O Velho Inválido que cruzará o Atlântico | O Equilibrista

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> A volta de Steve Jobs à Apple
Mais Recentes
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
>>> Ciencias Criminais - Articulacoes Criticas Em Torno dos 20 Anos da Con de Ana C. B. de Pinho pela Lumenjuris (2009)
>>> Manual de Anestesia Em Pequenos Animais - de Paddleford pela Roca (2001)
>>> Las Investigaciones de Alvirah y Willy de Mary Higgins Clark pela Plaza & Janes (1998)
>>> Manual de Direito Constitucional - Volume Único de Marcelo Novelino pela Metodo (2014)
>>> Surfing and Health: Expert, Medial and Advice de Joel Steinman pela Meyer (2019)
>>> Competition in Global Industries de Michael E. Porter pela : Harvard Business School (1986)
>>> 22/11/63 - Novela de Stephen King pela Plaza Janés (2012)
>>> Guia Autorizado Adobe Photoshop 7. 0 - Com Cd - Livro de Treinamento de O mesmo pela Makron Books (2003)
>>> Instrumentos Musicales Precortesianos de Samuel Marti pela Inah (1968)
>>> Lo Mejor de La Siesta Inolvidable de Jorge Halperín pela Aguilar (2005)
>>> Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Lucas de Graig A. Evans pela Vida (1996)
>>> Etiquette For Outlaws de Rob Cohen pela Harper Entertainment (2001)
>>> Caixa de Pássaros de Josh Malerman pela Intrinseca (2015)
>>> Retratos e Fotogramas: Isabelle Huppert de Sesc SP pela Sesc (2009)
>>> As minas de Salomão de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Sim Não de Jussara Braga pela do Brasil (1987)
>>> Alves & C.a de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1928)
>>> Fogo no Céu! de Mary França - Eliardo França pela Ática (1991)
>>> Contos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> An Amazing Story de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> O crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Codorna - Criação - Instalação - Manejo de Irineu Fabichak pela Nobel (1987)
>>> Guerras Secretas -Super-Heróis Marvel de Alex Irvine pela Novo Século (2016)
>>> Cartas de Inglaterra de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Cem Anos de Iberê de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2014)
>>> Dia de Aninha de Ciça Alves Pinto pela Global (1996)
>>> Lasar Segall Un Expresionista Brasileño de Ivo Mesquita, Jorge Schwartz e outros pela Takano (2002)
>>> The White Mountains de John Christopher pela Longman (1974)
>>> Laje de Santos, Laje dos Sonhos de Guilherme Kodja Tebecherani, Ana Paula Pinto e outros pela Globo (2009)
>>> Ulster Story de Michael Villeneuve pela Longman (1977)
>>> Marco Giannotti de Nelson Brissac Peixoto pela Cosac Naify (2007)
>>> Morri para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Esio Trot de Roald Dahl pela Puffin Books (2001)
>>> Laura Belém de Laura Belém e outros pela Cosac Naify (2013)
>>> Brave New World de Aldous Huxley pela Longman (1978)
>>> Favela, um Bairro de Cristiane Rose Duarte e Outros (org.) pela Pro (1996)
>>> 1/3 da Vida de Wanderley Oliveira e Ermance Dufaux pela Dufaux (2016)
>>> Quê ?! de Tião Carneiro pela Autor
>>> Conheça a Verdade de Bruce Milne pela Abu (1987)
>>> Para uma Nova Era, Poesia & Prosa de Remisson Aniceto pela Patuá (2019)
>>> Mentes perigosas de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2008)
>>> Meu menino vadio de Luiz Fernando Vianna pela Intrínsica (2017)
>>> Correndo com tesouras de Augusten Burroughs pela Ediouro (2002)
>>> Supernova - A Estrela dos Mortos de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Supernova - O Encantador de Flechas de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Segregação e Gentrificação: Os conjuntos habitacionais em Natal de Sara Raquel Fernandes Queiroz de Medeiros pela Edufrn (2018)
>>> Repensar as Familias de Fiona Williams pela Principia (2004)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 11/3/2016
O Velho Inválido que cruzará o Atlântico
Heberti Rodrigo

+ de 300 Acessos

Não é no estado de harmonia de um organismo que nos deparamos com as peculiaridades de suas partes constituintes. É quando algo não vai conforme o esperado, nos conflitos, nas manifestações de dor, na exposição a elementos alérgenos que nos apercebemos dos limites de sensibilidade, das potencialidades e das fragilidades de nossos corpos que antes ignorávamos. É quando um órgão não funciona conforme o esperado que melhor compreendemos sua função e importância. De modo análogo, mais facilmente nos damos conta de nossa individualidade, do que há de singular em nossas vidas e destinos, quando nos sentimos em desarmonia com o ambiente que nos circunda. Isso, o Velho, que viveu uma infância ditosa entre os seus, não sabia; isso, o Velho, embora velho, só viria a descobrir anos mais tarde ao ser diagnosticado como inválido pelos doutores.

Subir três degraus de cinco foi o melhor que o Velho pôde fazer. Se bem que não fosse o suficiente, mais ele não pôde. Algo no Velho não ia como era de se esperar. Ele não conseguia embarcar. Não conseguia ir além daqueles três degraus e não soube explicar a si mesmo as causas do malogro. Pensava poder embarcar como seus companheiros, mas não pôde. Quis, então, entender por que, sendo também um homem capaz, não conseguiu seguir com eles. O Velho quis uma justificativa, pois uma justificativa, se não resolvesse seu problema, ao menos poderia dar-lhe uma chance de descobrir contra o quê estava a opor-se. O Velho recusou-se a aceitar o diagnóstico de invalidez que lhe imputaram os doutos. O Velho, embora velho, obstinou-se em encontrar, então, a sua própria justificativa, e em busca dela mergulhou em si mesmo; fechou-se em si mesmo como uma ostra, e como uma ostra ferida começou a produzir suas próprias perolas: sua literatura.

O Velho sentia que algo poderoso em seu íntimo o detinha no embarque, mas não sabia dizer em que consistia este algo. Sentia-se especial por haver em si essa coisa poderosa e inominável que o diferenciava, mas sentia também que por conta disso, todos lhe veriam a partir de então como um estranho inválido ou coisa pior. Ele que sempre fora tido como um homem de valor passou a ser visto ora como um fracassado, ora como um vagabundo que vive à custa de sua mulher. E isso tudo aconteceu justamente no momento em que começava a entrever algo de extraordinário em sua vida e futuro. O Velho não sabia o que pensar de si mesmo e de sua estranha situação. Sentia-se angustiado e enraivecido como se, de repente, desaparecesse alguém que amamos sem deixar notícias. Vivia, então, o desespero de não conseguir prosseguir sua vida por desconhecer se esse alguém estava vivo ou morto. O Velho precisava de respostas, precisava saber por que ele era diferente para que pudesse dar um rumo a si mesmo; precisava encontrar sua própria explicação, pois, como disse, recusou-se a aceitar o diagnóstico de invalidez outorgado pelos doutores. O Velho precisava afastar os fantasmas, precisava enterrar os mortos. Não poderia prosseguir sem compreender o que lhe acontecera. Sentia necessidade de entender a si próprio, pois sem isso, continuaria indefeso. Sem conseguir compreender sua vida, teria de se submeter a viver à base de remédios e de sessões de análise com os doutos. Jamais se resignaria a essa idéia. Sem compreender a si próprio, o Velho teria de se sujeitar a ter sua vida controlada por eles, e isso para ele é pior do que a morte, é uma vida não vivida. O Velho, embora velho e inválido, não aceita rédeas. O Velho, embora velho e angustiado, não aceita receitas de como viver. O Velho, embora velho e inválido, vai erguer-se e caminhar por conta própria, a despeito de todos os prognósticos contrários.

Há momentos em que sente dores terríveis, mas compreendeu que são essas mesmas dores que o ajudarão a erguer-se e caminhar sem o auxílio de muletas. Sem dor, o Velho não se erguerá. Sem dor, não produz suas pérolas. Sem dor, não há a grande literatura. Se a despeito do incômodo das dores e demais dificuldades não faz uso de coletivos para avançar, é porque o Velho, embora velho e inválido, não abre mão de caminhar com suas próprias pernas ao invés de servir-se da comodidade e agilidade oferecida pelos coletivos aos que preferem levar suas vidas segundo as receitas prescritas pelos doutos. O Velho não permitirá que sua musculatura atrofie. Também não faz uso de analgésicos porque não consente que embruteçam sua sensibilidade. Não lhe importa o quanto isso exija de si mesmo, não lhe importa o quanto isso lhe tome de tempo, o Velho não pode viver em coletivos, o Velho não pode viver entorpecido.

O Velho garante que se reerguerá. Provará ser capaz de fazer o que os doutores disseram que ele não seria. O Velho, embora velho, irá longe. O Velho, embora velho e inválido, atravessará por si mesmo um oceano de dificuldades. O Velho nasceu para se superar. Nasceu para produzir suas valiosas pérolas. O Velho não nasceu para viver como toda a gente do povo. Não nasceu para viver como um douto, exibindo-se com bijuterias como se fossem pérolas autênticas. Por isso, a todos aqueles que não são capazes de discernir o verdadeiro do falso, o Velho assemelha-se a um pobre inválido, mas não nos deixemos enganar: se bem que em alguns momentos se sinta inválido, não o é, e aquilo que o impediu de embarcar num coletivo, o cerne de sua aparente pobreza e invalidez, a dizer, sua vocação, provará o que estou a lhes afirmar. O Velho, embora velho e inválido, não nasceu para viver entre aposentados e inválidos. Apesar de ter nascido num país de resignados, jamais se resignou. O Velho teima em resistir. O Velho teima em persistir. Talvez tenha nascido aqui para mostrar a nós, brasileiros, que um velho, embora brasileiro, pobre, sem títulos e inválido, pode cruzar o Atlântico. O Velho nasceu para viver entre reis e rainhas, e é para lá que toda essa revolta e teimosia o encaminham.


Postado por Heberti Rodrigo
Em 11/3/2016 às 18h39


Mais O Equilibrista
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INSPETOR, MATE ESTA
JOYCE PORTER
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1966)
R$ 4,37



SE LIGA NESSA - VOCÊ E O TRABALHO
BRUNO PORTO/ MARIANA AMARAL E BILLY BACON
SENAC
(2007)
R$ 10,00



IMPACTO TRIBUTÁRIO DO NOVO CÓDIGO CIVIL
EDUARDO DE CARVALHO BORGES
QUARTIER LATIN
(2004)
R$ 14,00



BRASIL TERRA VERDEAL!
MARTINS FONTES
N/D
R$ 30,00



ENSINAMENTOS SOBRE O AMOR
THICH NHAT HANH

R$ 50,00



A DIETA DA SUPERENERGIA DO DR. ATKINS
ROBERTA C . ATKINS / SHIRLEY LINDE
CIRCULO DO LIVRO
R$ 10,00



OS AMANTES DE ESTOCOLMO
ROBERTO AMPUERO
PLANETA
(2007)
R$ 11,90



O CONTO BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO
ALFREDO BOSI
CULTRIX
(1968)
R$ 15,00



AVENTURAS DO ESCOTEIRO BILA
ODETTE DE BARROS MOTT
ATUAL
(1993)
R$ 4,00



PARA SEMPRE
KIM E KRICKITT CARPENTER
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 17,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês