Existem vários modos de vencer | Digestivo Cultural

busca | avançada
82631 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Songbook Chão da Gente tem lançamento grátis nas plataformas de digitais dia 24 de abril
>>> Heinz e Z Deli abrem conversa no Clubhouse sobre tradição e inovação
>>> Curitiba On-line: atividades culturais disponíveis para fazer em casa
>>> Luis Stuhlberger, um dos maiores gestores de fundos do país, participa do próximo Dilemas Éticos
>>> Cia. Palhadiaço faz temporada online de Depósito acompanhada por oficinas grátis
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Deficiente capilar
>>> A imaginação do escritor
>>> Caindo de paraquedas na escrita
>>> Inteligência artificial
>>> Rimbaud, biografia do poeta maldito
>>> 7 de Setembro
>>> Deixa se manifestar
>>> Auctoritas
>>> A arte do cinema imita o caos. Ou vice-versa
>>> Toca Raul!
Mais Recentes
>>> Alimentaçao Saudavel - Dicas e Receitas de Helena Tonetto; Angela Tonetto pela L&Pm Editores (2003)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Paulo de Azevedo Ltda (1968)
>>> Edições de Planeta - Jung de Varios Autores pela Tres
>>> Viagens e Outros Poemas de Zirlano Teixeira pela Bagaço (2003)
>>> A Revolução Industrial de Leticia Bicalho Canedo pela Atual (1987)
>>> Inteligencia Competitiva de Gomes Elisabeth^Braga Fabiane pela Campus (2002)
>>> Revista do Instituto Historico e Geografico da Vitoria de Sto Antão de Varios Autores pela Instituto Historico de Vitoria (2000)
>>> Temas Tomistas Em Debate de Elcias Ferreira da Costa Org pela Circulo Catolico (2003)
>>> A Separação Passo a Passo- Antes Durante e Depois de Paulo Dantas Saldanha pela Raiz (1999)
>>> Liderando Mudanças de Kotte pela Campus (1999)
>>> Liderando Mudanças de Kotte pela Campus (1999)
>>> O Amante de Lady Chatterley de D H Laurence pela 1972 (1972)
>>> O Gitanja Li e Rubaiyat de Rabindranath Tagore e Omar Khayyam pela Jose Olimpio E (1938)
>>> Instituto de Pesquisas Filosoficas Santo Antonio de Aquino de Elcias Ferreira Costa pela Instituto de Pesquisas (2001)
>>> Gramática - Teoria e exercícios de Paschoalin e Spadato pela FTD (1996)
>>> 365 Belas Historias para Sonhar de D ánne Murat pela Blu (2014)
>>> Terra Pauxi de Francisco Manoel Brandão pela Do Autor (1955)
>>> Terra Pauxi de Francisco Manoel Brandão pela Do Autor (1955)
>>> Dragões de Eter Vol.1 - Caçadores de Bruxas de Raphael Draccon pela Leya (2010)
>>> Agatha Christie - o Incidente da Bola de Cachorro de John Curran pela Leya (2010)
>>> Esposa de Mentira de Ruby M Ayres pela José Olympio (1946)
>>> O Circo e o Sonho de O Circo e o Sonho pela Lidador (1965)
>>> Lucro A Partir Do Core Business de Chris Zook pela Elsevier (2010)
>>> A Casuarina de W Somerset Maugham pela Globo (1951)
>>> Liderando Mudança de John P. Kotter pela Campus (1997)
BLOG >>> Posts

Sexta-feira, 23/2/2018
Existem vários modos de vencer

+ de 1600 Acessos

E de repente, não mais que de repente, como diria Vinicius de Moraes, eis que me deparo com inúmeros artigos publicados no LinkedIn e pela internet afora em pleno começo de 2016 falando de home office como se ele fosse a grande novidade do momento; em menor quantidade, aparecem também os que defendem o home office (doravante denominado HO) como a grande solução para uma série de problemas enfrentados tanto por patrões quanto por empregados. 

Enfim, gostaria de dizer neste texto duas coisas sobre HO, baseado em minha experiência com o assunto, que iniciou oficialmente em 2003.

A primeira é que home office de fato é algo muito bom.

Em 2003, saí de um emprego público (era assistente administrativo do Departamento Municipal de Água e Esgotos, autarquia da Prefeitura Municipal de Porto Alegre), para me dedicar ao jornalismo cultural, mais especificamente ao site Brasileirinho, especializado em MPB, que eu colocara no ar um ano antes. Alugar um escritório nem me passou pela cabeça, pois no apartamento onde morava, de propriedade de minha mãe, havia computador com acesso à internet, telefone fixo e uma biblioteca com aproximadamente 2 mil livros (mais recortes de jornais e revistas) - inclusive uma pesquisadora do IBGE que esteve lá certa vez para apurar meus "hábitos de consumo" (risos) perguntou se ali era mesmo uma residência ou um escritório.... o que confirmava o que minha mãe já dizia desde, talvez, minha adolescência, que meu quarto era um escritório com uma cama. Desde então, nas diversas cidades onde morei ou ao menos passei um tempo considerável (São Paulo, Belém, Macapá e Salvador), sempre optei por alugar imóveis que me permitissem trabalhar no mesmo ambiente de moradia, economizando assim com outro aluguel (de escritório), com gastos e perda de tempo com deslocamentos e, mais recentemente, até com despesas de acesso à internet, já que muitos locadores incluem o wi-fi entre os benefícios ofertados aos locatários. De fato, na maioria das vezes é muito bom você poder trabalhar em sua casa à hora que você quiser, o que nos leva à...

segunda coisa: trabalhar em home office pode não ser tão bom assim...

...se você não souber controlar seus horários. Lá em 2003, por exemplo, ao assumir o apê de minha mãe como sede do site, caí numa armadilha da qual levei um bom tempo para me dar conta - até porque fui eu mesmo que a armei. Explico: até então, como funcionário municipal, eu só podia me dedicar a meus projetos pessoais à noite e aos finais de semana. Quando tive enfim livre o chamado horário comercial, começava a trabalhar de manhã cedo e avançava a madrugada, acreditando que quanto mais horas dedicasse ao trabalho, mais cedo atingiria meus objetivos. Hoje sei que o sucesso vem de um trabalho feito com qualidade, e não necessariamente da quantidade de horas nele investidas. Eu vivia estressado, com olheiras, mas levei uns bons seis anos para me dar conta de que algo poderia estar errado. Isto só aconteceu quando, ao conversar com uma amiga de outro estado por MSN, ela, que sempre me perguntava o que eu estava fazendo (e eu sempre respondia "trabalhando"), um belo dia fez a pergunta que mudou tudo:

"Mas você nunca tem lazer??"

Aí, como se dizia na época, "a ficha caiu". Me dei conta da quantidade absurda de horas que ficava trabalhando e instituí em minha vida o conceito de ilhas de lazer.  Havia na época um programa de jornalismo cultural na Rádio Gaúcha, das 16h às 17h; me habituei a fazer um intervalo nesse horário, me dedicando apenas a ouvir o programa (às vezes tomando chimarrão, às vezes deitado). Desde então mantenho também o hábito de caminhar, em torno de 1h a 2h por dia - nestas últimas semanas da minha atual temporada em Macapá, geralmente a caminhada é ao final da tarde, na orla do Rio Amazonas. Esse é um período bom para "esfriar a cabeça", muitas vezes surge durante o passeio alguma ideia ou a solução para uma questão cuja solução esteja demorando para vir em frente ao notebook. O horário da caminhada acaba coincidindo sim com parte do horário comercial, mas se houver alguma urgência eu posso ser contatado pelo celular ou pelo Facebook. Enfim, é uma prática boa para o corpo e para a mente, recomendo. 

Para fechar o texto, quero falar de outro modelo de HO, que o jornalista e escritor Fernando Morais relatou numa entrevista que li por volta de 1994, e que se referia ao seu processo de escrita da biografia Chatô - O Rei do Brasil. Para evitar cair na mesma armadilha que eu, de não parar de trabalhar enquanto estivesse acordado, Morais alugou outro apartamento no mesmo prédio que o seu, se não me engano apenas alguns andares abaixo. Ou seja, diariamente Morais acordava, tomava banho, vestia-se, tomava o café da manhã e, para chegar a seu escritório, pegava...o elevador. A vantagem, apontava ele na entrevista, é que com isso ele conseguia delimitar, tanto para si quanto para seus familiares, quando estava ou não trabalhando. 

Mesmo que os dois casos relatados, o de Morais e o meu, se tratem de profissionais autônomos, acredito que em linhas gerais o que expus acima se aplica também ao modelo que tem crescido mais recentemente (e que, a meu ver, está trazendo um ar de 'novidade' ao HO), que é o de funcionários autorizados pela empresa a trabalharem de casa algumas vezes por semana. Penso que este é mesmo o caminho para o trabalho no século 21, seja você autônomo ou subordinado a uma chefia: saber gerir o seu tempo de acordo com as demandas, sem descuidar da qualidade de vida.


  • Making-off do texto - Publicado no LinkedIn em 5.3.16, sendo este meu artigo mais lido enquanto mantive a conta naquele site. Republicado no blog Jornalismo Cultural em 11.4.17. 


Postado por Fabio Gomes
Em 23/2/2018 às 22h33


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Você já foi cancelado? de Julio Daio Borges
02. Regis Tadeu e Gastão Moreira de Julio Daio Borges
03. Antologias por Rodrigo Gurgel de Julio Daio Borges
04. Censura na Bienal do Rio 2019 de Julio Daio Borges
05. Estratégia das Privatizações de Julio Daio Borges


Mais Fabio Gomes no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Insurreição da Anl Em 1935: o Relatório Bellens Porto
Marly a G Vianna (apresentação e Organização)
Revan
(2015)



Os Grandes Líderes - Kadafi
Nova Cultural
Nova Cultural
(1988)



The Partners Book 17
Scopen
Scopen
(2017)



Legalidade e Regulação
Clarissa Sampaio Silva
Fórum
(2005)



A História de Rasselas, Príncipe da Abissínia
Samuel Johnson
é Realizações
(2019)



Saúde da Mente, Saúde do Espírito
Gerald G. May
Paulinas
(1985)



El Hatha Yoga y La Ciencia Moderna
José Alvarez López
Editorial Kier (buenos Aires)
(1959)



Guia do Pão-duro - Feche o Bolso e Abra Sorrisos
Gustavo Nagih
Matrix
(2004)



Cidadão Cannes - o Homem por Trás do Festival
Giles Jacob
Companhia das Letras
(2010)



A Conquista do México
Mustafa Yazbek
Ática
(1988)





busca | avançada
82631 visitas/dia
2,6 milhões/mês