1º Festival de Samba Paulista | Digestivo Cultural

busca | avançada
75243 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
>>> Conrado Hubner fala a Pedro Doria
Últimos Posts
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
>>> Cinema: Curtíssimas terá estreia neste sábado (28)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Literatura e cinema na obra de Skármeta
>>> Literatura e cinema na obra de Skármeta
>>> A todos que passem por aqui
>>> João Paulo Cuenca e seu Corpo Presente
>>> Neruda, oportunista fantasiado de santo
>>> VTEX e Black & Decker sobre transformação digital
>>> Apresentação
>>> Fetiches de segunda mão
>>> Em busca do vampiro de Curitiba
>>> Millennials
Mais Recentes
>>> PS, Eu te amo de Cecelia Ahern pela Novo Conceito
>>> A Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafon pela Objetiva
>>> Os Milionarios de Brad Meltzer pela Record
>>> O Jogo de Brad Meltzer pela Record
>>> Leviatã de Boris Akinin pela Objetiva
>>> Moquecas de Marido de Betty Mindlin pela Paz & Terra
>>> O Arqueiro de Bernard Cornwell pela Record
>>> O Condenado de Bernard Cornwell pela Record
>>> O Ultimo Reino de Bernard Cornwell pela Record
>>> O Tigre de Sharpe de Bernand Cornell pela Record
>>> O Triunfo de Sharpe de Bernand Cornell pela Record
>>> Sharpe em Trafalgar de Bernand Cornell pela Record
>>> Os Fuzileiros de Sharpe de Bernand Cornell pela Record
>>> A Pedra da Bencao de Barbara Wood pela Best Seller
>>> A vizinha de Barbara Delinssky pela Bertrans Brasil
>>> Desejos - Trilogia da Esperanca - Vol.3 de Barbara Delinssky pela Harlequin
>>> Encantos - Trilogia da Esperanca - Vol.2 de Barbara Delinssky pela Harlequin
>>> Sonhos - Trilogia da Esperanca - Vol.1 de Barbara Delinssky pela Harlequin
>>> O Homem de Montana de Barbara Delinsky pela Harlequin
>>> A felicidade mora ao lado de Barbara Delinsky pela Bertrans Brasil
>>> O Mundo dos Vampiros de Arieni Dissenha Daniel Portes pela Novo Seculo
>>> Os Incas - A Luz de Machu Picchu - Vol.3 de Antonie B.Daniel pela Objetiva
>>> Os Incas - O Ouro de Cuzco - Vol.2 de Antonie B.Daniel pela Objetiva
>>> Os Incas - A Princesa do Sol - Vol.1 de Antonie B.Daniel pela Objetiva
>>> Sangue e Ouro de Anne Rici pela Rocco
BLOG >>> Posts

Segunda-feira, 2/7/2007
1º Festival de Samba Paulista

+ de 9000 Acessos
+ 2 Comentário(s)


Dona Iná e Teroca garantiram o 1║ lugar

Um festival que premia compositores e intérpretes do ritmo tido como o mais representativo do Brasil: o samba. O local? TUCA (Teatro da Universidade Católica de São Paulo), teatro que já abrigou festivais lendários na época da ditadura militar. As pessoas? Gente da capital e do interior, veteranos e novatos, estudantes e amadores. Esse foi o 1º Festival de Samba Paulista.

É fato que em São Paulo existem compositores novos fazendo samba de qualidade. Mas esse Festival veio para colocar a cidade como um dos pólos culturais de samba no país e divulgar o que essa geração de artistas vem fazendo por aí e o que a grande mídia não revela. Mas, apesar da belíssima iniciativa, ficaram faltando representantes de grupos da periferia, como os do Samba da Vela, Comunidade do Cafofo e Samba da Laje, entre outros.

O evento ocorreu nos dias 26 e 27 de junho e contou com 263 composições inscritas, 12 semifinalistas e 6 finalistas. Conduzido pelo jornalista e apresentador de festivais do interior, Clóvis Guerra, o Festival, realizado pela MMP Produções e Eventos em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura, distribuiu R$ 12 mil reais em prêmios aos vencedores.

Presidido por Eduardo Gudin, o júri foi composto pelo historiador e radialista Moisés da Rocha, pelo compositor e diretor da gravadora Dabliú, José Carlos Costa Neto, e pelo cantor e compositor José Luiz Mazziotti. Além da apresentação dos sambas classificados, na terça-feira teve show dos Trovadores Urbanos e na quarta-feira, de Paulo Vanzolini.



A grande estrela da noite foi a cantora Dona Iná, de 72 anos, premiada como melhor intérprete do Festival e que garantiu o primeiro lugar a canção "Bamboleio". Ela iniciou sua carreira na década de 1950, interrompeu por um longo tempo e voltou em 2004, com o lançamento do seu primeiro disco Divino samba meu.

A música que cantou no Festival de Samba Paulista teve um significado especial. Foi por meio dessa canção que ela conheceu o Teroca, o compositor de "Bamboleio". Daí surgiu a amizade e a parceria, que rendeu frutos colhidos no evento paulista. "O samba, como Noel Rosa dizia, não tem barreiras: ele nasce no coração. Basta saber fazer", filosofou Teroca.


Cupinzeiro ficou com o 2║ lugar e a melhor letra

O segundo grande destaque do evento foi o grupo de Campinas Núcleo de Samba do Cupinzeiro, que se dedica a pesquisas sobre o samba. Eles levaram o prêmio de melhor letra e ficaram em segundo lugar com a música "Lamento Negro", interpretada pela cantora Anabela, também integrante do Núcleo.

"Apesar de ser popular, o samba não tem o espaço merecido e um festival como esse ajuda a mostrar que existem compositores fazendo música de qualidade e que, por falta de oportunidade de mostrar seu trabalho, acabam esquecidos", afirmou Bruno Ribeiro, autor de "Lamento Negro". "Este festival só nos dá uma certeza: de que não estamos sozinhos, de que estamos no caminho certo, preservando a cultura popular", comemorou Moisés, que entregou o prêmio ao grupo.



O terceiro lugar foi do veterano Waldyr da Fonseca, que já compôs sambas conhecidos como "Samba pra inglês ver" e teve músicas gravadas por Leny Andrade, Beth Carvalho, Arrigo Barnabé, entre outros. Sua canção, "Chá de sumiço", foi interpretada belamente por Bruno De La Rosa, jovem cantor e compositor de Santos. "Eu sinto que a luta da gente no passado não foi em vão. Hoje eu posso dizer que o samba venceu", disse Waldyr, emocionado.

O samba romântico "Início de caso", de João Bid e Robson Silvestrini (ambos do grupo vocal Catavento) ficou em quarto lugar, seguido do partido alto "Brinquedo da noite", de Teleu (integrante da ala dos compositores da Vai Vai), Claudinho Poco Dedo e Sanvita, em quinto, e o samba funkeado "Pimenta", de Dimi Zumquê e Josias Damasceno, em sexto. As seis composições finalistas eram muito boas, de fato, cada uma de uma vertente diferente do samba.


Waldyr e De La Rosa recebendo o prêmio de 3║ lugar

Cadê a comunidade?
O Festival surgiu com o objetivo de dar mais espaço e divulgação aos sambistas de São Paulo. No entanto, ficaram faltando representantes das comunidades da periferia que têm feito samba de raiz e revelado novos compositores na cidade. Faltou o tal do samba, aquele feito por grupos de classe social mais baixa, usando a música para retratar o cotidiano popular e suas mazelas. Aquele cantado pelo povo.

De acordo com José Marilton da Cruz, o Chapinha, um dos fundadores do Samba da Vela, os sambistas dessas comunidades não chegaram nem a se inscrever, pois não tiveram conhecimento desse Festival. "Eventos com esse perdem a essência por não incluír todos os movimentos paulistas de samba que acontecem em diversas comunidades", critica.

O fato é que faltou mais divulgação para que o Festival pudesse englobar todas as vertentes, movimentos e compositores de São Paulo, representando de verdade o samba que é feito aqui. Mas de acordo com Moisés, a direção do evento já foi alertada para que isso não ocorra nas próximas edições. "Esse Festival foi o primeiro passo, o embrião. É um ensaio que tende a aglutinar pessoas que defendem o samba e lutam pela cultura popular", argumenta.

Gudin assina embaixo. "A comunidade do samba teria que participar mais. Mas o universo do samba não é fácil conquistar, tem que ir no local, passar a idéia. Mas daqui pra frente, se continuar, tem que haver um trabalho de divulgação maior, procurar as pessoas in loco", acredita o compositor. É pagar pra ver a segunda edição.


Postado por Débora Costa e Silva
Em 2/7/2007 às 23h08


Mais Débora Costa e Silva no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/7/2007
10h39min
O festival tem o objetivo de divulgar e revelar compositores e intérpretes que, por razões que já sabemos, acabam esquecidos. Por isso é fundamental que, no próximo ano, seja melhor divulgado para que mais compositores possam participar, elevando o nível da competição. Concordo quando o Chapinha diz que muita gente boa ficou de fora porque desconhecia o festival. O próprio público também parecia não ter sido avisado, pois ficou abaixo do esperado nas duas noites do evento. Tirando este ponto, o saldo foi positivo e a decisão do júri foi justa e correta ao premiar quem realmente apresentou sambas de qualidade. Parabéns aos organizadores e oxalá que o festival possa prosseguir nos anos seguintes, tornando-se uma tradição. Fica também um recado aos intérpretes: está na hora de gravar gente nova, chega dos mesmos! O festival está aí para apresentar novos compositores talentosos ao Brasil.
[Leia outros Comentários de Bruno Ribeiro]
3/7/2007
11h01min
Pois é, eventos deste naipe são importantes sim para divulgar a necessidade de gente nova que vai pintando, não é??? Pois então que se divulgue mais adequadamente a parada, para que mais pessoas participem. Abraço
[Leia outros Comentários de Cesar Silva]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Ze Ninguem Tito na Rua
Alberto Serrano Tito
Janeiro
(2015)



Bar Doce Lar
J. R. Moehringer
Nova Fronteira
(2006)



Vencedor Não Usa Drogas
Edson Ferrarini
Do Autor



Oratória para Advogados e Estudantes de Direito - Lacrado
Reinaldo Polito
Benvira
(2012)



A Voz dos Meninos - Projeto Educação Com Arte: Oficinas Culturais
Ana Maria Cavalcanti Lefevre (org.)
Cenpec
(2014)



Numerologia Cármica: Conhecendo Sua Missao de Vida - 1ª Edição
Sueli Lucchi Di Leo
Nova Senda
(2016)



A culpa é das estrelas
John Green
Intriseca
(2012)



Leituras Complementares de Direito Constitucional
Marcelo Novelino
Podivm
(2008)



Psicologia da Reconciliação
Mario Pereyra
Cedisau
(1990)



Psicologia Escolar
M. Helena Novaes
Vozes
(1972)





busca | avançada
75243 visitas/dia
2,2 milhões/mês