As redes sociais como ferramentas de mobilização | Blog de Marcio Acselrad

busca | avançada
80637 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
>>> Museu de Arte Sacra de São Paulo - Imagens de ROCA e de VESTIR
>>> Mostra de Teatro de Ipatinga comemora os 15 anos do Grupo 3 de Teatro com espetáculo online
>>> Live: Como a cultura nos livros didáticos influencia a formação da criança
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O que não fazer em época de crise
>>> Pizzaria Brasil
>>> Os superestimados da música no Brasil
>>> Passeata Contra o eBook
>>> Sendo Humano
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jazz caricato
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> Música instrumental brasileira
>>> If God is Brazilian
Mais Recentes
>>> Sonetos de Luís Vaz de Camões pela Ciranda Cultural (2019)
>>> A ilha do Tesouro de Robert Louis Stevenson pela Companhia Nacional (2005)
>>> A ilha do tesouro de Robert Louis Stevenson pela Companhia Nacioanl (2005)
>>> Efésios N Testamento Coleção Lições De Vida de Max Lucado pela Mundo Cristão (2014)
>>> Os Condenados - Obras Completas 1 de Oswald de Andrade pela Civilização Brasileira (1970)
>>> Ponta de Lança - Obras Completas 5 de Oswald de Andrade pela Civilização Brasileira (1972)
>>> A Insustentável Leveza do Ser de Milan Kundera pela Nova Fronteira (1986)
>>> A Divina Comédia de Dante Alighieri pela Nova Cultural (2002)
>>> A Luz da Estrela Morta de Josué Montello pela Nova Fronteira (1981)
>>> Quem Foi? Albert Einstein de Jess Brallier pela Dcl (2009)
>>> As Impurezas do Branco de Carlos Drummond de Andrade pela José Olympio (1974)
>>> As Filhas de Rashi de Maggie Anton pela Rocco (2008)
>>> Drummond o Gauche no Tempo de Affonso Romano de Santanna pela Lia (1972)
>>> Traição Em Família de David Baldacci pela Arqueiro (2012)
>>> Bichos de Lá e de Cá de Lia Neiva pela Ediouro (1993)
>>> O Fogo de Katherine Neville pela Rocco (2011)
>>> Desvirando a Página - a Vida de Olavo Setubal de Ignácio de Loyola Brandão; Jorge J. Okubaro pela Global (2008)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Saraiva (2013)
>>> Dom Casmurro - Obras Completas de Machado de Assis pela Globo (1997)
>>> The Elegance of the Hedgehog de Muriel Barbery pela Penguin Usa (2008)
>>> O Direito à Privacidade na Internet de Sidney Guerra pela América Jurídica (2004)
>>> Em Busca de Cézanne de Peter Mayle pela Rocco (2000)
>>> Nono Descobre o Espelho de José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta pela Objetiva (2007)
>>> Nós, Mulheres - Edição Especial de Silvia Bruno Securato pela Oficina do Livro (2012)
>>> Autant En Emporte Le Vent - Tomes I et II de Margaret Mitchell pela Gallimard (1938)
>>> Memória de Minhas Putas Tristes de Gabriel Garcia Marquez pela Record (2005)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (2002)
>>> Um Dia "daqueles" - um Lição de Vida para Levantar o Seu Astral de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2001)
>>> Seis Suspeitos de Vikas Swarup pela Companhia das Letras (2009)
>>> Nós, Mulheres - Vol. 10 de Silvia Bruno Securato pela Oficina do Livro (2011)
>>> Minhas Rimas de Cordel de César Obeid pela Moderna (2005)
>>> Negociações Espetaculares de Harvard Business School pela Campus (2004)
>>> Em Nome de Anna de Rudi Fischer pela Primavera Editorial (2015)
>>> De Volta às Estrelas de Erich Von Däniken pela Melhoramentos (1970)
>>> Umbanda Espírita Cristã de Norevaldo C. M. Souza pela Ideia Jurídica (2014)
>>> Entre Árabes e Judeus - uma Reportagem de Vida de Helena Salem pela Brasiliense (1991)
>>> O Poder Psíquico das Pirâmides de Bill Schul e Ed Pettit pela Record (1976)
>>> Sade, Fourier e Loyola de Roland Barthes pela Brasiliense (1990)
>>> O que é Ceticismo de Plinio Smith pela Brasiliense LTDA (2021)
>>> A Odisséia dos Essênios de Hugh Schonfield pela Mercuryo (1991)
>>> Introdução à Psicologia Fenomenológica//Agressão no Homem e nos Animais de Ernest Keen e Roger N. Johnson pela Interamericana (1979)
>>> O que é Psicanálise de Fábio Hermann pela Abril (1983)
>>> Como Administrar Conflitos Profissionais de Peg Pickering pela Market Books (1999)
>>> A Aventura Prodigiosa do Nosso Corpo de Jean Pierre Gasc pela Universo da Ciência (1981)
>>> As Mulheres Francesas Não Engordam de Mireille Guiliano pela Campus (2005)
>>> Das CPI's de Hélio Apolinário Cardoso pela Bookseller (2002)
>>> A Mulher do Viajante no Tempo de Audrey Niffenegger pela Suma de Letras Brasil (2009)
>>> O estudante II: Mamãe querida de Adelaide Carraro pela Global (1988)
>>> O Lado Bom dos Seus Problemas EAN: 9788536416199 de Maurício Horta pela Abril (2013)
>>> Julie e Julia de Julie Powell pela Record (2009)
BLOGS >>> Posts

Sábado, 1/8/2015
As redes sociais como ferramentas de mobilização
Marcio Acselrad

+ de 900 Acessos

Ao longo da última década, vimos acontecer uma série de transformações inéditas no universo da política mundial, em que manifestações populares de insatisfação, que tiveram início com a chamada Primavera Árabe, se espalharam por todo o globo. A insatisfação de parcelas consideráveis da população levou primeiramente à queda do presidente egípcio e depois, num efeito dominó, à de vários outros ditadores que se mantinham nos cargos de mando em seus países havia décadas. O movimento não ficou restrito ao mundo árabe do norte da África, tendo se espalhado, como tudo o mais neste mundo globalizado, para os quatro cantos deste redondo planeta, de Wall Street ao Chile, do Brasil à Itália.
Eventos como estes exigem reflexão e não devemos nos furtar a elas. Em primeiro lugar, há que se considerar que manifestações populares, sublevações e rebeliões não são novidade na história política do planeta. A revolução francesa ainda surge como marco sempre que precisamos nos lembrar do poder que a insatisfação tem de mobilizar pessoas em torno de uma causa. De pouco adianta uma causa, por nobre que seja, se ela não alcança as pessoas, se não as toca de alguma maneira. E isto só pode acontecer se há algum tipo de insatisfação, um certo mal estar mobilizador que acaba canalizando as energias de um povo ou grupo em certa direção. Este aspecto é louvável, caso seja produto da conscientização, e veio junto com as transformações por que passou o ocidente no bojo das transformações advindas com a modernidade.
Sabemos também que muitas vezes, como o momento em que vivemos no Brasil de hoje, a insatisfação pode ser manipulada e a opinião pública, levada a seguir interesses meramente golpistas de setores específicos da sociedade, que geralmente não ousam dizer seus nomes, muitas vezes agem na calada da noite e costumam falar em nome de todos. Chegamos ao cúmulo de testemunhar, na última semana de julho, a um atentado a bomba ao Instituto Lula, em São Paulo, inequívoco sinal de que tais grupos estão ultrapassando os limites da ética, do bom senso e, o que é pior, da lei, ferindo as regras mínimas de convivência e, quem sabe, inaugurando um novo e mais violento momento em nossa história. Sabemos bem o que acontece quando o debate dá lugar à violência e ao ódio: a discussão e a argumentação cedem lugar à barbárie.
Barbáries, atentados e radicalismos à parte, este é o preço que se paga pela democracia: escutar as ruas, digam o que disserem. Aprendemos assim que os indivíduos podem e devem agir para aperfeiçoar as formas como são governados, quer através do voto, quer através do protesto. Mas há que se tomar cuidado com a sempre presente capacidade de manipulação que as forças conservadoras e os poderosos conglomerados midiáticos têm, e que muitas vezes rotulam como inimigas do povo as mesmas forças que transformaram para melhor suas condições de vida. Em momentos de crise, é particularmente difícil identificar o inimigo, justamente por que pode parecer muito fácil fazê-lo. Contradições da vida política...
A novidade nos casos em questão é o uso das redes sociais, que vieram para ficar, como ferramentas de mobilização política. Tal participação não pode ser ignorada, e muita tinta já foi usada para tentar compreender o papel destas novas mídias, mais participativas e colaborativas do que as tradicionais formas de comunicação massificada. No entanto é preciso tentar fugir de certo determinismo tecnológico que poderia redundar numa demasiadamente simplista interpretação de causa e efeito em que as mudanças políticas aconteceriam por causa das novas tecnologias de comunicação. É aqui, acredito, que reside o equívoco. Afinal de contas sempre que uma determinada força social surgiu e se fez ouvir, fez uso das tecnologias midiáticas disponíveis em sua época, quer se tratasse da imprensa (livros e jornais, utilizados por intelectuais de diversos matizes e classes sociais para transmitir suas ideias) quer se tratasse do rádio ou da televisão. Estes últimos, ditos meios de comunicação de massa, são geralmente pensados como formas de anestesiar a sociedade, mantendo o status quo tal como ele se apresenta em dado momento, enquanto se vê as redes sociais como plurais e democráticas, duas visões por demasiado ingênuas e simplificadoras. Não se deve esquecer que os dois principais movimentos de insatisfação popular na recente estória do Brasil (antes das manifestações de junho de 2013), o movimento pelas Diretas em 1984 e o movimento pelo impeachment de Fernando Collor em 1992, se deram durante o império destes meios de comunicação, numa época em que a internet nem sonhava em ser inventada. Por outro lado vemos que hoje, em plena era da comunicação globalizada em rede, a opinião pública muitas vezes se mostra incrivelmente alienada, repetindo como se fossem suas idéias e bordões conservadores que só produzem instabilidade e insegurança.
As redes sociais têm sua importância e a mesma não pode ser desprezada, mas daí a concluirmos que as transformações por que estamos passando dependem exclusivamente delas vai uma grande distância. As transformações acontecem por que estamos longe ainda de alcançar o sonho de uma sociedade mais justa e igualitária. As mídias são, como sempre foram, meios. Não mais que meios. Há que saber utiliza-los com sabedoria, e para isso ainda temos muito que caminhar.


Postado por Marcio Acselrad
Em 1/8/2015 às 13h49


Mais Blog de Marcio Acselrad
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Paulo e Estevão
Francisco Cândido Xavier
FEB
(1941)
R$ 10,00



At Risk
Patricia Cornwell
Little Brown And Company
(2006)
R$ 10,00



Select Arte e Cultura Contemporânea Ano 4 Edição 19 Ago/Set 2014
Mirik Milan et alli
Select
(2014)
R$ 10,00



Prece por Você - Conversa de Pai para Filho
Hans Georg Winter
Scortecci
(2008)
R$ 10,00



Le Trés Bas
Christian Bobin
Folio
R$ 10,00



O Direito de Ser Criança Problemas da Criança Pressada
David Elkind
Efeb
(1982)
R$ 10,00



Dicionário de Economia e Administração - 1151
Paulo Sandroni
Nova Cultural
(1996)
R$ 10,00



Mini Dicionário Escolar - Inglês/português Português/inglês
Outros
Wkids
R$ 10,00



Psicodramatizar - Ensaios
Alfredo Naffah Neto
Agora
(1980)
R$ 10,00



Prosperidade Profissional
Luiz Antonio Gasparetto
Vida e Consciencia
(1997)
R$ 10,00





busca | avançada
80637 visitas/dia
2,4 milhões/mês