Eu sou a favor do impeachment, mas eu acho triste | Julio Daio Bløg

busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
>>> Ana Cañas e Raíces de América abrem a programação musical de junho, no Sesc Santo André
>>> Sesc Santo André recebe Cia. Vagalum Tum Tum, em junho
>>> 3º K-Pop Joinville Festival já está com inscrições abertas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
>>> The Shallows chegou
>>> Ceifadores
>>> É hoje (de novo)!
>>> Trump e adjacências
>>> Entrevista com Pollyana Ferrari
>>> O novo sempre vem
>>> O estilo de Freddie Hubbard
Mais Recentes
>>> Zé Carioca Nº 1821 de Walt Disney pela Abril (1988)
>>> The Theory of Economic Development de Lord Robbins pela Macmillan (1968)
>>> Matemática - Magistério 1 de Ruy Madsen Barbosa pela Atual (1985)
>>> Do alto da tribuna de Ademar rigueira neto pela Lumen juris (2017)
>>> A Vida de D. Pedro I - Tomo I de Octávio Tarquínio de Sousa pela José Olympio (1972)
>>> Novos Canticos de Dolares Bacelar Espíritos Diversos pela Não Informada (1983)
>>> O Clube do Filme de David Gilmour; Luciano Trigo pela Intrinseca (2009)
>>> Zé Carioca Nº 1820 de Walt Disney pela Abril (1988)
>>> Cozinha do Mundo: Itália Vol. 1 de Abril Coleções pela Abril Coleçoes (2010)
>>> Who's Best? de Varios Autores pela Foundations Reading Library (2006)
>>> The Elements of Typographic Style de Robert Bringhurst pela Hartley & Marks (1997)
>>> Doctor Who: Adventures in time and space de Vários autores pela Bbc (2009)
>>> Cálculos Trabalhistas de Adalberto José do Amaral Filho pela Ltr (2002)
>>> A Fenda do Tempo de Dionísio Jacob pela Infanto Juvenis (2005)
>>> Lobo Solitário 8 de Kazuo Koike e Goseki Kojima pela Cedibra (1989)
>>> Macunaíma, o Herói sem Nenhum Caráter de Mário de Andrade pela Penguin Companhia (2016)
>>> Oficina de História - Volume único de Flávio Campos pela Leya (2012)
>>> Zé Carioca Nº 1818 de Walt Disney pela Abril (1987)
>>> Romance Senzala de Salvador Gentile pela Instituto Difusão Espirita (1993)
>>> Cartas Chilenas de Tomás Antônio Gonzaga pela Martin Claret (2007)
>>> Skate - Guia Passo a Passo Ilustrado de Clive Gifford pela Zastras (2008)
>>> Mensagens de Matthew Mckay; Martha Davis; Patrick Fanning pela Summus (1999)
>>> Zé Carioca Nº 1798 de Walt Disney pela Abril (1987)
>>> Ente Osso agora de Maitê Proença pela Record (2015)
>>> Aprendi com meu pai - 54 pessoas bem-sucedidas contam a maior lição que receberam do seu pai de Luís Colombini pela Virsar (2006)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 18/9/2015
Eu sou a favor do impeachment, mas eu acho triste
Julio Daio Borges

+ de 3500 Acessos

Eu acho triste que a gente tenha de arrancar uma louca, da cadeira, com camisa de força

Porque o impeachment é isso

Eu acho triste que ela não se convença de que deu errado, de que seu governo foi um desastre - e que essa pessoa seja, justamente, a presidente do Brasil

É triste você ter de convencer o supremo mandatário da Nação de que ele errou, e de que ele tem de sair - à força (porque não teve outro jeito)

O Collor foi tão triste quanto

Porque não é só a tristeza de tirar a pessoa - à força (porque ela resiste) - mas a sensação, inescapável, de que o País errou em elegê-la (e, no caso, em reelegê-la)

Erramos todos. Mesmo os que não votaram nessa pessoa

Porque falhamos em não convencer os outros. Porque falhamos em deixar a pessoa - que não deveria ganhar - ganhar

Independente de quem falhou - seja votando, seja não fazendo oposição direito, seja não fiscalizando as urnas eletrônicas -, falhamos como Nação

Quando você olha um país, de fora, e os problemas que esse país enfrenta por ter um supremo mandatário que não deveria estar lá, a quem você culpa?

Ao povo

E você, imediatamente, se pergunta:

"Por que o povo não faz nada? Por que o povo deixa? Por que o povo elegeu essa pessoa?"

É a mesma coisa - para quem nos olha de fora...

"Essa mulher é a presidente? E vocês não fazem nada? E você elegeram ela? E vocês deixaram ela ganhar? De novo?"

"Ela é péssima - mas vocês não são muito melhores que ela", um estrangeiro poderia, facilmente, argumentar

E teríamos de engolir em seco - porque é verdade

Então a gente percebe, como diz aquele expressão não muito bonita, que o buraco é bem mais embaixo

Porque a presidente e o seu impeachment são apenas um símbolo

Um símbolo, eloquente, de que o Brasil errou - e feio

Porque o PT nasceu e cresceu aqui. Essa excrescência fomos nós que parimos, como País. Os petistas não são alienígenas. Eles são humanos

E eles são brasileiros...

Olha que tristeza

E fica a ameaça - permanente - de que pode acontecer de novo

Outro PT. Com outro nome. Com outras pessoas. Com outros Lulas. Com outras Dilmas. Tudo de novo

Podemos, sim, enclausurar os criminosos na nossa prisão de segurança máxima (se é que ela existe). Mas não podemos evitar o fato de que o crime nasceu - e frutificou - no seio da nossa sociedade...

O PT é triste, mas o Brasil é tristíssimo - porque deu ensejo... ao PT!

Nós temos, sim, como trocar de presidente. Que ótimo, não é mesmo?

Mas nós não temos como trocar de País. (Quer dizer: alguns até trocam; mas não trocam, no fundo...)

E nem temos como trocar de povo. Só se nascermos de novo

Vocês já pensaram nisso?

Pensaram de verdade?

Pensaram com carinho?

Enfim: mais para dizer que eu fiquei contente que o pedido de impeachment teve a sua entrega, formal, ontem

Mas eu fiquei, igualmente, triste

Triste pelo Brasil

Triste pela gente

Para ir além
Compartilhar


Postado por Julio Daio Borges
Em 18/9/2015 às 12h33


Mais Julio Daio Bløg
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Morocco Style - Icons
Angelika Taschen
Taschen
(2004)



Pelezinho Coleção Histórica Nº1
Mauricio de Sousa
Panini Comics



Colapso 2ª Edição
Arthur Hailey
Record
(1978)



Cubatao a rainha da serras
Oscar ambrosio
Noovha
(2005)



O Terceiro Milênio e as Profecias do Apocalipse
Alejandro Bullón
Casa Publicadora Brasileira
(1999)



A Era das Revoluções 1789 - 1848
Eric J. Hobsbawm
Paz e Terra
(1991)



A Família Maldita
Jonas Rezende
Mauad
(2001)



Menôn
Platão
Folha de S. Paulo
(2015)



Ambiente de Desenvolvimento Integrado para Java NetBeans IDE 4.1
Ivan Mecenas
Alta Books
(2005)
+ frete grátis



Picasso
Grandes Mestres
Abril
(2011)





busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês