Roberto Bolaños (1929-2014) | Digestivo Cultural

busca | avançada
56543 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Kura retoma Grand Bazaar em curta temporada
>>> Dan Stulbach recebe Pedro Doria abrindo o Projeto Diálogos 2024 da CIP
>>> Bert Jr. aponta sintomas de uma sociedade mal-orientada em “Fict-Essays e Contos Mais Leves”
>>> Novo livro de Vera Saad resgata política brasileira dos anos 90 para destrinchar traumas familiares
>>> Festival de Cinema da Fronteira e Sur Frontera WIP LAB abrem inscrições
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hebe Camargo
>>> Podcast: carta de alforria
>>> Sociedade dos Poetas Mortos
>>> 23º Festival Mix Brasil de Cultura e Diversidade
>>> De Lucia, McLaughlin, Di Meola
>>> Dos portões abertos de Auschwitz, 58 anos depois
>>> A reação do cinemão
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Minha história com Marisa Monte
>>> Eu não uso brincos
Mais Recentes
>>> Viajantes do Infinito de Flávia Muniz pela Moderna (1991)
>>> O Fantastico Misterio De Feiurinha de Pedro Bandeira pela Ftd (1999)
>>> O Projeto Rosie de Graeme Simsion pela Record (2016)
>>> O Leitor de Bernhard Schlink pela Record (2009)
>>> Rio Do Meio de Lya Luft pela Record (2004)
>>> Meu Pescoço É Um Horror E Outros Papos De Mulher de Lia Wyler pela Rocco (2007)
>>> O Confidente de Héléne Grémillon pela Aeroplano (2015)
>>> Michaelis. Dicionário Escolar Inglês de Vários Autores pela Melhoramentos (2009)
>>> A Ditadura Acabada de Elio Gaspari pela Intrinseca (2016)
>>> A Ditadura Envergonhada (as Ilusões Armadas) de Elio Gaspari pela Companhia Das Letras (2002)
>>> Grande Sonho Do Céu de Sam; Viotti, Sergio [traducao Shepard pela Arx (2003)
>>> O Efeito Rosie de Graeme Simsion pela Record (2016)
>>> Cervaja e Comida de Stephen Beaumont pela Publifolha
>>> Cervejas, Brejas E Birras de Mauricio Unknown pela Leya
>>> Carne. El Arte De Cocinar Con Carne de Valéry Drouet pela Moliere Editores Sas
>>> Crise Nas Infinitas Terras de Marv Wofman; George Perez pela Panini Comics (2015)
>>> Sanduiches Especiais de Vinícius Martini Capovilla pela Senac São Paulo
>>> Guerra Dos Tronos: As Cronicas De Gelo E Fogo - Livro 1 de George R. R. Martin pela Leya Brasil
>>> A Camareira de Nita Prose pela Intrínseca
>>> Pan-asian Collective (Shadowforce Archer) de Clayton A Steve; Gearin Scott; pela Alderac Entertainment Group (2024)
>>> Alguém Que Você Conhece de Shari Lapena pela Record (2023)
>>> Destino de Ally Condie pela Suma De Letras (2011)
>>> Contágio de Robin Cook pela Best Bolso (2008)
>>> Garota Infernal de Diablo Cody pela Record (2009)
>>> O Teatro de Um Homem Só de Ademar Guerra pela Senac
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 28/11/2014
Roberto Bolaños (1929-2014)
+ de 2400 Acessos

"Chaves" é mais um daqueles crimes que tradutores brasileiros cometem impunemente. O original - "El Chavo del Ocho" - não tem nada a ver com "Chaves".

A tradução literal seria "o cara do oito", sendo "oito" o número da casa do "cara". Mas algum "gênio" do SBT caiu no golpe do falso cognato, pegou um sobrenome hispânico ("Chávez") e o aportuguesou, tirando o acento, e trocando o "z" pelo "s".

"Chapolin" passou pelo mesmo processo. O original - "El Chapulín Colorado" - faz menção a "chapulín", o nome que se dá, no México, a um tipo de grilo. Por isso, na série, o superherói entra em cena todo saltitante. "Colorado", antes que pensem que é "colorido", é, na verdade, vermelho. No Brasil, virou "Chapolin"- com "o" no lugar do "u", sem acento, ainda com "n" no final.

Assisti a "El Chavo de Ocho", pela primeira vez, em 1982. Em espanhol; por suerte. Na casa de uma tia que morava nos Estados Unidos.

Não é esnobismo, mas - pelos erros de tradução, vocês já percebem - todas as piadas soam melhor no original. En español.

Estreou no Brasil em 1984, mas, pela sua aceitação, tanto "Chaves" quanto "Chapolin" foram tão usados como tapa-buracos na programação do SBT que, anos depois, já estavam "queimados".

Tive um amigo mexicano na escola, no colegial em 1989, e lembro de ele ser alvo gozações, porque, do México, a única coisa que se conhecia, no Brasil, eram "Chaves" e "Chapolin". Duas atrações que o SBT levava ao ar quando não tinha nada melhor para apresentar - ou quando precisava sincronizar sua próxima atração com o fim da novela das oito...

A graça de "El Chapulín Colorado" está, eu acredito, em apresentar um superherói que é quase a antítese disso. Um anti-herói, mas não apenas no sentido cervantino, porque Dom Quixote é bem anterior a ele. E, sim, no sentido de retratar todo o lado subdesenvolvido da América Latina (por isso "pegou" no continente inteiro). Um herói em que ninguém acredita, que se acha superpoderoso, mas que é desastrado e só não causa mais estrago porque a série é "para crianças".

Já "El Chavo del Ocho" é uma comédia de costumes, com um anti-herói assumido, o aportuguesado "Chaves". Não se conhece sua família, não se conhece sua casa, está sempre mal-ajambrado e, dá a entender, subnutrido. Como não tem ninguém "por ele", sempre leva a culpa por tudo. Passa por "burro", mas tem aquele "estalo" típico do "amarelo" de Ariano Suassuna. Chaves é inocente e passa por bobo, mas tem rompantes de João Grilo, embora não seja "malandro"...

E Roberto Bolaños não fica só na comédia. Há, nele, um certo lirismo. Aquela romantização da pobreza, eternizada pelo vagabundo de Chaplin, que, em Bolaños, se confunde com a cafonice latino-americana, das novelas mexicanas, mas que, às vezes, comove, por emular a inocência infantil - daquelas crianças que, mesmo nas piores situações, fantasiam. Algo que outro Roberto, Benigni, tentou fazer em "A vida é bela", mas não foi tão feliz...

Particularmente, gosto da bondade e da nobreza, nos dois personagens de Bolaños. A bondade do Chaves que, mesmo passando por todas as dificuldades e por toda a humilhação, ele jamais perde. E a nobreza, do Chapolin, da qual ele mesmo diz... "aproveitam-se".

Acho notável que Roberto Bolaños, podendo ter escolhido qualquer personagem, em suas séries de TV, escolheu ser "Chapolin" e "Chaves". Um frágil herói da América Latina. Um bem-aventurado manso bíblico.

Para ir além
Leia também "A propósito de Chapolin e Chaves" e "Festival Chaves no Centro Cultural Vergueiro".


Postado por Julio Daio Borges
Em 28/11/2014 às 22h31

Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Lado B da MTVê de Julio Daio Borges
02. Uma análise do setor de varejo de Julio Daio Borges
03. André Esteves e Felipe Miranda de Julio Daio Borges
04. Mon coeur s'ouvre à ta voix de Julio Daio Borges
05. Suplemento Literário 50 anos de Ana Elisa Ribeiro


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Ética Empresarial no Brasil
Joaquim Manhães Moreira
Pioneira
(1999)



Teoria Poética de Fernando Pessoa
Georg Rudolf Lind
Inova



Contrato de Seguro: uma Lei para Todos
Vinicius Vieira
Quartier Latin
(2013)



Livro Gibis X-men O Ataque dos Mutantes do Passado! 005
Nova Marvel
Panini Comics
(2014)



Livro Literatura Estrangeira Trapaça no Harlem
Colson Whitehead
Harper Collins
(2021)



O significado da felicidade
Alan W. Watts
Pensamento



Dr. Cabelo
Luciano Barsanti
Elevação
(2009)



Mortalha Para Uma Enfermeira
P D James
Companhia Das Letras
(2011)



Poesias Completas
Casimiro de Abreu
Saraiva
(1954)



Educação do Espírito
Walter Oliveira Alves
Instituto Difusão Espírita
(1997)





busca | avançada
56543 visitas/dia
1,8 milhão/mês