Digestivo nº 93 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Primeira edição do ZporZ Fest Verão acontece em janeiro
>>> Sesc Cultura ConVIDA! apresenta mostras temáticas
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Eu acho que alguém aqui pirou
>>> Ideologias em forma de spam
>>> Neste Natal etc. e tal
>>> Lula, o filme
>>> Mauro Henrique
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
>>> Ele, Francis
>>> A crítica e o custo Brasil
>>> Manual prático do ódio
>>> Greatest hits em forma de coluna
Mais Recentes
>>> Geografia 8º Ano – Volume 3 – Coleção Perspectiva de Cláudia Magalhães, Lilian Sourient, Marcos Gonçalves e Roseni Rudek pela Do Brasil (2010)
>>> Coleção Sinopses Para Concursos Vol. 1 - Direito Penal - Parte Geral de Alexandre Salim e Marcelo André de Azevedo pela Juspodivm (2017)
>>> Rio de Janeiro - Histórias Concisas de uma Cidade de 450 Anos de Vários Autores pela Prefeitura do Rio de janeiro (2015)
>>> Elite da Tropa de Luiz Eduardo - Soares Andre Batista - Rodrigo Pimentel pela Objetiva (2006)
>>> Geografia Nos Dias de Hoje 7º Ano de Cláudio Giardino, Ligia Ortega & Rosaly Braga Chianca pela Leya (2012)
>>> Geografia 7º Ano – Projeto Athos de Sonia Castellar & Ana Paula Seferian pela Ftd (2014)
>>> Geografia 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Sonia Castellar & Ana Paula Seferian pela Ftd (2014)
>>> História 7º Ano – Projeto Athos de Joelza Esther pela Ftd (2014)
>>> História 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Joelza Esther pela Ftd (2014)
>>> Filhos talentosos lideres grandiosos de Pat Williams pela Landscape (2006)
>>> O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie pela Círculo do Livro (1975)
>>> Morte Em Veneza - Tonio Kröger de Thomas Mann pela Círculo do Livro
>>> Perversas - Pretty Little Liars de Sara Shepard pela Rocco (2009)
>>> Fricções - Traço, Olho e Letra de Vera Casa Nova pela Ufmg (2008)
>>> The Phantom of the Opera - Audio Cd Included de Gaston Leroux pela Macmillan Readers (2005)
>>> Redenção de Karen Kingsbury; pela Portico (2015)
>>> De Repente, Nas Profundezas do Bosque de Amós Oz pela Companhia das Letras (2013)
>>> Guia de Alimentos da Dieta de South Beach de Arthur Agatston M. D. pela Sextante (2003)
>>> Só o Amor é Real - uma História de Almas Gêmeas Que Voltam a Se Unir de Brian L. Weiss pela Salamandra (1996)
>>> O Vento de Oalab de João Luiz Guimarães pela Sm (2016)
>>> A Criatura - Série Barco a Vapor de Laura Bergallo pela Sm (2005)
>>> Frankenstein - Audio Cd Included de Mary Shelley pela Sm (2005)
>>> Stanley Kubrick de Museu da Imagem e do Som pela Museu da Imagem e do Som (2014)
>>> Casa de Máscaras de Péricles Prade pela Iluminuras (2013)
>>> Irmãos Unidos de Francisco Cândido Xavier - Autores Diversos pela Geem (1988)
>>> Affermazioni de Stuart Wilde pela Macro Edizioni (2005)
>>> O Desafio da Guerra - Dois Séculos de Guerra - 1740-1974 de Gaston Bouthoul e René Carrère pela Biblioteca do Exército (1978)
>>> Um Oceano nos Separa de Robin Pilcher pela Bertrand Brasil (2021)
>>> Constituições Brasileiras Volume I 1824 de Octaciano Nogueira pela Senado Federal (2004)
>>> A Menina Que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2010)
>>> A Lebre com Olhos de Âmbar de Edmund de Waal pela Intrinseca (2011)
>>> Entre Abrir e Fechar a Boca de Máximo Ravenna pela Guarda-chuva (2012)
>>> O Filho Eterno de Cristovão Tezza pela Record (2007)
>>> Serafina e a Capa Preta - Volume 1 de Robert Beatty pela Valentina (2018)
>>> Kadish por uma Criança Não Nascida de Imre Kertsz pela Imago (2002)
>>> Quarto de Emma Donoghue pela Verus (2016)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Record (2006)
>>> The Unbearable Lightness of Being de Milan Kundera pela Harper Perennial (2005)
>>> A Construção da verdade autoritária de Maria das Graças Andrade Ataíde de Almeida pela Usp (2021)
>>> Legislação Trabalhista e Rotinas Trabalhistas EAN: 9788582129739 de Silvano Alves alcantra pela Intersaberes (2014)
>>> Constituições Brasileiras Volume VII 1988 de Caio Tácito pela Senado Federal (2002)
>>> Elixir de Hilary Duff pela Id (2011)
>>> Língua Portuguesa 7º Ano – Projeto Athos de Maria Tereza Arruda Campos, Salete Toledo, Lucas Sanches Oda & Daniela Utescher pela Ftd (2014)
>>> Sabor de Pecado e Outras Essências de Ademar Inácio da Silva pela Assis (2012)
>>> Língua Portuguesa 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de Maria Tereza Arruda Campos, Salete Toledo, Lucas Sanches Oda & Daniela Utescher pela Ftd (2014)
>>> Ciências 7º Ano – Projeto Athos de José Trivellato, Silvia Trivellato, Marcelo Motokane, Júlio Foschini Lisboa & Carlos Kantor pela Ftd (2014)
>>> Beber Jogar [email protected]#er de Andrew Gottlieb pela Planeta (2009)
>>> Ciências 7º Ano – Roteiros de Aprendizagem - Projeto Athos de José Trivellato, Silvia Trivellato, Marcelo Motokane, Júlio Foschini Lisboa & Carlos Kantor pela Ftd (2014)
>>> Já Podeis da Pátria Filhos de João Ubaldo Ribeiro pela Alfaguara (2009)
>>> Matemática 7º Ano – Projeto Athos de José Roberto Bonjorno, Paulo Câmara Sousa, Regina Bonjorno & Tânia Gusmão pela Ftd (2014)
DIGESTIVOS

Quarta-feira, 7/8/2002
Digestivo nº 93
Julio Daio Borges

+ de 5700 Acessos
+ 1 Comentário(s)




Imprensa >>> Didi, Dedé, Mussum e Zacarias
Começou oficialmente, no último domingo, a segunda Copa do Mundo de 2002. Trata-se da campanha política para a presidência da república e seus desdobramentos, em debates e propaganda eleitoral gratuita. Ainda que a maioria embarque cegamente nas armadilhas do marketing eleitoreiro, urdidas por um Nizan Guanaes ou por um Duda Mendonça, uma minoria suficientemente esclarecida sintoniza sôfrega os enfrentamentos eletrônicos via televisão. Apesar da maquiagem e do discurso decorado, o debate televisivo proporciona escorregões memoráveis em que os candidatos revelam o que resta de sua humanidade, nem que seja por alguns míseros segundos. Nesse domingo, por exemplo, transbordou a emoção de Ciro Gomes, quando - espumando de raiva - viu seu salário mínimo de ministro da Fazenda reduzido de 100 para 80 dólares, sua participação na fundação do PSDB convertida em "lenda urbana" e sua decantada educação, no fino trato com empresários e consumidores, sendo trazida novamente à tona. E por quem mais senão José Serra (candidato que todos os institutos de pesquisa juraram ter sido ultrapassado pelo ex-governador do Ceará)? Já Anthony Garotinho, adotando a estratégia típica dos francos perdedores, dos lanterninhas que atingiram o fundo do poço das intenções de voto, optou pelo lema do palhaço: quis ver o circo pegar fogo. Parcialmente bem sucedido, divertiu a platéia e provocou o senso de humor de Luiz Inácio Lula da Silva, para quem o delicado tema das alianças se resume ao princípio escandaloso do "quanto mais, melhor". Ciro Gomes se viu então novamente achincalhado por José Serra, quando o último lembrou que o primeiro classificou (em tempos pretéritos) Antonio Carlos Magalhães de "mais sujo do que pau de galinheiro", enquanto (em tempos presentes) andou beijando nacionalmente a sua mão. Lamentavelmente, esses mesmos candidatos, tão adequados que estavam ao dia e ao horário dos extintos Trapalhões, pretendem governar um país de mais de 170 milhões de pessoas; pior que isso: graças a um sistema eleitoral perverso e à aridez intelectualmente crescente nos quadros políticos, um desses sujeitos será fatalmente eleito até o final do ano. Mais grave que votar com convicção e ser enganado por um presidente enfaixado e posto, é ter de votar sem nenhuma convicção. [Comente esta Nota]
>>> Eleições 2002
 



Música >>> The Journalist Critic as Hero
No Brasil, além de informar, o jornalismo também assume uma função pedagógica. Quando os cidadãos de um país não têm uma formação mínima necessária, e nem meios para obtê-la, cabe ao jornalista ensinar o caminho das pedras. Alguns se aproveitam dessa prerrogativa para se impor como mestres de saberes muito duvidosos; outros, porém, estendem a vocação, naturalmente, até a sala de aula, com a autoridade que só o verdadeiro conhecimento confere. Dentre os últimos, está Luís Antônio Giron. Crítico com passagens pelo Estadão, pela Folha, pela Gazeta Mercantil, tendo consolidado um trabalho de renovação na revista Cult, colaborador de Bravo! e do jornal Valor Econômico, assumiu a cátedra sem sobressaltos - como conseqüência de uma obra que se afirma para além das contingências do dia-a-dia, tendo efetivamente formado gerações de leitores, músicos e melômanos. Num esforço que começou já em sua tese de mestrado (na década de 1990), Giron vem mapeando a trajetória da crítica no Brasil, desde as primeiras manifestações do folhetim até o que denominou "a maioridade crítica". Tese defendida e concluída, com respectivo livro já no prelo, nada mais natural que dividir o resultado da pesquisa com o público interessado, estendendo o alcance do debate a toda a sociedade. É o que tem feito Giron, na Escola de Comunicação e Artes da USP, desde os primeiros meses de 2002: uma investigação séria que remonta ao cânone europeu (Hoffmann, Stendhal, Steiner), colhendo referências também no americano (Mencken, Rosen), e que, neste segundo semestre, pretende atravessar desde o Modernismo até as últimas décadas do século XX. Enquanto se assiste ao desmantelamento da grande mídia e dos segundos cadernos (de cultura e variedades), Giron segue em sua busca pela identidade nacional, apontando caminhos para a música do futuro - como queria Wagner. [Comente esta Nota]
>>> "A crítica, do diletantismo à maioridade" por Luís Antônio Giron - Inscrições pelos telefones: 3091-4064 (com Kátia) ou 3091-4089 (com Suely)
 



Além do Mais >>> Arena sangrenta
Se o século XX foi do "performer", do intérprete, o XXI será do diretor musical, do disc-jóquei, do VJ. A execução de peças vai cedendo aos apelos da edição de sons, da masterização e da mixagem. A amostragem, ou o "sample", que no início foi uma prática tão inovadora quanto condenável - permitindo que se construísse novos "opus" a partir de obras acabadas -, nos anos 2000, terminou se afirmando legitimamente, elevando os DJs à condição de criadores e consagrando estilos como o da "lounge music". O Brasil, como país jovem e com uma certa tradição em casas noturnas, não ficou atrás e até exportou profissionais do "scratch" e da decupagem. Enquanto isso, uma metrópole como São Paulo sedia festivais como o "Cesta Eletrônica", cuja estréia aconteceu na primeira sexta-feira de agosto (e que está programado para se estender pelas próximas, do mesmo mês), num dos espaços mais musicais e camaleônicos da cidade: o Blen Blen. Foi uma iniciativa da recém-nascida empresa de eventos "Mood", que tem, entre seus sócios, profissionais experimentados da "night" paulistana. O "Cesta Eletrônica", um projeto com muitos conceitos por trás, é também uma oportunidade para "alfabetizar" leigos nessa música feita por homens e não por máquinas (como tantos detratores quiseram insinuar). O bar está reservado para o "drum'n'bass", o salão principal, para o "tecno" e o subsolo (antiga garagem), para o "laboratório": uma maneira inventiva de dialogar com bases pré-gravadas, voltando à Idade da Pedra em que se tocavam... instrumentos (!). É interessante notar como toda a cena do rock e do pop nacionais está mais ou menos envolvida com esse "hype" - e como a nossa produção musical vai se desenvolvendo a partir dessa ocorrência. Já somos protagonistas desses novos tempos; quem for ao Blen Blen verá. [Comente esta Nota]
>>> Cesta Eletrônica - Blen Blen Brasil - Mood Eventos
 



Artes >>> Cultura, técnica e uma boa idéia
Nélson Rodrigues vivia se ressentindo por ser, em sua própria definição, um "analfabeto plástico". Ainda assim, costumava propagar a informação aos quatro ventos, como que para exorcizá-la e, às vezes, era até capaz de reconhecer um gênio da raça, como Michelangelo (ou Miguel Ângelo, segundo a grafia da época). Hoje ninguém se ressente mais disso. As pessoas desistiram de tentar entender o que vem a ser "arte" - e a própria palavra se transformou num simulacro. Também há muito charlatanismo envolvido: tanto nas escolas onde se pretende ensinar "arte", quanto nos livros que se propõem a discuti-la. E mais grave ainda: o público não mais consegue identificar um verdadeiro artista e uma autêntica obra-prima; as referências foram todas perdidas. Por isso, cursos sérios como os promovidos pelo Ponto de Integração da Arte adquirem uma importância ainda maior, nestes tempos de total ignorância e desorientação. Entende-se que o estudo da arte deve acontecer a partir de quatro pontos de vista: o da linguagem visual (o desenho, por exemplo); o das técnicas; o da criatividade; e o da cultura e história da arte. Tendo isso como base, organizam-se workshops (mais específicos) e cursos propriamente ditos (menos intensivos e de formação). Dentre os mestres que lecionam no Ponto de Integração da Arte, está o nosso crítico e jornalista Alberto Beutenmüller, que nessa segunda-feira dá início a mais um de seus já legendários cursos de história da arte. Aborda, dessa vez, o que chamamos de "arte contemporânea" e o seu enigma permanente: o artista Marcel Duchamp; passa pelas definições fundamentais, atravessa o modernismo e o pós-modernismo, aterrissando na atualidade. Quem já teve a chance de privar da companhia de Alberto Beutenmüller sabe o que isso significa; e quem não teve deveria saber. A arte ainda sobrevive, no Brasil, graças a homens e espaços como esses. [Comente esta Nota]
>>> "A Arte Contemporânea e o enigma Marcel Duchamp" por Alberto Beuttenmüller - Aula inaugural: dia 5 de agosto, das 15 às 17 horas - Inscrições até o dia 19 de agosto (vagas limitadas): rua Cotoxó, 110 - Telefone: 11-3873-0099
 



Cinema >>> Everybody runs
Com a morte de Stanley Kubrick, ninguém melhor para falar do futuro que Steven Spielberg. A comparação não surge à toa: desde "Inteligência Artificial" (uma parceria post-mortem entre ambos) que Spielberg vem se apresentando como discípulo do diretor de "2001 - Uma Odisséia no Espaço". Depois dos fiascos de George Lucas (em suas tentativas desastradas de retomar "Star Wars"), o autor de "E.T." conquistou a supremacia no cinema premonitório. Ainda mais agora, com esse "Minority Report" ("A Nova Lei", na versão brasileira). Além de todo o aparato tecnológico, o filme é também uma resposta a "Matrix" (1999), em termos filosóficos (se é que isso se pode afirmar em matéria de sétima arte). Tom Cruise, ou John Anderton, é o novo Keanu Reeves, o novo Neo. Antes de salvar o mundo, porém, ele tem de provar a sua inocência - à maneira do "Fugitivo" (1993) de Harrison Ford. Ano 2054: foi inventado um sistema que prevê homicídios, graças ao uso de "precognitivos" (médiuns); Cruise, ou Anderton, é um dos policiais envolvidos no experimento (ele e sua equipe impedem que os crimes aconteçam, localizando o potencial homicida e prendendo-o por antecipação); tudo vai infalivelmente bem até que o próprio Anderton é incriminado - então tem de correr contra o tempo. São mais de duas horas de uma trama intrincada e de uma das melhores perseguições dos últimos tempos. Ficamos aliviados em saber que daqui a cinqüenta anos, a Sinfonia Patética (nº 6) de Tchaikovsky ainda será ouvida em alto e bom som. Para além da seriedade e do cientificismo (habitual), Spielberg introduz cenas engraçadas, onde o herói é ridicularizado, apenas para lembrar ao espectador que se trata de ficção. Apesar dos milhões de dólares gastos, da moral da história e do americanismo (também habitual), é inegável que o homem evoluiu desde "Inteligência Artificial" (2001). Não custa conferir, portanto. [Comente esta Nota]
>>> Minority Report
 

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/8/2002
14h29min
Júlio Acho louvável que você analise e faça críticas aos candidatos à presidência, desde que não esqueça (propositalmente) de algum candidato específico. José Serra, na minha opinião, foi o candidato mais fraco no debate (excluindo o Garotinho, que nem ao menos se preocupou em apresentar um programa de governo com um mínimo de consistência). José Serra não respondeu perguntas e mudou o assunto tratado quando bem entendeu, ficou em cima do muro entre defender ou não o governo FHC e foi extremamente grosso em vários momentos. Eu ainda acho que jornalismo deve ser isento, mesmo em um site "alternativo" como o Digestivo Cultural.
[Leia outros Comentários de Mariana]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Yoga Além da Prática
Ruth Barros; Mario Americo
Integrare
(2010)
R$ 10,00



Antologia Casa do Poeta Rio-Grandense
Vários Autores
Caravela
(2015)
R$ 10,00



O Reizinho da Estrada
Pedro Bandeira
Melhoramentos
R$ 10,00



Tá Gravando e Agora?
Kéfera Buchmann
Paralela
(2016)
R$ 10,00



Ciranda de Pedra
Lygia Faguntes Telles
Livraria José Olympio
R$ 10,00



Sexo sem Vergonha
Gilda Bacal Fucs
Gente
(1998)
R$ 10,00



O Filho Renegado de Deus
Urariano Mota
Bertrand Brasil
(2013)
R$ 10,00



Zé Carioca N° 1788
Editora Abril
Abril
(1986)
R$ 10,00



Tantos animais e outras lengalengas de contar
Manuela Castro Neves
Sesi
(2014)
R$ 10,00



Sherlock Holmes - O Jogador Desaparecido
Arthur Conan Doyle
Melhoramentos
(2013)
R$ 10,00





busca | avançada
70483 visitas/dia
2,4 milhões/mês