Um clássico! | Spacca | Digestivo Cultural

busca | avançada
22513 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FÁBRICA DE CALCINHA, PARTE DA MOSTRA CENA SUL, EM TRÊS APRESENTAÇÕES NO SESC BELENZINHO
>>> PROJETO MÚSICA EXTREMA, DO SESC BELENZINHO, TRAZ EM MARÇO A BANDA REFFUGO, DE DEATH METAL
>>> ESPETÁCULO DE DANÇA ENCHENTE, COM DIREÇÃO DE FLAVIA PINHEIRO (PE), EM TRÊS DATAS NO SESC BELENZINHO
>>> EU e MÁRIO DE ANDRADE Livro de Anotações para Viagens Reais e Imagin
>>> Atom Pink Floyd Tribute retorna ao Rio Grande do Sul
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> Prefácio
>>> Descendências
>>> Nem mais nem menos
>>> Profissão de fé
>>> Direções da véspera III
>>> Mirante
>>> In Albis
>>> Mulher, ontem hoje e sempre
>>> Amor, entre o céu e o fardo
>>> O Estranho Mundo Atual que Julgamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O cinema brasileiro em 2002
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Festival da Mantiqueira
>>> Eleições
>>> Portal dos Livreiros: 6 meses!
>>> Por que ler poesia?
>>> Entrevista com Miguel Sanches Neto
>>> Os superestimados da música no Brasil
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
Mais Recentes
>>> La Sexualité et Sa Répression Dans les Sociétés Primitives de B. Malinowski pela Payot (1932)
>>> Meteorologia para Aviação Vol I de Ronaldo Gomes Brandão Naviglio Tasoniero pela Kolex (1974)
>>> A Atmosfera de R. Argentiere pela Pincar (1957)
>>> Karl Marx e os Marismos de Iring Fetscher pela Paz e Terra (1970)
>>> Consultations Pour les Maladies des Voies Digestives de Gaston Lyon pela Masson et Cie. (1920)
>>> Os Caracteres de La Bruyère pela Athena (1937)
>>> De La Nature de Dieux de Cicéron Charles Appuhn Tradutor pela Garnier Frères
>>> Noveau Dictionnaire Italien - Français et Français - Italien de G. Ferrari pela Garnier Frères
>>> Il Violoncello Il Violoncellista Ed Violoncelisti de L. Forino Manuali Hoepli pela Ulrico Hoepli (1905)
>>> Anatomie et Physiologie Végétales de D. Cauvet pela J. B. Baillière et Fils (1885)
>>> Histoire Naturelle des Religions 2ª Parte de Eugène Veron pela Octave Doin (1885)
>>> Tratado de las Oraciones Latinas de Manuel Pérez Jorge pela Del Amo (1897)
>>> Vocabulaire Latin - Familles et Groupements de Mots de L. Clédat pela Armand Colin (1924)
>>> Grégoire de Nysse Discours Catéchétique de Louis Méridier pela Alphonse Picard et Fils (1908)
>>> Estudio Anatómico del Movimiento del Corazón y de La Sangre En los ... de Guillermo Harvey pela Emecê
>>> Vieira de Antonio Soares Amora pela Assunção
>>> História Geral da Humanidade Através dos Seus Maiores Tipos Vol. 5 de David Carneiro pela Athena
>>> Elogio dos Olhos de Paulo Gustavo Galvão pela Littera Maciel (1989)
>>> O Que Há por Trás dos Bancos Suíços de T. R. Fehrenbach pela Dinal (1966)
>>> The Origin of Man de Mikhail Nesturkh pela Progress (1959)
>>> Tu Alma y La Ajena - uma Psicología Práctica para Todos de Richard Muller Freienfels pela Labor (1959)
>>> O General Leclerc de Renato Baptista Nunes pela Biblioteca do Exército (1961)
>>> A Cibernética e o Humano de Aurel David pela Hemus (1971)
>>> Noite Santa - Antologia de Poemas de Natal de Jamil Almansur Haddad pela Autores Reunidos (1960)
>>> The Musculoskeletal System in Health and Disease de Cornelius Rosse D. Kay Clawson pela Harper & Row (1980)
>>> Pruebas Funcionales Muscalares de Lucille Daniels Catherine Worthingham pela Interamericana (1973)
>>> Aviação Visão de Ciência de H. Highland pela Flamboyant (1967)
>>> Atlas of Craniomaxillofacial Surgery de Ian T. Jackson Ian R. Munro Kenneth E. Saly... pela The C. V. Mosby Company (1982)
>>> Microsurgery of the Anterior Segment of the Eye Vol I Introduction ... de Richard C. Troutman pela The C. V. Mosby Company (1974)
>>> Trastornos Geneticos - Diagnostico Visual de Richard M. Goodman Robert J. Gorlin pela Jims (1973)
>>> Cirurgia Ocular Vol I de W. Belfort Mattos pela N/d (1931)
>>> Atlas de Cirugia Ocular de Jose Maria Roveda pela Lopez (1972)
>>> Particularidades Sintacticas del Latin Medieval de Juan Bastardas Parera pela Escuela de Filología (1953)
>>> O Argumento Histórico e a Pronúncia do Latim de Nelson Roméro pela Agir (1947)
>>> The Philosophy of Religion - in England and America de Alfred Caldecott pela Methuen (1901)
>>> La Pratique des Tests Mentaux de O. Decroly R. Buyse pela Félix Alcan (1928)
>>> Lezioni Di Lingua Italiana de Livia Camerini Piera S. Cherardi pela Francisco Alves (1956)
>>> Erythrocytes et Erythropathies de O. Cazal pela Masson (1957)
>>> Heritable Disorders in Orthopaedic Practice de Ruth Wynne Davies pela Blackwell Scientific (1973)
>>> Manual de Instrumentação Cirúrgica de Fernando Puríta pela Cultura Médica (1980)
>>> Découverte de La Cybernétique de Albert Ducrocq pela Julliard (1955)
>>> Vida do Padre Antônio Vieira de E. Carel pela Assunção
>>> Tópicos de Genética Humana de Newton Freire Maia pela Hucitec-edusp (1976)
>>> Odeio Reuniões de Stephen Baker pela Melhoramentos (1987)
>>> Máscaras Ou o Comunismo Entre Bastidores de Juan Carrascal pela Manuel de Oliveria
>>> As Malhas do Govêrno de R. M. Maciver pela Civilização Brasileira (1960)
>>> Manual de Apologética de A. Boulenger pela A. I. (1950)
>>> O Comunismo no Brasil de John W. F. Dulles pela Nova Fronteira (1985)
>>> Dopoguerra Italiano de Gaetano Gherardi pela S. Paolo (1947)
>>> Adivinhação pelo Tarô - Aprenda a Ler Tarô e Saiba Prever o Futuro de Abril pela Abril
COLUNAS >>> Especial Clássicos

Quinta-feira, 3/3/2005
Um clássico!
Spacca

+ de 4100 Acessos

Era uma criança talentosa, inteligente e metida. Gostava de dizer que só gostava de música clássica. (Na verdade, viria a saber mais tarde, gostava mesmo é de música sinfônica, barulhenta, os tais clássicos populares, Tchaikowsky com tiros de canhão, Beethoven surdo martelando os quatro acordes da Quinta Sinfonia.) Quanto à TV, via de tudo - mas assistia com gosto especial às adaptações de clássicos da literatura em desenho animado: Dickens, Verne. Livrinhos escritos para adolescentes transmitiam ao garoto o essencial de Poe e Dante, filtrados pela prosa de Carlos Heitor Cony.

Um dia, o menino se deparou com um clássico integral, Moby Dick de Herman Melville em edição sem cortes. Um catatau de uma polegada de expessura. Descobriu então duas coisas: primeiro, que andara consumindo gato por lebre, e os clássicos em versão digestiva perdem muito do sabor original; e segundo, que os clássicos são longos demais e certamente foram escritos para leitores de outra época.

Percebeu então a importância que a simples palavra "clássico" parecia ter. Ele queria sentir-se "clássico", por isso consumia "clássicos", ou seus simulacros. Diante de si, só via duas alternativas: continuar com os resumos, ou enfrentar as leituras originais.

Em literatura, percebeu que os originais são insubstituíveis, e que uma versão reduzida é na verdade um novo original. Em filosofia, constatou que os resumos são úteis, mas podem falar mais do resenhista do que da obra.

O tempo passou; aos vinte e poucos anos, descobriu-se nostálgico, entre amigos, relembrando desenhos animados e seriados "antigos" da sua infância. Columbo? Um clássico. Jornada nas Estrelas, então, o clássico dos clássicos.

Uma música publicitária de café é saboreada com ares veteranos de quem degusta uma bebida rara. Como podem? Com tão pouca idade? O ser humano mimetiza tudo, até a nostalgia dos mais velhos.

Vejo hoje o "clássico" como um rótulo algo semelhante ao cult. Talvez o cult seja mais gratuito, e uma certa produção cultural vira cult quando um grupo de fomentadores culturais decidem que ela seja, e o "clássico" seria mais o resultado de um processo mais longo e menos consciente.

Ambos têm uma espécie de aura; para algumas pessoas, uma música disco ou um sucesso da Buzina do Chacrinha parecem relíquias valiosas, pedaços de uma era de ouro que não volta mais.

Um clássico é feito de componentes próprios e elementos exteriores; no que depende de si, é a combinação de elementos raros, às vezes reunidos com uma pitada de acaso ou acidente. Um livro clássico é o livro mais feliz de uma certa obra, aquele difícil de ser superado até pelo seu criador. O Príncipe de Maquiavel é um clássico, História de Florença é apenas leitura clássica. Raízes do Brasil é um clássico, Visão do Paraíso não é.

Podemos ter um evento memorável, um show inesquecível ou até mesmo um gol alçados à categoria de clássicos. Impossível repetí-los; só nos resta cultuá-los.

E quanto aos elementos exteriores, são a reação de seus contemporâneos e a releitura dos públicos futuros.

Um bom clássico deve cair no esquecimento e ser resgatado. Uma tribo de fãs e experts colecionam histórias de bastidores, criando um conhecimento organizado que orienta os novos membros. O primeiro disco do Ultraje a Rigor. Um clássico.

Hoje em dia os clássicos têm morte anunciada: diretores fazem "trilogias", cartunistas matam suas Mafaldas e Rebordosas. Saio da vida para entrar para a História; esqueço minha obra antes que me esqueçam (mistura de Dom João VI com Fernando Henrique Cardoso).

Leitores de filosofia tratam Aristóteles por seu apelido de "Estagirita", e sabem que Descartes descreveu seu método de pensar metodicamente aquecendo-se à lareira. Fãs de cinema sabem que Casablanca foi filmado aos trancos e barrancos com baixo orçamento.

Existe o clássico deliberadamente fabricado. O filme Os Caçadores da Arca Perdida fez uma apropriação dos antigos seriados de matinê e acabou se tornando um clássico. Walt Disney começou a fazer adaptações de clássicos da literatura infantil na série de desenhos "Silly Simphonies" e, com o passar do tempo, o texto publicitário que anunciava "mais um clássico Walt Disney" passou a significar que um filme Disney já nasce clássico.

O próprio Dom Quixote não é uma gozação com uma certa literatura clássica que se tornou mais clássico que os clássicos satirizados?

Enfim, parece que um clássico envolve muito conteúdo exterior ao próprio clássico, desde uma sensação subjetiva de importância e requinte por estar lendo/vendo/ouvindo um clássico, até discussões em grupo sobre o episódio em que o capitão Kirk estava de mal com Spok.

Em meio a tanto diálogo interior e exterior, nada como pegar um Clássico da estante e deixar que ele mesmo se comunique comigo. Chega de opiniões e discussões. Basta ajustar-me ao seu tempo; preparo o ambiente, isolo-me. Uma inteligência e sensibilidade de outra época estão me falando agora. Palavras escritas com precisão alargam meu mundo interior. Sinto-me privilegiado, enriquecido, eleito. Agora sou outro: mudei. AC, DC: antes do Clássico, depois do Clássico. Impossível traduzir, resumir, simplificar, igualar. Vou fazer uma busca no Orkut. Só quem leu o Clássico poderá me compreender agora.

A ameaça submarina de Bob Esponja
Eu não acreditava. Os sinais se-me-apresentavam, mas meu embotado espírito ignorou-os a todos. Chamam paranóico aquele que julga ver, por trás da aparência aparentemente inocente ou neutra da realidade tangível, a mão sinistra e omnipresente da Conspiração Mundial.

Mas os sinais não mais se escondem ou se disfarçam. Pior! A Conspiração encontrou o seu melhor disfarce, que é o disfarce nenhum. Anda à vista de todo o mundo, em primeiro plano, de modo que a realidade é que se esgueira pelas catacumbas, como os primeiros seguidores do Salvador!!! E citando com despudor o Mestre, o Mal também faz o convite: "Venham a mim as criancinhas!".

Os nomes dos inocentes personagens do desenho animado Bob Esponja, quando lidos de maneira apropriada, revelam a verdadeira intenção dos seus criadores. Enquanto isso não acontece, a mensagem subliminar lança nas mentes desguarnecidas das crianças as sementes do Mal. Repare que os coadjuvantes do Bob Esponja são respectivamente, uma Lula e uma Estrela.

1) Lula Molusco: "molusco" é um anagrama de "moscoul", ou seja, Lula Moscou.

2) Patrick Estrela: "estrelas" traz oculto o nome "alester", referente ao bruxo inglês Alester Crowley.

(Temos aí a ligação inequívoca de Lula - Moscou - Forças do Mal...)

3) Bob Esponja: "esponja" é um anagrama de "japones". Iludir-se-ia quem pensasse tratar-se de uma referência ao país dos nipônicos. Hélas! A realidade supera as profecias mais pessimistas... Um quarto do cérebro humano processa informações visuais. É no plano visual, portanto, que a mensagem subliminar faz mais efeito. O símbolo da bandeira japonesa é o sol... Vermelho! Ainda na simbologia cromática, poderíamos ressaltar a persistência com que personagens amarelos tomam de assalto o imaginário da petizada, tornando-os desde cedo dóceis ao maoísmo: a grotesca Família Amarela de cabeça serrilhada, o Monstro de Bolso que emitia sinais hipnóticos pela tela de TV, etc, etc, et coetera.

Teoria da Conspiração não existe, o que existe é a pura Conspiração, e só. Etimologicamente, um "desenho/anima/do" tem o desígnio (desenho) de confiscar a alma (anima) sem dó (do).

Apenas os programas de entretenimento sadio, que valorizam a Família, oferecem refúgio ao ataque submarino das Esponjas do Mal. João Cléber, Carlos Massa, Sérgio Mallandro e mais um punhado de comunicadores sociais - sabidamente caluniados e injustiçados pelo pensamento hegemônico dos guardiães do bom-gosto - oferecem à família um espelho salutar, com imagens reais de pessoas reais, com seus conflitos e esperanças.

A verdade dói - mas só a Verdade pode servir de contraponto ao turbilhão de ilusões que literalmente "des-anima" os indivíduos de amanhã...

Nota do Editor
Spacca é cartunista, quadrinhista, ilustrador e já quis ser animador Disney; hoje se contentaria em trabalhar na Pixar.


Spacca
São Paulo, 3/3/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mais outro cais de Elisa Andrade Buzzo
02. Vinicius de Julio Daio Borges
03. Elon Musk de Julio Daio Borges
04. Os 60 de Eugenia Zerbini
05. Jackie O., editora de Eugenia Zerbini


Mais Spacca
Mais Especial Clássicos
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TERRA DA BÍBLIA: PARA ENTENDER MELHOR A BÍBLIA
FREI PAULO AVELINO DE ASSIS
CENTRO BÍBLICO CATÓLICO
R$ 19,28



NOVA ENCICLOPÉDIA ILUSTRADA FOLHA - 2 VOLUMES - NOVA
FOLHA DE S. PAULO
FOLHA DE S. PAULO
(1996)
R$ 39,00



HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE
J.K. ROWLING
ROCCO
(2007)
R$ 18,00



MÉTODO DE ANÁLISE
CARLOS GOES
LIVRARIA FRANCISCO ALVES
(1961)
R$ 10,00



EMOÇÕES NO DIVÃ DE EDUARDO MASCARENHAS
EDUARDO MASCARENHAS
GUANABARA
(1985)
R$ 10,91



TIETA DO AGRESTE
JORGE AMADO
RECORD
(1983)
R$ 18,00



CAMINHANDO COM PORTINARI
ALAN NIELSEN
TERRA VIRGEM SÃO PAULO
(2012)
R$ 45,00



ESTRANHOS
DEAN R. KOONTZ
BEST SELLER
(1988)
R$ 70,00



UMA HISTÓRIA DA VERDADE EM MICHEL FOUCAULT
AFRÂNIO TENÓRIO DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



PILATOS - CARLOS HEITOR CONY (ROMANCE BRASILEIRO)
CARLOS HEITOR CONY
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1974)
R$ 10,00





busca | avançada
22513 visitas/dia
1,1 milhão/mês