Bizzzare Bowwwie | Blog de Renato Alessandro dos Santos

busca | avançada
57428 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zé Guilherme recebe o pianista Matheus Ferreira na série EntreMeios
>>> Chamada Vale recebe cadastro de cerca de 3 mil projetos
>>> Lançamento do Mini Doc Tempo dell'Anima
>>> Cinema in Concert com João Carlos Martins une o cinema à música sinfônica em espetáculo audiovisual
>>> Editora Unesp lança 20 livros para download gratuito
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hiperbóreo nos trópicos: a poesia de Oleg Almeida
>>> Imagens do Grande Sertão de Guimarães Rosa
>>> A derrota do Marketing Político
>>> Jorge Drexler, no Bourbon Street, em 2009
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Eu me pergunto para onde vai a imprensa...
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Filmes de saiote
>>> Aerosmith no Morumbi
Mais Recentes
>>> A hora da estrela de Clarice Lispector pela Rocco (1977)
>>> Matrix - Bem Vindo ao Deserto do Real de William Irwin pela Madras (2003)
>>> O Terapeuta Como Companheiro Mítico: Ensaios de Psicologia Analítica de Walter Melo pela Espaço Artaud (2009)
>>> Pinball de Jerzy Kosinski pela Record (2000)
>>> Navegando de Rubem Alves pela Papirus (2004)
>>> Itinerários da Loucura Em Territorios Dogon de Denise Dias Barros pela Fiocruz (2004)
>>> Livro do mestre de Steve Winter pela Abril (1995)
>>> A obra em negro de Marguerite Youcenar pela Nova Fronteira (1968)
>>> Aspectos da Cultura Tukano - Cosmogonia e Mitologia de Marc Fulop pela Edua (2009)
>>> Epidemiologia da Imprecisão: Processo saúde / doença como objeto da epidemiologia de José Jackson Coelho Sampaio pela Fiocruz (1998)
>>> Contra Um Mundo Melhor: Ensaios do afeto de Luiz Felipe Ponde pela Leya (2010)
>>> Palavra e Verdade na Filosofia Antiga e na Psicanálise de Luiz Alfredo Garcia Roza pela Jorge Zahar Editor (1990)
>>> O Gigante Deitado de Jane Martins Vilela pela Clarim (1994)
>>> Psicologia do Desenvolvimento de Maria Aparecida Cória-Sabini pela Ática (1998)
>>> Psicologia – Das Raízes aos Movimentos Contemporâneos de Berenice Caspigiani pela Cengage Learning (2010)
>>> A Magia na Umbanda: da doença à desordem de Paula Montero pela Graal (1985)
>>> Educação Social de Rua: as Bases Políticas e Pedagógicas para uma educação popular de Walter Ferreira de Oliveira pela Artmed (2004)
>>> John Dewey – Uma Filosofia Para Educadores em Sala de Aula de Marcus Vinícius da Cunha pela Vozes (1999)
>>> Sobre a Construção do Sentido – O Pensar e o Agir Entre a Vida e a Filosofia de Ricardo Timm de Souza pela Perspectiva (2003)
>>> Infância e Ilusão (Psico)Pedagogia – Escritos de Psicanálise e Educação de Leandro de Lajonquière pela Vozes (2000)
>>> O Círculo dos Fogos Feitos e Ditos dos índios Yanomami de Jacques Lizot pela Martins Fontes (1988)
>>> Desdobrando o Avesso da Psicanálise: Relações Com a Educação de Maria Nestrovsky Folberg (Org.) pela Ufrgs / Evangraf (2002)
>>> Soma: uma Terapia Anarquista (3volumes) de Roberto Freire pela Guanabara (1988)
>>> Estilo e Modernidade em Psicanálise de Joel Briman pela Trinta e Quatro (1997)
>>> Hospício é deus e O sofredor do ver (Box) de Maura Lopes Cançado pela Autêntica (2015)
>>> Urihi A: A Terra-Floresta Yanomami de Albert Bruce; William Milliken pela Isa (2019)
>>> Índio do Brasil de Julio Cezar Melatti pela Hucitec (1993)
>>> Na Mata do Sabiá: contribuições sobre a presença indígena no Ceará de Estevao Martins Palitot pela Imopec (2009)
>>> Psicologia e Povos Indígenas de Conselho Regional de Psicologia SP pela Conselho Reginal de Psicologia (2010)
>>> A Pílula Vermelha: Questões de Ciência, Filosofia e Religião em Matrix de Glenn Yeffeth pela Publifolha (2003)
>>> Cenas da Vida de Rubem Alves pela Papirus (2004)
>>> A cabeça bem-feita: Repensar a reforma. Reformar o pensamento de Edgar Morin pela Bertrand Brasil (2000)
>>> Os portais da felicidade de J. S. Godinho pela Holus Publicações (2004)
>>> Orçamento Público - contém orçamento por resultados de James Giacomoni pela Atlas (2018)
>>> Almanaque para garotas calientes de Jo Hallack / Nina Lemos / Raq Affonso pela Conrad Livros (1999)
>>> Almanaque para garotas calientes de Jo Hallack / Nina Lemos / Raq Affonso pela Conrad Livros (1999)
>>> Manual para moças em fúria de Jo Hallack / Nina Lemos / Raq Affonso pela Record (2003)
>>> Henri Wallon – Uma Concepção Dialética do Desenvolvimento Infantil de Izabel Galvão pela Vozes (1999)
>>> O senhor dos anéis de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (2001)
>>> No Friend But the Mountains: Writing from Manus Prison de Behrouz Boochani pela Anansi International (2019)
>>> Voz Lusíada - Revista da Academia Lusíada de ciências, letras e artes de Vários Autores pela Fundação Calouste Gulbenkian (2001)
>>> Amor é Prosa - Sexo é Poesia de Arnaldo Jabor pela Objetiva (2004)
>>> Conceitos da Psicanálise – Depressão de Jeremy Holmes pela Relume Dumará / Ediouro (2005)
>>> Freud, pensador da cultura de Renato Mezan pela Companhia das letras (2005)
>>> Psicanálise e Desenvolvimento Infantil de Alfredo Jerusalinsky e Colaboradores pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Pais Brilhantes - Professores Fascinantes de Augusto Cury pela Sextante (2003)
>>> O Primeiro Ano de Vida de René A. Spitz pela Martins Fontes (1987)
>>> Coleção folha grandes vozes Carlos Gardel nº3 de Folha de São Paulo pela Mediafashion (2012)
>>> E. PSI. B. A. Nº 9 – La Psicopedagogía Explorando Espacios Para/Con Sus Intervenciones de Vários Autores pela Escuela Psicopedagógica de Buenos Aires
>>> Mentiras no divã de Irvin D. Yalom pela Ediouro (1996)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 25/10/2015
Bizzzare Bowwwie
Renato Alessandro dos Santos

+ de 1000 Acessos

Até 2012, nunca havia ouvido Ziggy Camaleão com atenção. Uma vergonha, mas ainda tenho amigos que também não deram muita bola para Bowie e, certamente, não irão para o céu, quando de uma vez por todas o compromisso se mostrar inadiável. Muitos garotos amavam só os Beatles e os Rolling Stones; outros, Led Zeppelin e Sabbath, que sem parar tocavam nos alto-falantes do 3 em 1. Bowie era para poucos.
Ultrapassei os 20 e os 30 e alguma coisa com orgulho. Chegaram os 40 e, com eles, David Bowie. Até que enfim, rapaz! Por onde andava? Com a aparição, veio uma pergunta: por que nunca havia me interessado por David Bowie? Minha dúvida virou uma dívida. Amigos que admirei na adolescência gostavam de Kiss, de Iron Maiden. Heavy Metal no cardápio. Quando fui crescendo, ajudou muito o caleidoscópio pop de três acordes que o rock'n'roll vem legando desde os 1950, criando aquelas fronteiras que colocavam pais e filhos em cantos opostos da casa: os pais na sala; os filhos dedilhando uma guitarra invisível, com riffs que vêm do fundo da alma. Hoje, pais e filhos dividem a paixão pelo rock'n'roll e ouvem os mesmos discos. Ainda bem.

Tudo ia muito bem e, de repente, fica melhor ainda: surge a internet nos 1990; pena que, infelizmente, passou a ocupar esse tempo esférico de nossas vidas. É, é uma pena, mas posso baixar a discografia completa de Bowie e, antes tarde do que nunca, ouvi-lo com atenção, fazendo o que deveria ter acontecido desde que, lá pelos 12, em 1984, os caras do Kiss começaram a fazer, quando conquistaram este vagabundo coração, pelos ouvidos. Com a idade se insinuando, pensei: não há jeito melhor de se pagar uma dívida com um artista do que conhecendo seu trabalho, ouvindo-o, estudando-o, analisando o que o homem fez no decorrer de sua vida artística entupida de excessos, de drogas, de rock'n'roll. E, rebel rebel, Bowie é o artista artista.
Aí, decerto porque sou professor, lembrei de uma questão didática envolvendo David Bowie e o aprendizado da língua inglesa, numa conversa entre pai e filho:

- Você está ouvindo música? - Não, estou aprendendo inglês. - Como assim? Você tá aí, deitadão, ouvindo música. - Nã, nã, não. Estou ouvindo David Bowie e, enquanto ouço o que ele canta, presto atenção nas letras, na construção das frases, no jeito que ele canta, que é demais, aliás. - E isso é aprender inglês? - Não é?! Há forma mais prazerosa de se aprender inglês do que esta? - Mas funciona? - Of course, my dear. - Is we, então. Toca aqui. - Is we.

O que motivou também a pagar a dívida com B.O.W.I.E. foi o texto de Alexandre Dantas no Tertúlia. Ele escreveu sobre o cinzento e suburbano Joy Division. Meu amigo lembrou que o nome original da banda de Ian Curtis foi retirado de uma música de Low, 11º álbum de Bowie. Baixei o disco e, claro, lá estava o camaleão, mas era diferente do que me acostumei a ver & ouvir quando adolescia nos 1980. Não era nada parecido com "China girl" ou "Let's dance", canções de Bowie que nunca ouvia deliberadamente e, se acontecia, era só porque não sou surdo. Sorry, Bowie, mas jamais colocaria essas duas canções no toca-disco nos 80's. Hoje, sim. Se bem que havia "Absolute begginers" e "Modern love", faixas de Bowie que nunca soaram ruins. Pensando bem, deveria mesmo era ter virado Aladdin Sane de um lado a outro no toca-discos, como um bife.

Vem o tempo, e a gente aprende, enquanto o telhado vai se cobrindo de neve.
Caetano Veloso era feio que dói quando era tropicalista; depois, quando envelheceu, continuou... feio que dói, mas, talvez, - talvez -, um pouco mais "simpático" do que era. De qualquer forma, este parágrafo não tem nenhuma importância para este texto.
Após baixar Low, quando menos percebi, estava ouvindo finalmente David Bowie pra valer. Comecei pelo primeiro disco e fui até o último, passando pelo Tin Machine e tudo. Não deu outra: pelo terceiro dia, estava interessado em ler sobre o moço que, hoje, já é um senhor. Vou à Estante Virtual e, lá, encomendo três livros sobre o gajo. Estava bom até aí.
Li sua biografia (Bowie, a biografia, de Marc Spitz) e, naquela ocasião, não gostaria por nada deste mundo que David Bowie morresse, ou mesmo que algo de ruim acontecesse a ele. Sério. Somos gente comum, é duro aceitar isso, mas o bom é que, por isso, podemos fazer fanzines e, 4 me, na minha galeria de heróis, Bowie está ali, ao lado de Buddy Holly, de Thom Yorke, do Jeff Mangum e de outros, como Kerouac, Brito Broca, los rebeldes Rimbaud e Baudelaire, além de Stephen King, de Poe, de outros ícones de que não me lembro agora. Ah: Macaulay Culkin, River Phoenix e H. D. Thoreau, também.

Escrevo tudo isso, enquanto no toca-discos toca Aladdin Sane. Uma pergunta: o que é aquela fusão de piano, sax e bateria na faixa-título, senão coisa de gênio? Eis aí o porquê de o rock'n'roll nunca morrer: gente como Bowie não deixa, além de mim ou de você, cara pálida que vê em aliens como o camaleão motivo suficiente pra estudar, história do rock adentro, a trajetória de um artista ou de uma banda. Tudo para mergulhar mais fundo. Há uma certa classe nisso.
Hoje, merecidamente, Bowie vive e permanece como uma lenda viva. Se você fosse ele, e olhasse para trás, o que veria? Mick Jagger?! Tomara que em vez do rosto de pedra talhado em xilogravura veja o que realmente importa em relação a um artista como Bowie. Isto mesmo. Afinal, esta discografia de causar inveja a qualquer outro artista, não é uma beleza?

Texto publicado no site Tertúlia (www.tertuliaonline.com.br)

Ilustrações de Ubirajara Gonçalves Filho


Postado por Renato Alessandro dos Santos
Em 25/10/2015 às 14h22


Mais Blog de Renato Alessandro dos Santos
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OUTRO BRASIL - AUTOGRAFADO
LUIS AMARAL
ECO
(1950)
R$ 65,00



O PIROTÉCNICO ZACARIAS
MURILO RUBIÃO
ÁTICA
(1980)
R$ 10,00



BIBLIOTECA DE ALMAS
RANSOM RIGGS
INTRÍNSECA
(2017)
R$ 15,00



HELLO KITTY - ESTAÇÕES DO ANO!
KATE T. WILLIAMSON
MADRAS
(2006)
R$ 7,00



ELABORAÇÃO DE PROJETOS - DA INTRODUÇÃO À CONCLUSÃO
MARIA ALICE SOARES CONSALTER
IBPEX
(2011)
R$ 7,00



O ENIGMA DO PÁSSARO DE PEDRA
IVAN YASBECK
SCIPIONE
(1990)
R$ 5,00



POEMAS INCIDENTAIS E CONFISSÕES INTIMISTAS
VICENTE ALVES
DO AUTOR
(2008)
R$ 15,00



CAVEIRAS
ABDALA, VITOR
EDITORA ÉVORA
(2018)
R$ 49,90



O SEGREDO DA BORBOLETA
JONI JUCCI
RECORD
(1978)
R$ 6,90



DIRETO DE WASHINGTON - W. OLIVETTO POR ELE MESMO
WASHINGTON OLIVETTO
ESTAÇÃO BRASIL
(2018)
R$ 36,00





busca | avançada
57428 visitas/dia
2,1 milhões/mês