São Francisco Xavier III | Digestivo Cultural

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
>>> Salão do Livro para crianças
Mais Recentes
>>> Bauen + Wohnen Wohnwelt / Wohnumwelt de Dieter Maukisch pela Bauen+wohnen Gmbh (1974)
>>> A Medicina Que Aprendi Exerci e Ensinei de Polydoro Ernani de São Thiago pela Ufsc (1996)
>>> Numerologia e os Florais do Dr. Bach: Sua Utilização Terapias Alternat de Anny Luz pela Magister (1992)
>>> Moving Into English de Alma Flor Ada pela Harcourt (2013)
>>> Pequeno Dicionário Michaelis - Inglês / Português e Português / Inglês de Michaelis pela Melhoramentos (1986)
>>> Vestibular & Concursos - Testes Preparatórios de Diversos Autores pela Bnl
>>> Código de Processo Civil de Wilson Gianulo pela Juridica (2003)
>>> Desafio Global da Crise a Cooperação Rompendo o Impasse Norte Sul de Comitê da Inrternacional Socialista pela Paz e Terra (1987)
>>> Currículo Moderno de Robert D Fleming Org pela Lidador (1970)
>>> Direito e Legislação - Introdução ao Direito de Gilberto Vieira Cotrim pela Saraiva
>>> Crimes Hediondos Tóxicos Terrorismo Tortura de Victor Eduardo Rios Gonçalves pela Saraiva (2001)
>>> Cela Surda de Maria Lúcia Américo dos Reis pela Expressão e Cultura (2002)
>>> John Constantine Hellblazer - Infernal Vol. 3 Anjos e Demônios de Garth Ennis e Outros pela Panini Comics (2014)
>>> Identidades e Política Locus v 7 N 2 de Universidade Federal de Juiz do Fora pela Ufjf (2001)
>>> Biblioteca Basica Informática Dentro e Fora do Computador de M a Nieto - Dir. pela Seculo (1986)
>>> O Arquipélago Em Chamas de Júlio Verne pela Hemus
>>> 1000 Perguntas Direito Comercial de Jorge de Miranda Magalhães pela Thex (1996)
>>> Dieta para o Coração de Serafina Petrocca pela Media Fashion (2010)
>>> Direito Previdenciário e Administrativo Problemas e Pareceres de Ney da Fontoura Boccanera pela Senado Federal (1988)
>>> Ciência e Cultura - Volume 38 Nº 4 de Diversos Autores pela Sbpc (1986)
>>> O Lugar do Outro de Gary Hill pela Centro Cultural Banco do Brasil (1997)
>>> Nada a Perder 2 de Edir Macedo pela Planeta (2013)
>>> A Game of Soldiers de Stuart Jackman pela Hamish Hamilton (1981)
>>> Assunto do Dia de César Moreira pela Santuário (2005)
>>> Ver Chover de Germán Machado pela Casa Amarelinha (2013)
BLOG >>> Posts

Sábado, 17/9/2005
São Francisco Xavier III

+ de 5400 Acessos


(Começa aqui...)

* * *

Só no terceiro dia foi realizado o sonho da Carol de andar de bicicleta. E pegamos um belo de um desafio: ir até a cidade e voltar de bicicleta. Da pousada Kolibri até o centro de São Francisco Xavier, como foi dito, não era tão grande a distância (6 Km), acontece que muitos dos caminhos eram de terra, alguns bastante íngremes e sem nenhuma iluminação (o que nos obrigava a voltar antes de escurecer). A idéia, como também foi dito, era realizar de uma vez todas as atividades que envolviam o centro de São Francisco Xavier, já que no dia anterior havíamos nos concentrado nos arredores da pousada Kolibri (de carro e a pé).

* * *

Apesar de termos seguido no sentido mais tranqüilo - da pousada para o centro era praticamente uma seqüência ininterrupta de descidas -, passei por alguns apertos com o medo de que o freio da minha bicicleta não respondesse, principalmente o traseiro. Parecia que quanto mais inclinada a descida era, mais força eu tinha de fazer com o pulso, apertando de verdade, para brecar; e parecia também que, de repente, para uma freada brusca, do pneu traseiro, a bicicleta derrapava levemente para o lado, anunciando que, se eu insistisse muito, ela não hesitaria em me derrubar... É possível que tenha se tratado de temor psicológico; e é provável que a minha imperícia tenha contribuído para a insegurança geral (visto que a Carol ia na frente, bela e formosa).

* * *

Na noite anterior, o "Pinga" havia anunciado no Boteco do Rao que ocorreria um encontro de violeiros na praça principal de São Francisco Xavier. Como havíamos nos divertido com suas traquinices violeiras, junto à cantora Hilda, marcamos de aparecer lá. Os horários divergiam um pouco: o "Pinga" falava em 9h30 e o Rao em 11 horas (devíamos ter perguntado para a Fred, da Kolibri, porque o senso de pontualidade dos dois não era exatamente... alemão; ou britânico). Em algum momento dentro desse intervalo, descobrimos que eles se exercitavam em frente à Casa de Cultura Cassiano Ricardo.

* * *

Meu conhecimento de viola caipira, e de seu repertório, eu admito, é limitado (para não dizer "limitadíssimo"). Custei a pescar as canções. "Chico Mineiro"? "Menino da porteira"? A única que consegui guardar, nesse momento de distração - eles mesmos começavam e não terminavam quase nada (ou faltava letra, ou faltava ensaio), era mais uma confraternização... - foi "Que me importa, que me importa/ O seu preconceito, que me importa...". Brincadeiras à parte, foi bom ver o encontro de gerações (eu não havia assistido ainda a Dois Filhos de Francisco mas poderia, tranqüilamente, fazer a relação). Aproveitamos e visitamos, eu e a Carol, a tal Casa de Cultura Cassiano Ricardo e, de lambuja, avistamos o divertido fusca do "Pinga".

* * *

A próxima parada foi o Jardim das Ervas da Maly Caran. Todo mundo a anunciava como uma espécie de bruxa (no bom sentido), uma "druida" (se a palavra existisse no feminino). Infelizmente, quando chegávamos, ela saía (para almoçar, e não voltava mais). Tratamos com suas filhas: Tatiana e Tayra; por coincidência, irmãs do Sereno da noite anterior (chef do Rao). Muito simpáticas e profissionais, mostraram tudo. (Alguém já havia contado que elas fizeram das poções da mãe um verdadeiro negócio, porque a Maly queria mesmo era pesquisar e não, necessariamente, explorar a coisa de forma comercial). Soubemos que a mesma Maly foi jornalista, muito amiga (até hoje) da Joyce Pascowitch, que se embrenhou na pesquisa (e no estudo) das ervas, concebendo óleos, xampus, sabonetes, sais e outras químicas (todas naturais) que anteciparam a Lush em muitos anos. Os testes com os itens adquiridos estão em andamento (os resultados vocês conhecem já já - o Conselheiro também testa...).

* * *

Logo em frente, estava a tão anunciada Biblioteca Solidária do Sidnei. Ele também era elogiadíssimo de alto a baixo por toda a gente. Não foi difícil descobrir por quê. O Sidnei realiza o que ele mesmo classificou como uma missão. Formado em biblioteconomia em Londrina, com desejo de retornar à sua cidade natal, aspirava trabalhar na biblioteca pública de São Francisco Xavier. Rechaçado pela prefeitura, resolveu levar adiante o projeto - mas com seus próprios meios. Conseguiu a garagem do pai, recebeu doações, providenciou estantes e, à sua maneira, inaugurou a Biblioteca Solidária de São Francisco Xavier. Ganhou pelo feito, e ostenta felicíssimo, o terceiro lugar no concurso estadual de bibliotecas da Casa das Rosas.

* * *

O mesmo Sidnei se emociona com seus "clientes": crianças pobres que chegam sem nem ter o que vestir e que pedem a ele um livro - para ler, para realizar trabalhos escolares (as que estudam) ou para ter simplesmente alguma ocupação grátis. O Sidnei diz que, por isso, seria impossível cobrar da população uma mensalidade. Seu sonho é enquadrar esse projeto nas leis de incentivo, estruturar melhor a biblioteca (alguns dos livros, tamanho o volume de doações nos últimos anos, já estão sem lugar) e poder viver dignamente disso (hoje ele praticamente mora na Biblioteca Solidária e é procurado, dia e noite, pelos leitores que não conseguem esperar). Apesar de todo esse amor, o Sidnei não é um leitor inveterado, mas está fazendo mais pela leitura do que qualquer governo em décadas de promessas irrealizadas.

* * *

Nosso almoço, meu e da Carol, foi um convite do Yoshi, restaurante japonês. Antes de descrevê-lo, um parêntese. Topamos, mais uma vez, com o simpático casal Debora e Luiz Fernando - e, não agüentamos, fomos falar com eles. Era muita coincidência: no primeiro dia, na pizzaria Caboclo; no segundo dia, no Boteco do Rao; e no terceiro dia, agora, no restaurante japonês (!). Trocamos cartões e eu também dedico uma parte desta narrativa a eles. Continuando... O Yoshi é de propriedade do casal Geisa e Thompson, ela descendente de japoneses de São Paulo, ele, de chineses; ele é o shushiman e ela, a hostess. Os dois são muito amáveis. Thompson dá aulas ainda por todo o Vale do Paraíba, através do Senac, levando a arte do sushi para o interior. O restaurante deles era outra dica imperdível da Fred. Não à toa. Depois de rolinhos do Vietnã, mandei um combinado, a Carol, um yakisoba de legumes, e fechamos com uma extremamente recomendável - e tailandesa - sobremesa à base de gengibre e banana.

* * *

Outros louvados, pela comunidade, em prosa e verso eram os artistas Vera e Chicão, da Oficina Vagalume. Deslocamos nossas bicicletas em direção à saída da cidade e, praticamente em frente à pizzaria Caboclo, lá estava a Vagalume. Quem nos recepcionou, desta vez, foi John Lennon. Sim, John Lennon, um dos cães labradores brancos criados, e muito amados, pelo Chicão e pela Vera. Também, logo mais, sua esposa, Yoko Ono (igualmente, claro, uma labradora branca). Passamos, eu e a Carol, um bom tempo perdidos entre cerâmicas e vidros, admirando. Vera contando a história do encontro com Chicão; Chicão contando a saga desde que era professor de História em BH até que desenvolveu a técnica de fusão e de tiffany, passando pela temporada deles na Itália, mais precisamente em Solano, na escola Pandora. Foi tão funda a impressão, causada em mim e na Carol - ...e aquela propriedade maravilhosa deles -, que pensamos, talvez, em pegar, também, o primeiro avião para Solano (e nos aculturar).

* * *

Já voltando, passamos, rapidamente, antes que o sol descesse, pela Bixudumatu, a loja de luminárias de papel do Maurício. Lá encontramos novamente a Fred, nossa anfitriã. No dia seguinte, ela perguntaria: "E, aí? Conheceram mais alguns loucos de São Francisco Xavier?". Quem cruzava a rua, naquele mesmo momento, era o Rao - que saudava, por sua vez, a Tayra, do Jardim das Ervas da Maly. De repente nos demos conta de que, apesar de todo o cosmopolitismo desses atores, estávamos - pelo contato e pela geografia - numa cidade do interior... A volta, propriamente dita, de bike foi um pouco mais custosa. O tal instante inescapável de "Mens sana in corpore sano" (acontece em todas as viagens): a inclinação aumentava, a bicicleta derrapava, as pedras atrapalhavam, a estrada de terra não ajudava... Joguei a toalha: empurrei. A Fred nos consolaria mais tarde, pois nem seu filho - muito mais bicicleteiro e muito mais jovem - era capaz de superar aquela subida final, em que já se via a sede da pousada. Tudo bem, eu e a Carol - por nossa ousadia esportiva - já estávamos salvos e perdoados.

* * *

A noite seria em grande estilo no Photozofia, a verdadeira razão da nossa vinda, o tão anunciado Encontro de Cordas da Mantiqueira, o respectivo Festival de Música. Se vocês não se importam, eu prefiro fazer a análise estética depois (num Digestivo próximo)... O que mais nos impressionou, fora toda a perfeição do Encontro, fora toda a musicalidade (que nós, paulistas restritos, nem imaginávamos), fora o banquete gastronômico (no meu caso: brusquetta, penne e mousse), foi o empenho e a dedicação da Patrícia e do Sandro. Uma verdadeira profissão de fé em prol das artes, numa iniciativa aparentemente sem paralelo num lugar do porte de São Francisco Xavier. Admiramos Fernando Pereira e Alexsandro Oliveira, rimos e admiramos ainda mais Levi Ramiro e Magrão - mas lembraremos sempre que nada disso teria acontecido sem a Patrícia e o Sandro...

* * *

(Continua aqui...)

* fotos de Ana Carolina Albuquerque


Postado por Julio Daio Borges
Em 17/9/2005 às 17h46


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A você que está indeciso(a) de Julio Daio Borges
02. Mistreated com Dio no Rainbow de Julio Daio Borges
03. Twitter em Quadrinhos de Julio Daio Borges
04. Filosofia cai no gosto popular de Julio Daio Borges
05. Antecipo prêmios de Gramado de Lucas Rodrigues Pires


Mais Julio Daio Borges no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Anticristo: Texto Integral
Friedrich Nietzsche
Martin Claret
(2000)



Os Ritos e Mistérios de Elêusis
Dudley Wright
Madras
(2021)



Entradas e Bandeiras
Fernando Gabeira
Codecri
(1981)



Livro - Assassinato no Expresso do Oriente: Coleção Agatha Christie
Agatha Christie
Record
(1933)



Inserção Internacional - Formação dos Conceitos Brasileiros
Amado Luiz Cervo
saraiva
(2008)



O Cérebro Emocional
Gilberto Ururahy e Éric Albert
rocco
(2005)



O elefante infante
Rudyard Kipling
Musa
(2007)



Crepúsculo
Stephenie Meyer
Intrínseca
(2008)



Os Espiões
Luis Fernando Verissimo
Alfaguara
(2009)



Morte e Vida de Charlie St. Cloud
Ben Sherwood
Novo Conceito
(2010)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês