Roberto Bolaños (1929-2014) | Digestivo Cultural

busca | avançada
114 mil/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
>>> Edital seleciona 30 participantes do país para produção de vídeos sobre a infância
>>> Joca Andreazza dirige leitura de Auto da Barca de Camiri na série 8X HILDA
>>> Concerto Sinos da Primavera
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
>>> Sementinas
>>> Lima nova da velha fome
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Co-opting creative revolution
>>> Gigantes de Tecnologia na Bolsa dos EUA
>>> Daily Rituals - How Artists Work, by Mason Currey
>>> Quem é o abutre
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> O computador de antigamente
>>> Privacidade
>>> A nova Casa da MPB em São Paulo
>>> Carnaval só ano que vem, da Orquestra Imperial
>>> Os tataravôs da filosofia
Mais Recentes
>>> Pro Teste Nº129/2013 (Sabões em pó e líquido) de Vários pela Proteste (2013)
>>> Em busca do tempo perdido Vol 3. Dic Porto Fr-Pt-Pt-Fr c/ CD. O Escafandro e a Borboleta de Marcel Proust / Porto / Jean-Dominique Bauby pela Globo
>>> Pro Teste nº67/2008 - nº48/2006 de Vários pela Proteste (2008)
>>> Pro Teste nº122/mar/2013 - nº49/Jul/2006 de Vários pela Proteste (2013)
>>> Pro Teste nº127 - nº123 de Vários pela Proteste (2013)
>>> Password English Dictionary For Speakers of Portuguese de Martins Fontes pela Martins Fontes (1998)
>>> Vidas Secas de Graciliano Ramos pela Record
>>> New Framework 4a de Richmond pela Richmond
>>> New Framework Student Book 2A de Rich pela Richmond
>>> Livro Salvador , Pinturas 2014/2015 de Salvador Dalí pela Salvador Dal (2014)
>>> Cidades Mortas de Monteiro Lobato pela Globo
>>> Dinheiro & direitos Nº 9 e Nº5 (CARTÕES DE LOJAS) (CARTÕES DE CRÉDITO) de Vários pela Proteste (2007)
>>> Noite Na Taverna de Álvares de Azevedo pela Martin Claret
>>> Rosaflor E A Moura Torta de Pedro Bandeira pela Melhoramentos
>>> Minidionário Espanhol de Michaelis pela Melhoramento (2002)
>>> História Da Civilização Ocidental de Antonio Pedro E Lizanias pela Ftd (2005)
>>> Liderança de Henry Mintzberg E Outros pela Biblioteca De Gestão
>>> Livro Quimica, Volume Unico de Urberco E Salvado pela Saraiva (2006)
>>> Aprender e Praticar Gramática - Edição Renovada de Mauro Ferreira pela Ftd (2007)
>>> Presença Pedagógica V.20 / N. 119 (Educação infantil) de Vários pela Dimensão (2014)
>>> História da Alimentção no Brasil de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2011)
>>> O Desaparecimento de Josef Mengele de Olivier Guez pela Intrísseca (2019)
>>> Trilogia do Sol Sonetos de Maria Thereza Galvão Bueno pela Salesianas (1982)
>>> 1964 - o Último Ato de Wilson Figueiredo pela Gryphus (2015)
>>> Filosofia da Ciência de Rubem Alves pela Brasiliense (1995)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 28/11/2014
Roberto Bolaños (1929-2014)

+ de 1800 Acessos

"Chaves" é mais um daqueles crimes que tradutores brasileiros cometem impunemente. O original - "El Chavo del Ocho" - não tem nada a ver com "Chaves".

A tradução literal seria "o cara do oito", sendo "oito" o número da casa do "cara". Mas algum "gênio" do SBT caiu no golpe do falso cognato, pegou um sobrenome hispânico ("Chávez") e o aportuguesou, tirando o acento, e trocando o "z" pelo "s".

"Chapolin" passou pelo mesmo processo. O original - "El Chapulín Colorado" - faz menção a "chapulín", o nome que se dá, no México, a um tipo de grilo. Por isso, na série, o superherói entra em cena todo saltitante. "Colorado", antes que pensem que é "colorido", é, na verdade, vermelho. No Brasil, virou "Chapolin"- com "o" no lugar do "u", sem acento, ainda com "n" no final.

Assisti a "El Chavo de Ocho", pela primeira vez, em 1982. Em espanhol; por suerte. Na casa de uma tia que morava nos Estados Unidos.

Não é esnobismo, mas - pelos erros de tradução, vocês já percebem - todas as piadas soam melhor no original. En español.

Estreou no Brasil em 1984, mas, pela sua aceitação, tanto "Chaves" quanto "Chapolin" foram tão usados como tapa-buracos na programação do SBT que, anos depois, já estavam "queimados".

Tive um amigo mexicano na escola, no colegial em 1989, e lembro de ele ser alvo gozações, porque, do México, a única coisa que se conhecia, no Brasil, eram "Chaves" e "Chapolin". Duas atrações que o SBT levava ao ar quando não tinha nada melhor para apresentar - ou quando precisava sincronizar sua próxima atração com o fim da novela das oito...

A graça de "El Chapulín Colorado" está, eu acredito, em apresentar um superherói que é quase a antítese disso. Um anti-herói, mas não apenas no sentido cervantino, porque Dom Quixote é bem anterior a ele. E, sim, no sentido de retratar todo o lado subdesenvolvido da América Latina (por isso "pegou" no continente inteiro). Um herói em que ninguém acredita, que se acha superpoderoso, mas que é desastrado e só não causa mais estrago porque a série é "para crianças".

Já "El Chavo del Ocho" é uma comédia de costumes, com um anti-herói assumido, o aportuguesado "Chaves". Não se conhece sua família, não se conhece sua casa, está sempre mal-ajambrado e, dá a entender, subnutrido. Como não tem ninguém "por ele", sempre leva a culpa por tudo. Passa por "burro", mas tem aquele "estalo" típico do "amarelo" de Ariano Suassuna. Chaves é inocente e passa por bobo, mas tem rompantes de João Grilo, embora não seja "malandro"...

E Roberto Bolaños não fica só na comédia. Há, nele, um certo lirismo. Aquela romantização da pobreza, eternizada pelo vagabundo de Chaplin, que, em Bolaños, se confunde com a cafonice latino-americana, das novelas mexicanas, mas que, às vezes, comove, por emular a inocência infantil - daquelas crianças que, mesmo nas piores situações, fantasiam. Algo que outro Roberto, Benigni, tentou fazer em "A vida é bela", mas não foi tão feliz...

Particularmente, gosto da bondade e da nobreza, nos dois personagens de Bolaños. A bondade do Chaves que, mesmo passando por todas as dificuldades e por toda a humilhação, ele jamais perde. E a nobreza, do Chapolin, da qual ele mesmo diz... "aproveitam-se".

Acho notável que Roberto Bolaños, podendo ter escolhido qualquer personagem, em suas séries de TV, escolheu ser "Chapolin" e "Chaves". Um frágil herói da América Latina. Um bem-aventurado manso bíblico.

Para ir além
Leia também "A propósito de Chapolin e Chaves" e "Festival Chaves no Centro Cultural Vergueiro".


Postado por Julio Daio Borges
Em 28/11/2014 às 22h31


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paul Lewis e a Sonata ao Luar de Julio Daio Borges
02. Stayin' Alive 2017 de Julio Daio Borges
03. Max Weber e o jornalismo de Celso A. Uequed Pitol
04. Alguns filmes do Oscar 2015 de Yuri Vieira
05. Mozart 11 com Barenboim de Julio Daio Borges


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




True 39 Clubes - na Calada da Noite 3
Peter Lerangis
Ática
R$ 19,00



Anuário Ii: Curso para Diplomatas Sul-americanos
Fundação Alexandre de Gusmão (2ª Edição)
Funag
(2010)
R$ 26,00



Retrato de um artista quando jovem
James Joyce
Abril Cultural
(1971)
R$ 9,80



Vida Real Mundo Virtual - Col. Quem Tem Razão?
Ana Paula Corradini
Escala Educacional
(2007)
R$ 7,00



Dragon Ball Edição Definitiva Vol 5
Akira Toriyama
Panini Comics
(2019)
R$ 44,90



Uma Família Imperial
Rosa Freua de Carvalho
Feesp
(2001)
R$ 5,12



A metamorfose
Franz Kafka
Saraiva De Bolso
(2011)
R$ 15,00



A Nova era um Guia para Viver Em um Novo Tempo
Lorna St. Aubyn
Roca
(1992)
R$ 12,00



Falando de Amor
Flávio Gikovate
Mg editores associados
(1976)
R$ 6,90



A Flauta do Sótão
Lúcia Pimentel Góes
Paulus
(2003)
R$ 20,00





busca | avançada
114 mil/dia
2,3 milhões/mês