O que você não está lendo? | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
37883 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Impressões sobre São Paulo
>>> Lobato e os amigos do Brasil
>>> A Promessa da Política, de Hannah Arendt
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> Por que as velhas redações se tornaram insustentáveis on-line
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Dicionário de termos ambientais de Antonio Leal pela Letras & Magia (2007)
>>> Casa de Praia com Piscina de Herman Koch pela Intrínseca (2015)
>>> Natureza Humana, Justiça vs. Poder de Michel Foucault e Noam Chomsky pela Martins Fontes (2014)
>>> A Arvore dos Anjos de Lucinda Riley pela Arqueiro (2017)
>>> A Herdeira da Morte de Melinda Salisbury pela Fantastica Rocco (2016)
>>> Uma Gentileza por Dia de Orly Wahba pela Benvira (2017)
>>> Eu sou as Escolhas que Faço de Elle Luna pela Sextante (2016)
>>> Coroa Cruel - Série a Rainha Vermelha de Victoria Aveyard pela Seguinte (2016)
>>> Sade em Sodoma de Flávio Braga pela BestSeller (2008)
>>> Curso de Filosofia em Seis Horas e Quinze Minutos de Witold Gombrowicz pela José Olympio (2011)
>>> O pequeno Principe de Antoine de Saint Exupery pela Agir (2009)
>>> Zoloé e Suas Duas Amantes de Marquês de Sade pela Record (1968)
>>> Expressões Diante do Trono de Ministério de Louvor Diante do Trono pela Diante do Trono (2003)
>>> A separação dos amantes - uma fenomenologia da morte de Igor Caruso pela Cortez (1989)
>>> Os Titãs / A Saga da Família Kent (Volume V) de John Jakes pela Record/ RJ.
>>> A Universidade em Ritmo de Barbárie de José Arthur Giannotti pela Brasiliense (1986)
>>> A Mulher Só de Harold Robbins/ (Tradução) Nelson Rodrigues pela Record/ RJ.
>>> Dependência e desenvolvimento na América Latina - ensaio de interpretação sociológica de Fernando Henrique Cardoso e Enzo Faletto pela Zahar (1970)
>>> Tubarão de Peter Benchley pela Nova Cultural (1987)
>>> O Titã de Fred Mustard Stewart pela Record
>>> O Beijo da Mulher Aranha de Manuel Puig pela Codecri/ RJ. (1981)
>>> A Traição de Rita Hayworth/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1993)
>>> Boquitas Pintadas/ Capa Dura de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1988)
>>> Kit De Estudo Para Concursos: Só concursos (3 CDs + Folheto) + Guia do Concurseiro + Redação para Concursos de Equipe Mundial Editorial pela DCL - difusão cultural do livro (2016)
>>> Numa Terra Estranha de James Baldwin pela Rio Gráfica (1986)
>>> 1934 de Alberto Moravia pela Rio Gráfica (1986)
>>> Mil Platôs Vol. 1 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca/RJ. (2007)
>>> Mil Platôs Vol. 2 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2011)
>>> Mil Platôs Vol. 3 de Gilles Deleuze e Félix Guattari pela 34 (2012)
>>> Ajin - Demi-Human #01 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #02 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Ajin - Demi-Human #03 de Gamon Sakurai pela Panini (2016)
>>> Incendio de Troia (capa dura couro) de Marion ZimmerBradley pela Circulo do Livro/ SP. (1994)
>>> Ajin - Demi-Human #04 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #05 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #06 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #07 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #08 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> Ajin - Demi-Human #09 de Gamon Sakurai pela Panini (2017)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Nova Cultural (1987)
>>> Ajin - Demi-Human #10 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Ajin - Demi-Human #11 de Gamon Sakurai pela Panini (2018)
>>> Estratégia da Decepção de Paul Virilio pela Estação Liberdade (2000)
>>> Ajin - Demi-Human #12 de Gamon Sakurai pela Panini (2019)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Circulo do Livro/ SP. (1989)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #10 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
>>> The Buenos Aires Affair de Manuel Puig pela Codecri (1981)
>>> Fort of Apocalypse #09 de Yu Kuraishi, Kazu Inabe pela JBC/Ink Comics (2016)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/9/2004
O que você não está lendo?
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3400 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Fui à biblioteca pública assistir a um evento em que se contavam "causos" e histórias da tradição oral. Encontrei lá um moço urbano travestido de capiau, simulando um sotaque do interior norte de Minas e alternando a voz com uns solos de violão. Uma graça o show, mas senti falta também da leitura simples, da revelação dos textos de papel.

Depois disso, fui ouvir umas leituras num velho teatro. Algumas pessoas liam em voz alta textos que eu conhecia, ao menos de ouvir falar. E das bocas dos atores saíram as vozes sumidas de Machado de Assis, Lima Barreto, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade.

Na televisão, à meia-noite, me surpreende um programa em que renomados artistas aparecem dizendo contos dos medalhões da literatura, mas, também, de gente nova, viva, producente. Assim, páro, embora à meia-noite, para escutar uma história de Marcelino Freire e outra de Dalton Trevisan. Um Marçal Aquino feito por excelente ator, mas muito caricatural.

E aí vou dormir. Antes, no entanto, de vir o sono, me acomete a vontade de pensar na propagação da literatura contemporânea. Fico imaginando quantas pessoas assistiram àquele programa. Umas tantas, mas ainda poucas. Das tantas que zapeavam e foram parar ali, várias quiseram mesmo era ver um ator da Globo lendo um texto do famoso quem?. O texto que liam tinha status de coadjuvante, mas prendeu, se era bom. E a câmera de clipe da emetevê ajudou a entreter. Depois, quando leram na tela o nome do autor, pensaram em conhecer mais, em comprar o livro, talvez. Engraçado, nunca ouviram falar em um tal Marçal Freire ou Marcelino Aquino. Ou coisa assim.

Na falta de propagação da literatura contemporânea, jamais chegaremos a vender o produto livro com agilidade ou a fazer andar a fila dos grandes nomes da literatura brasileira.

Na Internet, tem-se muita literatice e uma moda de apinhar textos, mas é verdade que eles ganham velocidade de propagação. Quando viram impressos, no entanto, costumam provar que o grande barato ainda é publicar em papel e que só se vende livro no dia do lançamento, pros parentes, principalmente se a família for grande e o autor não tiver saído de casa fugido.

Mas o problema não pode ser apenas não vender. O problema maior é não circular, não se fazer conhecer, ao menos como boato. Se um notívago inveterado ou um insone zapeador tiverem ouvido aquele conto falado pela Giulia Gam à meia-noite, então aquela literatura terá se propagado... um tanto... e, com ela, o nome do autor, a vontade de ter um livro, quem sabe?

E como se propaga literatura? Ué... fazendo sobre ela programas antes e também depois da meia-noite; falando nela nos jornais impressos, eletrônicos e digitais; conversando com os autores em eventos na biblioteca pública; revelando textos pra quem estiver lá; fazendo jornalismo cultural investigativo, e não essa clonagem de listas de best-sellers e copy/paste descarado de releases superficiais.

Pra quem gosta de teorias de complexidade, considere-se que cada pessoa tem uns amigos e parentes e que, se ela se comunica, então ela pode tecer comentários sobre um tal texto que a tenha tocado. Um bom texto sempre carrega essa mágica, como um bom prato ou uma boa bebida. E então a desculpa de que não há quorum pra eventos desse tipo só faz desestimular a formação dessa rede.

Só se compra, se lê, se ouve, se vai atrás daquilo que se sabe que existe ou que se tem vontade de pesquisar. E é importante plantar pulgas atrás das orelhas dos leitores, mesmo quando eles ainda são potenciais. Essa energia se libera por inércia.

Que livros você não está lendo? Talvez esteja perdendo o vôo da madrugada que propõe Sérgio Sant'Anna ou o encarniçamento de João Filho, morador dos confins da Bahia, que a esta hora deve estar vendendo estopa no pequeno comércio do pai. E quem criou o leitor João? E quem criou o escritor João? E quem o ajudou a fazer o belíssimo percurso que o tornou artista? E quem o conectou ao resto do país e ao resto do mundo? E quem lhe leu originais e o publicou em livro? E quem disse que João teve escola boa ou curso superior?

João sabe vender farinha e escrever contos. Mas João ouviu falar de livros e os conseguiu emprestados ou furtados ou comprados a muito custo. Questão de prioridade para ele, ora. A literatura pode se propagar e deve ser incentivada a isso. Para que apareçam mais Joões que façam a fila da literatura brasileira dar um passinho à frente.

A lista dos figurões não é lá muito dinâmica. Os boatos literários enganosos são mais ágeis. Mas o que toca o leitor é problema dele, questão de experimentar. João degustou uns drummonds antes de chegar à literatura recém-saída dos fornos. E quem sabe, pela propagação, João se enfie pela boa literatura adentro? Quem sabe também Maria e Fabrício?

Eu digo a Jorge: não adianta guardar projetos na gaveta. Para isso, te dou de presente umas pastas de arquivo coloridas. Tem que publicar e deixar que se propague. E você não terá controle do que lêem, como lêem ou quando o fazem. São seus convidados, mas tomam conta da casa.

Leia-se o livro na biblioteca, na praça, no velho teatro, no cinema em ruínas, no circo, no palácio, no centro de cultura, no bar temático. O livro vem a reboque. Revele-se o que antes ficaria muito tempo guardado. Palavra não é coisa que se possa manter presa. Pense: o que você não está lendo, está perdendo.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/9/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (V) de Cassionei Niches Petry
02. Submissão, oportuno, mas não perene de Guilherme Carvalhal
03. Blockchain Revolution, o livro - ou: blockchain(s) de Julio Daio Borges
04. Brochadas, romance inquietante de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
05. 50 tons de Anastasia, Ida e outras protagonistas de Elisa Andrade Buzzo


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2004
01. Ler muito e as posições do Kama Sutra - 2/6/2004
02. Autor não é narrador, poeta não é eu lírico - 24/3/2004
03. Em defesa dos cursos de Letras - 6/10/2004
04. Literatura como arte - 25/8/2004
05. Mulheres de cérebro leve - 13/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/9/2004
10h17min
Pois é, depois de ler esse texto, já escolhi três lançamentos. Não posso "perder" nada.
[Leia outros Comentários de sonaly ]
4/10/2004
09h19min
Disse tudo, Ana! E muito obrigada!
[Leia outros Comentários de Mônica]
12/10/2004
19h38min
Ótimo!!! Ainda bem que não perdi este texto...
[Leia outros Comentários de lucas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ANTES DO BAILE VERDE
LYGIA FAGUNDES TELLES
ROCCO
(1999)
R$ 13,00



CINCO LIÇÕES DE PSICANÁLISE OS PENSADORES SIGMUN FREUD
IVAN PAVLOV
ABRIL
(1974)
R$ 29,00



COMO A WEB TRANSFORMA O MUNDO
FRANCIS PISANI; DOMINIQUE PIOTET
SENAC SP
(2010)
R$ 14,00



OBRAS COMPLETAS - 2° VOLUME
GIL VICENTE
CULTURA
(1946)
R$ 20,00



VAGABOND 23
TAKEHIKO INOUE
CONRAD
(2002)
R$ 4,99



PRISÃO E MEDIDAS CAUTELARES
LUIZ FLÁVIO GOMES E OUTROS
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2012)
R$ 30,00



MULTIPROFISSIONALISMO E INTERVENÇÃO EDUCATIVA: AS ESCOLAS
MARIA ADELINA DE ABREU GARCIA
EDIÇÕES ASA
(1994)
R$ 26,68



FOCUS ON GRAMMAR - A HIGH-INTERMEDIATE - 2 EDIÇÃO
MARJORE FUCHS E MARGARET BONNER
LOGMAN
(1980)
R$ 20,00



SOUVIENS TOI; ROMAN
MARY HIGGINS CLARK
ALBIN MICHEL
(1994)
R$ 22,82



A CIDADE DOS MORTOS
HERBERT LIEBERMAN
CÍRCULO DO LIVRO
(2018)
R$ 12,00





busca | avançada
37883 visitas/dia
1,3 milhão/mês