A Ilha Desconhecida | O Equilibrista

busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mastigar minhas relações
>>> Vaguidão específica
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
Mais Recentes
>>> Coleção para gostar de ler de Varios pela Atica (1985)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Cor e Pintura de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Meu pequeno fim de Fabrício Marques pela Segrac (2002)
>>> Grande Enciclopédia de Modelismo - Materiais e Ferramentas de Walquir Baptista de Moura - Produção pela Século Futuro
>>> Livro Dicionário Enciclopédico Veja Larousse - Volume 1 de Eurípedes Alcântara , Diretor Editorial pela Abril (2006)
>>> O diário de Larissa de Larissa Manoela pela Harper Collins (2016)
>>> Corpo de delito de Patricia Cornwell pela Paralela (2000)
>>> A Arte da guerra de Sun Tzu pela Pé da letra (2016)
>>> O fio do bisturi de Tess Gerritsen pela Harper Collins (2016)
>>> A garota dinamarquesa de Davdid Ebershoff pela Fabrica 231 (2000)
>>> Uma auto biografia de Rita Lee pela Globo livros (2016)
>>> Songbook Caetano Veloso Volume 2 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> A Sentinela de Lya Luft pela Record (2005)
>>> O teorema Katherine de John Green pela Intriseca (2006)
>>> Louco por viver de Roberto Shiyashiki pela Gente (2015)
>>> A ilha dos dissidentes de Barbara Morais pela Gutemberg (2013)
>>> Sentido e intertextualidade de Emanuel Cardoso Silva pela Unimarco (1997)
>>> Mistérios do Coração de Roberto Shinyashiki pela Gente (1990)
>>> Interrelacionamento das Ciências da Linguagem de Monica Rector Toledo Silva pela Edições Gernasa (1974)
>>> Sociologia e Desenvolvimento de Costa Pinto pela Civilização Brasileira (1963)
>>> O Coronel Chabert e Um Caso Tenebroso de Honoré de Balzac pela Otto Pierre Editores (1978)
>>> O golpe de 68 no Peru: Do caudilhismo ao nacionalismo? de Major Victor Villanueva pela Civilização Brasileira (1969)
>>> Recordações da casa dos mortos de Fiodor Dostoiévski pela Nova Alexandria (2006)
>>> Elric de Melniboné: a traição ao imperador de Michael Moorcock pela Generale (2015)
>>> O Príncipe de Nicolau Maquiavel pela Vozes de Bolso (2018)
>>> Deuses Americanos de Neil Gaiman pela Conrad (2002)
>>> Deus é inocente – a imprensa, não de Carlos Dorneles pela Globo (2003)
>>> Memórias do subsolo de Fiodor Dostoiévski pela 34 (2000)
>>> Songbook - Tom Jobim, Volume 3 de Almir Chediak pela Lumiar (1990)
>>> Comunicação e contra-hegemonia de Eduardo Granja Coutinho (org.) pela EdUFRJ (2008)
>>> Caetano Veloso Songbook V. 1 de Almir Chediak pela Lumiar
>>> Origami a Milenar Arte das Dobraduras de Carlos Genova pela Escrituras (2004)
>>> O vampiro Lestat de Anne Rice pela Rocco (1999)
>>> Nova enciclopédia ilustrada Folha volume 2 de Folha de São Paulo pela Publifolha (1996)
>>> Esperança para a família de Willie e Elaine Oliver pela Cpb (2018)
>>> Leituras do presente de Valdir Prigol pela Argos (2007)
>>> Insight de Daniel C. Luz pela Dvs (2001)
>>> Política e relações internacionais de Marcus Faro de Castro pela UnB (2005)
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 23/10/2016
A Ilha Desconhecida
Heberti Rodrigo

+ de 800 Acessos



"Quero encontrar a ilha desconhecida, quero saber quem sou quando nela estiver" José Saramago


Não estava muito claro o que faria de minha vida quando abandonei a universidade. Somente depois de decorridos alguns meses em que estive completamente desorientado, descobri a escrita e, com ela, algo óbvio, embora nem sempre fácil de reconhecer, que para se encontrar, um homem há de se perder e, mais do que isso, precisa ter a humildade de admitir que se perdeu, ou que errou. Ao admitir que em algum momento me perdera, tornei a vivenciar sentimentos e sonhos que me acompanharam durante a infância e a adolescência, e pareciam-me terem ficado para trás. À medida que eles iam retornando, de um modo que ainda não sei explicar, ia me sentindo menos perdido. Era como se eu fosse me reencontrando comigo mesmo, com meu destino. Enquanto tudo isso acontecia, eu ganhava força, e recrudescia em mim a intuição de que em algum momento precisaria de dinheiro para ir além do ponto em que havia me perdido. Foi um tempo de recomeço, de reaprendizado, de preparação para tentar novamente. Intimamente sabia que uma hora chegaria novamente a este ponto. Sentia que ao atingi-lo teria de fazer uma aposta, tomar uma decisão incomum, e não poderia recuar ou protelá-la por muito tempo pelo simples medo de errar novamente ou pela dificuldade em relação ao dinheiro. Aliás, de modo algum, aceitaria que o dinheiro se tornasse uma desculpa para deixar de realizar o meu sonho. Não me esconderia atrás desta justificativa. Eu sabia que com um pouco de planejamento e sorte ele deixaria de representar um problema. Assim, ao longo de todos esses anos economizei sempre que pude, fazendo eu mesmo a limpeza da casa e com um orgulho terrível, semelhante ao descrito por Balzac em suas cartas, pouco tempo depois de sua chegada à Paris, em que dizia ter ele próprio de fazer a faxina em sua mansarda. Em 2012, quando respirei o ar de Paris pela primeira vez, fui tomado pela convicção de que era para lá que deveria voltar nos anos seguintes. Sem diplomas ou trabalho de carteira assinada, não imaginava como isso seria possível. Tinha que eu mesmo dar um jeito de encontrar como ir. Planejei e, com a ajuda da Namorada, tudo começa a se concretizar. Daqui em diante, sinto como se não dependesse mais de mim. É com o destino, com a vida. Não estou mais no controle, se é que se possa dizer que temos o controle sobre nossas próprias vidas. Quando se quer alargar os horizontes - e eu quero - temos de deixar a terra firme e nos atirarmos ao mar, às incertezas. É no mar que sentimos nossa pequenez, nossa insignificância, mas é também navegando em suas águas que descobrimos que o horizonte está um pouco mais além do que pensávamos, que podemos avançar mais do que acreditávamos que ser capazes. Se ficarmos em terra firme, levando nossas vidas como todos, não viveremos isso, e encolheremos. É navegando nossos próprios sonhos que grandes conquistas e descobertas pessoais se tornam reais, e, quando alcançamos uma delas, nos sentimos, também, maiores. Nossas vidas parecem se tornar maiores. A primeira das descobertas que fiz desde que aceitei as incertezas e dúvidas de ser quem sou, de desejar o que desejo, enfim, de viver como vivo foi a minha fé de que cedo ou tarde alcançarei meu destino. Com essa descoberta, descobri, também, que, às vezes, é preciso duvidar para se encontrar a própria fé. É preciso se perder para se encontrar, como disse. Quero mais descobertas. Quero ir à Paris. "Por quê?", perguntam-me. Porque busco na companhia de minha mulher e de nosso filho sentir que estou tornando minha vida maior. Quero dividir isso com eles, viver isso ao lado deles. Espero que bons ventos me levem a novas descobertas, a despeito do risco de tempestades e naufrágios. Viver também é isso: colocar a vida em risco para salvá-la, para não amesquinhá-la. Seja como for, estou pronto para navegar, para a vida, para perdas e reencontros, e é isto que responderei a todo aquele que me perguntar o que faremos em Paris. É um tanto vago, alguns dirão, no entanto, mais do que isso não posso dizer. Se insistirem em saber mais, direi que cabe a cada um descobrir por si mesmo o que tudo isto significa. O que significa viver? Que cada um procure a sua resposta. Que cada um procure a si mesmo e por si mesmo, se isso lhe for necessário. Para mim, é.

Segue um trecho lido ontem à noite, numa daquelas leituras ao acaso que tanto me surpreendem pela ligação com o que ando vivendo:

"Pedi demissão da IBM", diz.

"Que bom. O que vai fazer agora?"

"Não sei. Vou ficar ao léu um pouquinho, acho."

Ela espera ouvir mais, espera ouvir seus planos. Mas ele não tem mais nada a oferecer, nenhum plano, nenhuma idéia. Como é simplório. Por que uma garota como caroline se dá o trabalho de mantê-lo a reboque dela, uma garota que se aclimatou na Inglaterra, fez de sua vida um sucesso, que o passou para trás em todos os sentidos?

...não há despedida em seu último dia de trabalho. Ele esvazia sua mesa em silêncio, despede-se de seus colegas programadores. "O que você vai fazer?". pergunta um deles, com cautela. Evidentemente, todos ouviram a história da amizade; isso os deixa rígidos e incomodados. "Ah, vamos ver o que aparece", ele responde.

É um sentimento interessante, acordar na manhã seguinte sem ter de ir para nenhum lugar. Um dia de sol: pega o trem para Leicester Square, faz uma excursão pelas livrarias da Charing Cross Road. Está com a barba de um dia; resolveu deixar crescer a barba. Com uma barba talvez não pareça tão deslocado entre rapazes elegantes e garotas bonitas que saem das escolas de línguas e pegam o metrô. E que aconteça o que tiver de acontecer.

De agora em diante, decidiu, sempre vai se colocar no caminho do acaso. Os livros estão cheios de encontros casuais que levam ao romance - ao romance ou à tragédia. Está pronto para o romance, pronto até para a tragédia, pronto para qualquer coisa, de fato, contanto que seja consumido por isso e refeito. É por isso que está em Londres afinal: para se livrar do seu velho eu e se revelar em seu novo, verdadeiro, apaixonado eu; e agora não há impedimento à sua busca.

Paira no horizonte o problema do dinheiro. Suas economias não vão durar indefinidamente...Tudo o que pode fazer é esperar em prontidão o dia em que o acaso por fim lhe sorrir.

Trecho do livro Juventude, de J. M. Coetzee

Contato: escritor.equilibrista@gmail.com


Postado por Heberti Rodrigo
Em 23/10/2016 às 12h34


Mais O Equilibrista
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANUAL DE DIREITO PENAL - VOLUME 2 - PARTE ESPECIAL
JULIO FABBRINI MIRABETE
ATLAS
(2003)
R$ 9,50



VENTO NOTURNO
CHARLES DICKENS
CLUBE DO LIVRO
(1975)
R$ 7,00



BIBLIORAMA BRINCANDO E APRENDENDO
SILVIO NAKANO
A D SANTOS
(2006)
R$ 10,00



COMISSÃO COORDENADORA DE ESTUDOS DO NORDESTE - ESTUDO 01
ARENA (ALIANÇA RENOVADORA NACIONAL)
SENADO FEDERAL
(1971)
R$ 19,82



ISTO É 2030 - MÉDIUNS
VÁRIOS AUTORES - REVISTA
TRÊS
(2008)
R$ 9,00



DETECÇÃO DE BATIMENTOS CARDÍACOS UTILIZANDO FPGA
ALEXANDRE TOMAZATI OLIVEIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



REVOLUÇÕES DE INDEPENDÊNCIAS E NACIONALISMOS NAS AMÉRICAS
MARCO A. PAMPLONA; MARIA E. MADER ORG - VOL 2
PAZ E TERRA
(2008)
R$ 15,00



CULTURA E OPULÊNCIA DO BRASIL
ANDRÉ JOÃO ANTONIL
PROGRESSO
(1955)
R$ 29,70



ATLÂNTIDA: O GENE
A. G. RIDDLE
GLOBO ALT
(2015)
R$ 9,00



CONHECIMENTO QUE CONDUZ À VIDA ETERNA
NAO CONSTA
WATCHTOWER
(1995)
R$ 4,90





busca | avançada
46024 visitas/dia
1,1 milhão/mês