Digestivo nº 379 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
43247 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 29/8/2008
Digestivo nº 379
Julio Daio Borges

+ de 1300 Acessos




Música >>> Doces Cariocas
Com a implosão das gravadoras, aconteceu, também, a implosão das grandes individualidades na música. Começou com as majors rompendo contratos com quem não fosse grande vendedor de discos — Chico Buarque, por exemplo, foi descartado e migrou para (antes) pequenos selos, como a Biscoito Fino. Maria Bethânia, idem. E, de repente, os caciques da MPB estavam abrindo mão da, outrora, "indústria". E quanto aos jovens? Se até os veteranos, de repente, ficaram sem lugar, a nova geração resolveu se aglutinar, como no início, em grupos, conjuntos, ou — para usar uma palavra da moda — "coletivos". Desde bobagens infantis como Os Tribalistas até projetos de renovação do samba, como a Orquestra Imperial, no Rio, não faltou inspiração para esse novo "aglutinado" que agora surge, os Doces Cariocas. Evocando os Doces Bárbaros desde o nome e reafirmando, no release, a herança do Clube da Esquina e até dos Novos Baianos, a turma de Alexia Bomtempo e Pierre Aderne gravou um dos melhores discos de 2008. Com influências desde Beatles até Luiz Gonzaga (juntos em "Blackbird e Asa Branca"), Bomtempo e Aderne contaram com o reforço de outros "jovens" talentos como Domenico Lancelloti (na melhor faixa, a radiofônica "Valsa do Vestido", com Silvia Machete), Wilson Simoninha (reabilitado depois da derrocada na Trama, em "Feito a mão", com Marcelo Costa Santos e o mesmo Pierre), entre outros. Inclusive o lendário Dadi — direto de Acabou Chorare, com passagens até pelo Barão Vermelho — veio emprestar seu baixo de coringa, nesta reunião com pretensões históricas (o que, talvez, se consiga). Afinal, quem presta atenção à enxurrada de independentes em CD, na música brasileira contemporânea, sabe o quão difícil é atravessar um álbum inteiro, do início ao fim, encontrando alguma identidade, algum traço de projeto, algum sinal de futuro. Ainda que os Doces Cariocas seja "mais uma" volta aos anos 60 e 70, e ainda que a influência de Marisa Monte seja excessiva nas cantoras, sua estréia homônima revela um mar de possibilidades para a nossa combalida MPB. [1 Comentário(s)]
>>> Doces Cariocas
 



Cinema >>> Império dos Sonhos, de David Lynch
Enquanto João Gilberto — que já apresentava sinais de senilidade musical — reduziu-se ao estado do tatibitate, por causa do nível intelectual de seu último relacionamento (vide Mônica Bergamo, na "Ilustrada" de domingo), David Lynch continua à solta, enganando boas almas, e aplicando peças em críticos inseguros, com seus delírios fílmicos. O último atende pelo nome de Império dos Sonhos, recentemente em DVD (lançado originalmente em 2006), o primeiro "sem roteiro" da carreira do cineasta. Quando perguntado sobre seu magnum opus, o próprio sumarizou: "É a respeito de uma mulher com problemas; é também um 'filme de mistério' — isso é tudo o que eu tenho a dizer". Já os atores principais foram um pouco mais honestos na première: Laura Dern admitiu que não sabia do que se tratava Império dos Sonhos, nem mesmo definiu qual era seu papel no longa, esperando "aprender mais" a cada nova sessão; enquanto Justin Theroux entregou o ouro, revelando sua incapacidade de explicar o filme, e apostando, ainda, que nem o próprio Lynch era capaz disso. Sem nenhum tipo de "plot" — como se diz em inglês —, o diretor entregava, diariamente, calhamaços de novos diálogos aos atores. Nem com as presenças de Jeremy Irons, Nastassja Kinski e até do músico Ben Harper e da voz de Naomi Watts foi possível salvar Império dos Sonhos. Conforme apontou um crítico de Los Angeles, "se começa promissor", o filme "logo se desvanece" e, "com sorte", "se perde"... "para nunca mais". Com ironia, a mesma Dern, musa de Lynch, respondeu a um dos produtores, durante as filmagens (quando o diretor lhe solicitou "uma mulher de uma perna só" e "um macaco", "para as três da tarde"): "Você está numa produção de David Lynch, meu caro: 'Relax and enjoy'" (o que deve ter inspirado nossa então Ministra do Turismo). Como não conseguiu, obviamente, distribuir direito sua obra magna nas salas de cinema, Lynch tentou distribuir, de forma independente, o DVD (com "extras"). Ainda que Império dos Sonhos tenha, infelizmente, chegado até nós, David Lynch realizou-o totalmente em digital, e prometeu nunca mais usar película em suas filmagens. A Sony, seguindo o bom exemplo do Studio Canal, bem que poderia deixar de patrociná-lo. [2 Comentário(s)]
>>> Império dos Sonhos
 



Literatura >>> A Promessa da Política, de Hannah Arendt
Lamentavelmente aprendemos sobre política lendo os jornais e vendo os telejornais, e não poderia haver pior iniciação. A mídia, espetaculosa como sempre, não dá nenhuma formação política, fica, ao contrário, seguindo as agendas, os interesses e, no Brasil, os escândalos dos políticos. Política — espera-se — deveria ser algo mais que o PT, mais que o funcionalismo público, mais que as Comissões Parlamentares de Inquérito. Mais que as nossas eleições, mais que os "debates" televisivos, mais que o Horário Eleitoral Gratuito. Quem não agüenta mais ler os primeiros cadernos das nossas gazetas, ouvir os comentaristas repetitivos de todos os dias e assistir aos âncoras feito marionetes eletrônicos, um alívio é "dialogar" com Hannah Arendt, através de A Promessa Política — conforme está escrito: a ponte entre duas de suas obras-primas, Origens do Totalitarismo e A Condição Humana. Enquanto nossos representantes não sabem nem falar direito a própria língua, Arendt resgata Sócrates e Platão até Marx, até o famigerado século XX, num percurso desde os ideais mais altos da história da humanidade até às realizações rastejantes de nossos pseudo-representantes. Trocamos o convívio de sindicalistas, ONGs e "politicamente corretos" em geral por espíritos como Martin Heidegger e Karl Jaspers, interlocutores constantes de Hannah Arendt, quando não diretamente presentes, sugeridos nas entrelinhas. Fora que a introdução de Jerome Kohn já vale o livro (e, inclusive, compensa aquela espiadela na livraria, na dúvida entre levar e deixar o volume). Se as nossas faculdades não tivessem se convertido num novo ninho de "líderes" espetaculosos, com programas políticos bem definidos, poderíamos aconselhar a formação universitária — mas Hannah Arendt está hoje menos lá do que em A Promessa da Política. Entre pegar interpretações de segunda mão, mestres mais interessados na retórica do MST e estudantes querendo "viajar" mais que estudar, esta coleção de ensaios e textos pode valer por anos perdidos entre jornais vetustos, subservientes radialistas e telejornalismo apenas oficioso. Eis, uma rara promessa — política — cumprida. [Comente esta Nota]
>>> A Promessa da Política
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DIARIO DE UMA BANANA 10 - BONS TEMPOS
JEFF KINNEY
VERGARA & RIBA
(2015)
R$ 20,00



AO COMBATE! O BRASIL NA 1ª GUERRA MUNDIAL - 9408
DIVERSOS
FBN
(2008)
R$ 15,00



CIDADE DE ÁGUA E SAL
PAULO LINHARES
ARMAZÉM CULTURA
(2013)
R$ 34,00



PORTUGUÊSLÍNGUA E CULTURA
CARLOS ALBERTO FARACO
BASE
(2003)
R$ 15,00



ELEMENTOS DE MÁQUINAS (COLEÇÃO COM 3 LIVROS)
GUSTAV NIEMANN
EDGARD BLÜCHER
(1971)
R$ 145,00



A IMAGEM DA GALIZA EM PORTUGAL
CARLO PAZOS-JUSTO
ATRAVÉS
(2016)
R$ 30,00



WORK AS A SPIRITUAL PRACTICE
LEWIS RICHMOND
BROADWAY BOOKS
(2000)
R$ 50,00



CARTAS A UM JOVEM POETA/A CANÇÃO DE AMOR E DE MORTE DO PORTA
RAINER MARIA RILKE
GLOBO
(1959)
R$ 25,00



MINIDICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA
SILVEIRA BUENO
FTD
(2007)
R$ 20,00



DICIONÁRIO PRÁTICO INGLÊS - PORTUGUÊS
VARIOS AUTORES
DCL
R$ 5,00





busca | avançada
43247 visitas/dia
1,3 milhão/mês