Para pecar, vá de manga | Vera Moreira | Digestivo Cultural

busca | avançada
28338 visitas/dia
737 mil/mês
Mais Recentes
>>> Documentário "O Corpo em Terapia' estreia em São Paulo no Cinema Reserva Cultural
>>> EXPOSIÇÃO DOS FINALISTAS E ANÚNCIO DOS VENCEDORES DO 5º PRÊMIO DE ARQUITETURA INSTITUTO TOMIE OHTAK
>>> HOSPITAL CRUZ VERDE REALIZA LEILÃO DE ARTES BENEFICENTE EM SÃO PAULO
>>> Ópera rock curitibana concorre ao Troféu HQMIX, um dos mais importantes prêmios do cartoon nacional
>>> Jornada do Patrimônio: Shopping Pátio Higienópolis abre o casarão "Nhonhô Magalhães" para visitação
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
>>> O Brasil que eu quero
>>> O dia em que não conheci Chico Buarque
>>> Um Furto
>>> Mais outro cais
>>> A falta que Tom Wolfe fará
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Não sei se você já deitou em estrelas.
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE I)
>>> Globo News: entrevista candidatos
>>> Corpo e alma
>>> Cada poesia a seu tempo
>>> De Repente 30! Qual o Tabu Atual de Ter Essa Idade
>>> Uma jornada Musical
>>> PRESSÁGIOS. E CHAVES V
>>> A passos de peregrinos lll - Epílogo
>>> Jeferson De, Spike Lee e o novo Cinema Negro
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quente e aromática tradição
>>> A esperança segundo a ficção
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Michael Jackson, destinado ao eterno
>>> Quem destruiu Anita Malfatti?
>>> Influências da década de 1980
>>> Entrevista com Luis Salvatore
>>> TV pública ou estatal?
>>> Não quero ser Capitu
>>> Arrington pós-TechCrunch
Mais Recentes
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1997)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1997)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1999)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1994)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1998)
>>> O Impeachment De Fernando Collor - Sociologia De Uma Crise de Brasilio Sallum Jr. pela 34 (2015)
>>> Pedro Médio e Rita Doce de Telma Guimarães de Castro Andrade pela Atual (1997)
>>> Billy And The Queen de Stephen Rabley pela Longman (1996)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1999)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1993)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1996)
>>> Macapacarana de Giselda Laporta Nicolélis pela Atual (1991)
>>> A Máquina de Fazer Espanhóis de Valter Hugo Mãe pela Biblioteca Azul (2016)
>>> A Maçã no Escuro de Clarice Lispector pela Rocco (1998)
>>> A Civilização do Espetáculo de Mario Vargas Llosa pela Objetiva (2013)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1991)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1990)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1990)
>>> A fada Enfadada de Marco Túlio Costa pela Ftd. (1988)
>>> Eu, Robô de Isaac Asimov pela Aleph (2014)
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez pela Record (2014)
>>> Los Álamos de Martin Cruz Smith pela Record
>>> Los Álamos de Martin Cruz Smith pela Record
>>> Los Álamos de Martin Cruz Smith pela Record
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1985)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1985)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1986)
>>> E por Falar Em Amor de Marina Colasanti pela Rocco/ RJ. (1985)
>>> Caminhos de Saida do Estado de Menoridade de Alfonso M. Iacono pela Lacerda (2001)
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> Para uma Vida Melhor de Joseph Murphy pela Record
>>> As ideias de Marcuse de Alasdair MacIntyre pela Cultrix (1973)
>>> Fórmula para o Caos de Luiz Alberto Moniz Bandeira pela Civilização Brasileira (2008)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Ática/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Ática/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1987)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1988)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1989)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1990)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1992)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1990)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1985)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1985)
>>> Oito Minutos Dentro da Fotografia de Ganymédes José pela Moderna/ SP. (1992)
COLUNAS

Terça-feira, 16/10/2001
Para pecar, vá de manga
Vera Moreira

+ de 4600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Yara Mitsuishi

Minha última coluna gastronômica (Proibida ou não, é musa inspiradora) discorria sobre questões bíblicas e foi ao ar no terrível dia 11 de setembro. Afeita da interpretação de sinais que sou, fiquei muito em dúvida de voltar a mexer com o Jardim do Éden. Mas, teimosa como uma mula e pra nunca perder a consciência de que a razão deve prevalecer sobre a superstição, lá vou eu. A história, agora, é com a uva e pra esquentar a “polêmica”, resolvi eu mesma eleger o fruto proibido: manga. Quem já caiu de boca numa manga vai avalizar minhas argumentações para essa eleição, tenho certeza.

Depois da teoria da banana ser o fruto proibido a Adão e Eva, descobri, lendo um livro bárbaro, “Receitas inspiradas da Bíblia”, que existem os defensores (ou seriam acusadores?) da uva. Os excessos de vinho eram bastante conhecidos nos tempos bíblicos. Dizem que depois de muitas pesquisas realizadas, os especialistas foram levados a crer na uva. Que outra fruta, indagam, poderia ter sido responsável por tentar o primeiro casal a desobedecer a Deus com tanta facilidade? Mas se o álcool levou o homem a pecar, a uva não foi única culpada, pois os povos antigos eram mestres em obter álcool também a partir de figos, tâmaras e cereais. O vinho, em geral, era diluído com água e quase sempre condimentado com canela, mel e ervas. Os gregos e romanos ainda bebiam o vinho misturado com água do mar (arghhh...), o que dá uns ares de moderação, não parece?

Pensei muito no assunto e fiquei convencida de que nem banana, nem uva, mas quanto menos maçã pode ser o fruto proibido. Vamos ser razoáveis, a maçã é uma fruta inocente, que combina muito mais com o amor do que com o pecado. Foi o beijo de amor do Príncipe Encantado que tirou da boca de Branca de Neve o pedacinho de maçã envenenada pela invejosa Rainha. Através dos tempos, a maçã do amor, encarnada de tão vermelha, é partilhada por casais apaixonados, desafiando, inclusive, toda e qualquer lógica do paladar.

Raspando de colherinha, você alimenta com a polpa da maçã o seu bebê. Já houve quem dissesse que as tortas de maçã são uma parte considerável da felicidade doméstica dos norte-americanos. E são as sobremesas mais apreciadas nos bistrôs franceses, o tipo de restaurante que prima por fazer as pessoas se sentirem como se estivessem em seus lares. A primeira aparição de uma torta de fruta na literatura inglesa – a descoberta de colocar frutas frescas dentro das tortas, no século XVI, foi de ingleses e franceses –, num verso da Arcádia, de Robert Greene, dizia: “Thy breath is like the steame of apple-pyes” – Vosso alento é como o vapor de tortas de maçã. Já os austríacos têm o delicado apfelstrudel, meu grande orgulho de carregar o sobrenome Spiess de minha querida mãe, que faz essa quinta maravilha do universo como ninguém, ninguém mesmo! É puro amor de mãe em forma de doce.

Na colheita dos pomares da Bretanha, existe a figura da mãe das maçãs, o símbolo da fertilidade e da boa sorte. A melhor maçã era deixada na ponta do galho mais alto, se ela se mantivesse no galho até todas as folhas terem caído com os ventos do outono, haveria uma boa colheita no ano seguinte. Não apenas naquela árvore, mas em todo o pomar, incluindo as pereiras e ameixeiras. E quem não conhece o ditado popular americano “An apple a day keeps a doctor away”? Se sentir dor de estômago, coma uma maçã e constate o milagre. Tome chá de maçã para inflamações da bexiga. Enxágüe os cabelos com vinagre de maçã, para evitar a queda. A maçã é assim, amantíssima, uma fruta que inspira o belo, a saúde, uma energia pueril.

Eu nunca vou esquecer do Mário de Santi e sua indefectível maçã todas as tardes na redação da Gazeta Mercantil, em Porto Alegre. Ficava pensando, quando eu crescer, vou ser igual ao Mário. Ele era tão diferente do resto ruidoso da redação, um homem saudável, equilibrado, com a vida bem resolvida. Eu, naquela época, aos 20 anos, me deixava seduzir por qualquer prato de dobradinha e cerveja em um boteco sujo da esquina. Cresci e já não sucumbo mais com tanto entusiasmo a bucho e cevada (apesar de sentir verdadeira saudade daquela dobradinha, programa obrigatório de happy hour na maravilhosa companhia de Luiz Carlos Merten). No entanto, ainda não cheguei à perfeição do Mário. Até hoje este meu amigo é aquele tipo de pessoa que você encontra às 8 da manhã ou às 8 da noite e tem sempre a impressão que ele recém saiu do banho. Assim, continuo comendo maçã todas as tardes – esperança é a última que morre!

Mas, então, qual seria uma fruta tão libidinosa que poderia expulsar Adão e Eva do Paraíso? A manga, é claro. Quando você começa a descascar uma manga, sente a delícia do tato com a sua carne firme, macia e morna. A textura lúbrica, o perfume doce e a cor dourada como o sol, um convite irresistível ao prazer. Na primeira mordida você já começa a se lambuzar todo e daí pra frente é um chupa e lambe de proporções pecaminosas. No final, você está com as mãos e a boca completamente molhadas daquele suco viscoso e inegavelmente saciado. A manga chega a ser indecente, encantadoramente indecente. Mas logo, logo vem uma sensação de culpa, porque no afã de devorá-la, as fibras se grudaram em todos os seus dentes, sem exceção. É como aquelas paixões/tesões avassaladoras, você vai ao céu e ao inferno em questão de minutos.

A manga nua e crua é esplêndida, mas também preparada rende uma experiência arrebatadora. Originária da Índia, uma das receitas mais conhecidas é a do chutney, um condimento para acompanhar carne assada ou pratos frios, que nada tem de inocente, mas sim de caliente. Prepara-se com fatias da fruta, cebola ralada, vinagre, curry, sal, pimenta-do-reino, açúcar, gengibre, coentro moído, páprica e noz moscada. Uau! Vou já pra cozinha pecar com a manga... Ou, pensando melhor, talvez seja mais interessante esperar pra colocar em prática o slogan de um verdureiro empreendedor citado por Jane Grigson: “Partilhe a manga, no banho, com seu amado”.


Vera Moreira
Gramado, 16/10/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Piada pronta de Luís Fernando Amâncio
02. Um parque de diversões na cabeça de Renato Alessandro dos Santos
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 2. O Catolotolo de Heloisa Pait
04. As crianças do coração do Brasil de Elisa Andrade Buzzo
05. Kleztival: celebrando a música judaica de Heloisa Pait


Mais Vera Moreira
Mais Acessadas de Vera Moreira em 2001
01. Pense no que vai engolir - 24/7/2001
02. Para pecar, vá de manga - 16/10/2001
03. Proibida ou não, é musa inspiradora - 11/9/2001
04. Magia Verde - 19/2/2001
05. A resistência é vermelha - 19/3/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/11/2001
13h10min
Yara, Cada vez que abro um novo artigo do Digestivo, fico curiosa em saber qual será a ilustração que o acompanhará, pois é um prazer notar como você consegue traduzir em formas a essência do que está escrito. Neste texto você parece ter se unido à Vera Moreira pra despertar nossos sentidos. Todos eles. Parabéns pelo belo trabalho, Abraços, Ana.
[Leia outros Comentários de Ana Veras]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SONHOS LÚCIDOS
FLORINDA DONNER
NOVA ERA
(2009)
R$ 30,00



DICTIONARY OF FINANCE AND INVESTMENT TERMS
JOHN DOWNES AND JORDAN ELLIOT GOODMAN
BARRON'S
(1995)
R$ 29,00



O EXECUTIVO SEM CULPA
JOÃO ERMIDA
LUA DE PAPEL
(2010)
R$ 13,16



BORNÉU - COLEÇÃO AS REGIÕES SELVAGENS DO MUNDO
TIME LIFE LIVROS
TIME LIFE
R$ 8,08



BUCARESTE - CONTOS E CRÔNICAS
ALEXANDRU SOLOMON
LETRAVIVA
(2010)
R$ 17,00



CURSO DE MATEMÁTICA - VOLUME ÚNICO
EDWALDO BIANCHINI / HERVAL PACCOLA
MODERNA
(2003)
R$ 12,00



OS PÁSSAROS
FRANK BAKER
DARKSIDE
(2016)
R$ 30,00



VERDI - GRANDES COMPOSITORES DA MÚSICA CLÁSSICA VOL 17 COM CD
ABRIL COLEÇÕES
ABRIL COLEÇÕES
R$ 14,90



NAMORO, CASAMENTO E MATERNIDADE
MASAHARU TANIGUCHI
SEICHO NO IE
(2003)
R$ 15,00



O DEUS DAS PEQUENAS COISAS
ARUNDHATI ROY
ASA
(1999)
R$ 11,90





busca | avançada
28338 visitas/dia
737 mil/mês