O Velho Inválido que cruzará o Atlântico | O Equilibrista

busca | avançada
41138 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 11/3/2016
O Velho Inválido que cruzará o Atlântico
Heberti Rodrigo

+ de 300 Acessos

Não é no estado de harmonia de um organismo que nos deparamos com as peculiaridades de suas partes constituintes. É quando algo não vai conforme o esperado, nos conflitos, nas manifestações de dor, na exposição a elementos alérgenos que nos apercebemos dos limites de sensibilidade, das potencialidades e das fragilidades de nossos corpos que antes ignorávamos. É quando um órgão não funciona conforme o esperado que melhor compreendemos sua função e importância. De modo análogo, mais facilmente nos damos conta de nossa individualidade, do que há de singular em nossas vidas e destinos, quando nos sentimos em desarmonia com o ambiente que nos circunda. Isso, o Velho, que viveu uma infância ditosa entre os seus, não sabia; isso, o Velho, embora velho, só viria a descobrir anos mais tarde ao ser diagnosticado como inválido pelos doutores.

Subir três degraus de cinco foi o melhor que o Velho pôde fazer. Se bem que não fosse o suficiente, mais ele não pôde. Algo no Velho não ia como era de se esperar. Ele não conseguia embarcar. Não conseguia ir além daqueles três degraus e não soube explicar a si mesmo as causas do malogro. Pensava poder embarcar como seus companheiros, mas não pôde. Quis, então, entender por que, sendo também um homem capaz, não conseguiu seguir com eles. O Velho quis uma justificativa, pois uma justificativa, se não resolvesse seu problema, ao menos poderia dar-lhe uma chance de descobrir contra o quê estava a opor-se. O Velho recusou-se a aceitar o diagnóstico de invalidez que lhe imputaram os doutos. O Velho, embora velho, obstinou-se em encontrar, então, a sua própria justificativa, e em busca dela mergulhou em si mesmo; fechou-se em si mesmo como uma ostra, e como uma ostra ferida começou a produzir suas próprias perolas: sua literatura.

O Velho sentia que algo poderoso em seu íntimo o detinha no embarque, mas não sabia dizer em que consistia este algo. Sentia-se especial por haver em si essa coisa poderosa e inominável que o diferenciava, mas sentia também que por conta disso, todos lhe veriam a partir de então como um estranho inválido ou coisa pior. Ele que sempre fora tido como um homem de valor passou a ser visto ora como um fracassado, ora como um vagabundo que vive à custa de sua mulher. E isso tudo aconteceu justamente no momento em que começava a entrever algo de extraordinário em sua vida e futuro. O Velho não sabia o que pensar de si mesmo e de sua estranha situação. Sentia-se angustiado e enraivecido como se, de repente, desaparecesse alguém que amamos sem deixar notícias. Vivia, então, o desespero de não conseguir prosseguir sua vida por desconhecer se esse alguém estava vivo ou morto. O Velho precisava de respostas, precisava saber por que ele era diferente para que pudesse dar um rumo a si mesmo; precisava encontrar sua própria explicação, pois, como disse, recusou-se a aceitar o diagnóstico de invalidez outorgado pelos doutores. O Velho precisava afastar os fantasmas, precisava enterrar os mortos. Não poderia prosseguir sem compreender o que lhe acontecera. Sentia necessidade de entender a si próprio, pois sem isso, continuaria indefeso. Sem conseguir compreender sua vida, teria de se submeter a viver à base de remédios e de sessões de análise com os doutos. Jamais se resignaria a essa idéia. Sem compreender a si próprio, o Velho teria de se sujeitar a ter sua vida controlada por eles, e isso para ele é pior do que a morte, é uma vida não vivida. O Velho, embora velho e inválido, não aceita rédeas. O Velho, embora velho e angustiado, não aceita receitas de como viver. O Velho, embora velho e inválido, vai erguer-se e caminhar por conta própria, a despeito de todos os prognósticos contrários.

Há momentos em que sente dores terríveis, mas compreendeu que são essas mesmas dores que o ajudarão a erguer-se e caminhar sem o auxílio de muletas. Sem dor, o Velho não se erguerá. Sem dor, não produz suas pérolas. Sem dor, não há a grande literatura. Se a despeito do incômodo das dores e demais dificuldades não faz uso de coletivos para avançar, é porque o Velho, embora velho e inválido, não abre mão de caminhar com suas próprias pernas ao invés de servir-se da comodidade e agilidade oferecida pelos coletivos aos que preferem levar suas vidas segundo as receitas prescritas pelos doutos. O Velho não permitirá que sua musculatura atrofie. Também não faz uso de analgésicos porque não consente que embruteçam sua sensibilidade. Não lhe importa o quanto isso exija de si mesmo, não lhe importa o quanto isso lhe tome de tempo, o Velho não pode viver em coletivos, o Velho não pode viver entorpecido.

O Velho garante que se reerguerá. Provará ser capaz de fazer o que os doutores disseram que ele não seria. O Velho, embora velho, irá longe. O Velho, embora velho e inválido, atravessará por si mesmo um oceano de dificuldades. O Velho nasceu para se superar. Nasceu para produzir suas valiosas pérolas. O Velho não nasceu para viver como toda a gente do povo. Não nasceu para viver como um douto, exibindo-se com bijuterias como se fossem pérolas autênticas. Por isso, a todos aqueles que não são capazes de discernir o verdadeiro do falso, o Velho assemelha-se a um pobre inválido, mas não nos deixemos enganar: se bem que em alguns momentos se sinta inválido, não o é, e aquilo que o impediu de embarcar num coletivo, o cerne de sua aparente pobreza e invalidez, a dizer, sua vocação, provará o que estou a lhes afirmar. O Velho, embora velho e inválido, não nasceu para viver entre aposentados e inválidos. Apesar de ter nascido num país de resignados, jamais se resignou. O Velho teima em resistir. O Velho teima em persistir. Talvez tenha nascido aqui para mostrar a nós, brasileiros, que um velho, embora brasileiro, pobre, sem títulos e inválido, pode cruzar o Atlântico. O Velho nasceu para viver entre reis e rainhas, e é para lá que toda essa revolta e teimosia o encaminham.


Postado por Heberti Rodrigo
Em 11/3/2016 às 18h39


Mais O Equilibrista
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O GRANDE CONFLITO
ELLEN G. WHITE
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(2010)
R$ 8,00



SOCIEDADE ISRAELENSE SOCIOLOGIA - ESTUDOS
S. N. EISENSTADT
PERSPECTIVA
(1977)
R$ 28,01



MULHERES NO ATAQUE - BATE BOLA NO CAMPO ADVERSÁRIO
CARLA RODRIGUES - MARTHA MENDONÇA
PLANETA
(2003)
R$ 7,96



VOCÊ SABIA?
READERS DIGEST
READER S DIGEST
(1999)
R$ 23,00



MEMÓRIAS DE UM DES-CASADO
ANTONIO LUIS FONTELA
EDICON
(2000)
R$ 7,00



A REVOLUÇÃO FALTOU AO ENCONTRO - OS COMUNISTAS NO BRASIL
DANIEL AARÃO REIS FILHO
BRASILIENSE
(1990)
R$ 310,00



O GRANDE DESAFIO
RICHARD SIMONETTI
ED. CEAC
(2013)
R$ 30,00



ECONOMIA DE EMPRESAS E ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS - 6ª ED.
MICHAEL R. BAYE
AMGH
(2010)
R$ 160,00



ESTUDOS LITERARIOS E BIOGRAFICOS
ALCANTARA SILVEIRA
PIONEIRA
(1981)
R$ 10,00



DEZ ANOS DE ECONOMIA BRASILEIRA: DECIFRANDO ENIGMAS
PAULO PASSARINHO E REINALDO GONÇALVES (ORG)
CORECON
(2009)
R$ 9,00





busca | avançada
41138 visitas/dia
1,3 milhão/mês