Pssica e a Amazônia de Edyr Augusto | Relivaldo Pinho

busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FAAP discute Semana de Arte Moderna de 22
>>> Toda Quinta retoma 1ª edição no Teatro Vivo com menção a Dominguinhos
>>> ENSINAR A FAZER - MARCENARIA
>>> O Peso do Pássaro Morto faz duas sessões online dias 30 e 31/10
>>> Exposição recupera a memória da ditadura brasileira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 40 belas atrizes
>>> Meu primeiro computador pessoal
>>> Um homem de Oz
>>> 12 de Junho #digestivo10anos
>>> crônica - ou ensaio - à la hatoum
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Sobre futebol e hinos nacionais
>>> Zeitgeist
>>> Capacidade de expressão X capacidade linguística
>>> Silêncio e grito
Mais Recentes
>>> Psicologia Institucional - Temas Básicos de Psicologia Vol. 15 de Marlene Guirado pela E.p.u. (1987)
>>> A Menina Que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2007)
>>> Manual de Fotografia 35MM de Julian Calder e John Garrett pela Circulo do Livro (1986)
>>> O Mestre da Sensibilidade de Augusto Cury pela Sextante (2006)
>>> O Método Fair Play de Eve Rodsky pela Best seller (2020)
>>> Assim dizia o Mestre... de Huberto Rohden pela Freitas Bastos (1960)
>>> Assim dizia o Mestre... de Huberto Rohden pela Freitas Bastos (1960)
>>> Assim dizia o Mestre... de Huberto Rohden pela Freitas Bastos (1960)
>>> Jubiabá de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Mar Morto de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Condomínio Espiritual de Hermínio C. Miranda pela Fe (1994)
>>> Abc de Castro Alves de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Madre Teresa, Ceo de Ruma Bose e Lou Faust pela Lua de Papel (2012)
>>> O Aprendizado do Real Poder de Virgínia Cavalcanti pela Rgb (2000)
>>> Pastores da Noite de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Guia de aprovação em provas e concursos e 10 dicas para o sucesso de William Douglas pela Campus (2008)
>>> Os Subterrâneos da Liberdade III - a Luz no Túnel de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Candomblé e Umbanda de Vagner Gonçalves da Silva pela Ática (1994)
>>> Anoitece no iraque de Patrick ericson pela Geração (2012)
>>> O coração inteligente de David mcarthur pela Pensamento
>>> Mais Perto de Deus de Siegfried J. Schwantes pela Casa Publicadora Brasileira (1991)
>>> Os Subterrâneos da Liberdade I - os Ásperos Tempos de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Transcender de Plínio Oliveira pela Gaivotas arte e cultura
>>> Os Subterrâneos da Liberdade II - a Agonia da Noite de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Manual Prático De Numerologia de Carlos Felipe Da Costa pela Traço (1989)
BLOGS >>> Posts

Quinta-feira, 7/12/2017
Pssica e a Amazônia de Edyr Augusto
Relivaldo Pinho

+ de 1500 Acessos




Uma coluna da Folha de São Paulo noticiou que o livro do paraense Edyr Augusto, Pssica (2015), virará filme, produzido pela O2 Filmes, de Fernando Meirelles. A realização ocorrerá, em Belém, em 2018. É uma grande notícia que traz, finalmente, para a “literatura da Amazônia” (a expressão é de Benedito Nunes) e brasileira, uma nova possibilidade de se voltar para essa escrita contemporaneamente regional e estilisticamente cosmopolita.

Seus romances foram traduzidos para o inglês e francês. Casa de caba, de 2004, foi editado em inglês como Hornet’s nest, pela Aflame books e em francês, com o título de Nid de vipères, pela Asphalte, 2015. Também publicados por essa editora foram Os Éguas (1998) e Moscow (2001), em um único volume (Belém et Moscow, 2015) e, neste ano, Pssica.


Reprodução


Seu primeiro romance, Os Éguas, já demonstrava claramente a que linha essa literatura seguiria. A representação da região e, principalmente, da capital Belém do Pará é completamente diferente de um regionalismo unicamente edificante, entoado pelos mais variados discursos. Belém, através de um investigador de polícia, surge em toda sua decadência moral e material. É corrupta, violenta, aterrorizadora.

Esse livro completará 20 anos no ano feliz que virá, mas ele, que já representava a cidade em permanente queda, talvez não pudesse imaginar que vaticinava apenas uma parte da decadência que viria.

Seus demais romances, e o livro de contos Um sol para cada um (2008), seguem a mesma trajetória. É sempre o caráter pulsional, pusilânime e putrefato a dominar o indivíduo comum, socialites, “homens de família”, políticos, ladrões de beira de rio, jovens afortunados, policiais, jornalistas e traficantes.

Não tenha, por isso, caro leitor, receio de ler; é violento, mas não é – abram alguns jornais e liguem em alguns canais de Tv – abjeto. Mas, desse mundo cão, o escritor não mostra apenas o cadáver, mas a realidade, que ele descreve em decomposição.

Pssica é um exemplo desse estilo. As tramas do livro não procuram ser explicadas por nenhuma tese sociologizante, nenhuma análise psicologizante, ou por um manual literário. Talvez, por isso, sua literatura foi há muito tempo ignorada pela análise acadêmica. Seu primeiro romance, de quase duas décadas, só ganhou uma apreciação da academia em 2011.


Reprodução


Mas isso, talvez, não queira dizer muita coisa. O presente costuma ser ignorado, quando nele apenas olhamos com os atrofiados olhos do passado – do passado de uma cidade, de uma região.

É na cidade que, em Pssica, a trama começa, com o rapto de Janalice, Jana. Ela é um dos personagens que atravessam a urbe e os rios como se, permanentemente, o barqueiro da morte, os conduzissem. Tráfico, prostituição, bandidos masoquistas, políticos pulhas e pessoas tentando se salvar.

É a região e suas águas, e não mais apenas Belém, que se tornam o cenário predominante desse livro. Essa violência no interior da Amazônia, e especialmente do Pará, em nada, como se sabe, é apenas uma ficção.

Nessa obra de Augusto, as paisagens (Belém, Marajó, Caiena) não parecem iguais somente pela decadência material que as ergue, mas pela semelhança espiritual de desolação desespero e decrepitude que a tudo, casas, moradores e forasteiros, habita.

Nessa escrita não-linear, de frases curtas, com gírias e termos regionais (algumas das principais características de seus romances), o tom detetivesco lembra os romances policiais e o estilo noir, elevando sua literatura – não apenas por isso – a um outro nível, mas, também, porque esse estilo retira parte da imagem ornamentada que estrangeiros e habitantes têm sobre o lugar.

Esqueçam o que leram e ouviram falar sobre a barbárie do interior regional, sobre piratas, ratos d’água e sobre turistas “perdidos”. É Pssicaa melhor representação, a melhor mímesis, dessa realidade.

O que os meios institucionalizados não descrevem, talvez caiba à literatura realizar. Os verdadeiros perdidos são os que nessas terras habitam, desterrados. É sobre eles, nessa obra, que parece pespegado um mal augúrio inescapável. Nesse mundo, as belas fotos, para quem é fotografado, nem sempre representam o paraíso.

Que a literatura de Augusto seja lida e vista. Mas lembremos que, na Amazônia, nas linhas do escritor paraense, como em Pssica, não há filtros que alterem a realidade.


Texto publicado em O Liberal, 07 de dezembro 2017, p. 02. E em: Relivaldo Pinho


Postado por Relivaldo Pinho
Em 7/12/2017 às 17h13


Mais Relivaldo Pinho
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Bíblia Sagrada
Não Informado
Não Informado
(2006)



Na Alegria e na Tristeza
Carole Matthews
Novo Século
(2004)



Aprendendo a Ler Com o Jornal
Nicole Herr
Dimensao
(1997)



Império do Café: a Grande Lavoura no Brasil 1850 a 1890
Ana Luizmartins
Atual
(1990)



De Surpresa Em Surpresa
Fanny Abramovich
Atual
(2008)



A Instrumentalidade do Processo
Cândido Rangel Dinamarco
Malheiros
(1994)



Crie um Framework para Sistemas Web Com Php 5 e Ajax
Walace Soares
érica
(2009)



As Irmãs e o Mar
Lucy Clarke
Rocco
(2014)



Brinque-book Conta Fábulas - o Papagaio Bondoso E
Bob Hartman; Susie Poole
Brinque Book
(2006)



Triste Fim de Policarpo Quaresma
Lima Barreto
Martin Claret
(1999)





busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês