Vidas Secas e o nosso atraso histórico | Márcio Salgues | Digestivo Cultural

busca | avançada
44867 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 1/12/2003
Vidas Secas e o nosso atraso histórico
Márcio Salgues

+ de 3900 Acessos

O que é o homem? O que era o homem antes desse estágio da evolução? O que o diferencia dos animais? O que faz desse homem um indivíduo, um ser com personalidade?

Essas perguntas básicas inerentes ao ser humano parecem encontrar alguns traços de respostas no personagem Fabiano de Graciliano Ramos (1892 - 1953) em Vidas Secas. Não há o que eu possa acrescentar a um clássico da nossa literatura por tantos já interpretado, analisado e adaptado para o cinema em 1963 por Nelson Pereira dos Santos, sendo um dos marcos da implantação do cinema novo no Brasil junto com Deus e o diabo na terra do sol, de Glauber Rocha. Mas pretendi me apegar aqui a uma brevíssima reflexão sobre a nossa sociedade na figura, sempre atual, do Fabiano.

A excelência da natureza está na ciência, no saber. É a exploração dessa ciência que conduz o homem à evolução. Considerando as primeiras sociedades humanas pré-históricas, os chamados homens das cavernas, tal como imaginamos, símios peludos e corcundas emitindo sons guturais e grunhidos animalescos, que seríamos nós em um estágio primitivo da evolução há dois ou três milhões anos, hoje somos seres evoluídos, ou, pelo menos, bem mais evoluídos.

Não considerando aqui as mudanças físicas do processo, é perfeitamente possível perceber que os tais "homens das cavernas" ainda existem hoje. Podemos, por exemplo, observar os poucos grupos silvícolas e aborígenes que ainda vivem isolados da "civilização" na América do Sul e as ilhas Polinésias no Pacífico sul, e veremos sociedades pré-históricas, exceto pela aparência física, já que esses homens não se parecem com os símios. E, nos limitando à abordagem do próprio Graciliano temos, aqui mesmo no Brasil, nossos homens pré-históricos. Nas capitais e suas periferias, bem como adentrando o interior do país.

O que nos diferencia desses homens senão o conhecimento menos limitado da ciência? A filosofia sobre todas, que nos ensina a pensar e a questionar os mais recônditos cantos da alma humana. E daí à física, matemática, astronomia, química, biologia e tantas outras ciências que sempre existiram e que, à medida que tomamos conhecimento delas e passamos a aplicá-las de forma prática evoluímos ao que somos hoje.

A propósito, o termo "pré-histórico" é bastante preciso. Indica aquilo do qual não se deixou registro suficiente para construir uma história de forma precisa. Desses povos ancestrais nos sobraram apenas indícios de como eram e de como viveram. Foram sociedades de indigentes. Pessoas das quais não sabemos nada. Sem nomes, sem famílias, apenas seres ancestrais, pré-históricos... Sem história. E o caminho que percorrem nossas gerações parece nos levar a uma pós-história, como se vivêssemos um triste interlúdio existencial.

No sertão de Vidas Secas encontramos um homem pré-histórico, o Fabiano, sua fêmea e sua prole. O isolamento em uma região inóspita e esquecida impediu sua evolução. Eles têm uma linguagem rudimentar e a escrita não foi desenvolvida. Têm uma forma própria de se comunicar. E não seria apenas o acesso à tecnologia e aos bens e produtos do mundo moderno que lhes permitiria evoluir, mas o acesso à ciência. É a partir dela que o fenômeno ocorre. E a ciência da personagem central limita-se à caatinga, à caça de preás, ao êxodo constante. Em outras palavras: limita-se a se manter vivo, "adiar a morte" que os rodeia o tempo todo nesse mundo à parte da chamada civilização.

Mantendo-se o homem na ignorância, mantém-se a escravidão do espírito e mesmo a escravidão física. Interrompe-se o processo evolutivo. Interrompe-se o ser, o processo de existência. Aliena-se-lhe. Amputa-se-lhe a individualidade. A ideologia do antigo império romano do "dê-lhes pão e circo", é a mesma que prevalece não só nos "impérios" e ditaduras atuais, mas também no populismo político que tem assolado nosso país há anos, eternizando assim a indústria da miséria.

Apesar da larga abrangência do romance de Graciliano Ramos, tomo humildemente este ponto de vista, onde encontramos um exemplo explícito do impedimento imposto ao processo de crescimento do homem - aqui ilustrado na paisagem árida do sertão nordestino. Poderia ser ilustrado às margens do Rio Amazonas, no Pantanal mato-grossense, nos morros cariocas ou nas favelas e palafitas pelo Brasil afora.

Apesar das inúmeras demonstrações de boa vontade de alguns, a maioria dos que detém a competência administrativa para transformar os nossos Fabianos em homens evoluídos, tirando-lhes do estágio primitivo por meio do conhecimento, ainda se omite. Ainda que os Fabianos estejam em toda parte, mesmo nas nossas calçadas, a eles se oferecem esmolas, entretenimento barato e, quando sim, a educação de má qualidade.

No nosso mundo moderno e pragmático, poucos conseguirão prosseguir por conta própria. Passamos assim por uma mesquinha "seleção natural" às avessas, uma evolução inversa e paradoxal aos chamados tempos modernos. E o pior, com conseqüências desastrosas para a sociedade como um todo em um futuro não muito distante, formando-se assim uma geração pós-histórica, que acabará por perder seus próprios registros em nome da sobrevivência enquanto se adia própria morte.

Graciliano continua atual.

Para ir além






Márcio Salgues
Recife, 1/12/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Do inferno ao céu de Cassionei Niches Petry
02. O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite de Jardel Dias Cavalcanti
03. Lançamentos de literatura fantástica (1) de Luís Fernando Amâncio
04. No palco da vida, o feitiço do escritor de Cassionei Niches Petry
05. Assum Preto, Me Responde? de Duanne Ribeiro


Mais Márcio Salgues
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A NINFA
ILDASIO TAVARES
NÓRDICA
(1993)
R$ 4,00



AUDITORIA JURÍDICA - APONTAMENTO PARA O MODERNO EXERCÍCIO DA ADVOCACIA
JAYME VITA ROSO - AUTOGRAFADO
STS
(2003)
R$ 50,00



SOCIOLOGIA DE MARX, A - COLECAO SOCIOLOGIA: PONTOS DE REFERENCIA
JEAN-PIERRE DURAND
VOZES
(2016)
R$ 38,95



GRAMATOLOGIA
JACQUES DERRIDA
PERSPECTIVA
(1973)
R$ 28,00



HISTÓRIAS DO NÃO VER
CAO GUIMARÃES
COBOGO
(2013)
R$ 40,00



CLANDESTINOS NA AMÉRICA
DAU BASTOS
RELUME DUMARÁ
(2005)
R$ 7,90



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE OUTUBRO DE 1966
TITO LEITE (REDATOR CHEFE)
YPIRANGA
(1966)
R$ 7,00



CLARISSA
ÉRICO VERÍSSIMO
ABRIL CULTURAL
(1974)
R$ 7,90



INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA
FERNANDO BASTOS DE ÁVILA S. J.
AGIR
(1967)
R$ 13,00



A FILHA DE MISTRAL
JUDITH KRANTZ
CIRCULO DO LIVRO
(1982)
R$ 17,00





busca | avançada
44867 visitas/dia
1,2 milhão/mês