Querem proibir as palavras | Julio Daio Bløg

busca | avançada
49127 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto que une cultura e conscientização ambiental traz teatro gratuito a Minas Gerais
>>> Show da Percha com Circo do Asfalto
>>> Evento Super Hacka Kids reúne filmes, games, jogos de mesa e muita diversão para a família
>>> SESC BELENZINHO RECEBE RÁDIO DIÁSPORA
>>> Música de Feitiçaria
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Direitos e Deveres, a torto e a direita
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Entrevista com o tradutor Oleg Andréev Almeida
>>> O nome da morte
>>> 21º de Mozart: Pollini e Muti
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Jornalismo: as aulas de Joel Silveira
>>> O 4 (e os quatro) do Los Hermanos
>>> Homenagem a Yumi Faraci
>>> Teledramaturgia ao vivo
Mais Recentes
>>> Os Melhores Contos da America Latina de Flávio Moreira da Costa pela Agir (2008)
>>> A Casa da Madrinha de Lygia Bojunga pela Agir (1932)
>>> Um Hotel na Esquina - Coleção 100 Milhões de Leitores de Jamie Ford pela Agir (2012)
>>> Vira- Lata Virador de Daniel Pennac pela Agir (1995)
>>> 2 Grau Matematica 3 Serie de Atual pela Atual
>>> A Historia de Fernao Capelo Gaivota de Richard Bach pela Editorial Nordica Ltda. (1970)
>>> Almas Antigas de Tom Shroder pela Sextante (2001)
>>> Estação Carandiru de Drauzio Varella pela Companhia das Letras (1999)
>>> O Fugitivo de J. M. Dillard pela Estadão (1997)
>>> Clássicos da Poesia Brasileira - Ler é Aprender de Frederico Barbosa pela Klick (1997)
>>> A Terapia do Abraço 2 de Kathleen Keating pela Pensamento (1987)
>>> Fogo Morto - Ler é Aprender de José Lins do Rego pela Klick
>>> The Founders of Modern Finance: Their Prize-winning Concepts and 1990 de Cfa pela Cfa (1992)
>>> O Poder Cosmico do Homem de Vernon Howard pela Record
>>> Introdução À Mecânica dos Solos de Milton Vargas pela Mcgraw-hill (1977)
>>> 6 +1 Traits of Writing de Ruth Culham e Outros pela Scholastic (2003)
>>> Instituições de Direito Processual Civil IV de Cândido Rangel Dinamarco pela Malheiros
>>> Tratamiento de las Superficies de Plastico de Klaus Stoeckhert pela Gg (1974)
>>> Sinais de Vida - da Escuridão ao Arco-íris de Fernanda Giannini pela Clube dos Autores
>>> Brazen Virtue de Nora Roberts pela Bantam Books (2002)
>>> Voando ao Sol de James Aldridge pela Coleção Contemporanea
>>> A Vida Secreta de Jonas de Luiz Galdino pela Atica
>>> Vet in Spin de James Herriot pela Pan (1977)
>>> English Plus 2 Wookbook de Janet Hardy-gould pela Oxford
>>> O Rinoceronte - Coleção Teatro Vivo de Eugène Ionesco pela Abril Cultural (1976)
BLOGS >>> Posts

Quinta-feira, 17/9/2015
Querem proibir as palavras
Julio Daio Borges

+ de 6900 Acessos

Outro dia, escrevi, num texto, que o Mino Carta tinha ido "para o lado negro da força".

O que você entende por essa expressão?

"Lado negro da força" é uma expressão de Guerra nas Estrelas, originalmente a trilogia de George Lucas.

Designa o lado "mau" - o lado de Darth Vader, que, não por acaso, se vestia de preto.

E se contrapõe, obviamente, ao outro lado da força - ao lado "bom", de Luke Skywalker, o Jedi, que salva a galáxia.

Pois bem, teve gente me acusando de racismo.

Sim, racismo. Porque, lendo mal, me disseram que eu não deveria usar a expressão "lado negro".

Eu não usei a expressão "lado negro". Eu usei a expressão "lado negro da força". Que é uma expressão de Star Wars blablablá.

E houve gente que, mesmo eu justificando isso, ainda teve a cara de pau de me dizer que "isso era nos Estados Unidos". Que eu não deveria usar uma expressão norte-americana, para descrever a realidade brasileira. Porque lá o racismo era diferente...

O quê??? Essas pessoas estão falando sério? Ou é pra rir?

A oposição entre escuro e claro é milenar. Entre o obscuro e a luz... Está na Bíblia!

Jesus não era ariano - não que eu saiba -, mas todas as imagens que se tem dele é de muita claridade. Em oposição às trevas, de você-sabe-quem.

Agora: se alguém quer usar isso para se fazer de vítima - de perseguição racista - realmente, eu não tenho o quê argumentar com essa pessoa. Que ela lute contra toda a história da humanidade. E boa sorte.

O politicamente correto atingiu as raias do absurdo. Ao ponto de, daqui a pouco, começarem a proibir as palavras.

Não vai mais se poder usar "negro". Nem preto. Nem escuro. Nem qualquer coisa remotamente próxima.

Meus amigos, o universo já existia antes da humanidade e vai continuar existindo depois de nós. Não tenhamos a pretensão de ideologizar o que é anterior - e posterior - a nós.

Ontem - outro exemplo - eu escrevi sobre o Stephen Hawking... Qualquer pessoa sabe da importância dos "buracos negros" para sua teoria sobre a origem, e o fim, do universo.

A expressão, em inglês, é blackhole. Agora vocês vão dar uma de Malcolm X e perseguir o maior físico desde Einstein, para que ele mude a expressão "buraco negro" também?

Porque, para os negros, não é bom, vejam bem: o buraco negro, como o próprio nome já diz, é o fim do mundo! Ele suga tudo. Até a luz. Para depois explodir. E nascer como uma nova estrela. De luz...!

Como vamos fazer agora? Vamos proibir os próprios buracos negros - pois eles são escuros? E as estrelas, vamos proibir também - porque elas não claras, luminosas, quentes, brilham e ficam impondo o seu padrão de beleza para o resto da galáxia?

O Sérgio Vaz, meu amigo de Facebook, fez uma excelente piada - e acho que ele tem razão: "Que tal buraco afrodescendente?"

Pois, como disse o Sérgio, a situação não está preta, está afrodescendente...

E, nesse ritmo da correção política, só tende a piorar...

Para ir além
Compartilhar


Postado por Julio Daio Borges
Em 17/9/2015 às 18h18


Mais Julio Daio Bløg
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Poesias Coligidas
Fernando Pessoa
Nova Fronteira
(1981)



Livro - Quando Mamãe Virou um Monstro
Joanna Harrison
Brinque Book
(1996)



Liberalismo - Teoria e prática
Theodore Meyer Greene
Ibrasa
(1983)



Ciências Novo Pensar 7
Demérito Gowdak; Eduardo Martins
Ftd
(2017)



Origens Relacionando a Ciência Com a Bíblia
Ariel Roth
Casa Publicadora Brasileira
(2016)



Caravelas no Novo Mundo - Col o Cotidiano da Historia (+2 Encartes)
Antonio Augusto da Costa Faria
Atica
(1999)



Guia de Campo - Aves da Grande São Paulo
Pedro F. Develey
Aves e Fotos
(2004)



Cronicas para Ler na Escola
Carlos Heitor Cony
Objetiva
(2009)



Sempre Há uma Chance
Lucimara Breve
J. R.
(2004)



Em Festa de Canibal Pizza Não É Legal ( Em Língua Portuguesa)
Júlio Emílio Braz
Imperial Novo Milenio
(2009)





busca | avançada
49127 visitas/dia
2,0 milhão/mês