Ode a Pablo Neruda | Aline Pereira | Digestivo Cultural

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> A fragilidade dos laços humanos
>>> Melhores Blogs
>>> Dilbert
>>> Entrevista com Paulo Polzonoff Jr.
>>> Olavo de Carvalho: o roqueiro improvável
Mais Recentes
>>> Tudo valeu a pena de Zibia Gasparetto pela Vida e consciencia (2003)
>>> Concurso de Credores de Sylvio Martins Teixeira pela Jacintho (1936)
>>> Manual de Direito Processual Civil Vol.4 (Processo de Execução Processo Cautelar Parte Geral) de José Frederico Marques pela Saraiva (1976)
>>> Manual de Direito Processual Civil Vol.3 ( Processo de Conhecimento) 2ª Parte de José Frederico Marques pela Saraiva (1976)
>>> Codigo do processo Civil e Commercial do Estado de São Paulo (Annotações) de João Evangelista Rodrigues pela Revista dos Tribunais (1930)
>>> Traité Des Preuves En Droit Civil Et En Drit Criminel de Édouard Bonnier pela Librairie Plon (1888)
>>> Embargos de Nulidade e Infringentes do Julgado de E.D. Moniz de Aragão pela Saraiva (1965)
>>> Introdução ao estudo do processo Civil de Eduardo J. Couture pela José Bushatsky (1951)
>>> Estudo sobre o processo civil Brasileiro de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1947)
>>> Processão de Execução de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1946)
>>> Eficácia e Autoridade da Sentença e ouros escritos sobre a coisa Julgada. de Enrico Tullio Liebman pela Forense (1984)
>>> Princípios Gerais do Direito Processual de Anésio de Lara Campos Junior pela José Bushatsky (1964)
>>> Doutrina das Acções de José Homem Corrêa Telles pela H. Garnier (1902)
>>> Como Requer em Juízo ( Formulário Cível) de Yara Muller Leite pela Freitas Bastos (1967)
>>> Decisões de Decio Cesario Alvim pela Officinas do Centro da Boa Imprensa (1930)
>>> O Procedimento Sumaríssimo de Domingos Sávio Brandão Lima pela José Bushatsky (1977)
>>> Aspectos Fundamentais das Medidas Liminares de R. Reis Friede pela Forense (1993)
>>> Curso de Direito Processual Civil Volume 3 de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Curso de direito Processual Civil Volume 1 de Humberto Theodoro Júnior pela Forense (1995)
>>> Estudo sobre o processo civil Brasileiro de Enrico Tullio Liebman pela José Bushatsky (1976)
>>> Processão de Execução de Enrico Tullio Liebman pela Saraiva (1980)
>>> Consultor Civil Acerca de Todas as Acções Seguidas no Fôro Civil de Carlos Antonio Cordeiro e Oscar de Macedo Soares pela H. Garnier (1910)
>>> O Brasil na vidão do artista. O país e sua cultura de Frederico Morais pela Prêmio (2003)
>>> Um certo ponto de vista. Pietro Maria Bardi 100 anos de Emanoel Araújo. Curadoria pela Burti (2000)
>>> A riqueza de um vale. A richly endowed valley de Ricardo Martins pela Kongo (2011)
>>> Tomie Ohake de Ana Paula Cavalcanti Simioni pela Folha de S.Paulo (2013)
>>> Bez Batti. Esculturas de Instituto Moreira Salles pela Ims (2006)
>>> Responsabilidade Civil - Doutrina e Jurisprudência de Yussef Said Cahali (Coordenador) pela Saraiva/ SP. (1984)
>>> O Problema da Língua Brasileira de Homero Senna (Entrev. c/ Prof. Souza da Silveira) pela Dep. Imprensa Nacional/ RJ. (1953)
>>> A Trégua de Mario Benedetti pela Alfaguara (2007)
>>> Divalndo Franco Responde Vol 1 de Divaldo Franco pela Intelitera (2010)
>>> Sonhos de J. J. Benitez pela Record (1995)
>>> Hora de Poesia de Ivan Luís Corrêa da Silva pela Modelo (2008)
>>> (In) Quietude Narrativas de Mim de Walkiria Helena pela Catalão em Prosa e Verso (2010)
>>> O Diário das Bruxas Parte I de F. A. F. Melo pela Catalão em Prosa e Verso (2008)
>>> Resgatando o Capital Humano de Roberto Boclin pela Folha Dirigida (2015)
>>> Personas Sexuais de Camille Paglia pela Companhia das Letras (1994)
>>> Uma Vida com Karol de Cardeal Stanislaw Dziwisz pela Objetiva (2007)
>>> Quem Me Roubou de Mim? de Pe. Fábio de Melo pela Canção Nova (2008)
>>> Saúde de Miramez João Nunes Maia pela Fonte Viva (2016)
>>> Ataque do Comando P. Q. Descobrindo os Clássicos de Moacyr Scliar pela Ática (2004)
>>> Divalndo Franco Responde Vol 2 de Divaldo Franco pela Intelitera (2013)
>>> The Colour Of Memory de Geoff Dyer pela Canongate (2012)
>>> Dark Places de Gillian Flynn pela Phoenix (2009)
>>> O Livro que Ninguém Leu de Owen Gingerich pela Record (2008)
>>> Coisas que Todo Professor de Português Precisa Saber a Teoria na Prática de Luciano Amaral Oliveira pela Parábola (2010)
>>> Políticas da Norma e Conflitos Linguísticos de Xoán Carlos Lagares Marcos Bagno pela Parábola (2011)
>>> Robinson Crusoe de Daniel Defoe pela Barnes & Noble Classics (2003)
>>> Sense And Sensibility de Jane Austen pela Barnes & Noble Classics (2004)
>>> Muito Antes de 1500 de Epiága R. T. pela Madras (2005)
COLUNAS

Terça-feira, 4/11/2003
Ode a Pablo Neruda
Aline Pereira

+ de 4900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Onze de setembro está fadado à triste lembrança dos ataques terroristas contra milhares de civis, em 2001, nos Estados Unidos. Porém, é preciso parafrasear o historiador Pierre Nora, que em História: novos objetos afirmara que "a necessidade de memória é a necessidade da História". Lembremos também, que há 30 anos, na mesma data, o Chile vivera uma das suas piores crises políticas: a ascensão do general Augusto Pinochet, que se manteve no poder por 15 anos. Este - um dos maiores transgressores dos direitos humanos - liderou o golpe militar que destituiu do cargo o presidente socialista Salvador Allende. Como conseqüência da instauração da mais longa ditadura país, o ex-presidente se suicidou no mesmo dia; e em 24 de setembro, o chileno Pablo Neruda (1904-1973) - amigo de Allende, militante político, membro do partido comunista e renomado poeta - morreu.

De acordo com os biógrafos de Neftalí Ricardo Reyes (nome de batismo), ele morrera em Santiago, vítima de enfarto, provavelmente propiciado pela situação do Chile. Seu vigoroso engajamento político o levou ao exílio por alguns anos. No final da década de 1960, Neruda fora pré-candidato à presidência do Chile, mas optou por se tornar embaixador, em 1970, na França. Prêmio Nobel de Literatura (1971), é cômico afirmar que este poeta, cuja obra é mundialmente ovacionada, vendera seus bens para custear a publicação de Crepusculario - seu primeiro livro, em 1923, editado em espanhol. Neste, os poemas de Neruda versam sobre sua vida e algumas lembranças do Chile.

O mesmo pode-se dizer de um dos seus últimos títulos, publicado na Espanha algum tempo antes de sua morte. Trata-se de Ainda (Aún), editado em 2002 pela José Olympio Editora. Em 28 poemas antológicos, o autor relembra os lugares que fizeram parte de sua vida, assim com a figura de seu pai (maquinista de trem), que o levara para conhecer lugares como Temuco, Yumbel, Angol e Boroa. Seus versos remetem o leitor a um sentimento nostálgico, com suaves toques de despedida - que não o impede de perceber um discreto (e poético!) posicionamento político.

Todos os poemas publicados em Ainda refazem o percurso de vida de Pablo Neruda, que exaspera um saudosismo romântico. Logo no quinto poema, desculpa-se e previne (desnecessariamente) ao leitor: "Perdão se quando quero / contar minha vida / é terra o que conto. / (...) Se se apaga em teu sangue / te apagas".

Talvez não seja exagerado afirmar que Ainda equivale a um diário do poeta, como um daqueles escritos para que não se perca as próprias raízes. Em versos, Neruda transparece um desejo de regressar às suas origens. A capa da sétima edição também proporciona tal pensamento, pois, em tons sóbrios, exibe um pássaro voando rumo ao desconhecido. Uma provável explicação é motivada pelo fato do autor ser considerado um cidadão do mundo. Seja pelo exílio ou pelos compromissos políticos assumidos (segundo biógrafos de Neruda, ele foi, por exemplo, cônsul na Birmânia, em Barcelona e no México), em sua trajetória, o que predominou foi seu afastamento da terra natal.

Tal sentimento também se torna evidente no premiado O Carteiro e o Poeta (Itália, 1994); dirigido por Michael Radford e inspirado no livro do também chileno Antonio Skármeta, inicialmente intitulado Ardiente Paciencia (1985). A historia gira em torno da amizade de Pablo Neruda (Philippe Noiret) e Mário Ruopollo (Massimo Troisi) - carteiro de uma humilde e pacata cidade do Mediterrâneo, na qual o poeta está exilado. Ruopollo destaca-se pela inaptidão à pesca - ofício praticado pela maioria dos homens do local.

A vida deste jovem é transformada a partir do momento em que se torna carteiro particular e amigo de Pablo Neruda. O tratamento dispensado à simbiose entre os dois é uma das proezas do filme, que trata de valores como amizade, respeito e amor sem abusar da pieguice. Ao homem de pouca instrução intelectual coube a tarefa de interligar Neruda e o mundo. Ao velho mestre, desapertá-lo para a poesia e incentivá-lo a conquistar Beatriz Russo (Maria Grazia Cucinotta).

Tanto no livro como no filme, algumas nuanças sugerem que este sentimento nostálgico seja comum ao Neruda personagem e ao autor de Ainda. Ambos não se libertam de suas lembranças. Este movimento evidencia um resgate identitário, como se o poeta vivesse a angústia do "eterno retorno" - concebido e vaticinado pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900) -, segundo o qual o homem não escaparia à repetição de suas experiências/memórias - sentenciado a viver duas vezes em uma só vida.

Ao (re)ler Ainda, de certo modo, o leitor compartilha tal sentimento com Pablo Neruda. A brilhante tradução para o português não comprometeu a mensagem original da obra. Este mérito é de Olga Savary, que também assina a "orelha" do livro. Ela também é dona da seguinte observação - uma pista para entendermos o pensamento do autor: "a palavra usada no título continua na saudação à Araucânia, 'onde um dia cresceu para ser amplo/ como a terra ou mais extenso ainda' - e é uma nota constante, como um refrão, ao longo do livro".

Embora não tenha muitas páginas, a leitura de Ainda não dispensa concentração. Envolvente, requer que um leitor sensível e atento, que esteja disposto a captar nas entrelinhas a sutileza dos versos de Pablo Neruda. Como o próprio afirmara, Ainda é uma obra "para ti, para ninguém, para todos".

Para ir além






Aline Pereira
Rio de Janeiro, 4/11/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Journey de André Graciotti
02. New Hollywood de David Donato
03. O Banquete de David Donato
04. Haverá sangue de David Donato
05. Animazing de Tais Laporta


Mais Aline Pereira
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/11/2003
08h00min
Achei muito bem feita a resenha, sobre o Neruda, com grande objetividade e arrojo, nos informando de maneira bem simples e de fácil entendimento. Parabens Aline, continue assim.
[Leia outros Comentários de Emanuel]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O SENHOR AGORA VAI MUDAR DE CORPO
RAIMUNDO CARRERO
RECORD
(2015)
R$ 29,00



O MODELO DE MEDO E RAIVA - 6312
DIOGO LARA
REVOLUÇAO DE IDEIAS
(2006)
R$ 12,00



O ATENEU
RAUL POMPÉIA
ÁTICA
(1984)
R$ 5,00



ELAS ESTÃO DESCONTROLADAS
MARCELO AOUILA
LIVROS ILIMITADOS
R$ 34,90



TRANSPORTES E SEGUROS NO COMÉRCIO EXTERIOR
SAMIR KEEDI
ADUANEIRAS
(2003)
R$ 70,00



DIÁRIO DE LARISSA MANOELA
LARISSA MANOELA
CASA DOS LIVROS
(2016)
R$ 10,00



FÍSICA 2 - TERMOLOGIA - ÓPTICA - ONDULATÓRIA
BONJORNO, E OUTROS
FTD
(2013)
R$ 9,80



A HISTÓRIA DO PARTIDO COMUNISTA DA ÍNDIA (MAOÍSTA)
MATEUS RANZAN
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



LETTERHEAD & LOGO DESIGN (BOOK 5)
CROSS COLOURS
ROCKPORT PUB
(1998)
R$ 50,00



ARTE CONTA HISTÓRIAS: BALÉ DOS SKAZKÁS
KATIA CANTON
NÃO CONSTA
(1996)
R$ 5,50





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês