Duas Vidas | O Equilibrista

busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
BLOGS >>> Posts

Terça-feira, 3/1/2017
Duas Vidas
Heberti Rodrigo

+ de 600 Acessos


Matisse


A vida de uma pessoa não é o que lhe acontece, mas aquilo que recorda e a maneira como o recorda. Gabriel Garcia Marquez


Como um ritual, todas as manhãs descerrava as janelas antes de sentar-se à mesa de trabalho. Não a movia apenas a necessidade de inspirar o frescor do ar das montanhas que lhe infundia alento e serenidade, mas porque sentia igualmente vontade de iluminar. Agradava-lhe sobremodo ver a luz natural penetrar cada cômodo, como se apenas esta fosse capaz de reavivar a singularidade de cada detalhe. A luminosidade das lâmpadas parecia suscitar-lhe frieza, lançando sobre seus quadros, livros e plantas uma espécie de superficialidade monótona, como uma camada de poeira a lhes furtar o brilho de uma vida interior rica. Sim, para ela, os livros e os quadros e as plantas tinham uma vida própria, e rica. Para ela, riqueza era sentir-se viva. Sem a luz natural, tornar-se-iam pálidos e inexpressivos. Morreriam. Ela própria, nos dias em que não abria as janelas, tornava-se inexpressiva. Não era assim que gostava de se sentir, sobretudo quando encostava a porta do quarto e sentava-se à mesa com a intenção de escrever, logo após as crianças terem saído para a escola. Sozinha, apagava uma a uma das luzes que os meninos haviam deixado acesas para trás e descerrava cortinas e janelas banhando a si própria e tudo derredor na iridescente luz solar. Esses momentos solitários, vividos numa mudez contemplativa, eram os que precediam sua escrita. Desta maneira, religiosamente, viveu todas aquelas manhãs de março. Nos últimos dias, entretanto, o que mais lhe chamara a atenção foi o azul com tonalidades cada vez mais acinzentadas. Céu pouco brilhante, montanhas pardacentas – tudo agora de cor e brilho pouco celestiais. Não mais havia aquelas nuvens de todos os tipos e tamanhos que a alegrava mostrar para as crianças. Cada uma do seu jeito – aladas, alvas e macias, pequenos tufos de algodão doce, bolachas douradas quase duras, grandes montanhas brincalhonas, ilhotas purpúreas e melancólicas. Era como se todas tivessem dado lugar àquela incomensurável massa monótona e sonolenta. Era assim, observando a mudança na luminosidade dos dias que sabia que o outono chegara. Não que se ressentisse com a ausência do azul cerúleo. A verdade, a pura verdade, é que lhe propiciava uma felicidade sem limites essa luz acinzentada que empalidecia suas manhãs ao mesmo tempo em que sentia compensá-la tornando-a mais sensível para o mais íntimo de seu ser. Assim, durante todo o outono, ela se organizou para se recolher tão logo tivesse colocado as crianças para dormir. Queria levantar antes de todos e ficar sozinha tomando sua xícara de café nos minutos que antecedem a aurora. Nos dias em que não escrevia esta lhe era a hora das horas, pois antes de o sol vir a ser encoberto por um céu monótono e cinzento, ela sabia que durante um breve instante poderia sentir o seu efêmero, mas essencial, alento. Então, com uma felicidade que não é deste mundo diante de si, percebia o quanto se tem de esperar para viver semelhante momento. Brilhar como aquele sol outonal, com a sua luz cambiante a quebrantar um pouco da palidez de todos aqueles dias era algo que perseguia. Ser “efêmera mas intensamente vibrante”. Contemplando o sol, comparava-se a ele. Iluminar os pequenos detalhes de seu mundo interior, reavivá-los e compartilhá-los por meio de sua escrita era o que a fazia se sentir viva. Não podia viver apenas num mundo fora dela: no mundo de seus pais, no mundo de seus amigos ou mesmo no mundo de seus filhos. Precisava criar o seu próprio mundo, uma atmosfera em que pudesse respirar e recriar-se quando se sentisse destruída pelo próprio viver. Sem escrever, se perderia. Não seria capaz de recomeçar, de se reconciliar com os outros e doar-se a eles. Não lhe seria possível experimentar a vida duas vezes, e intensamente: no momento em que a vive e, em retrospectiva, ao rememorá-la na criação de seus personagens. Sufocaria numa rotina fria, artificial e sem brilho. Morreria. Sabe disso porque nos dias em que não escreve se sente como se lhe fosse indiferente o sol surgir ou não no horizonte.

Novo Blogue:http://oequilibristanacorda.blogspot.com.br/

Contato: [email protected]


Postado por Heberti Rodrigo
Em 3/1/2017 às 22h55


Mais O Equilibrista
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MORRO DOS VENTOS UIVANTES (VOLUMES 1 E 2)
EMILY BRONTE
SARAIVA
(1958)
R$ 36,00



AMÉRICA LATINA: NOVAS ESTRATÉGIAS DE DOMINAÇÃO
LUÍS MAIRA E OUTROS
VOZES
(1980)
R$ 7,90



MR. BLUES & LADY JAZZ
NICK FAREWELL
DEVIR
(2011)
R$ 42,90



ANTOLOGIA DE POEMAS PARA A JUVENTUDE
LISBOAHENRIQUETA
EDIOURO
(2001)
R$ 5,00



O RIO TRAZ O RIO LEVA
GANYMÉDES JOSÉ
DO BRASIL
(1985)
R$ 5,00



DISNEY PASSATEMPO O REI LEÃO 2ª PARTE
TRADUÇÃO- CRISTINA MARTINS
MELHORAMENTOS
(2002)
R$ 8,00



A MULHER AFRODITA: O FASCÍNIO DA AMBIGUIDADE SEXUAL
MÁRIO RENÉ SCHWERINER
HARMONIA
(1993)
R$ 7,90



INICIAÇÃO À EUCARISTIA - NÚCLEO DE CATEQUESE PAULINAS
NÚCLEO DE CATEQUESE PAULINAS
PAULINAS
(2008)
R$ 5,00



ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO VOLUME 1
ELWOOD S. BUFFA
LTC
(1976)
R$ 5,00



REGRESSO TRIUNFAL DE CRUZ E SOUSA E OS....
ESTEVÃO MAYA-MAYA
KIKULAKAJI
(1982)
R$ 5,99





busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês