A esquerda nunca foi popular no Brasil | Julio Daio Bløg

busca | avançada
56138 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
>>> 10º FRAPA divulga primeiras atrações
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A esquerda nunca foi popular no Brasil
>>> Na minha opinião...
>>> Amores & Arte de Amar, de Ovídio
>>> VOCÊS
>>> As sombras e os muros de José J. Veiga
>>> Entrevista com o poeta Júlio Castañon Guimarães
>>> 30 de Junho #digestivo10anos
>>> Quem Resenha as Resenhas de Som?
>>> Um Lobo nada bobo
>>> MUQUIFU
Mais Recentes
>>> Redação - tepria e prática de Célia A. N. Passoni pela Nucleo (1993)
>>> Jô na Estrada de David Coimbra pela L&pm Editores (2010)
>>> Intimidade Inconfessável de Fernanda Fatureto pela Patuá (2015)
>>> O Hotel dos Bichos Desamparados de Ricardo L. Hoffmann pela Ftd Ed. (1988)
>>> Irmão Francisco Cândido Xavier de Francisco Cândido Xavier e Emmanuel pela André Luiz
>>> Direito Eleitoral de Raquel Cavalcanti Ramos Machado pela Atlas (2016)
>>> Freakonomics - o Lado Oculto e Inesperado de Tudo Que nos Afeta de Steven D. Levitt pela Elsevier (2005)
>>> Bodyguard - Jessica Linden de James Patterson pela Bookshots (2016)
>>> Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela Nobel (2008)
>>> Sr. Maravilha - a Biografia de Stan Lee de Roberto Guedes pela Noir (2021)
>>> La Venta Estrategica de Robert B. Miller pela Plaza & Janes (1986)
>>> Como? Onde? Por quê? - perguntas e respostas sobre o mundo animal de Carolina Caires Coelho (trad.) pela Girassol (2007)
>>> O Sorriso Etrusco de José Luis pela Martins Fontes (1998)
>>> Alumbrado Flourescente de Baldinetti pela Gustavo Gili
>>> O Trabalho dos Mortos- o Livro do Joao de Nogueira de Faria pela Feb (2002)
>>> Nao Importa a Pergunta - a Resposta e o Amor de Leonardo Gontijo pela Ser Mais (2015)
>>> Criando Meninas - Raising Girls - Portuguese Edition de Gisela Preuschoff pela Fundamento (2003)
>>> Dentística - Restaurações Estéticas de Adair Luiz Stefanello Busato e Outros pela Artes Médicas (2002)
>>> Adolf Hitler 2 Vols. de John Toland pela Francisco Alves (1978)
>>> No Caminho de Swann de Marcel Proust pela Biblioteca Folha (2003)
>>> Assassins Creed - Irmandade - Vol. 2 de Oliver Bowden pela Galera Record (2012)
>>> Presunção, Ou a Sina de Frankenstein de Richard Brinsley Peake pela Sebo Clepsidra (2021)
>>> Jovens para Sempre de Sidnei Oliveira pela Integrare (2012)
>>> Chico Bento - Pavor Espaciar de Gustavo Duarte pela Panini (2013)
>>> Using Webster - Knowlton - Hazen World History Maps de H. Webster; D. Knowlton; Charles Hazen pela A. J. Nystron & Co. (1953)
BLOGS >>> Posts

Terça-feira, 18/8/2015
A esquerda nunca foi popular no Brasil
Julio Daio Borges

+ de 4000 Acessos

(E isso é um tremendo de um desgosto para a esquerda brasileira)

O que mata a esquerda brasileira de raiva é que ela não consegue ser popular de verdade. A única chance que ela teve - de ser popular, no Brasil -, ela perdeu... Com esse projeto nefasto de poder...

Na verdade, essa esquerda só conquistou o poder com o discurso do "Lulinha paz e amor". Com a "Carta ao Povo Brasileiro". Ou seja: prometendo que não ia dar calote na "dívida"; que não ia haver "quebra de contrato"; e que ia cumprir com os compromissos assumidos... Quer mais *direita* do que isso?

Depois, com a Dilma, a esquerda se elegeu prometendo mais consumo. Bastante crediário. Juros artificialmente baixos. IPI reduzido além da conta. Luz falsamente barata. E combustíveis... (Bem, você conhece o final da história...)

Fora que as "bolsas", desde a bolsa-família até a bolsa-empresário, via BNDES, passando pelo Fies, pelo Minha Casa Minha Vida, nada mais são que... dinheiro! Esmola, financiamento ou empréstimo subsidiado são todos dinheiro, no final das contas. Esse era o governo de "esquerda" de vocês? Quer coisa mais capitalista do que *dinheiro*???

Então, agora que a festa acabou, que, além da roubalheira, essa "bonança" foi uma tremenda de uma irresponsabilidade (fiscal)... A esquerda se espanta que há pessoas "de direita" nas ruas! E que elas são maioria!?!

Ora, mas elas sempre foram. A esquerda brasileira é que fez concessões a essas pessoas. Prometendo que não seria "esquerda de verdade". Prometendo que não bagunçaria a economia (o Plano Real). Prometendo acesso - histórico - a bens de consumo. E prometendo - vamos falar com todas as letras - ascensão social.

Agora, acabou. O governo quis tanto baixar os juros que avacalhou com o controle da inflação. O governo quis fingir que a festa do crediário era infinita... mas bateu num teto (o limite de endividamento das famílias). O consumo, naturalmente, arrefeceu (por conta das dívidas...). As empresas sofreram com a inflação, nos seus insumos, e com a queda de consumo... Tiveram de mandar gente embora... Desemprego, o verbete proibido.

A arrecadação desmoronou, é lógico. O governo de esquerda - que achou que o Brasil ia ficar rico, que acreditou no "boom" das commodities - contratou uma verdadeira gastança pelas próximas décadas... O governo não arrecada mais com antes, mas tem de pagar, cada vez mais... Onde isso acaba? O governo termina pobre... O governo está falindo... O governo, quem sustenta, somos nós!

A esquerda, é claro, não sabe como arrumar. (Algum esquerdista sabe como arrumar a casa???)

Só que agora não adianta a esquerda fingir que não sabe por que as pessoas estão revoltadas. Governos sucessivos que só acostumaram essas mesmas pessoas a "bolsas", esmolas, crédito barato, empréstimos subsidiados, juros forçados, energia farta, consumo desenfreado, mobilidade social...!

Como é que essas pessoas são "de direita" agora? Quem ensinou isso a elas? É dinheiro que elas querem, afinal???

A esquerda brasileira se sente traída. Mas nunca foi esquerda de verdade.

Ser de esquerda nunca deu Ibope, aliás. Não vai ser agora...

Para ir além
Compartilhar


Postado por Julio Daio Borges
Em 18/8/2015 às 08h47


Mais Julio Daio Bløg
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Cachorro Que Jogava na Ponta Esquerda
Luis Fernando Verissimo; Aroeira
Rocco
(2010)



Ideologia e Cultura Moderna - Confira !!!
John B. Thompson
Vozes
(1995)



Livro - O Segredo da Queima de 48 Horas
Vinícius Possebon
Gente
(2015)



Pique-esconde Com os Aventureiros
Luccas Neto
Nova Fronteira
(2020)



Domínios de Linguagem 1 - Práticas Pedagógicas - Autografado
Maria Célia Lima- Hernandes (org.)
Disal
(2002)



Projeto Escola, Uma Contribuição Criativa para o Seu Aluno-Problema
Professor Sergio Nogueira Lopes
Sociedade Pestalozzi do Brasil
(1996)



Abraão - As Experiências de Nosso Pai na Fé
Elienai Cabral
Cpad
(2002)



Dont Be So Gay!
Donn Short
Washington Univ. Pr
(2013)



A Jornada Espiritual do U2
Steve Stockman
W4 Endo Net
(2006)



Passaporte para o 3º milênio
Maria Cotroni Valenti
DPL
(1999)





busca | avançada
56138 visitas/dia
1,8 milhão/mês