Confissões de um jornalista que virou suco | Márcio Seidenberg | Digestivo Cultural

busca | avançada
45848 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 7/10/2004
Confissões de um jornalista que virou suco
Márcio Seidenberg

+ de 2400 Acessos
+ 2 Comentário(s)

São quase sete anos dedicados a uma empresa, a um departamento e a uma função que, hoje, acrescentam quase nada profissionalmente. Tudo caiu na mesmice e numa rotina extenuante. E, há algumas semanas, quando estive diante de uma oportunidade de mudança, de migração interna, de evolução na carreira, cortaram, sem pensar no "funcionário" antigo que fazia jus a uma chance, mas (talvez) na necessidade de reestruturar um departamento que em breve deverá ser terceirizado.

Está sendo um baque lidar com a realidade. Por isso, apresso-me em buscar e extrair o lado positivo da situação, tentando com essa atitude minimizar o fato e o efeito de que, enfim, tropeçar e cair é muito difícil. Essa experiência me faz questionar a forma como tenho conduzido as coisas até então... Reconheço que priorizei o trabalho e deixei para segundo plano (quase) todo o resto - às vezes por força do ofício, mas também por iniciativa própria. Tudo o que dizia respeito à empresa sempre teve status de urgência. Agora sinto uma necessidade - também urgente - de mudar essa postura, de pensar no quanto me fez mal apostar tantas fichas numa única atividade.

Estar vivendo tudo isso me obriga a refletir e repensar valores e atitudes, presente e futuro, certo e incerto. Porque quando tudo vai bem, quando as coisas adquirem aquela fluência a que a gente logo se acostuma, liga-se o piloto automático e pronto. E então vem o acomodamento: submeter-se à rotina do dia-a-dia, acordar pronto para executar aquelas tarefas, receber o salário ao final do mês, pagar as contas, sair de vez em quando com os amigos, e ir caminhando, e andando, e seguindo... talvez por inércia.

Mas chegou esse tufão, arrancando meus pés do chão e me levando a escrever essas linhas... Preciso garimpar outra atividade, preciso sair em busca de muitas coisas também. Estou bem agora. Penso que é valioso esse "tropeço" e batalhando por novas possibilidades, mirando outros e - espero - melhores horizontes. São esses desafios que me norteiam e me empurram para frente.

Algumas fichas que recentemente caíram
1. Se eu soubesse ou alguém me desse uma pista, em meados de 1999, da situação atual do mercado de trabalho para nós, jornalistas, certamente não teria quase caído em depressão ao não ter visto o meu nome na lista de aprovados do vestibular da faculdade cinco estrelas de Jornalismo. Desistiria da profissão e ponto. Cá entre nós, crise vai, crise vem, e a área de informática, através da qual sobrevivo, supera todas as turbulências. Ganha-se razoavelmente bem e, antes da virada do século, garanto a vocês que as empresas contratavam um técnico com registro em carteira - sou um exemplo vivo disso.

Terceirização é palavra de início de milênio, bem entendido. Ainda assim, em 2000 eu comemorava aos berros ter conseguido meu espaço no que pensava ser o Olimpo. Claro, a Cásper Líbero, com aqueles corredores estreitos e salas de "batcaverna", sempre esteve longe de ser um lugar paradisíaco. Mas primeiranista acha tudo lindo e, pior, tem aquele intragável papo-cabeça: "ah, porque eu estou aqui em busca dos meus ideais (sic)..."; "porque o jornalista vai transformar o mundo com um lide (sic)". Meu Deus, ainda bem que só se é ingênuo uma vez na vida... Vamos à realidade.

2. O Grupo Folha demitiu recentemente mais de 60 experientes profissionais, muitos amigos recém-formados estão disparando currículos - exceto dois ou três, felizmente - e não há muitas perspectivas. Fechou o tempo. No ano passado, um professor da faculdade, falando sobre esse cenário nebuloso, disse que o jornalista precisava reinventar seu espaço na sociedade. Um pouco abstrato, não? Mas, "abstraindo" a idéia, eis que surge algo concreto. Creio que é possível superar a situação de desemprego com alguma inovação. As organizações não-governamentais, por exemplo, são atualmente portas-de-entrada para gente de comunicação. Nas ONGs, os jornalistas fazem de tudo um pouco e, em alguns casos, têm domínio de todas as etapas de uma publicação - da pauta à distribuição -, o que os diferencia de outros tantos profissionais do mercado. Alguns vão afirmar, com base nesse item e no meu recente "histórico", que estou fazendo apologia às ONGs.... "Esse papo eu já conheço", vão dizer. "E o salário?", perguntam.

3. Sim, ganha-se menos nas ONGs do que nas empresas jornalísticas. E, no início, muitas vezes, o trabalho nem é remunerado. O cidadão entra como voluntário e depois vai edificando sua carreira. Aos poucos, bem aos poucos, é verdade. Mas, ao contrário dos muitos free-lancers convencionais (isso sim é que é informalidade), terá mais chances de ser um funcionário regido pela CLT. E tem mais...

4. Enquanto o trabalho não vem, há algumas propostas bastante criativas surgindo na praça. Poderíamos montar um blog só com reportagens/ artigos/ currículos de jornalistas desempregados... Aliás, já existe um. Dos alunos de uma faculdade do Distrito Federal...

Em tempos de Orkut
Começou com uma apresentação nosso primeiro encontro desde 1994, quando todos nós concluímos a 8º série (antigo "primeiro grau") no Colégio Renascença, do Bom Retiro. Estudávamos juntos desde o maternal, fomos para o pré, depois para o primário, subindo depois para o antepenúltimo andar do prédio da escola, onde cursamos os quatro anos do ginásio. No Colegial, a turma se dividiu; a verdade é que cada um seguiu um caminho diferente e passou a manter contato apenas com os amigos afins. Alguns moram fora já faz tempo, de muitos não se ouvem notícias, outros continuam em São Paulo e, superando as expectativas mais otimistas, conseguimos reunir dez para um rodízio de pizza.

Todos eles eu reconheceria na rua. Me disseram que eu havia mudado muito. Aquela menina se parece ainda mais com a mãe dela. A outra continua com aquela risada hilária, seu rosto fica roxo, tão roxo que assusta. Meu amigo não mudou nada. A menina mais cobiçada da classe já não é tão linda; a mais feia está mais bonita e aquela em quem eu não apostava uma bala, caramba, essa sim me surpreendeu!

A fisionomia, no entanto, não foi o que mais me chamou a atenção. Aquelas pessoas todas... algumas me viram de fraldas até... e me acompanham desde quando as tirei (as fraldas). Mas dez anos separaram nossas vidas. De alguns - e algumas - eu era tão próximo e, hoje, estamos tão distantes. Depois da apresentação individual houve aquele silêncio, prolongado. Arrisco dizer que poucos estavam à vontade, mas estávamos ali, de certa forma, para recomeçar, reconstruir outro contato. Foi muito bom rever todos.


Márcio Seidenberg
São Paulo, 7/10/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. No palco da vida, o feitiço do escritor de Cassionei Niches Petry
02. Cidades do Algarve de Elisa Andrade Buzzo
03. Raio-X do imperialismo de Celso A. Uequed Pitol
04. O dia que nada prometia de Luís Fernando Amâncio
05. O Que Podemos Desejar; ou: 'Hope' de Duanne Ribeiro


Mais Márcio Seidenberg
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
15/10/2004
00h08min
Parabéns pelo belo artigo, Márcio. Identifiquei-me de imediato ao ler a primeira parte, parecia eu mesmo escrevendo - recentemente passei por um terrível trauma na empresa de jornalismo em que trabalho. Não perdi o emprego, mas as perspectivas não são as melhores. E comecei a caçar alguma coisa fora dali, mas ando sentindo que, novamente, estou me acomodando. E isso é desesperador. Espero que consiga se ajeitar nesse mercado nefasto do jornalismo. Espero que eu também consiga me acertar. Espero que todos nós, malucos que caímos nessa profissão, consigamos nos acertar. Forte abraço!
[Leia outros Comentários de Marcelo Miranda]
15/10/2004
11h53min
As ongs têm uma revista na net www.rits.org.br, na qual surgem algumas ótimas oportunidades. Boa sorte! Com fé não costuma falhar (ou será faiá?)...
[Leia outros Comentários de Rose Delfino]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FAGULHAS
PAULO LUDMER
REALEJO LIVROS
R$ 30,00



GEOMETRIA DESCRITIVA
ARDEVAN MACHADO
CIA. NACIONAL
(1969)
R$ 9,50



ESPAÑA BAJO LOS AUSTRIAS
PROF. EDUARDO IBARRA
LABOR
(1927)
R$ 95,00



A PEQUENA GRANDE FAMÍLIA
MARIA NAZARETH R. FERREIRA (ZARINHA)
KROART
(2003)
R$ 50,00



FORDLÂNDIA
EDUARDO SGUIGLIA
ILUMINURAS
(1997)
R$ 16,90



ENQUANTO O PAPA SILENCIAVA
ALEXANDER RAMATI
CLUBE DO LIVRO
(1985)
R$ 5,90



LEGISLAÇÃO AMBIENTAL
JOSÉ GERALDO BRITO FILOMENO. ORGANIZAÇÃO
IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO SP
(2000)
R$ 30,00



PESQUISA JURIDICA NA COMPLEXIDADE: E TRANSDICIPLINARIEDADE
MARIA FRANCISCA CARNEIRO (4ª EDIÇÃO)
JURUA
(2014)
R$ 25,28



LA MÍNIMA EM CENA
NÃO INFORMADO
SESI SP
(2012)
R$ 50,00



O DOM SUPREMO - COLEÇÃO PAULO COELHO
HENRY DRUMOND ADAP. PAULO COELHO
GOLD
(2008)
R$ 10,00





busca | avançada
45848 visitas/dia
1,4 milhão/mês