Feliz Natal, Charlie Brown! | Digestivo Cultural

busca | avançada
73635 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece curso sobre preparação e revisão de texto
>>> Sesc 24 de Maio apresenta o terceiro episódio do Desafinados Entrevista
>>> Anexo LONA - Interações 1 - Cristina Elias & Thais Stoklos
>>> Viaje ao som de 'Sky', novo single de Dizin
>>> Lewis Wolpert explica como os organismos multicelulares se formam a partir de um simples óvulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Descobertas responsáveis
>>> Homens, cães e livros
>>> Palestra de Rubem Fonseca
>>> Elvis 2015
>>> Pensar Não é Viver
>>> Caminhos para Roma
>>> Solitária cidadã do mundo
>>> Breve biografia
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> A importância da virtude
Mais Recentes
>>> Aprendizagem & desenvolvimento Infantil – Volume 1 Simbolismo e Jogo de Airton Negrine pela Prodil (1994)
>>> Aprendizagem & desenvolvimento Infantil – Volume 2 Perspectivas Psicopedagógicas de Airton Negrine pela Prodil (1994)
>>> Aprender e Ensinar na Educação Infantil de Eulália Bassedas, Teresa Huguet & Isabel Solé pela Artmed (1999)
>>> Os Fazeres na Educação Infantil de Maria Clotilde Rossetti-Ferreira, Ana Maria Mello, Telma Vitoria, Adriano Gosuen & Ana Cecília Chaguri (Org.) pela Cortez (2000)
>>> Ação Educativa Na Creche – Cadernos Educação Infantil 1 de Jussara Hoffmann & Maria Beatriz G. da Silva (Coord.) pela Mediação (2001)
>>> Creches: Crianças, Faz de Conta & Cia. de Zilma de Moraes Oliveira, Ana Maria Mello, Telma Vitória & Maria Clotilde R. Ferreira pela Vozes (1999)
>>> Illustrated Dictionary of the Bible de Herbert Lockyer, F.F. Bruce, R.K. Harrison pela Thomas Nelson Publishers (1997)
>>> Diálogos Com as Crianças na Creche e no Jardim de Infância de Pierre Vayer & Maria de P. Mil-Homens de Matos pela Manole (1990)
>>> A Constituição para Crianças de Liliana e Michele Iacocca pela Ática (1996)
>>> Monsignote de Jack Alain Léger pela Nova Cultural (1986)
>>> O Que Cabe no Meu Mundo - Aprender de Para Colorir Em 3d - Com Óculos e Argola Mágica pela Bombombooks (2018)
>>> Sonhos e Sombras - a Realidade da Maconha de Mauro Weintraub pela Harper e Row do Brasil (1983)
>>> Fuga do Pantanal de Teresinha Cauhi de Oliveira pela Ftd (1997)
>>> Memória das Bandas Civis Centenárias do Estado do Rio de Janeiro de Caderno MIS pela Museu da Imagem e do Som (1994)
>>> Educação de 0 a 3 Anos – O Atendimento em Creche de Elinor Goldschied & Sonia Jackson pela Artmed (2006)
>>> Filó e Marieta de Eva Furnari pela Paulinas (2011)
>>> A Gargalhada do Jacaré de Elza Cesar Sallut; Jótah pela Do Brasil Sp (2007)
>>> Mysterium Salutis Teologia Fundamental I 2 de Johannes Feiner Magnus Loehrer pela Vozes (1971)
>>> A Maçonaria na Independência Brasileira - Volume II de Manoel Rodrigues Ferreira pela Biblos (1964)
>>> Mysterium Salutis A História Savífica Antes de Cristo II 1 Deus Uno e Trino de Johannes Feiner Magnus Loehrer pela Vozes (1972)
>>> Filosofia Para Iniciantes de Filosofia em Áudio pela Tríada (2011)
>>> Filosofia Para Iniciantes de Filosofia em Áudio pela Tríada (2011)
>>> O Que Cabe no Meu Mundo - Gentileza de Para Colorir Em 3d - Com Óculos e Argola Mágica pela Bombombooks (2018)
>>> Filosofia - Chaves do Pensar de Filosofia em Áudio pela Tríada (2011)
>>> O Que Cabe no Meu Mundo - Aprender de Para Colorir Em 3d - Com Óculos e Argola Mágica pela Bombombooks (2018)
BLOG >>> Posts

Quarta-feira, 19/12/2007
Feliz Natal, Charlie Brown!

+ de 8100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A editora L&PM está lançando Snoopy ― É Natal! (L&PM. 2007, 136 págs.), o quarto volume da coleção L&PM Pocket dedicado aos personagens da turma do Peanuts. Seu criador, Charles Schulz, é considerado o Freud dos quadrinhos.

Conta-se que um psiquiatra, chegando ao seu consultório, encontrou um bilhete de seu primeiro paciente, dizendo que estava dispensando o tratamento com médico, pois havia encontrado a causa de seus traumas. E ilustrava a situação com uma tira de Peanuts.

A história, real ou lendária, ilustra a incrível capacidade que Schulz tinha de perceber os dramas e traumas humanos, sintetizando-os na figura de crianças. Umberto Eco disse que "a poesia dessas crianças nasce do fato de que nelas encontramos todos os problemas, todas as angústias dos adultos que estão nos bastidores".

Nessa história aparentemente ingênua, encontramos os mais variados tipos humanos e seus conflitos. Charlie Brown, o personagem principal, é o estereótipo do fracassado. Ele não consegue empinar uma pipa ou chutar uma bola. A única vez em que ganhou algo na vida foi um corte de cabelo. "Mas eu sou careca, e meu pai é barbeiro!", retrucou ele. Noutra ocasião, dançou com a rainha do baile, mas foi incapaz de lembrar de nada desse acontecimento.

Se Charlie Brown é a bigorna, na qual batem todos os males e dissabores da vida, a menina Lucy Van Pelt, irmã de Linus, é o martelo. Sua vida é provocar traumas no pobre Minduim, mostrando a cada momento o quanto ele é incapaz. Sua tirada mais clássica é fazer Charlie Brown acreditar que finalmente será capaz de chutar a bola, para tirá-la no último momento. Interessante que, apesar disso, ninguém jamais pensa em culpá-la pela derrota do time. O culpado é sempre aquele que não conseguiu chutar a bola.

Uma biografia escrita recentemente publicada com o título de Schulz and Peanuts dá a entender que o próprio autor colocava suas neuroses nas tiras, razão pela qual elas parecem tão reais. O autor o descreve como um homem solitário, tímido e infeliz, dominado por figuras autoritárias, como sua primeira esposa e sua mãe, ambas representadas na personagem Lucy. Schulz se identificaria tanto com Charlie Brown, o fracassado, quanto com Schroeder, o músico. Este último seria o lado artístico, através do qual ele se libertaria da tirania da esposa. Sintomaticamente, outra cena famosa é a de Lucy tentando conseguir a atenção do pianista, que a despreza solenemente enquanto toca.

Nesse sentido, Snoopy, provavelmente, representaria a liberdade criadora. Se Charlie Brown é o pé no chão, as tristezas e agruras da vida, Snoopy pode viajar o mundo e até mesmo ser um famoso piloto da I Guerra Mundial. Não por acaso, Charlie Brown é o personagem predileto dos adultos, que vêem nele seus traumas (a tirinha é a mais recortada, exibida e enviada a colegas nos EUA) e Snoopy é o personagem preferido das crianças, que ainda vislumbram na vida mais seus pontos positivos que negativos.

A tira foi criada por Schulz no início da década de década de 1950 e rapidamente tornou-se um sucesso, chegando a aparecer em mais de 2600 jornais em todo o mundo, chegando a ter um público leitor estimado em 355 milhões, em 75 países.

Na década de 1970 o sucesso da tira levou ao surgimento do desenho animado, que era pessoalmente supervisionado por Schulz. Ao invés de descaracterizar a obra, o desenho a ampliou para além dos limites dos quatro quadros diários.

De todas as histórias exibidas, a de Natal é provavelmente mais lembrada por uma geração que cresceu assistindo a esses desenhos. Indo muito além da melancolia habitual, o episódio captou o espírito natalino como poucas vezes isso foi feito. É como se, em meio a todos os traumas e problemas da vida, ainda houvesse espaço para a felicidade de momentos simples e singelos.

A edição da L&PM provavelmente pretende captar o interesse dos leitores que se lembram desse episódio. Daí o título, Snoopy ― É Natal!, e a bela capa colorida em que Charlie Brown e Snoopy dançam ao lado de uma pequena árvore natalina e de um presente.

Infelizmente, para quem esperava uma coletânea sobre o tema, nem todas as tirinhas tratam de Natal. Isso não chega a ser um desmérito, já que os Peanuts valem por si mesmos, mas talvez uma coletânea temática estivesse mais de acordo com o espírito da obra.

Em todo caso, o livro é um belo presente de Natal. Nele, o leitor encontrará não só os traumas e as tristezas da infância, mas também as pequenas e singelas historinhas divertidas de crianças. Exemplo disse é aquela seqüência em que Sally, a irmã mais nova, pergunta a Charlie Brown se quando morrerem eles vão para o céu. "Quando chegarmos lá, vamos encontrar todos os insetos que matamos? Será que vamos ver todos eles no céu e teremos que nos desculpar com eles?", indaga ela. "Não faço a menor idéia...", reponde o Minduim. "Tem uma aranha no teto do meu quarto. Por que você não a mata para mim? Você pode pedir perdão depois!". Essa pequena seqüência caracteriza o humor ao mesmo tempo singelo e profundo de Charles Schulz. Lá estão desde as pequenas dúvidas e angústias infantis à forma como as crianças lidam com elas (no caso de Sally, é mais fácil jogar a responsabilidade sobre o saco de pancadas de seu irmão).

Como aspectos negativos, o volume peca por não trazer textos de apresentação (há apenas uma pequena lista de personagens) e pelo formato vertical. Como as tiras são horizontais, isso obriga o leitor a dobrar o livro para ler. Quando uma seqüência pula de página para página, o problema se agrava, já que muitas vezes a piada perde parte do seu charme nessa virada de página. Seria talvez a hora de a L&PM começar a pensar em um outro formato para seus livros de quadrinhos da série de pockets.

Para ir além
Snoopy ― É Natal!


Postado por Gian Danton
Em 19/12/2007 às 02h27


Mais Gian Danton no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
20/12/2007
22h37min
Está aí! Ótima dica!
[Leia outros Comentários de Bia Cardoso]
21/12/2007
10h15min
O Charlie é o grande amor da minha vida... Embora outro Charlie (o Baudelaire) também o seja... Mas como é linda esta historinha... Recentemente, eu baixei o video de natal!! Vejo todo dia e morro de rir! Amo! Boa dica o livrinho, vou procurar ter um exemplar!
[Leia outros Comentários de Camila]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Julgamento da História
Roosevelt
Melhoramentos
(1972)
R$ 20,00



Vida Inteligente dos Animais
Vitus B Droscher
Melhoramentos
R$ 10,00



Retorno à Terra - 10190
Simone Barbanti
Musa
(2006)
R$ 10,00



Teen Village 2 - Combined Edition - Cultura Inglesa
David Spencer
Macmillan
(2008)
R$ 14,00



Recordações do Escrivão Isaías Caminha
Lima Barreto
Penguin/ Companhia das Letras
(2011)
R$ 17,00



Le Jeu de L Ange (pocket)
Carlos Ruiz Zafón
Robert Laffont
(2009)
R$ 15,00



Senhoras & Senhores
Haroldo Maranhão
Francisco Alves
(1989)
R$ 11,00



Poesias Completas de Gustavo Teixeira
Gustavo Teixeira
Anhambi
(1959)
R$ 15,00



New York City Guide 8722
Beth Grenfield e Outros
Lonely Planet
(2006)
R$ 10,00



Razão e Sentimento
Jane Austen
Saraiva de Bolso
(2011)
R$ 15,00





busca | avançada
73635 visitas/dia
2,1 milhões/mês