forma de livro. Ler é tão fundamental que não consigo adormecer sem pôr meus olhos sobre ao menos um par de páginas. Surpreendo-me com colegas que contam ter passado o verão inteiro sem ler um livro. Ou aqueles (a maioria) que deixam de ler ficção durante o semestre porque os textos obrigatórios para os cursos já são carga de leitura suficiente. Ora, como se eu fosse ler “apenas” o que me mandam!... onde eu estava mesmo? Ah, o diário. Queria dizer, aliás, de novo, como não vivo sem livros – ah, que clichê! Esses livros todos pedindo uma resposta. Lembro-me menos do discurso dos autores do que do meu próprio... esqueço o texto, ainda amo a obra. Como responder à questão – os livros que amamos, quais? – senão com o desvio de caminho, digressões? Ler, sem parar; não há um livro apenas, não há só um livro. Sem falar naqueles que ainda virão.


Daniela Sandler
Rochester, 14/11/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Livros, revistas, jornais e displays eletrônicos de Ana Elisa Ribeiro
02. Meus melhores filmes de 2008 de Rafael Rodrigues
03. Obrigado, Wander Taffo de Rafael Fernandes
04. O papel ainda importa de Fabio Silvestre Cardoso
05. Ele é o Rei de Andréa Trompczynski


Mais Daniela Sandler
Mais Acessadas de Daniela Sandler em 2001
01. O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece - 8/8/2001
02. Quiche e Thanksgiving - 21/11/2001
03. A língua da comida - 29/5/2001
04. Mas isso é arte??? - 29/8/2001
05. Notícias do fim-do-mundo - 24/10/2001


Mais Especial Literatura
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/11/2001
14h38min
Caríssima Daniela.Gosto de como você escreve.Seduz.Gostaria que você comentasse nas próximas colunas aqueles livros que te comoveram.Mais um de cada vez.Abraços.Contineu escrevendo.
[Leia outros Comentários de heraldo vasconcellos]
14/11/2001
20h18min
Daniela Essa vez deu fome.Me lembrei do cozido que o marinheiro comeu no inicio de Moby Dick. A tua escrita começa a dar fome de ler.Um abraço, Jacques.
[Leia outros Comentários de Jacques Stifelman]
14/11/2001
20h18min
Querida Daniela Que bom ler você mais uma vez! E desta vez quis mandar meu comentário para lhe dizer que sinto, frequentemente, como você, essa espécie de nostalgia ao ver um livro querido e pensar que esqueci o texto embora continue amando a obra. Sabendo que deixou uma marca, que acabou fazendo parte da minha vida, mas sem conseguir mais encontrar os contornos de tudo isso. Eu achava que era uma questão de idade. Fico reconfortada ao ver que você expressa um sentimento semelhante. Obrigada, um abraço saudoso, Ligia
[Leia outros Comentários de Ligia Lessa Mattos]
23/11/2001
17h35min
Daniela. Adoro teus textos, a identificação é enorme, principalmente quando você fala das pessoas que não têm tempo para leituras que não sejam as obrigatórias; mas isto só entende quem descobriu este universo sublime. Parabéns.
[Leia outros Comentários de Roberto Mafra]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMO GERENCIAR A REMUNERAÇÃO NA SUA EMPRESA
LUIZ PASCHOAL
QUALITYMARK
(2006)
R$ 24,00



MINHA VIDA FORA DE SÉRIE - 2ª TEMPORADA
PAULA PIMENTA
GUTENBERG - AUTENTICA
(2014)
R$ 35,83



PARA APRENDER DIREITO: DIREITO ADMINISTRATIVO - VOL.1
GUSTAVO HENRIQUE / PINHEIRO DE AMORIM
BARROS, FISCHER & ASSOCIADOS
(2006)
R$ 20,00



AMAZÔNIA DESPERTADA
JOSÉ CASEMIRO BORGES
ARTENOVA
R$ 17,82



CHINESISCHE KINDERFREUDEN - IN BILD, WORT UND MUSIK
HERMANN SCHERCHEN
BÜCHERGILDE GUTENBERG / ZÜRI
(1946)
R$ 120,00



RAUL PROENÇA ESTUDO E ANTOLOGIA VOL 19 DA COL. TESTEMUNHOS CONT.
ANTÓIO REIS
ALFA
(1990)
R$ 39,70



REJEITE A PREOCUPAÇAO E VIVA EM PAZ
SILAS MALAFAIA
CENTRAL GOSPEL
R$ 7,00



GETÚLIO VARGAS, MEU PAI
ALZIRA VARGAS DO AMARAL PEIXOTO
GLOBO
(1960)
R$ 16,00



TERRA SEM MAPA
ANGEL RAMA
GRUA LIVROS
(2008)
R$ 34,00
+ frete grátis



HISTORIAS GATICAS
DARCY RIBEIRO
FTD
(2002)
R$ 15,00





busca | avançada
29939 visitas/dia
1,1 milhão/mês