Digestivo nº 267 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
83516 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “A Pequena Keruaka”: obra infantojuvenil mostra jornada para salvar os rios e florestas do Brasil
>>> Festival de Patinação de Rio do Sul abre inscrições
>>> Festival Halleluya em São Paulo realizará ação solidária para auxiliar as famílias no RS
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Apresentação
>>> Crônica, um gênero brasileiro
>>> Os melhores votos, de uma cética
>>> O que é a memética?
>>> Lobo branco em selva de pedra: Eduardo Semerjian
>>> As garotas do Carlão
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> A novíssima arena de experimentação literária
>>> Boemia, aqui me tens de regresso
Mais Recentes
>>> O Poder Criativo da Mulher de Edino Melo pela Arca (2013)
>>> O Problema Dos Três Corpos de Cixin Liu pela Suma De Letras (2016)
>>> O Rei Dos Dividendos: A Saga Do Filho De Imigrantes Pobres Que Se Tornou O Maior Investidor Pessoa Física Da Bolsa De Valores Brasileira de Luiz Barsi Filho pela Sextante (2022)
>>> Capitaes De Areia (edicao De Bolso) de Jorge Amado pela Companhia De Bolso (2009)
>>> Manual De Persuasao Do Fbi de Jack Shafer pela Universo Dos Livros (2015)
>>> Dicionário Enciclopédico de Administração de Cary L. Cooper e Chris Argyris pela Atlas (2003)
>>> O Diario De Um Banana 1: Um Romance Em Quadrinhos (capa dura) de Jeff Kinney pela V&r (2008)
>>> A Revolucao Da Glicose. Equilibre Os Niveis De Acucar No Sangue E Mude Sua Vida de Jessie Inchauspe pela Objetiva (2022)
>>> Guia Completo de Reflexologia de Ann Gillanders pela Pensamento (2024)
>>> Autocura Pelos Florais de Bach de Pier Campadello pela Madras (2002)
>>> Ntc's Dictionary Of American English Phrases de Richard A. Spears pela Ntc (1995)
>>> Romance da Pedra do Reino de Ariano Suassuna pela Círculo do Livro (1987)
>>> Fogo Frio: Poemas De Tras Da Geladeira de Yasmin Gomlevsky pela Cassara (2013)
>>> Novíssima Gramática Da Língua Portuguesa de Domingos Paschoal pela Companhia Nacional (2008)
>>> Riqueza das Nações - 2 Volumes de Adam Smith pela Fundação Calouste Gulbenkian (1987)
>>> A Mao Esquerda Da Escuridao de Ursula K. Le Guin pela Aleph (2019)
>>> O Corpo Dela E Outras Farras de Carmen Maria Machado pela Planeta (2018)
>>> Teoria Geral Do Processo Civil de Milton Paulo De Carvalho pela Campus (2010)
>>> 1001 Fantasmas de Heloisa Prieto pela Seguinte
>>> Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa - Formato Grande de Antonio Houaiss pela Objetiva (2001)
>>> A Imagem do Som de Gilberto Gil de Gilberto Gil pela Francisco Alves (2000)
>>> Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa - Não Acompanha CD de Antonio Houaiss pela Objetiva / Houaiss (2009)
>>> Os Lohip-hopbatos Em A Guerra Da Rua Dos Siamipês de Flavio De Souza pela Companhia Das Letrinhas (2013)
>>> Arquitetura E Planejamento Na Gestão Da Saúde de Richard M. J. Bohmer pela Bookman (2012)
>>> O Eufemismo e o Disfemismo no Portugues Moderno de Heinz Kroll pela Biblioteca Breve (1984)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 24/2/2006
Digestivo nº 267
Julio Daio Borges
+ de 5500 Acessos
+ 2 Comentário(s)




Literatura >>> Política versus literatura
Há muito tempo ouvimos falar dos ensaios de George Orwell, o autor de 1984 e A Revolução dos Bichos. Sua obra de não-ficção é quase tão célebre quanto seus dois clássicos como romancista. Orwell viveu intensamente a primeira metade do século XX, experimentando os impactos diretos e indiretos de duas guerras mundiais, sendo um militante de esquerda e, depois, desiludindo-se com política. Fora a aventura de ser escritor (um salve-se-quem-puder em qualquer época, mesmo que em inglês). Um pouco dessa intensidade está em Dentro da Baleia e outros ensaios (2005, Cia. das Letras, 227 págs.), com organização de Daniel Piza e orelha de Sérgio Augusto. E Orwell vale sempre pela sua honestidade intelectual. Inesquecíveis as passagens em que ele desmonta a esquerda, apontando que a melhor motivação para alguém se converter ao socialismo é a falta de trabalho ou dinheiro. Ou então desconstruindo a classe conservadora da Inglaterra, derrubando totens como Johnatan Swift, de Viagens de Gulliver – que, para Orwell, só podia ser impotente sexualmente, para ter tanto horror ao corpo... E é incrível que, de lá pra cá, o mundo tenha mudado muito, mas não tenha, ao mesmo tempo, mudado tanto. Orwell já via sinais de decadência no maniqueísmo de esquerda & direita antes da metade do século XX – mas continuam praticando-o até hoje. No Brasil... Fora os insights literários que valem, igualmente, o livro. As vivências do escritor como resenhista e até profissional do mercado livreiro, num sebo. A fatalidade de assistir à execução de um prisioneiro de guerra; o desconcerto de ter de matar um elefante; e, de repente, o dever de ter de desmascarar Gandhi (ou qualquer outro herói com alguma aura “santa”). Orwell combina a incisividade de um bom filósofo com a clareza de um grande prosador. Sempre será um autor inevitável, para quem quiser revisitar as idéias do século passado. [Comente esta Nota]
>>> Dentro da Baleia e outros ensaios (trecho) - George Orwell - 2005 - 277 págs.
 



Cinema >>> Um Jogador
Quando Woody Allen parecia morto e enterrado, em meio às gags e ao humor pastelão dos seus últimos anos, eis que ressurge como diretor em Ponto Final. Será seu canto de cisne? Na realidade, vamos deixar de ser tão maldosos e admitir que o velho Woody encontrou um caminho entre Dostoiévski e Closer. Não Dostoiévski de verdade. O Dostoiévski de Woody Allen. O Dostoiévski de Crimes e Pecados (1989), inspirado no autor russo do século XIX desde o título, e que parece revisitado neste Ponto Final. É mais uma vez a história de uma traição que acaba em assassinato. Adaptada, certamente, para a época atual. Através de bem escolhidos atores da nova geração, com destaque para Scarlett Johansson. Parece que selecionando estreantes cada vez mais jovens (teve até aquele sujeito do American Pie), Woody Allen tira cada vez menos deles, em termos de profundidade. Mas justamente aí entra o aspecto Closer — que Woody Allen já havia explorado em Melinda e Melinda. Os relacionamentos, pós-Closer, não têm mais nenhuma densidade psicológica, são verdadeiras trombadas — as pessoas vão se trombando e se casando (ou simplesmente se acasalando) umas com as outras. No aspecto mesmo da atuação, é uma economia inclusive em matéria de caras & bocas. Claro, se você não ligar para a moral — ou, então, se se acostumar a ela; ou até praticá-laPonto Final é, no mínimo, uma bela experiência plástica. Não, não estou falando de silicone, estou falando do colorido, da fotografia, da composição das cenas. Isso Woody Allen, quando quer, sabe fazer. Londres parece mais bonita do que (a sua) Nova York. E a hipocrisia da upper class britânica dá, nos diálogos, um verdadeiro show... Felizmente, Woody Allen voltou a ser imperdível. Mesmo que reloaded; mesmo que apelando para Closer. [Comente esta Nota]
>>> Match Point (podcasts)
 



Internet >>> Get Smarter Where?
Newsvine. É o site jornalístico mais comentado do momento. Você já ouviu falar? Newsvine. Como quase tudo de quente na internet hoje, está em versão beta, para testes, e só convidados podem participar da comunidade Newsvine. Estilo Orkut. O Google lançou essa moda, que reforçou com o Gmail, e hoje qualquer bobagem na internet – mesmo que não vá dar em nada –, só pode ser conhecida se você for “convidado”. Mas, realmente: o Newsvine é um belo site jornalístico. Uma bela ferramenta, na verdade. Mas como não está aberta para todo mundo, ninguém sabe direito se ela realizará todas as suas potencialidades (mesmo com a megadivulgação por parte dos profissionais da mídia de todo o mundo, o Newsvine tem menos da metade das impressões de página deste Digestivo, por exemplo). No Newsvine, em princípio, qualquer um é colaborador. Pode escrever e indicar notícias. E o que ganha com isso? Dinheiro, além de – espera-se – prestígio. O Newsvine quer dividir a sua receita com todos os colaboradores e os mais lidos vão, obviamente, receber mais por isso. Num mundo em que as redações de papel estão encolhendo dia a dia, ainda é um enigma como o Newsvine vai conseguir (como o Newsvine vai conseguir gerar receita, para começar). Tem todas as “features” dos sites mais modernos, da chamada Web 2.0: usuários cadastrados com foto, subdomínios com o respectivo login, feeds de todos os tipos, provavelmente tags e folksonomy, daqui a pouco podcasts, videocasts... to the moon! Até assusta um pouco. E esse é, justamente, o calcanhar de Aquiles do Newsvine: todo mundo vai acessar, entender e usar tudo isso? É a grande pergunta que se coloca. Em meio a tantas outras iniciativas – tão ou mais mirabolantes – do já assumindo novo boom de internet, existe ainda público? [Comente esta Nota]
>>> Newsvine
 

 
Julio Daio Borges
Editor
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/2/2006
17h09min
A cada novo dia, o mundo parece encolher. Distâncias ficam desmerecidas ou se anulam, diante das benesses ofertadas pela tecnologia. Com o advento da Internet, comunicar vem se tornando uma banalidade a mais e, como todas elas, poderá perder sua funcionalidade essencial - promover entendimento e harmonia entre as pessoas. Dói constatar que, raramente, os meios de comunicação prestam-se a expressar o enigma que habita no mais profundo dos seres. E que é indizivel. As abordagens superficiais frustram. Não conseguem mudar rumos. Muito menos gerenciam, nas pessoas (como deveriam), alterações comportamentais-espontâneas ou duramente trabalhadas - à espera da oportunidade de desabrochar. Minha expectativa é a de que a comunicação virtual ainda venha a desempenhar este papel, paralelamente a tanto lixo que vem se alojando nela, e que se vale de seu caráter utilitário para fins obscuros e questionáveis. Só o tempo dirá a que se prestará o Newsvine. Aguardemos...
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
23/2/2006
18h41min
É um gostoso desafio assistir ao filme. Ele cumprirá todos os seus objetivos, e atenderá a todos os gostos. Quem gosta de romance, encontrará. Quem aprecia uma história policial, também. Entretanto uma reflexão para os dias de hoje também se revela ao espectador especulador. Desafio que se inicia com um Crime e Castigo, que passa por um Vermelho e o Negro e desemboca no Match Point. Apreciamos ao longo do tempo a uma nova maneira de lidar com a culpa. Aquele que se mortifica por uma culpa – no século dezenove - e que é ao mesmo tempo consumido por ela, sem ter mais paz de espírito, vai involuindo até chegar ao século vinte e um, onde a vida vale um pastel, ou um pouco mais que isso. O realismo de um Stendhal ficou substituído por um pós-moderno bem mais sórdido e cínico. Recebemos pelo preço de um ingresso a uma lição inesquecível do quanto é bela a arte e feia a vida. Talvez não haja mais espaço para o sonho de Kafka.
[Leia outros Comentários de Erwin]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




As vezes eles matam
Oliver Bleeck
Francisco Alves
(1978)



La Gravure En Taille Douce
J. M. Billard
Dessain et Tolra
(1985)



O Beco Da Solidão
Crusa Jerotica Bellacpsa
J.s
(2000)



A Arte do Século XVIII
Stephen Jones
Circulo do livro
(1989)



Cama de Gato
Kurt Vonnegut
Aleph
(2017)



Maria Luisa Rodenbeck
Luciana Medeiros
Verbo Virtual
(2017)



Sustentabilidade a Economia Mais Humana
Elizabeth Oliveira
Salesiana
(2009)



A Elevação Espiritual Através da Umbanda
Paulo Sérgio da Fonseca Guimarães
Fundação Educacional e Editorial Universalista - FEEU
(2007)



Bush 2 a Missão e outras reflexões sobre o mundo do século XXI
Nelson Franco Jobim
Nova Prova
(2006)



Livro Infanto Juvenis Dizem Que os Cães Veem Coisas Coleção Saber Nordestino
Moreira Campos
Maltese
(1995)





busca | avançada
83516 visitas/dia
2,4 milhões/mês