Ode a Pablo Neruda | Aline Pereira | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
Mais Recentes
>>> A Loucura de Tristão (La Folie Tristan) de Anônimo Francês do Século XII(Trad.? Autografo): G. D. Leoni pela Rassegna Brasiliana/ SP. (1965)
>>> A Religião viva do Cristo de Cesar D' Almeida Campos pela Livraria Cultura (1951)
>>> Evangelho da Solidão de Eduardo de Oliveira pela Cupolo (1969)
>>> Villa-Rica de Alcibiades Delamare pela Nacional (1935)
>>> Revista do Arquivo Municipal Clxvii (167) de Nicanor Miranda/alceu Maynard Araújo pela Depart. de Cultura (1962)
>>> La Celestina de Fernando de Rojas pela Madrid (1959)
>>> Economia e Sociologia de Adolf Lowe pela Revista Forense (1956)
>>> Movimento Praieiro:imprensa, Ideologia e Poder Politico de Izabel Andrade Marson pela Contemporanea (1980)
>>> Perfil do Mercado Consumidor:de Santo André e da Grande São Paulo de Felicio P. Benatti pela Fund. Santo André (1969)
>>> A Força Invisível de Wayne W. Dyer pela Sextante (2007)
>>> Revista de Educação:AEC, A Atualidade do Começo. Ano. 35 julho / Se... de Olmira Bernadete Dassoler pela Salesianas (2006)
>>> As Tres Prosas: a Pobre, a Rica e a Nova- Rica (conferência...) de Agostinho de Campos pela Livr. Ailaud e Bertrand/ Lisboa (1923)
>>> XXll de Agosto de Nelson de Souza Carneiro pela Nacional (1933)
>>> São Francisco de Sales de Abbe Jacques Leclerq pela Vozes (1957)
>>> Os Dogmas do Espiritismo de Rosalina Calmon dos Santos pela Arte Moderna
>>> La puerta Cerrada de Simón H. pela Esoteria (1981)
>>> Os Galos da Aurora de Hélio Pólvora pela Civilização Brasileira (1958)
>>> O Triumpho das Forças Mentaes de O. S. Marden pela América Latina (1929)
>>> Anuário Militar 1987 de John Pimlott pela Globo (1987)
>>> Cannaviaes de Alberto Deodato pela Rio de Janeiro (1922)
>>> Introdução á Poesia de Augusto dos Anjos de Júlio de Oliveira Martins pela Livraria Brasil (1958)
>>> Um dia depois do outro de Antonio de Almeida Prado pela Clube do Livro (1965)
>>> Um dia depois do outro de Antonio de Almeida Prado pela Clube do Livro (1965)
>>> As Tres Prosas: a Pobre, a Rica e a Nova- Rica (conferência...) de Agostinho de Campos pela Livr. Ailaud e Bertrand/ Lisboa (1923)
>>> Trinta Anos Depois da Volta de Octavio Costa pela Biblioteca do Exército (1976)
>>> 2194 Giorni Di Guerra de Mondadori pela Ediouro (1979)
>>> Encyclopedia of the Vietnam War de Stanley I. Kutler pela Charles Scribners (1996)
>>> O Encontro Marcado de Fernando Sabino pela Record (1988)
>>> Foguetes e Mísseis da III Guerra Mundial de Robert Berman e Bill Gunston pela Livro Técnico S/A (1983)
>>> A Segunda guerra mundial (Vol. 2 Somente esse Volume) de Raymond Cartier pela Primor (1975)
>>> Os Aviões de Enzo Angelucci pela Arnoldo Mondadori (1975)
>>> lua de Mel em Portugal de Marco Antonio pela Pin
>>> A História de Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach pela Nórdica (1970)
>>> Epigramário de J. Dias de Moraes pela O Autor
>>> O livro de Ouro da Poesia Religiosa Brasileira de Jamil Almansur Haddad pela Edições de Ouro (1966)
>>> São José do Rio Preto:1852 / 1894 de Agostinho Brandi pela Rio-Pretense (2002)
>>> A Abertura dos Portos do brasil de Pinto de Aguiar pela Progresso (1960)
>>> Hawaii Açucareiro de Apolonio Sales pela IPA (1937)
>>> Desidério Desiderávi de Frei Carmelo Surian O. F. M. pela Vozes (1957)
>>> Pearl Harbor de H.P. Willmott pela Livro Técnico S/A (1981)
>>> O Orfeão na escola nova de Leonila Linhares Beuttenmuller pela Irmãos Pongetti (1937)
>>> Robson Crusoé de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1988)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Economico do Brasil de José Papa Júnior pela Nacional (1983)
>>> No Hospital das Letras de Afranio Coutinho pela Tempo Brasileiro (1963)
>>> Fim de Primavera de Edvard Camilo pela Globo (1921)
>>> Corpos de Elite do Passado de Dominique Venner pela Ulisseia (1972)
>>> Tonico de José Rezende Filho pela Ática (1984)
>>> A brigada portyguara 1a Edição de Almicar Salgado dos Santos pela Nacional (1925)
>>> La France en Gènèral de André Frossard pela 'Plon (1975)
>>> O Comércio e o Desenvolvimento Econômico do Brasil de José Papa Júnior pela São Paulo (1983)
COLUNAS

Terça-feira, 4/11/2003
Ode a Pablo Neruda
Aline Pereira

+ de 5100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Onze de setembro está fadado à triste lembrança dos ataques terroristas contra milhares de civis, em 2001, nos Estados Unidos. Porém, é preciso parafrasear o historiador Pierre Nora, que em História: novos objetos afirmara que "a necessidade de memória é a necessidade da História". Lembremos também, que há 30 anos, na mesma data, o Chile vivera uma das suas piores crises políticas: a ascensão do general Augusto Pinochet, que se manteve no poder por 15 anos. Este - um dos maiores transgressores dos direitos humanos - liderou o golpe militar que destituiu do cargo o presidente socialista Salvador Allende. Como conseqüência da instauração da mais longa ditadura país, o ex-presidente se suicidou no mesmo dia; e em 24 de setembro, o chileno Pablo Neruda (1904-1973) - amigo de Allende, militante político, membro do partido comunista e renomado poeta - morreu.

De acordo com os biógrafos de Neftalí Ricardo Reyes (nome de batismo), ele morrera em Santiago, vítima de enfarto, provavelmente propiciado pela situação do Chile. Seu vigoroso engajamento político o levou ao exílio por alguns anos. No final da década de 1960, Neruda fora pré-candidato à presidência do Chile, mas optou por se tornar embaixador, em 1970, na França. Prêmio Nobel de Literatura (1971), é cômico afirmar que este poeta, cuja obra é mundialmente ovacionada, vendera seus bens para custear a publicação de Crepusculario - seu primeiro livro, em 1923, editado em espanhol. Neste, os poemas de Neruda versam sobre sua vida e algumas lembranças do Chile.

O mesmo pode-se dizer de um dos seus últimos títulos, publicado na Espanha algum tempo antes de sua morte. Trata-se de Ainda (Aún), editado em 2002 pela José Olympio Editora. Em 28 poemas antológicos, o autor relembra os lugares que fizeram parte de sua vida, assim com a figura de seu pai (maquinista de trem), que o levara para conhecer lugares como Temuco, Yumbel, Angol e Boroa. Seus versos remetem o leitor a um sentimento nostálgico, com suaves toques de despedida - que não o impede de perceber um discreto (e poético!) posicionamento político.

Todos os poemas publicados em Ainda refazem o percurso de vida de Pablo Neruda, que exaspera um saudosismo romântico. Logo no quinto poema, desculpa-se e previne (desnecessariamente) ao leitor: "Perdão se quando quero / contar minha vida / é terra o que conto. / (...) Se se apaga em teu sangue / te apagas".

Talvez não seja exagerado afirmar que Ainda equivale a um diário do poeta, como um daqueles escritos para que não se perca as próprias raízes. Em versos, Neruda transparece um desejo de regressar às suas origens. A capa da sétima edição também proporciona tal pensamento, pois, em tons sóbrios, exibe um pássaro voando rumo ao desconhecido. Uma provável explicação é motivada pelo fato do autor ser considerado um cidadão do mundo. Seja pelo exílio ou pelos compromissos políticos assumidos (segundo biógrafos de Neruda, ele foi, por exemplo, cônsul na Birmânia, em Barcelona e no México), em sua trajetória, o que predominou foi seu afastamento da terra natal.

Tal sentimento também se torna evidente no premiado O Carteiro e o Poeta (Itália, 1994); dirigido por Michael Radford e inspirado no livro do também chileno Antonio Skármeta, inicialmente intitulado Ardiente Paciencia (1985). A historia gira em torno da amizade de Pablo Neruda (Philippe Noiret) e Mário Ruopollo (Massimo Troisi) - carteiro de uma humilde e pacata cidade do Mediterrâneo, na qual o poeta está exilado. Ruopollo destaca-se pela inaptidão à pesca - ofício praticado pela maioria dos homens do local.

A vida deste jovem é transformada a partir do momento em que se torna carteiro particular e amigo de Pablo Neruda. O tratamento dispensado à simbiose entre os dois é uma das proezas do filme, que trata de valores como amizade, respeito e amor sem abusar da pieguice. Ao homem de pouca instrução intelectual coube a tarefa de interligar Neruda e o mundo. Ao velho mestre, desapertá-lo para a poesia e incentivá-lo a conquistar Beatriz Russo (Maria Grazia Cucinotta).

Tanto no livro como no filme, algumas nuanças sugerem que este sentimento nostálgico seja comum ao Neruda personagem e ao autor de Ainda. Ambos não se libertam de suas lembranças. Este movimento evidencia um resgate identitário, como se o poeta vivesse a angústia do "eterno retorno" - concebido e vaticinado pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900) -, segundo o qual o homem não escaparia à repetição de suas experiências/memórias - sentenciado a viver duas vezes em uma só vida.

Ao (re)ler Ainda, de certo modo, o leitor compartilha tal sentimento com Pablo Neruda. A brilhante tradução para o português não comprometeu a mensagem original da obra. Este mérito é de Olga Savary, que também assina a "orelha" do livro. Ela também é dona da seguinte observação - uma pista para entendermos o pensamento do autor: "a palavra usada no título continua na saudação à Araucânia, 'onde um dia cresceu para ser amplo/ como a terra ou mais extenso ainda' - e é uma nota constante, como um refrão, ao longo do livro".

Embora não tenha muitas páginas, a leitura de Ainda não dispensa concentração. Envolvente, requer que um leitor sensível e atento, que esteja disposto a captar nas entrelinhas a sutileza dos versos de Pablo Neruda. Como o próprio afirmara, Ainda é uma obra "para ti, para ninguém, para todos".

Para ir além






Aline Pereira
Rio de Janeiro, 4/11/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Senna de Paulo Polzonoff Jr
02. Meu beijo gay de Paulo Polzonoff Jr
03. Journey de André Graciotti
04. O turista motorista de Adriana Baggio
05. A casa da Poesia de Mariana Portela


Mais Aline Pereira
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/11/2003
08h00min
Achei muito bem feita a resenha, sobre o Neruda, com grande objetividade e arrojo, nos informando de maneira bem simples e de fácil entendimento. Parabens Aline, continue assim.
[Leia outros Comentários de Emanuel]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A IMIGRAÇÃO JAPONÉSA EM SÃO BERNARDO DO CAMPO
ADEMIR MEDICI
FAC
(1983)
R$ 100,00



MISTÉRIOS DA PINDORAMA
MARION VILLAS BOAS
BIRUTA
(2000)
R$ 21,59



CIDADE DOS ANJOS CAÍDOS (VOL.4 OS INSTRUMENTOS MORTAIS)
CASSANDRA CLARE
GALERA RECORD
(2014)
R$ 19,00



CRIATURA CONTRA CRIADOR
SARAH K.
SM
(2016)
R$ 10,00



UMA PROVA DE CORAGEM
RITA FOELKER
EME
(1993)
R$ 8,00



MEMORIAS DE UM SARGENTO DE MILICIAS
MANUEL ANTONIO DE ALMEIDA
OBJETIVO
(1997)
R$ 5,00



LOUCURAS DE UMA PAIXÃO
MARIA ESTELA ORLANDELI
PETIT
(2018)
R$ 18,00



MORTE E VIDA POSITHIVA
BETO VOLPE
REALEJO
(2016)
R$ 46,00



TERAPIA DA SOLIDÃO
DANIEL GRIPPO
PAULUS
(2005)
R$ 6,90



GO GIRL - TODA HISTÓRIA TEM DOIS LADOS - VERDADE OU DESAFIO?
MEREDITH BADGER
FUNDAMENTO
(2011)
R$ 34,50





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês