Museus Parte I - Origens Históricas | Blog de Thereza Simoes

busca | avançada
34699 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crônica em sustenido
>>> O cão da meia-noite
>>> O escritor pode
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> Os 60
>>> Tico-Tico de Lucía
>>> Abdominal terceirizado - a fronteira
>>> Cinema é filosofia
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Mulher no comando do país! E agora?
Mais Recentes
>>> Posthegemony: Political Theory and Latin America de Jon Beasley-Murray pela University of Minesota (2010)
>>> Come Together: The Rise of Cooperative Art and Design de Francesco Spampinato pela Princeton Architecture Press (2015)
>>> O Mundo Codificado de Vilém Flusser pela Cosac & Naify (2010)
>>> O Processo da Comunicação: Introdução à Teoria e à Prática de David K. Berlo pela Martins Fontes (1991)
>>> A Prosa do Mundo de Maurice Merleau-ponty pela Cosac & Naify (2014)
>>> A Transfiguração Do Político de Michel Maffesoli pela Instituto Piaget (2004)
>>> História dos movimentos e lutas sociais - A construção da cidadania dos brasileiros de Maria Da Glória Marcondes Gohn pela Loyola (2012)
>>> Amanhã Vai Ser Maior. O Levante da Multidão no Ano que não Terminou de Bruno Cava pela Annablume (2014)
>>> Afinal, quem faz os filmes de Peter Bogdanovich pela Companhia das Letras (2000)
>>> Signos, máquinas, subjetividades de Maurizio Lazzarato pela n-1 (2014)
>>> Design para um mundo complexo de Rafael Cardoso e Francisco França pela Cosac & Naify (2013)
>>> Politizar as novas tecnologias: o impacto sócio-técnico da informação digital e genética de Laymert Garcia dos Santos pela 34 (2011)
>>> Redes de indignação e esperança: Movimentos sociais na era da internet de Manuel Castells pela Zahar (2012)
>>> Consumidores e cidadãos de Néstor Garcia Canclini pela UFRJ (2005)
>>> Por Uma Outra Comunicação - Coleção Pensando Na Crise de Dênis de Moraes pela Record (2012)
>>> Os meios de comunicação como extensões do homem de Marshall Mcluhan pela Cutrix (2001)
>>> Como desenhar de forma errada de Peter Jenny pela Gustavo Gili (2014)
>>> Design em diálogo de Steven Heller e Elinor Pettit pela Cosac & Naify (2013)
>>> O Cinema e a Invenção da Vida Moderna de Leo Charney e Vanessa Schwartz pela Cosac & Naify (2001)
>>> Pensar o contemporâneo de Fernando Luís Schuller e Eduardo Wolf pela Arquipélago (2014)
>>> O Seminário, livro 6: O desejo e sua interpretação de Jacques Lacan pela Zahar (2013)
>>> Networks without a cause de Geert Lovink pela Polity Books (2011)
>>> Gênero, Patriarcado E Violência de Heleieth Saffioti pela Expressão Popular (2015)
>>> Sinopses Jurídicas 14 - Processo Penal Parte Geral de Alexandre Cebrian Araújo Reis e outro pela Saraiva (1999)
>>> Come Si Fa Una Tesi di Laurea - Le materie umanistiche de Umberto Eco pela Bompiani (2004)
>>> Historia de Dois Amores de Carlos Drumond de Andrade pela Record (1985)
>>> 1922 - Sangue na Areia de Copacabana de Hélio Silva pela Civilização Brasileira (1971)
>>> Quando o carteiro chegar. Fotografias de Mário Rui Feliciani pela Imprensa Oficial (2004)
>>> Kinfolk. Volume Twelve. de Diversos Autores pela Kinfolk Magazine (2014)
>>> A curva e o caminho. Acesso à saúde no Brasil de André François pela Imagemágica (2008)
>>> Curso Completo de Tarô de Nei Naiff pela BestBolso (2011)
>>> A Alma do Poeta (Vinicius de Moraes) de Revista Bravo - Janeiro 2009- Ano 11 - nº 137 pela Abril Cultural (2009)
>>> Jardim Botânico de São Paulo de Juan Esteves & Maria Guimarães pela Terceiro Nome (2012)
>>> Música Faz - vol. 1 - A arte musical na prática escolar - Ensino médio de Yara Alves- Larissa Vitorino pela Htc (2011)
>>> Teimosia da imaginação. Dez artistas brasileiros de Maria Lúcia Montes pela Martins Fontes (2012)
>>> Panoramas. A paisagem brasileira no acervo do Instituto Moreira Salles de Carlos Martins pela Ims (2012)
>>> Andanças de Um Cavaleiro e Outras Novelas de Tennesse Williams pela Espressão e Cultura (1970)
>>> Tributação de Bens Digitais: a Disputa Tributária ... de Tathiane Piscitelli/Fernando Rezende pela FGV Direito (2018)
>>> Caiapó Metutire. Os guerreiros pintados de negro. de Paulo Pinagé & Vito D'Alessio pela Dialeto (2004)
>>> Inglês Sem Mistério Para Concursos de Robson Machado pela Fortium (2005)
>>> Carnaval Brasileiro - O Vivido e o Mito de Maria Isaura Pereira de Queiroz pela Brasiliense/ SP (1992)
>>> Treinamento da Argumentação: Persuadir Em Vez de Contrariar... de Tom Werneck e Reinhard Grasse pela Ediouro/ RJ. (1982)
>>> O encanto das aves. The magic of birds de Ricardo Martins pela Fm (2009)
>>> Portoghese Dizionario essenzaiale Portoghese-Italiano - Italiano-Portoghese de Zanichelli pela Zanichelli (1997)
>>> Princípios de Organização Japoneses: Melhor Produtividade ... de Peter Engel pela Ediouro/ RJ. (1982)
>>> O Dom de Voar de Richard Bach pela Record/ RJ.
>>> O Dom de Voar de Richard Bach pela Record/ RJ.
>>> O Dom de Voar de Richard Bach pela Record/ RJ.
>>> Licença de Marca - Aspectos Jurídicos e Econômicos de Um Contrato ... de Thiago Jabur Carneiro pela Juruá (2012)
>>> O Aleijadinho Arquiteto e Outros Ensaios Sobre o Tema/ Inclui CD de André Guilherme Dornelles Dangelo (e outro) pela Ed. da Escola de Arquit. da UFMG./ Belo Hte. (2008)
BLOGS >>> Posts

Sábado, 2/5/2015
Museus Parte I - Origens Históricas
Thereza Simoes

+ de 1300 Acessos

Se consultarmos um dicionário da língua portuguesa para o significado da palavra "museu", de modo geral vamos obter o seguinte:
Museu: substantivo masculino, derivado do grego museîon, através do latim museum, em português museu, ao pé da letra, "templo ou lugar consagrado às musas".
Significado: lugar onde reúnem curiosidades de qualquer espécie ou exemplares artísticos e científicos: (sentido figurado) coleção de coisas várias e velhas¹.
As musas eram filhas do deus grego Zeus com Mnemósine (deusa da memória), e sua função era guadar as ciências, as artes e os tesouros da cultura. Existem diversos relatos do Mouseion de Alexandria, que data do século III a.C. e ficava em Atenas, que era antes uma instituição filosófica, lugar de contemplação.

Origens históricas do museu

Os museus existem há séculos e ao longo dos anos assumiram múltiplos objetivos. O século XX foi um marco, quando eles tiveram que se modificar diante das transformações relacionadas à compreensão das sociedades e seus fenômenos culturais. Foi então que o contexto educacional (formação e motivação de público) ganhou força e se estabeleceu como resposta à demanda por sua democratização de acesso. A exposição é de modo geral, a forma de comunicação dos museus e centros culturais com o público. Atualmente, esta comunicação está se tornando cada vez mais variada, não existindo mais o antigo museu, apenas "expositor de coisas antigas", conceito que por muito tempo dominou e ficou calcado no inconsciente do público.

A origem dos museus está relacionada com a vontade de colecionar objetos. Esse hábito é encontrado em muitos momentos ao longo da história da humanidade e pode ter diferentes objetivos como manter a memória, obter reconhecimento social, etc
A partir do século 16, na Europa, eram comuns os Gabinetes de Curiosidades, que eram salas onde eram expostos objetos de toda espécie, como animais empalhados, conchas, moedas, louças, esculturas, enfim, produtos da natureza e do homem.
Ao longo da história, os donos dos gabinetes privados começaram a permitir que viajantes e estudiosos visitassem o espaço. Ainda que restrita, essa visitação começa a se parecer com os museus públicos que conhecemos.
Foi a partir do século XVIII que se ampliou o caráter "público" das coleções apoiado pelas novas noções de cidadania, surgidas a partir da Revolução Francesa de 1789, porém eles ainda não estavam direcionados para o público em geral (não haviam legendas nas obras ou textos de apoio por exemplo). A observação era entendida como suficiente para se compreender a importância dos objetos expostos. O primeiro museu público foi o Louvre, criado em 1793 em Paris por Napoleão para exibir obras de arte confiscadas nas colônias francesas.
No século XIX, sob a influência da Revolução Industrial, começam a surgir novas formas de expor objetos, tais como: uso de cenário e aparatos que podiam ser tocados, por exemplo. O papel educacional se intensificou e foram criadas estratégias para facilitar a comunicação com o público, seleção dos objetos que deveriam compor a exposição, o aumento do espaço entre os objetos e introdução de legendas e textos com informações sobre os objetos. Percebe-se que o projeto curatorial, como hoje é chamado, é de fato um fator importantíssimo na comunicação e formação de público.
O museu moderno resulta do humanismo do Renascimento, do espírito do Iluminismo do século XVIII e da democracia do século XIX.
O período posterior a 2ª Guerra Mundial é caracterizado por estudiosos de diferentes áreas do conhecimento como um marco para significativas mudanças na história do pensamento. Uma aceleração sem precedentes na produção de tecnologias e comunicação e informação, transformou a sociedade e isso reflete nas instituições, sobretudo nas de caráter cultural e educacional.
O museu, como expressão cultural, também foi impactado por essa transformação e atravessou profundos questionamentos que visavam o desenvolvimento de uma função social. Em 1946 foi fundado o Internacional Council of Museums - ICOM, uma organização não-governamental. Isso possibilitou troca de experiências, ampliando o conceito do museu e mudanças nas relações dos museus com a sociedade com uma ampliação das funções sociais: de locais de guarda e estudo de coleções passam a locais de debates de ideias e atualização em relação às correntes vigentes no exterior.

No Brasil, devido ao interesse e iniciativas privadas, São Paulo avançou no relacionamento com o circuito de artes internacional nos anos 50, após longo período de hegemonia cultural francesa.
O Museu de Arte Moderna da São Paulo — MAM, foi fundado em 1948, pelo industrial ítalo-brasileiro Francisco Matarazzo Sobrinho, mais conhecido por "Ciccillo" Matarazzo. Foi um dos primeiros museus de arte moderna no país, com modelo inspirado no Museum of Modern Art (MoMA) de Nova York, que era dirigido na época pelo milionário e grande incentivador Nelson Rockefeller. No caso do MAM de São Paulo, a maior parte do acervo inicial pertencia ao casal Ciccillo e Yolanda Penteado.
O encontro do experiente profissional museológico Pietro Maria Bardi, com o jornalista e visionário Assis Chateaubriand em São Paulo, resultou na organização do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand — MASP, com um programa inovador no meio museológico brasileiro.
Em 1951 o Masp trouxe o influente concretista Max Bill, e esta foi a primeira exposição de Bill fora da Suíça. Paralelamente, o mecenas Ciccilo Matarazzo trouxe a 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951 com 21 países participantes, seguindo os moldes da Bienal de Veneza.
A 2ª Bienal de São Paulo em 1953, foi uma das mais importantes porque trouxe fragmentos de todos os movimentos culturais que aconteceram durante o período da 2ª Guerra Mundial (1936/ 1945), como a pintura abstrata e geométrica dos principais artistas modernos para o público, e além disso possibilitou novos horizontes para os artistas brasileiros.
Os museus e espaços expositórios foram melhorando a comunicação com seus públicos. As exposições passam a ser cada vez mais compreesíveis, com legendas, textos e objetos interativos. Interação que ultimamente tem sido unanima nas grandes exposições, senão fator principal. Cabe questionarmos o uso da interação como ferramenta de transmissão de conhecimento ou mero intreterimento, mas isso fica para um próximo post.


Postado por Thereza Simoes
Em 2/5/2015 às 20h19


Mais Blog de Thereza Simoes
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TATI, A GAROTA E OUTRAS HISTORIAS
ANIBAL MACHADO
JOSÉ OLYMPIO
(1973)
R$ 6,00



DA MISTIFICAÇÃO DA ESCOLA Á ESCOLA NECESSÁRIA
NEIDSON RODRIGUES
CORTEZ
(2000)
R$ 25,34



ESTUDO DE REGIÕES HII
VINICIUS DE ABREU OLIVEIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 209,00



IDEIA SUPERIOR: O MAIS PURO APERFEICOAMENTO DA DEMOCRACIA
GEN HERMES GUIMARÃES
IMPRENSA VESPERTINO
(1974)
R$ 20,28



INFINITY RING LIVRO 1 - UM MOTIM NO TEMPO
JAMES DASHNER
SEGUINTE
(2012)
R$ 12,00



CAIU DO CÉU ( MILLIONS )
FRANK COTTRELL BOYCE
NOVA FRONTEIRA
(2004)
R$ 8,00



O SUCESSO É SER FELIZ
ROBERTO SHINYASHIKI
GENTE
(1997)
R$ 9,90



ANTOLOGIA DEL CUENTO URUGUAYO - URBANOS Y CAMPEROS VI
ARTURO S. VISCA
LA BANDA ORIENTAL
(1968)
R$ 6,00



TERRA BRASILIS
ROGERIO ZOLA SANTIAGO

(1999)
R$ 10,00



CRESCER A BRINCAR, BLOCO DE ACTIVIDADES PARA A PROMOÇÃO DO...
PAULO MOREIRA
QUARTETO
(2002)
R$ 55,00





busca | avançada
34699 visitas/dia
1,0 milhão/mês