Ode a Pablo Neruda | Aline Pereira | Digestivo Cultural

busca | avançada
51300 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 4/11/2003
Ode a Pablo Neruda
Aline Pereira

+ de 5500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Onze de setembro está fadado à triste lembrança dos ataques terroristas contra milhares de civis, em 2001, nos Estados Unidos. Porém, é preciso parafrasear o historiador Pierre Nora, que em História: novos objetos afirmara que "a necessidade de memória é a necessidade da História". Lembremos também, que há 30 anos, na mesma data, o Chile vivera uma das suas piores crises políticas: a ascensão do general Augusto Pinochet, que se manteve no poder por 15 anos. Este - um dos maiores transgressores dos direitos humanos - liderou o golpe militar que destituiu do cargo o presidente socialista Salvador Allende. Como conseqüência da instauração da mais longa ditadura país, o ex-presidente se suicidou no mesmo dia; e em 24 de setembro, o chileno Pablo Neruda (1904-1973) - amigo de Allende, militante político, membro do partido comunista e renomado poeta - morreu.

De acordo com os biógrafos de Neftalí Ricardo Reyes (nome de batismo), ele morrera em Santiago, vítima de enfarto, provavelmente propiciado pela situação do Chile. Seu vigoroso engajamento político o levou ao exílio por alguns anos. No final da década de 1960, Neruda fora pré-candidato à presidência do Chile, mas optou por se tornar embaixador, em 1970, na França. Prêmio Nobel de Literatura (1971), é cômico afirmar que este poeta, cuja obra é mundialmente ovacionada, vendera seus bens para custear a publicação de Crepusculario - seu primeiro livro, em 1923, editado em espanhol. Neste, os poemas de Neruda versam sobre sua vida e algumas lembranças do Chile.

O mesmo pode-se dizer de um dos seus últimos títulos, publicado na Espanha algum tempo antes de sua morte. Trata-se de Ainda (Aún), editado em 2002 pela José Olympio Editora. Em 28 poemas antológicos, o autor relembra os lugares que fizeram parte de sua vida, assim com a figura de seu pai (maquinista de trem), que o levara para conhecer lugares como Temuco, Yumbel, Angol e Boroa. Seus versos remetem o leitor a um sentimento nostálgico, com suaves toques de despedida - que não o impede de perceber um discreto (e poético!) posicionamento político.

Todos os poemas publicados em Ainda refazem o percurso de vida de Pablo Neruda, que exaspera um saudosismo romântico. Logo no quinto poema, desculpa-se e previne (desnecessariamente) ao leitor: "Perdão se quando quero / contar minha vida / é terra o que conto. / (...) Se se apaga em teu sangue / te apagas".

Talvez não seja exagerado afirmar que Ainda equivale a um diário do poeta, como um daqueles escritos para que não se perca as próprias raízes. Em versos, Neruda transparece um desejo de regressar às suas origens. A capa da sétima edição também proporciona tal pensamento, pois, em tons sóbrios, exibe um pássaro voando rumo ao desconhecido. Uma provável explicação é motivada pelo fato do autor ser considerado um cidadão do mundo. Seja pelo exílio ou pelos compromissos políticos assumidos (segundo biógrafos de Neruda, ele foi, por exemplo, cônsul na Birmânia, em Barcelona e no México), em sua trajetória, o que predominou foi seu afastamento da terra natal.

Tal sentimento também se torna evidente no premiado O Carteiro e o Poeta (Itália, 1994); dirigido por Michael Radford e inspirado no livro do também chileno Antonio Skármeta, inicialmente intitulado Ardiente Paciencia (1985). A historia gira em torno da amizade de Pablo Neruda (Philippe Noiret) e Mário Ruopollo (Massimo Troisi) - carteiro de uma humilde e pacata cidade do Mediterrâneo, na qual o poeta está exilado. Ruopollo destaca-se pela inaptidão à pesca - ofício praticado pela maioria dos homens do local.

A vida deste jovem é transformada a partir do momento em que se torna carteiro particular e amigo de Pablo Neruda. O tratamento dispensado à simbiose entre os dois é uma das proezas do filme, que trata de valores como amizade, respeito e amor sem abusar da pieguice. Ao homem de pouca instrução intelectual coube a tarefa de interligar Neruda e o mundo. Ao velho mestre, desapertá-lo para a poesia e incentivá-lo a conquistar Beatriz Russo (Maria Grazia Cucinotta).

Tanto no livro como no filme, algumas nuanças sugerem que este sentimento nostálgico seja comum ao Neruda personagem e ao autor de Ainda. Ambos não se libertam de suas lembranças. Este movimento evidencia um resgate identitário, como se o poeta vivesse a angústia do "eterno retorno" - concebido e vaticinado pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900) -, segundo o qual o homem não escaparia à repetição de suas experiências/memórias - sentenciado a viver duas vezes em uma só vida.

Ao (re)ler Ainda, de certo modo, o leitor compartilha tal sentimento com Pablo Neruda. A brilhante tradução para o português não comprometeu a mensagem original da obra. Este mérito é de Olga Savary, que também assina a "orelha" do livro. Ela também é dona da seguinte observação - uma pista para entendermos o pensamento do autor: "a palavra usada no título continua na saudação à Araucânia, 'onde um dia cresceu para ser amplo/ como a terra ou mais extenso ainda' - e é uma nota constante, como um refrão, ao longo do livro".

Embora não tenha muitas páginas, a leitura de Ainda não dispensa concentração. Envolvente, requer que um leitor sensível e atento, que esteja disposto a captar nas entrelinhas a sutileza dos versos de Pablo Neruda. Como o próprio afirmara, Ainda é uma obra "para ti, para ninguém, para todos".

Para ir além






Aline Pereira
Rio de Janeiro, 4/11/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Como treinar um ser humano de Daniel Bushatsky
02. Desconstruindo o Russo de Julio Daio Borges
03. Um livro para ler no (ou lembrar do) carnaval de Marcelo Spalding
04. Dois mil e cinco: o primeiro ano pós-esperança de Marcelo Spalding
05. De volta às férias II de Eduardo Carvalho


Mais Aline Pereira
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/11/2003
08h00min
Achei muito bem feita a resenha, sobre o Neruda, com grande objetividade e arrojo, nos informando de maneira bem simples e de fácil entendimento. Parabens Aline, continue assim.
[Leia outros Comentários de Emanuel]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




JOHN LENNON E YOKO ONO A ÚLTIMA ENTREVISTA DO CASAL
DAVID SHEFF
NOVA FRONTEIRA
(2012)
R$ 15,00



ERA UMA VEZ UM TAL DE ECONOMÊS
CLAUDIA RIBEIRO
SALAMANDRA
(1984)
R$ 19,90



NEGOCIANDO COM O INIMIGO
ALOISIO SILVA
DANPREWAN
(2010)
R$ 9,90



EU NO UNIVERSO
SILVA MELLO
RECORD
(1972)
R$ 30,00



MEMORIA DO FUTURO
ALBERTO LOPEZ TORRES
ATUAL
(1986)
R$ 7,00



EXILADOS
JAMES JOYCE
ILUMINURAS
(2003)
R$ 35,00



VIVER É CRISTO
R. W. GLEASON
VOZES
(1967)
R$ 10,00



OS ANOS DA PRADARIA E OS ANOS DA GUERRA VOL 3 BIOGRAFIAS - BIOGRAFIA
LINCOLN
ITATIAIA
R$ 30,00



O MAMELUCO BOAVENTURA
EDUARDO FRIEIRO
ITATIAIA
(1998)
R$ 12,00



PLANTAS PARA CASA
JOAN COMPTON
MELHORAMENTOS
(1977)
R$ 15,00





busca | avançada
51300 visitas/dia
1,8 milhão/mês