Digestivo nº 444 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 11/12/2009
Digestivo nº 444
Julio Daio Borges

+ de 2000 Acessos




Imprensa >>> O Crash de 2008, por Charles R. Morris
Para quem ainda acha que a crise foi apenas uma "marolinha" ou para quem, simplesmente, quer entender o que ainda está acontecendo, o melhor guia é o de Charles R. Morris, advogado e ex-banqueiro, que sintetizou O Crash de 2008 em pouco mais de 250 páginas e um subtítulo autoexplicativo: "Dinheiro fácil, apostas arriscadas e o colapso global do crédito". Os capítulos, igualmente, falam por si: "A Morte do Liberalismo", "Wall Street Descobre a Religião", "A Terra das Bolhas", "Uma Parede de Dinheiro", "Um Tsunami de Dólares", "A Grande Desmontagem", "Catando os Cacos" e "Recuperando o Equilíbrio". Morris, obviamente, não acha que a crise é de hoje, nem dos anos 2000. Para ele, o último a fazer a lição de casa, no governo americano, foi Paul Volcker, nos anos 80, durante a presidência de Reagan. Morris, a partir daí, condena a doutrina da chamada Escola de Chicago, que levou o mundo à liberalidade de um Alan Greenspan, e mesmo à falta de pulso firme de um Ben Bernanke e, sobretudo, de um Henry Paulson. Com juros extremamente baixos nos Estados Unidos, o planeta se encheu de dólares — mas que não geraram inflação diretamente; na verdade, se dirigiram para o mercado de ações e para o mercado imobiliário. Como consequência, surgiram "bolhas", como a da internet — pois fazer a oferta pública inicial (IPO) era muito mais lucrativo do que trabalhar; e, como consequência da oferta irracional de crédito, era mais lucrativo hipotecar a própria casa, comprar outra financiada (e hipotecar de novo etc.) do que ganhar dinheiro as usual. A avidez dos emprestadores — e do mercado em repassar esses empréstimos — era tamanha que começaram a emprestar até para quem não tinha como pagar... Voilà, o subprime (que é, na tradução, um empréstimo aquém do prime, aquém do "ótimo". "Ruim" querendo passar por "bom")... A farra não poderia durar para sempre; e, de repente, quem não tinha "nem receita, nem emprego e nem patrimônio" (NINJA) não honrou seus empréstimos; e a economia, a partir dos EUA, desabou como um dominó... A parte pior dessa história é que, ao contrário do que parece agora (aos olhos do mundo), os Estados Unidos da América, segundo Charles R. Morris, não fizeram — ainda — sua lição de casa. Para que tudo volte ao "normal", temos de passar por uma recessão — e o que fizemos, até agora, foi protelá-la. O Crash de 2008 indica que alguém vai pagar essa conta. E estamos, neste momento, apenas postergando o inevitável... [1 Comentário(s)]
>>> O Crash de 2008 (Leia o primeiro capítulo)
 



Artes >>> Um enigma chamado Brasil, 29 intérpretes e um país
Embora falar português errado, ostentar ignorância e, quando conveniente, até fingir desinformação estejam muito em moda, houve um tempo em que interpretar o Brasil era, também, um hábito, e algumas das melhores cabeças, do País, se dedicaram a tal. Para quem se acostumou com o desrespeito ao hino (e à bandeira), com o vale-tudo na era da "governabilidade" e com o nível declinante das nossas "lideranças", Um enigma chamado Brasil: 29 intérpretes e um país pode trazer certo alívio, nem que seja para evocar uma época, nem tão distante, de outros homens e de outros "valores". Com organização de Lilia Moritz Schwarcz e André Botelho, o objetivo, desde o título, é apresentar os principais "intérpretes" do Brasil, que tentaram entender o País a partir das áreas em que atuavam. Logo, desde sociólogos e historiadores, pudemos contar, ainda, com notáveis em campos, aparentemente, menos propensos à "interpretação", como a literatura e as artes. Assim, foram chamados pesquisadores contemporâneos para analisar, em ensaios breves, a vida e as ideias desses nossos "interpretadores". Algumas boas surpresas são Maria Alice Rezende de Carvalho falando de André Rebouças, o companheiro de Joaquim Nabuco na campanha abolicionista; Antonio Dimas ressuscitando o combativo, e muitas vezes barroco, crítico Sílvio Romero; Carlos Augusto Calil devolvendo estatura a Paulo Prado, um dos pais do nosso modernismo; Angela de Castro Gomes reabilitando Oliveira Vianna, um conservador essencial; e Robert Wegner revisitando, com muita originalidade, Sérgio Buarque de Hollanda. Não faltam olhares para outros nomes igualmente "canônicos", como Euclides da Cunha, Mário de Andrade, Câmara Cascudo e Gilberto Freyre, embora nem sempre os respectivos capítulos tragam alguma novidade, seja no conteúdo, seja na forma. São questionáveis as homenagens a contemporâneos como Antonio Candido, Roberto Schwarz e até Fernando Henrique Cardoso, mas sua consagração precoce, digamos, não diminui o esforço de se concentrar 500 anos num volume de menos de 500 páginas. Se os nossos governantes, hoje, se recusam a ler, e se condenam a repetir os erros do passado (por mais que haja pujança econômica), podemos, talvez, esperar que os líderes do futuro se disponham a conhecer os homens que pensaram o Brasil antes. [Comente esta Nota]
>>> Um enigma chamado Brasil
 



Além do Mais >>> Psicologia Nova, de Charles F. Haanel
"O que eu mais temia, aconteceu comigo" — é uma frase que está no "Livro de Jó", na Bíblia. Charles F. Haanel, um dos homens mais ricos dos Estados Unidos em sua época, usa-a para ilustrar sua filosofia de vida, que tentou resumir em Psicologia Nova — que a editora Vida & Consciência relança agora, 85 anos depois. Divulgado como o precursor da hoje famosa "lei da atração", Haanel prega, muito antes de O Segredo, que "O homem é o arquiteto de seu destino" — talvez evocando, inconscientemente, Heráclito, para quem caráter era destino. Haanel tampouco sabia, mas antecipou o que, há algum tempo, se chama de programação neurolinguística — pois afirma: "Se você quer alcançar as alturas, negue às coisas baixas o direito de ter sua atenção". Para evocar, dessa vez, Mateus (o mesmo do "Efeito Mateus", do Cisne Negro): "Onde seu tesouro estiver, aí também estará seu coração". Em termos de "administração moderna", poder-se-ia resumir o conselho de Haanel a: "Tenha foco" (e Deus te ajudará). Ou, como preferem os judeus: "Deus ajuda a quem se ajuda" (grifo nosso). E insistindo ainda na conversa sobre "foco", Haanel não é nem um pouco econômico quando declara: "A capacidade de se concentrar é uma das marcas distintivas do gênio". O autor de Psicologia Nova prega, também, uma certa prodigalidade (para com os demais seres humanos): "A fim de que você tenha sucesso, os outros também devem ter sucesso". E, decididamente, não embarca no multitasking: "Para realizar muito, você deve preservar sua energia". Psicologia Nova, como se pode notar, não tem uma estrutura muito definida e não deve ser lida como uma obra que constitui um "sistema", mas, antes, como uma coleção de aforismos, que às vezes podem falar ao leitor, mas que, nas demais situações, não — mesmo porque se acumulam, como num brainstorming (e como se Haanel antecipasse, para completar, a "escrita automática" dos surrealistas). Com capítulos instigantes como "A Psicologia do Sucesso", "A Lei da Abundância" e, naturalmente, "A Lei da Atração", o volume pode ser divertido numa noite de insônia, mas não é um "manual de conduta", como se anuncia. [Comente esta Nota]
>>> Psicologia Nova
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TODA SUA (1º LIVRO DA TRILOGIA CROSSFIRE)
SYLVIA DAY
PARALELA
(2012)
R$ 18,00



O NOVIÇO
MARTINS PENA
ESTADAO
R$ 4,00



DICIONÁRIO PORTUGUÊS - ESPANHOL
PORTO EDITORA
PORTO
(1989)
R$ 13,40



NOSSA LÍNGUA PORTUGUESA
PASQUALE CIPRO NETO
PUBLIFOLHA
(2003)
R$ 8,90



WILL BRADLEY: HIS GRAPHIC ART
WILL BRADLEY
CLARENCE P. HOURNUNG
(1974)
R$ 130,00



O QUE É ETNOCENTRISMO
EVERARDO ROCHA
BRASILIENSE
(2003)
R$ 6,00



FÍSICA - OS FUNDAMENTOS DA FÍSICA 1 - PARTE 1
RAMALHO, NICOLAU E TOLEDO
MODERNA
(2013)
R$ 18,00



COLEÇÃO TUDO É HISTORIA - AS INDEPENDÊNCIAS NA AMERICA LATINA
LEON POMER
BRASILIENSE
(1995)
R$ 8,91



INFLAÇÃO E GESTÃO
ALAIN SENÉTERRE
RÉS
(1982)
R$ 29,17



BEDA FOMM: LA VICTORIA CLÁSICA (EM ESPANHOL)
KENNETH MACKSEY
SAN MARTIN (MADRID)
(1975)
R$ 14,82





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês