The Book of Souls | Blog do Carvalhal

busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Pensando sozinho
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
>>> História da leitura (I): as tábuas da lei e o rolo
>>> Sinatra e Bennett (1988)
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
Mais Recentes
>>> Taxi of Terror de Phillip Burrows and Mark Foster pela Oxford (2000)
>>> Jogo Limpo de Jack Nadel pela Saraiva
>>> Planeta - o Que É a Memória de Vários Autores pela Três (1973)
>>> Nuevo Listo: Parte A de Roberta Amendola pela Santillana / Moderna (2012)
>>> Flor de Sal : o Livro de Receitas do Blog de Gabi Mahamud pela Alaúde (2018)
>>> Almanaque do Futebol Sportv de Lédio Carmona; Gustavo Poli pela Leya Casa da Palavra (2009)
>>> O Turista Acidental - Sebo Tradição de Anne Tyler pela Record (2009)
>>> Shop window - six designer display direction vitrinismo de Kanji Tanaka pela Rikuyo sha (1986)
>>> La Figure de Iauteur de Maurice Couturier pela Seuilpoétique (1995)
>>> Vendedor de Sonhos, o - o Chamado de Augusto Cury pela Planeta do Brasil (2016)
>>> A Tale of Two Cities Stage 4 - Com Cd de Charles Dickens pela Hub Editorial
>>> Meu Pai Fala Cada Merda de Justin Halpern; Marcello Lino pela Sextante (2010)
>>> Quem Mexeu no Meu Queijo? para Jovens de Spencer Johnson pela Record (2004)
>>> Contos Gauchescos de Simões Lopes Neto pela Ática (1998)
>>> Estão Falando de Você de Jorge Linhares pela Do Autor
>>> Conecte Bio 2- Parte 2 de Sonia Lopes; Sergio Rosso pela Saraiva
>>> Ética Empresarial na Prática de Mario Sergio Cunha Alencastro pela Ibpex (2010)
>>> o Ministro Fora do Comum de Mike Murdock pela Center (1999)
>>> Manuscrito Encontrado Em Accra de Paulo Coelho pela Sextante (2012)
>>> Caligula - Emperor of Rome de Arthur Ferrill pela Thames & Hudson
>>> Projeto Múltiplo - Historia: Caderno de Estudos, Parte 1 de Cláudio Vicentino; Gianpaolo Dorigo pela Scipione (2014)
>>> Lucíola - Série Bom Livro 27ª de José de Alencar pela Atica (2002)
>>> segurança tem saida de luiz eduardo soares pela sextante (2006)
>>> Jusfilosofia de Deus de Rossini Corrêa pela Primôgenitos (2005)
>>> Gestão Estratégica de Vendas de Hbr pela Elsevier (2008)
BLOGS >>> Posts

Quarta-feira, 18/11/2015
The Book of Souls
Guilherme Carvalhal

+ de 7500 Acessos



O último disco do Iron Maiden, The Book of Souls, é inegavelmente um dos melhores trabalhos da banda nos últimos anos. Com influências variadas, revisitando pontos altos de muitos dos seus álbuns clássicos, conseguindo agradar um corpo de fãs enorme e com predileções distintas. Tem o fã que prefere a influência punk do seu primeiro disco, outros que curtem mais o trabalho muito acurado do Seventh Son Of A Seventh Son; a tendência é que agrade a quem tem suas mais variadas preferências dentro da discografia.

A banda mostra um afinamento entre si que apenas suas quase quatro décadas de trabalho podem render. A criatividade salta às vistas, mostrando uma capacidade de composição que há tempos não se via, desde os tempos em que começaram a lançar discos que não conquistaram grande parcela do pública, mantendo-se como uma banda que se destaca pelos seus trabalhos iniciais. Aliás, essa uma característica comum a praticamente todas as bandas, que conquistam seu público nos primeiros trabalhos e em um prazo de 20 ou 30 anos não conseguem emplacar músicas novas.

O problema de The Book of Souls não está no disco em si, esse indiscutivelmente muito bom, mas em sua posição dentro de toda a obra do Iron Maiden. Sendo uma das maiores bandas do mundo e com uma discografia vasta, ela já está no rol de outras como Rolling Stones e U2, com músicas marcantes e que apenas com dificuldades conseguem lançar algo de diferente.

É nesse ponto que The Book of Souls gera alguma decepção, pela sensação de mais do mesmo. É a mesma pegada já ouvida em diversos outros trabalhos, sem um viés novo a ser explorado. A banda repete sua fórmula, apesar de em uma performance brilhante. Igual sensação ocorreu com o disco The Endless River, do Pink Floyd. O disco, uma série de sobras de gravações, apesar de sonoramente belo, relembra tudo aquilo que a banda produziu anteriormente, sendo mais um caso de repetição musical.

Obviamente que esse tipo de constatação prima mais o conjunto da obra do que o disco por si só. Até porque, para se observar o fator criatividade, é preciso pensar nessa evolução temporal da banda. No caso do Iron Maiden, é uma banda que iniciou influenciada pelo punk, mas que aos poucos foi gerando um som cada vez mais elaborado e com pegadas mais melódicas. Após conseguir firmar seu estilo e se tornar uma banda mundialmente conhecida, ela passou a ter discos de qualidade nitidamente abaixo da média.

The Book of Souls foi o melhor disco do Iron Maiden em 20 anos. A banda conseguiu resgatar a qualidade de seus primeiros discos. Por outro lado, mostra que entrou em uma fórmula musical da qual não consegue mais sair.


Postado por Guilherme Carvalhal
Em 18/11/2015 às 14h35


Mais Blog do Carvalhal
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Sertões
Euclides da Cunha
Circulo do Livro



Atividades práticas de dinâmicas de grupo & sensibilizações
Tânia Dias Queiroz
Rideel
(2004)



Guerra dos Mascates, o Ermitão da Glória, a Alma do Lázaro
José de Alencar
Edigraf Ltda
(1961)



Memórias de Abjica - 30 Anos de História
Abijica
Paginas e Letras
(2014)



Guia Imersivo de Inglês para Viagem
Fluentics
Fluentics



Revista Claudia Cozinha N.451 e N.438
Vários
Abril
(1999)



O Tempo Não Tem Idade
Pedro Paulo Monteiro
Gutenberg
(2011)



O mundo funk carioca
Hermano Vianna
Jorge Zahar editor
(1988)



Diário de um adolescente apaixonado
Rafael Moreira
Novas páginas
(2015)



2 Livros Lindsey Kelk
Lindsey Kelk
Fundamento
(2013)





busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês