RAVELSTEIN. | Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira

busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 10 de Abril #digestivo10anos
>>> Não presta, mas vá ver
>>> Sobre o Jabá
>>> Crise da Democracia
>>> Bill Gates e o Internet Explorer
>>> LEM na TV Cronópios
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Poesia para jovens
>>> São Paulo, que dá nome à nossa cidade
>>> Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3)
Mais Recentes
>>> Ciências - Entendendo a Natureza 8ª - DO PROFESSOR de César, Sezar e Bedaque pela Saraiva (2001)
>>> Ciências - A Vida na Terra 7º ano - DO PROFESSOR de Fernando Gewandsznajder pela Ática (2011)
>>> Com Direito à Palavra: Dicionários em sala de aula de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2012)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática - Caderno 1 de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática - Educação Inclusiva de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática - Jogos na Alfabetização Matemática de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - Alfabetização Matemática -Educação Matemática do Campo de Ministério da Educação pela Ministério da Educação (2014)
>>> Orpheus Histoire Générale des Religions - 1909 de Salomon Reinach pela Motterz et Martinet (1909)
>>> Vontade de Saber Matemática 8º ano - DO PROFESSOR de Joamir Souza e Patricia Moreno Pataro pela FTD (2009)
>>> Cartas - Tomo I - 1856 de Alexandre Herculano pela Bertrand (1856)
>>> Projeto Teláris - Geografia 7 - o espaço social e o espaço brasileiro - DO PROFESSOR de J. William Vesentini e Vânia Vlach pela Ática (2013)
>>> Les Liaisons Dangereuses volumes I e II de De Laclos pela Librairie Grund (1936)
>>> Epitome de Historia Universal - 1931 de Jonathas Serrano pela Livr. Francisco Alves (1931)
>>> Gli Eroi Del Cielo, Della Terra e Del Mare de Socrate Ciccarelli pela A.Mondadori (1927)
>>> Interagindo com a Matemática 2 - DO PROFESSOR de Adilson Longen pela do Brasil
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 1 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2012)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 1 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2012)
>>> Noveau Formulaire Magistral de Thérapeutique Clinique... de Dr.Odilon Martin pela Librairie J.B.Baillière (1920)
>>> Facundo - 1942 de Domingo Faustino Sarmiento pela Editorial Losada (1942)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 4 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2012)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 5 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2013)
>>> Coleção Eu Gosto Mais - Caligrafia vol. 5 - DO PROFESSOR de Déborah Pádua Mello Neves pela IBEP (2013)
>>> História e Geografia 1 - Porta Aberta - DO PROFESSOR de Mirna Lima pela FTD (2002)
>>> Uma temporada no Inferno e Iluminações - 1957 de Arthur Rimbaud pela Civilização Brasileira (1957)
>>> Nossa Senhora de Paris - 1º volume - Colecção Lusitánia de Victor Hugo pela Livraria Chardron
>>> Rayons X et la Photographie a travers les corps opaques - 1896 de Ch. - D. Guillaume pela Gauthier-Villars et fils (1896)
>>> Normas da Alimentação de Neila Mara pela Ufpel (1994)
>>> Quimioterapia do Tracoma - 1940 de Octacilio Lopes (autografado) pela Revista dos Tribunais (1940)
>>> Língua Portuguesa 3 - Porta Aberta - DO PROFESSOR de Isabella Carpaneda e Angiolina Bragança pela FTD (2003)
>>> Psicologia do Homem - Psicologia da Mulher Introdução ao... de Grupo Gente Nova pela Grupo Gente Nova
>>> A Nova Dieta Revolucionária do Dr. Atkins de Robert C. Atkins, M.D. pela Record (2001)
>>> A herdeira de Sidney Sheldon pela Círculo do livro
>>> Retrato Num Espelho - 1948 de Charles Morgan pela Globo (1948)
>>> Les Grands Auteurs de La Sociologie de Henri Mendas ; Jean Étienne pela Hatier (1997)
>>> Como Administrar o Tempo de Tim Hindle pela Publifolha (1999)
>>> Sono - Cuide Bem de Sua Saúde de Edzard Ernst professor pela Vitória Régia (2000)
>>> Matemática nos Novos Tempos - Registrando Descobertas 4 - DO PROFESSOR de Maria Apparecida Barroso de Lima pela FTD (2003)
>>> Sistema Integrado de Educação - Planejamento Diário do Professor -2 anos - Educação Infantil de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Gato Preto em Campo de Neve - 1947 - Ilustrado de Erico Verissimo pela O Globo (1947)
>>> Chamado da Selva (Tã - Tã) - Caminhos da Vida de Attilio Gatti pela Melhoramentos (1957)
>>> Sistema Integrado de Educação - Planejamento Diário do Professor - 5º ano de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Curumim sem nome - Coleção Estórias do meu Brasil de Baltazar de Godoy Moreira pela Do Brasil
>>> Sistema Integrado de Educação - Matemática 3º ano - Ensino Fundamental - MANUAL DO EDUCADOR de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Revista do Livro - Ano 6 Março; Junho 1961 - nº 21 - 22 de Augusto Meyer (Diretor) pela Imprensa Oficial (1961)
>>> Sistema Integrado de Educação - Ciências 3º ano - Ensino Fundamental - MANUAL DO EDUCADOR de Maria Clara Medeiros pela Formando Cidadãos
>>> Obras de Eça de Queiroz - Vol. VI Edição do Centenário 1947 - Formato Grande de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão Editores (1947)
>>> Obras de Eça de Queiroz - Vol. V Edição do Centenário - 1946 - Formato Grande de Eça de Queiroz pela Lello & Irmão Editores (1946)
>>> Novas poesias para moças e crianças nativistas: invernadas mirim, juvenil e das prendas de Dimas Costa pela Martins Livreiro (1995)
>>> Porta Aberta - Guia Interdisciplinar 3 - DO PROFESSOR de FTD pela FTD (2003)
>>> Oceanos - Portugueses no Brasil Independente de Joaquim Romero Magalhães (Director) pela Bertrand (2000)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 6/11/2015
RAVELSTEIN.
Vinícius Ferreira de Oliveira

+ de 700 Acessos

Ao cabo da leitura de "Ravelstein", última novela de Saul Bellow, relançada recentemente pela Cia. das Letras em uma coletânea, não há como não terminar por admirar a figura do protagonista, na verdade o Professor de Filosofia Política Alam Bloom, que fez sucesso mundial no final dos anos 1980 com o lançamento de "The Closing of American Mind", uma crítica à cultura contemporânea (pop e universitária) por terem se distanciado dos valores clássicos, ou qualquer coisa neste gênero.

Ravesltein, ou Alam Bloom, foi tido um ícone do pensamento conservador americano, tendo sido aluno de Leo Strauss (Devarr no romance, tão mencionado) muito lembrado nos anos Bush como mentor de seus malvados assessores neocons. Quando se imagina um pensador conservador pensa-se logo em um pater famíliae sisudo e religioso, católico, judeu ou protestante. Mas Ravelstein não era casado e não tinha filhos. Era um dandy gay, uma homossexual wildiano. E mais, judeu cultural e de nascença, era ateu e materialista. Materialista ideologicamente e no sentido do apego a bens materiais: ternos de luxo, pratarias, cristais, hospedagens em suítes presidenciais, BMW sofisticados que comprava para o seu bofe nipônico, Nikki, que o acompanhou em seus últimos dias. Mas era um homossexual que mantinha as aparências: "Ele não tolerava as afetações de homens efeminados", e escondia sua moléstiaincurável.

Irreligioso embora, Ravelstein cultivava os valores judaico-cristãos, a cujo conjunto ele dava o nome "Jerusalém." Junto com eles os valores Greco-romanos, "Atenas." Era um combatente do niilismo.

Os luxos, Ravelstein pôde gozar mais no fim da vida, após ter sido convencido por Bellow, Chic no romance, a expor suas idéias para o grande público. O livro virou best seller e Ravelstein um milionário. Antes, porém, Ravelstein já era um professor celebridade dentro do seleto círculo dos acadêmicos nos EUA (e só dentro dele) como professor na Universidade de Chicago. Era professor cultuado:

"O jovem Philip era um dos garotos que Ravelstein havia educado ao longo de um período de trinta anos. Os pupilos dele tinham se tornado historiadores, jornalistas, experts, funcionário públicos, integrantes de think tanks. Ravelstein tinha produzido (doutrinado) três ou quatro gerações de formandos. Mais importante, os alunos eram loucos por ele."

Os alunos adotavam as idéias de Ravelstein quase inteiramente como suas. E mais: imitavam seu modo de vestir, passavam a ouvir a música de que Ravelstein gostava, e a fumar os seus cigarros prediletos. Tinham a ligação parecida que Sócrates ou Platão tinha com seus alunos, que perduravam décadas. A mesma ligação que no Brasil um Olavo de Carvalho tem com seus olavetes mais intelectualizados. A diferença é que a ligação era ainda mais profunda: Ravelstein dava conselhos e mesmo interferia na vida pessoal dos alunos, inclusive arranjando casamentos. Era um tipo de professor magnetizante tão raro de encontrar nas universidades. Uma vez que alcançassem altos cargos públicos ou postos de poder, ex-alunos vinham se aconselhar com o velho professor e mesmo lhe contar fofocas dos bastidores do poder, coisa que Bloom adorava.

As idéias de Bloom não são muito exploradas no romance. O que interessa é o homem. Ficamos sabendo que ele é um platonista e um roussoniano. Tem sobre a "metafísica do amor" uma concepção muito peculiar: o mito andrógino, explorado por Julius Evola: no início os seres humanos eram andróginos, separados homem e mulher, os seres humanos se apaixonam em busca de complementar seu ser com a metade sexual faltante. Não sei como a homossexualidade entra nessa história.

Bloom atraiu a ira do mainstream acadêmico contra si. Era odiado por sua própria classe. Deve ter sido ainda mais odiado após se tornar um ricaço. Após o boom de seu livro "(...) todos os tolos se uniram contra ele (como Swift ou Pope disse muito tempo atrás). Se tivessem o poder do FBI, os professores teriam colocado Ravelstein nos cartazes de "mais procurados" como os que se vê nos prédios públicos." O tipo de coisa que no Brasil aconteceu com Olavo de Carvalho nos anos 1990 com o lançamento de "O Imbecil Coletivo". O estilo de atuação de Bloom na área cultural segue o padrão de um Paul Johson ou Roger Scruton na Inglaterra. É o reaça com poderosa erudição, valores clássicos, e grande munição retórica que vem atrapalhar a festa do mainstream intelectual universitário cheio dos seus niilismos, relativismos marxismos, desconstrucionismos e do políticamente correto. Fazem enorme sucesso, falam às massas middlebrow e atraem a ira dos figurões da universidade. O tipo de livro que Ravelstein escreve também, de certo, é repleto de erros filológicos, de tradução, de detalhe edrudito. Aí vem os eruditos especialistas atacarem: "As Universidades encontraram erros, algumas delas no grego dele."

Mas é a atitude de Bloom perante a vida é que é explorada no romance e cativa particularmente. Era fumante compulsivo e pensava que a preocupação com a saúde era coisa de burgueses, esses maricas, avessos a uma vida aventureira ou heróica. De fato, a saúde pouco lhe importava: morreu de AIDS e continuou fumando até o fim. Em suas palestras, fumava mesmo com um cartaz de proibição bem atrás de sua cabeça, iniciando sua fala assim: "Aqueles que se incomodarem por odiar mais o tabaco do que apreciam as idéias não terão a sua ausência notada."

No romance, Ravelstein, que amava com a mesma intensidade Platão, luxo mundano e perversões carnais, vai morrendo aos poucos, de complicações da AIDS. O livro todo fala de velhos intelectuais se preparando para morrer. O próprio narrador, Bellow aos 80 e tantos, é um velho intelectual se preparando para morrer. Se pensamos que estão aturdidos, estamos enganados. Se pensamos que estão preocupados com o grande mistério que vão enfrentar, também. Se pensamos que estão angustiados, pensando na noite escura, no juízo final, etc., mais ainda. Moribundo, Ravelstein sente seu apetite sexual aumentar. Tesão de moribundo, algo que eu desconhecia. Um professor transplantado (que conhecemos numa bela narrativa assessória) com o coração de um jovem motoqueiro, sente que incorporou a audácia juvenil do doador e só fala de mulher. O próprio Bloom, ou Chic, no último capítulo relata sua passagem por uma UTI e perguntado sobre o que pensa sobre a morte, diz que nela, simplesmente, as imagens desaparecem. Bellow, à época da convalescença final de Ravelstein, se apaixona por uma aluna dele e se casa novamente. Com mais de 80 anos. São velhos bon vivant e se recusam a morrer. Um outro casal de intelectuais senil vem contar a Ravelstein que pretendem se matar devido às limitações da senectitude. Ravelstein os dissuade. Segundo ele, o problema dos velhos é solidão e natureza, ou seja: o fato de terem buscado um asilo tranqüilo no fim da vida numa fazenda, era a origem da depressão do casal. O que precisavam era de um pouco de convivência social e da agitação do mundo.

É um livro sobre intelectuais. Principalmente velhos. Há na novela alguns tipos sombrios, como um romeno especialista em mitos que teria sido um nazista, e ainda o seria enrustidamente. Há também a última esposa de Bellow, muito mais jovem, Vela, uma física especialista em teoria do caos, autoritária, adúltera, insensível e desprezadora da literatura e do trabalho do marido.

Ravelstein é um homem bastante ativo (e fumante) até o fim. A doença fatal faz com que abandone o trabalho. Mesmo no fim a dar festas em sua casa nos dias de jogos do Chicago Bull. É de sua natureza. Ele é o antípoda do intelectual melancólico que só acusa a vida, a existência:

"Não havia nada na vida de Ravelstein que seguisse a média. Ele não aceitava o tédio e a chatice. Também não tolerava a depressão. Ele não aturava baixo-astral. Quando tinha problemas eram físicos."

O niilismo para ele era o grande mal do tal mundo moderno. Acreditava em valores absolutos e no sentido da vida.

Em suma, era um tipo fascinante. Um professor que gostaríamos de ter tido. Bellow encontrou motivação para viver mais uns anos dentre outros motivos para poder escrever sobre a criatura nesta biografia romanceada dos últimos dias de Alam Bloom.

Últimas palavras da novela: "Você não entrega facilmente para a morte uma criatura com Ravelstein."


Postado por Vinícius Ferreira de Oliveira
Em 6/11/2015 às 20h02


Mais Blog de Vinícius Ferreira de Oliveira
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TUDO O QUE VOCÊ QUERIA SABER SOBRE ASTROLOGIA
JUAREZ DE FAUSTO PRESTUPA
MADRAS
(2008)
R$ 12,00



A NATUREZA JURÍDICA DO DIREITO DESPORTIVO; O DIREITO DESPORTIVO
REVISTA BRASILEIRA DE DIREITO DESPORTIVO, 1
OAB SP
(2002)
R$ 19,28



JORNALISMO E POLÍTICA DEMOCRÁTICA NO BRASIL
CAROLINA MATOS
PUBLIFOLHA
(2008)
R$ 10,00



ANÁLISE FINANCEIRA DAS EMPRESAS
JOSÉ PEREIRA DA SILVA
ATLAS
(1996)
R$ 35,90
+ frete grátis



BABEL
ALBERTO LINS CALDAS
REVAN
(2001)
R$ 15,00



BOTO TUCUXI
CIÇA FITTIPALDI
SCIPIONE
(1990)
R$ 5,00



A "ART NOUVEAU"
B. CHAMPIGNEULLE
VERBO EDUSP
(1976)
R$ 25,00



ECONOMIA. PRINCÍPIOS BÁSICOS E INTRODUÇÃO À MICROECONOMIA
FLÁVIO RIANI
PIONEIRA
(1998)
R$ 15,00



ELIMINE SUAS DORES NATURALMENTE
JACQUES STAEHLÉ
MARTINS FONTES
(1981)
R$ 10,00



AS VITAMINAS - DO NUTRIENTE AO MEDICAMENTO
JEAN-CLAUDE GUILLAND E BRUNO LEQUEU
SANTOS LIVRARIA
(1995)
R$ 15,00





busca | avançada
54626 visitas/dia
1,3 milhão/mês