Divisões históricas | Blog do Carvalhal

busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dentre Nós Cia de Dança estreia “Sagrado Seja o Caos”
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Entre o corpo e a alma, o tempo
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Disciplinas isoladas
>>> Meus encontros e desencontros com Daniel Piza
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
>>> Chris Cornell
>>> Nosso Primeiro Periscope
Mais Recentes
>>> A Revoada dos Anjos de Minas de J. D. Vital pela Autêntica (2016)
>>> A Verdade Sobre o Talento de Jacqueline Davies, Jaremy Kourdi pela Dvs (2013)
>>> Jogos Pedagógicos e Histórias de Vida (lacrado) de Cristina Jorge Dias. pela Loyola (2013)
>>> O livro dos desafios 2 de Charles Barry Townsend pela Ediouro (2004)
>>> Turma da Mônica uma Aventura no Teatro de Fantoches N 51 de Mauricio de Sousa pela Panini Comics
>>> Maximize o poder do seu cérebro - 1000 maneiras de deixar sua mente em forma de Ken Russel e Philip Carter pela Madras (2008)
>>> A hospedeira de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
>>> Política Econômica de José Francisco Camargo pela Atlas (1967)
>>> Dicas de Como Chegar Lá! de Ernesto Haberkorn pela Circuito Netas (2016)
>>> O Brasil Republicano - o Tempo da Ditadura - Vol. 4 de Jorge Ferreira, Lucilia de Almeida Delgado pela Civilização Brasileira (2003)
>>> Imagem Profissional de Anna Cooper pela Cengage (2008)
>>> Novas comédias da vida privada de Luis Fernando Verissimo pela L&Pm Editores (1996)
>>> Pacientes Que Curam - o Cotidiano de uma Medica do Sus de Julia Rocha pela Civilização Brasileira (2019)
>>> Submarino de Joe Dunthorne pela Galera Record (2011)
>>> Dicionário de Conceitos e Pensamentos de Rui Barbosa de Luiz Rezende de Andrade Ribeiro pela Edart
>>> Reforma do Código de Processo Civil de Sálvio de Figueiredo Teixeira pela Saraiva (1996)
>>> Dez Anos Que Abalaram o Brasil (lacrado) de João Sicsú pela Geração Editorial (2013)
>>> Os Novos 52 - Universo Dc - Nº 18 - Réquiem de Dc Comics pela Panini
>>> Cinquenta tons de liberdade 3 de E L James pela Intrínseca (2012)
>>> Aplausos à Vida de Frei Xavier pela N/d
>>> Arquitetura e Suas Particularidades - a Beleza da Itália - Vol II de Eliete de Pinho Araújo pela Kiron (2016)
>>> Direito Constitucional Ambiental Ibero-americano de André Saddy, José Eugênio Soriano Garcia pela Lumen Juris (2016)
>>> Marvel Max N°18 Intimidade de Brian Michael Bendis pela Panini Comics
>>> Como Se Estivéssemos Em Palimpsesto de Putas de Elvira Vigna pela Companhia das Letras (2016)
>>> O chamado do cuco de Robert Galbraith pela Rocco (2013)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 4/12/2015
Divisões históricas
Guilherme Carvalhal

+ de 1600 Acessos

Uma notícia em um portal sobre a adaptação do livro Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, de Leandro Narloch, para a emissora History Channel, provocou um debate estranho. De um lado aqueles que se dizem de esquerda atacaram a proposta pelo fato do autor ser ligado à Veja e que seria paradoxal realizar uma produção financiada com dinheiro público. Já os ditos de direita apoiaram, pois seria uso de verba pública para a divulgação de um ponto de vista que não seja o da esquerda.

Esse debate é fruto de um momento singular que vivemos no Brasil atualmente, de uma divisão cada vez mais acentuada entre aqueles que se dizem de esquerda e aqueles que se dizem de direita. E, como não poderia ser diferente, é uma divisão altamente temperada pela alienação com relação a política, economia, e com baixíssimo nível de dialética. Dificilmente um grupo se presta a entender o ponto de vista do outro, sem contar os termos tão rasos usados para rebaixar o outro (coxinha, fascista, esquerda caviar, comunista).

É curioso como esse tipo de abordagem é utilizada de maneira um tanto quanto estranha ou até equivocada. Nesse caso específico, pega-se a história, que é uma ciência com toda uma base metodológica de estudos, e se transforma em mera disputa de poder entre um grupo ou outro. Isso mostra como popularmente as ciências sociais ainda são vistas como mero achismo, como se um pesquisador produzisse apenas embasado por convicções políticas. Não se tacham físicos, engenheiros, matemáticos, biólogos ou astrônomos como esquerda ou direita. Mas economista, historiadores, geógrafos, sociólogos, esses sim são de direita ou de esquerda.

Um dos fatos que envolvem esse pensamento é a diferenciação entre produção acadêmica e a posição política de muitos estudiosos. O fato de um economista, um historiador ou outro acadêmico considerar que medida X ou Y seja melhor para o país o coloca logo em descrédito pelo grupo que detém o ponto de vista oposto. O nível de divisão na qual o país se encontra atualmente leva essa definição a ser cada vez maior.

Eric Hobsbawn, ao escrever A Era dos Extremos, explica como é difícil produzir estudos sobre história de uma época em que o historiador viveu, justamente pela paixão que os fatos contemporâneos geram. O ideal é que se estude aquilo que aconteceu antes mesmo do nascimento do pesquisador, de maneira fria. Tanto é que discutir Ditadura Militar ainda gera muitos dissabores, mas a Proclamação da República é fato menos movido a sentimentalismos ou saudosismo (apesar de ter surgido um movimento pedindo a volta da monarquia no Brasil).

As divisões políticas que vivemos no Brasil são fruto de uma complexa série de fatores históricos. Essa dualidade entre esquerda e direita nasce da Guerra Fria, que apesar de finalizada com a queda do muro de Berlim, ainda reverbera pela América Latina. As propostas do Consenso de Washington, que firmaram as premissas do neoliberalismo, se misturam a uma herança de imperialismo e acabam sendo consideradas como uma falta de patriotismo e entreguismo. Por outro lado, essa mesma herança de imperialismo gera uma esquerda com toda faceta de populismo, sustentada em muita retórica e simbologia, com uma visão agravada pela lembrança de tomadas de poder através de um exército popular, o que na América só ocorreu em Cuba e na Nicarágua, tendo todas as outras iniciativas fracassado. Enquanto Estados Unidos e Cuba voltam a se relacionar e Samuel Huntington em seu Choque de Civilizações afirmou que a nova ordem mundial se baseia em questões culturais e não mais na dualidade entre capitalismo e comunismo, no Brasil temos uma divisão que remete a décadas passadas.

Temos um misto de memórias que se confundem junto a uma forte dificuldade de compreender o presente, agravado pelo baixo processo de dialética, o que impede que se analise o próprio pensamento de maneira crítica. Vejo muitas opiniões em oposição a Marx, Gramsci, Mises, Friedman, e tenho uma forte impressão de que a quantidade de críticas não é proporcional à leitura de textos desses pensadores. Na poesia acontece um processo de mudança de sentido: pega-se uma frase de um determinado escritor, tira de contexto e se tem um autor de autoajuda, sem contar na imensa quantidade de frases inventadas - nesse quesito Clarice Lispector sofre imensamente. Algo similar acontece nesses autores que tangem economia, história, política, etc: frases soltas para se tentar criticar, fora de seu contexto e, assim, sem causar uma reflexão maior.

É natural que em uma sociedade venham a ocorrer os mais diversos choques de opinião. É isso o que move uma democracia. Porém, retomando a ideia do método socrático, da tese e da antítese é preciso surgir uma síntese. No caso do Brasil, é por vezes assustador que esse processo não ocorra, dando uma impressão de que a sociedade cada vez mais se divide e que a continuidade democrática possa entrar em choque.


Postado por Guilherme Carvalhal
Em 4/12/2015 às 13h57


Mais Blog do Carvalhal
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Filosofia para Jovens - uma Iniciação à Filosofia
Maria Luiza Siveira Teles
Vozes
(2004)



Recanto de Paz
Luiz Gustavo
Panorama



Tempo de Aprender
Jessamyn West
Cultrix
(1955)



Antologia da Literatura Brasileira Textos Comentados Vol1
Desconhecido
Marco
(1979)



Viva com esperança
Mark Finley e Peter Landless
Casa Publicadora Brasileira
(2014)



Diários de Guerra Vozes Roubadas
Zlata Filipovic e Melanie Challenger
Seguinte
(2008)



Nos Rastros da Utopia
Manoel de Andrade
Escrituras
(2014)



O Trono no Morro
José J Veiga
Ática
(1991)



Schloss Landsberg
Gisbert Knopp
Thyssenkrupp Ag



O Culto Moderno dos Monumentos: A Sua Essência e Sua Origem
Alois Riegl
Perspectiva
(2019)





busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês