Para pecar, vá de manga | Vera Moreira | Digestivo Cultural

busca | avançada
49036 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Quilombaque acolhe 'Ensaios Perversos' de fevereiro
>>> Espetáculo com Zora Santos traz a comida como arte e a arte como alimento no Sesc Avenida Paulista
>>> Kura retoma Grand Bazaar em curta temporada
>>> Dan Stulbach recebe Pedro Doria abrindo o Projeto Diálogos 2024 da CIP
>>> Brotas apresenta 2º Festival de Música Cristã
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
Colunistas
Últimos Posts
>>> Bill Ackman no Lex Fridman (2024)
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Making it new
>>> Nick Carr sobre The Shallows
>>> O bom e velho formato site
>>> Escrever não é trabalho, é ofício
>>> A metade da vida
>>> A última discoteca básica
>>> van Gogh: Os livros amarelos
>>> A terra do nunca
>>> O maior banco digital do mundo é brasileiro (2023)
>>> Digestivo empreendedor
Mais Recentes
>>> Os 12 Trabalhos de Hércules 587 de Marco Haurélio pela Cortez (2013)
>>> Turma Da Mônica - Princesas E Princesas de Mauricio de Sousa pela Girassol (2012)
>>> Livro Capa Dura Psicologia TAB: Transtorno Afetivo Bipolar Memórias de Kay Redfield Jamison pela Somos (2021)
>>> Nada Por Acaso de Richard Bach pela Hemus (1978)
>>> Livro Didático Gramática Teoria e Atividades de Paschoalin e Sapadoto pela Ftd (2014)
>>> Numeros Inteiros E Criptografia Rsa 587 de S. C. Coutinho pela Impa (2007)
>>> Nadando contra a morte de Lourenço Cazarré pela Formato (1998)
>>> Livro Gibis K-on! 2 de Kakifly pela New Pop (2011)
>>> Livro Literatura Brasileira O Aleph de Paulo Coelho pela Sextante (2010)
>>> Decisões de Marketing os 4 Ps 587 de Luciano Crocco pela Saraiva (2020)
>>> Livro Infanto Juvenis Simon And The Spy de Elizabeth Laird pela Pearson (2008)
>>> 10 Vols. La moda - Sécs. 16 a 20 (História da Moda) de Max Von Boehm pela Salvat (1928)
>>> Problemática da Amazônia de Vários Autores pela Bibliex (1971)
>>> A Segunda Simplicidade: Bem-Estar e Produtividade na Era da Sabedoria de Luciano Alves Meira pela Caminhos (2017)
>>> No tempo dos meus bisavós de Nye Ribeiro pela do Brasil (2013)
>>> Gótico Japonês de Akutagawa e outros pela Urso (2023)
>>> Livro Gibis Naruto Gold 1 de Masashi Kishimoto pela Panini Comics (2021)
>>> Serial Killers Made In Brasil de Ilana Casoy pela Arx (2004)
>>> Gótico Japonês de Akutagawa e outros pela Urso (2023)
>>> Parábolas E Ensinamentos De Jesus de Cairbar Schutel pela O Clarim (1979)
>>> Gótico Japonês de Akutagawa e outros pela Urso (2023)
>>> Arte 1 e 2 - FGB Ensino Médio de Vários Autores pela Somos Eleva (2023)
>>> Livro Ensino de Idiomas Paul, Lisa & Co Kursbuch A1.1 de Monika Bovermann pela Hueber Verlag (2017)
>>> Livro Ensino de Idiomas Windows of the Mind Level 5 de Frank Brennan pela Cambridge (2001)
>>> Paisagem e Memória de Simon Schama pela Companhia das Letras (1996)
COLUNAS

Terça-feira, 16/10/2001
Para pecar, vá de manga
Vera Moreira
+ de 7100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Yara Mitsuishi

Minha última coluna gastronômica (Proibida ou não, é musa inspiradora) discorria sobre questões bíblicas e foi ao ar no terrível dia 11 de setembro. Afeita da interpretação de sinais que sou, fiquei muito em dúvida de voltar a mexer com o Jardim do Éden. Mas, teimosa como uma mula e pra nunca perder a consciência de que a razão deve prevalecer sobre a superstição, lá vou eu. A história, agora, é com a uva e pra esquentar a “polêmica”, resolvi eu mesma eleger o fruto proibido: manga. Quem já caiu de boca numa manga vai avalizar minhas argumentações para essa eleição, tenho certeza.

Depois da teoria da banana ser o fruto proibido a Adão e Eva, descobri, lendo um livro bárbaro, “Receitas inspiradas da Bíblia”, que existem os defensores (ou seriam acusadores?) da uva. Os excessos de vinho eram bastante conhecidos nos tempos bíblicos. Dizem que depois de muitas pesquisas realizadas, os especialistas foram levados a crer na uva. Que outra fruta, indagam, poderia ter sido responsável por tentar o primeiro casal a desobedecer a Deus com tanta facilidade? Mas se o álcool levou o homem a pecar, a uva não foi única culpada, pois os povos antigos eram mestres em obter álcool também a partir de figos, tâmaras e cereais. O vinho, em geral, era diluído com água e quase sempre condimentado com canela, mel e ervas. Os gregos e romanos ainda bebiam o vinho misturado com água do mar (arghhh...), o que dá uns ares de moderação, não parece?

Pensei muito no assunto e fiquei convencida de que nem banana, nem uva, mas quanto menos maçã pode ser o fruto proibido. Vamos ser razoáveis, a maçã é uma fruta inocente, que combina muito mais com o amor do que com o pecado. Foi o beijo de amor do Príncipe Encantado que tirou da boca de Branca de Neve o pedacinho de maçã envenenada pela invejosa Rainha. Através dos tempos, a maçã do amor, encarnada de tão vermelha, é partilhada por casais apaixonados, desafiando, inclusive, toda e qualquer lógica do paladar.

Raspando de colherinha, você alimenta com a polpa da maçã o seu bebê. Já houve quem dissesse que as tortas de maçã são uma parte considerável da felicidade doméstica dos norte-americanos. E são as sobremesas mais apreciadas nos bistrôs franceses, o tipo de restaurante que prima por fazer as pessoas se sentirem como se estivessem em seus lares. A primeira aparição de uma torta de fruta na literatura inglesa – a descoberta de colocar frutas frescas dentro das tortas, no século XVI, foi de ingleses e franceses –, num verso da Arcádia, de Robert Greene, dizia: “Thy breath is like the steame of apple-pyes” – Vosso alento é como o vapor de tortas de maçã. Já os austríacos têm o delicado apfelstrudel, meu grande orgulho de carregar o sobrenome Spiess de minha querida mãe, que faz essa quinta maravilha do universo como ninguém, ninguém mesmo! É puro amor de mãe em forma de doce.

Na colheita dos pomares da Bretanha, existe a figura da mãe das maçãs, o símbolo da fertilidade e da boa sorte. A melhor maçã era deixada na ponta do galho mais alto, se ela se mantivesse no galho até todas as folhas terem caído com os ventos do outono, haveria uma boa colheita no ano seguinte. Não apenas naquela árvore, mas em todo o pomar, incluindo as pereiras e ameixeiras. E quem não conhece o ditado popular americano “An apple a day keeps a doctor away”? Se sentir dor de estômago, coma uma maçã e constate o milagre. Tome chá de maçã para inflamações da bexiga. Enxágüe os cabelos com vinagre de maçã, para evitar a queda. A maçã é assim, amantíssima, uma fruta que inspira o belo, a saúde, uma energia pueril.

Eu nunca vou esquecer do Mário de Santi e sua indefectível maçã todas as tardes na redação da Gazeta Mercantil, em Porto Alegre. Ficava pensando, quando eu crescer, vou ser igual ao Mário. Ele era tão diferente do resto ruidoso da redação, um homem saudável, equilibrado, com a vida bem resolvida. Eu, naquela época, aos 20 anos, me deixava seduzir por qualquer prato de dobradinha e cerveja em um boteco sujo da esquina. Cresci e já não sucumbo mais com tanto entusiasmo a bucho e cevada (apesar de sentir verdadeira saudade daquela dobradinha, programa obrigatório de happy hour na maravilhosa companhia de Luiz Carlos Merten). No entanto, ainda não cheguei à perfeição do Mário. Até hoje este meu amigo é aquele tipo de pessoa que você encontra às 8 da manhã ou às 8 da noite e tem sempre a impressão que ele recém saiu do banho. Assim, continuo comendo maçã todas as tardes – esperança é a última que morre!

Mas, então, qual seria uma fruta tão libidinosa que poderia expulsar Adão e Eva do Paraíso? A manga, é claro. Quando você começa a descascar uma manga, sente a delícia do tato com a sua carne firme, macia e morna. A textura lúbrica, o perfume doce e a cor dourada como o sol, um convite irresistível ao prazer. Na primeira mordida você já começa a se lambuzar todo e daí pra frente é um chupa e lambe de proporções pecaminosas. No final, você está com as mãos e a boca completamente molhadas daquele suco viscoso e inegavelmente saciado. A manga chega a ser indecente, encantadoramente indecente. Mas logo, logo vem uma sensação de culpa, porque no afã de devorá-la, as fibras se grudaram em todos os seus dentes, sem exceção. É como aquelas paixões/tesões avassaladoras, você vai ao céu e ao inferno em questão de minutos.

A manga nua e crua é esplêndida, mas também preparada rende uma experiência arrebatadora. Originária da Índia, uma das receitas mais conhecidas é a do chutney, um condimento para acompanhar carne assada ou pratos frios, que nada tem de inocente, mas sim de caliente. Prepara-se com fatias da fruta, cebola ralada, vinagre, curry, sal, pimenta-do-reino, açúcar, gengibre, coentro moído, páprica e noz moscada. Uau! Vou já pra cozinha pecar com a manga... Ou, pensando melhor, talvez seja mais interessante esperar pra colocar em prática o slogan de um verdureiro empreendedor citado por Jane Grigson: “Partilhe a manga, no banho, com seu amado”.


Vera Moreira
Gramado, 16/10/2001

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Casos de vestidos de Elisa Andrade Buzzo
02. Pelé (1940-2022) de Julio Daio Borges
03. Alice in Chains, Rainier Fog (2018) de Luís Fernando Amâncio
04. O Palácio de Highclere de Ricardo de Mattos
05. Palácio dos sabores 1/5 de Elisa Andrade Buzzo


Mais Vera Moreira
Mais Acessadas de Vera Moreira em 2001
01. Para pecar, vá de manga - 16/10/2001
02. A resistência é vermelha - 19/3/2001
03. Pense no que vai engolir - 24/7/2001
04. Proibida ou não, é musa inspiradora - 11/9/2001
05. A árvore da vida - 7/8/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/11/2001
13h10min
Yara, Cada vez que abro um novo artigo do Digestivo, fico curiosa em saber qual será a ilustração que o acompanhará, pois é um prazer notar como você consegue traduzir em formas a essência do que está escrito. Neste texto você parece ter se unido à Vera Moreira pra despertar nossos sentidos. Todos eles. Parabéns pelo belo trabalho, Abraços, Ana.
[Leia outros Comentários de Ana Veras]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Processo Penal Questões Comentadas Concurso Públicos
Noberto Avena
Método
(2010)



A Verdade de Cada Um
Zibia Gasparetto
Espaço Vida & Consciência
(1996)



O Afásico - Convivendo com a Lesão Cerebral
Jacques Ponzio e outros
Maltese
(1995)



Poesia Completa Volume 3
Jorge de Lima
Nova Aguilar
(1997)



A sombra que me seguia
Adriane Salomão
7letras
(2009)



Helena, Helena, Meu Amor
Luciano De Crescenzo
Rocco
(1994)



Regras do Jogo a doutrina da morte 2
James Dashner
V&R
(2015)



Livro de Bolso - Senhora Coleção a Obra Prima de Cada Autor 73
José de Alencar
Martin Claret
(2005)



Os E-mails de Holly (lacrado)
Holly Denham
Record
(2011)



O Elefante Infante. The Elephants Child. L'Enfant Elephant
Rudyard Kipling
Musa
(2011)





busca | avançada
49036 visitas/dia
1,8 milhão/mês