E a Holanda eliminou o Brasil | Digestivo Cultural

busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Sessão Única com Jogo de Escape Game e debate do filme 'Os Bravos Nunca se Calam' em SP
>>> OBRAS INSPIRADAS DURANTE A PANDEMIA GANHAM DESTAQUE NO INSTITUTO CERVANTES, EM SÃO PAULO
>>> Sempre Um Papo com Silvio Almeida
>>> FESTIVAL DE ORQUESTRAS JUVENIS
>>> XIII Festival de Cinema da Fronteira divulga Programação
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> iPad
>>> iPad
>>> iPad
>>> Sátiro e ninfa, óleo s/ tela em 7 fotos e 4 movies
>>> poeta del vacío existencial
>>> Croft & Kidman
>>> Histórias de gatos
>>> Whitesnake, 1987
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> A árvore da vida
Mais Recentes
>>> Livro - A Ararajuba - Série natureza brasileira 2 de Rubens Matuck pela Biruta (2003)
>>> Arsène Lupin e Victor, da Brigada Anticrime (como novo) de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> Livro - Os Pássaros - Coleção Infanto Juvenil de Germano Zullo Albertine pela 34 (2013)
>>> Livro - Betina de Nilma Lino Gomes pela Maza (2009)
>>> Agente em campo (como novo) de John le Carré pela Record (2021)
>>> Fantasma sai de cena (muito bom) de Philip Roth pela Cia das letras (2008)
>>> Gota d’água - Coleção Teatro Hoje de Chico Buarque (Autor), Paulo Pontes (Autor) pela Civilização Brasileira (1977)
>>> Privação Cultural e Educação Pré-Primária de Maria Helena Souza Patto pela Livraria José Olympio (1977)
>>> Lisbela e o Prisioneiro de Osman Lins pela Planeta (2015)
>>> A Franco Maçonaria. Origem Historia e Influencia (raro exemplar) de Robert Ambelain pela Gnose (1990)
>>> O Desmonte de Amarildo Felix pela Patuá (2021)
>>> Diário de um Ladrão de Jean Genet pela Nova Fronteira (2005)
>>> Comédias para se ler na escola de Luis Fernando Verissimo pela Objetiva (2001)
>>> Auto da Barca do Inferno Farsa de Inês Pereira Auto da Índia de Gil Vicente pela Atica (2005)
>>> Eu não disse? (muito bom) de Mauro Chaves pela Perspectiva (2004)
>>> Os Sofrimentos Do Jovem Werther de Johann Wolfgang Von Goethe pela Martins Fontes (1998)
>>> O Quarto Reich (capa dura- ótimo estado) de M. A. Costa pela Livros de guerra (2018)
>>> A Inocência do Padre Brown (raro exemplar) de G. K. Chesterton pela Record
>>> Ventos de Quaresma (muito bom) de Leonardo Padura Fuentes pela Cia das letras (2008)
>>> Perseguido (muito bom) de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Cia das letras (2003)
>>> O Rei De Girgenti (muito bom) de Andrea Camilleri pela Record (2004)
>>> D. Pedro I (Perfis Brasileiros) de Isabel Lustosa pela Companhia das Letras (2006)
>>> Quatro Estações de Stephen King pela Objetiva (2001)
>>> Wicca Gardneriana de Mario Martinez pela Gaia (2005)
>>> O Feitiço do Cinema Ensaios de Griffe Sobre a Sétima Arte de Juan Guillermo D. Droguett e Flavio F. A. Andrade pela Saraiva (2009)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 2/7/2010
E a Holanda eliminou o Brasil

+ de 4000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O "Milagre de Port Elizabeth", assim definiu o jornal holandês De Telegraaf a vitória de seu time contra nossa seleção. Em geral os jornais daqui publicaram artigos na internet detalhando os lances mais importantes da partida, as palavras de Dunga após a derrota e a repercussão na própria mídia brasileira, incluindo a mensagem de Ronaldo através do Twitter. O tom geral de surpresa se misturava à alegria dos torcedores, fielmente fantasiados de laranja. Laranja, a cor da família real, estava em todas as direções, nas mais inusitadas decorações, nos permitindo dizer que no quesito torcida eles mostraram-se muito patrióticos. Ainda engasgados, lembravam que demorou 36 anos para novamente vencer nosso país em uma disputa de Copa do Mundo.

Na segunda-feira, dia em que tentavam seguir às quartas-de-final, percebi que tudo estava paralisado em função do jogo, inclusive o comércio, quase todo fechado. Mas os torcedores lotavam os bares e cafés para vibrarem juntos, e aí vi uma banda com tiozinhos tocando músicas nacionalistas, a energia oranje acabou me contagiando. Pensei nesta possível disputa entre Holanda e Brasil que vivemos hoje e quase quis que a Holanda ganhasse. Assustada, apelei aos anjos do futebol, pedindo seu auxílio para me fortalecer até sexta-feira.

A fim de recobrar minhas forças de torcedora em território inimigo recorri ao estádio de Utrecht, onde se reuniriam torcedores canarinhos em favor de nosso time. Sempre que me encontro em eventos da comunidade brasileira acho curioso que todos os clichês sobre o Brasil se concretizem. Em dia de jogo, então, não podia faltar: pandeiros, cornetas, apitos e até surdos, além de belas mulheres de short e salto sambando. Bom, era tudo que precisava para explodir em ufanismo e torcer integralmente a favor da seleção.

Durante o primeiro tempo foi aquela alegria, uma gritaria imensa enquanto nossos "inimigos", também presentes, observavam com curiosidade aquela dança coletiva e até tentavam ensaiar uns passinhos, fazendo muito feio em frente às nossas "passistas". Não havia muita concentração no jogo em si, mas os lances mais importantes eram motivos de gritaria para ambas as partes, sambando bem ou mal.

Veio, então, o segundo tempo. O quê? A Holanda empatou? Ahn? Mais um gol da Holanda? Cartão vermelho? Essas perguntas passaram a inquietar a todos, inclusive os próprios torcedores laranja, que não viram seus jogadores bem no primeiro tempo, mas não acharam ruim que os jogadores brasileiros tenham perdido a cabeça no segundo tempo.

Resolvi apelar para eles novamente, os anjos do futebol. Imaginei Leônidas da Silva, Didi e Garrincha pairando sobre o estádio e tentando soprar bons fluidos para nossos jogadores. Podem muito ter tentado, mas não adiantou. Um rapaz, o tal de Wesley Sneijder, a quem havia eu apelidado Wesley Snipes (rá, rá), praticamente um anão para os padrões de altura holandeses, fez a diferença na partida, cabeceando e marcando o segundo gol para seu time. Pensei um pouco e percebi que a concentração brasileira havia sido organizada em local equivocado, visto que foi dali, daquele estádio de Utrecht, que Sneijder, jogador da Internazionale de Milão, saiu para brilhar.

Após o apito final confesso que fiquei triste e ouvi falar que havia alguma moça chorando em meio à nossa torcida, mas de um modo geral a tristeza demorou um minuto. Depois passou, tudo acabou em samba, todos ali juntos comemorando (?), dançando bem ou muito mal. Os oranje não se importaram, pois em Port Elizabeth seus conterrâneos acertaram o passo ― ou foram os adversários, nós, que perdemos o compasso. A camisa do torcedor holandês aludindo a pernas de pau passou de ridícula a pertinente, que ironia!

Querendo compensar minha tristeza pensei em fazer umas comprinhas, de repente um pretinho básico para demonstrar meu luto diante da terrível derrota. Olhei para as lojas e, adivinhem, tudo era laranja. Pensei em entrar em uma lojinha, mas fiquei com medo de escutar: "Darling, oranje is the new black!".

No caminho para casa escutamos o gol narrado com emoção pelo radialista, em replay. Ele gritava: "Sneijder tem 22 centímetros de altura e fez o gol de cabeça!". Depois vi Dunga, também um anão, ao menos de nome, dando suas declarações, e lembrei-me de outro praticamente anão, a quem intitularia Zangado, que segue firme na Copa enquanto nossos jogadores e Dunga fazem as malas. Assim não vale, mas quem sabe dessa forma não pego um gostinho de torcer para os laranjas encontrarem este time na final e, por favor!, ganharem, e quem sabe a nossa derrota fica menos. Nossos hermanos, do país de Zangado Mano de Diós, não estão perdendo a oportunidade de escrever disparates em sua imprensa, inclusive trazendo à memória a perda triste contra o Uruguai em 1950 no Maracanã.

Querido Diamante Negro, inesquecível Mr. Football, amado Mané Guarrincha, cuidem de nossos corações feridos, tragam-nos forças para que nos recuperemos e possamos fazer um jogo bonito e perfeito daqui a quatro anos e desta vez conseguir ganhar a Copa em nosso país. E, por favor, "inspirem" nossos rivais vizinhos para que permitam a entrada de Mick Jagger no estádio, usem casacos de um estilista famoso e percam o compasso de seu tango.


Postado por Tatiana Mota
Em 2/7/2010 às 21h02


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Blog é literatura? de Eduardo Haak


Mais Tatiana Mota no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/7/2010
00h24min
Acabei de receber o email com este texto maravilhoso já na madruga de segunda-feira. Um dia depois da derrota da nossa Seleção, a Argentina foi atropelada no dia seguinte, se rendendo ao bom futebol da Alemanha. Confesso que estou emocionado com a entrega e dedicação dos uruguaios, seleção esta que estou torcendo, mas seria uma pena, um insulto, uma blasfemia ao futebol se a Alemanha não levantar este troféu.
[Leia outros Comentários de Rafael Tavares ]
5/7/2010
00h33min
Tatiana: Que encanto de crônica! Belíssima, alegre, em momento de choro e tristeza. Você deve ser uma mulher linda! Porque um texto desse quilate só pode ter sido escrito por quem tem a beleza em si, e a transfere para o papel. Vou transcrever sua crônica em meu modesto blog.
[Leia outros Comentários de FEIZ NAGIB BAHMED]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Procura- Se Hugo / 8ª Ed
Diléa Frate
Ediouro
(2002)



II Simposio Estadual do Café
Cetcaf
Cetcaf
(1996)



Cenas Brasileiras
Rachel de Queiroz
ática
(2002)



Alice no País das Maravilhas
Lewis Carroll; Adaptado por Débora J. Durães
Abril
(2011)



Não Faça Tempestade Em Copo DÁgua no Trabalho
Richard Carlson
Rocco
(1999)



Meditação dos Guias Interiores
Edwin C. Steinbrecher
siciliano
(1990)



Os Mestres Secretos do Tempo
Jacques Bergier
hemus
(1974)



Guia Prático para a Ascensão
Tony Stubbs
pensamento
(2004)



Antologia Poética
Manuel Bandeira
Global
(2013)



Inocência
Visconde Te Taunay
Escala
(1992)





busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês