Nós, os escritores derrotados | Marcelo Maroldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Vendedor de Passados
>>> Entre a crise e o espectro do humor a favor
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
>>> Retomada do crescimento
>>> Drummond: o mundo como provocação
Mais Recentes
>>> O Espiritismo Aplicado de Eliseu Rigonatti pela Pensamento (2006)
>>> Luz no lar de Francisco Cândido Xavier pela Federação Espírita Brasileira (1968)
>>> O Evangelho segundo o espiritismo de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (1997)
>>> Sobrevivência E comunicabilidade dos Espíritos de Hermínio C. Miranda pela Federação Espírita Brasileira (1975)
>>> O Livro dos Espíritos de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (1944)
>>> História das Religiões de Ivan Ap. Manoel e Nainora M.B. de Freitas pela Paulinas (2006)
>>> O Brilho dos pássaros de Carlos Luz pela Nova Era (1996)
>>> Prosperidade fazendo amizade com o dinheiro de Lair Ribeiro pela Objetiva (1992)
>>> Sessões Prática e Doutrinárias do Espiritismo de Aurélio A. Valente pela Federação Espírita Brasileira (1990)
>>> 100 Impulsos positivos para viver melhor de Eduardo Criado pela Folio (1996)
>>> O Avesso de um Balzac Contemporâneo de Osmar Ramos Filho pela Lachârtre (1995)
>>> O Ser Integral o despertar de uma nova era de Orlando Santos Junior pela Royal Court (1996)
>>> A fé crista Normal de Watchman nee pela Living Stream Ministry
>>> Sementes de vida Eterna de Djalma Santos pela Novo Ser (2011)
>>> Vencendo os Limites de Elaine de Melo pela Qualitymark (2000)
>>> Ala Sombra de los Monasterios Tibetanos de Jean M. Riviére pela Kier (1986)
>>> A vida Normal da Igreja Crista de Watchman nee pela Living Stream Ministry
>>> Esclarecendo os Jovens de Umberto Ferreira pela Goiânia (1993)
>>> O Vôo mais Alto de Luiz Sérgio pela Edição do Autor (1983)
>>> Evolução Espiritual de Narcí Castro de Souza pela Madras
>>> Copos que Andam de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit (1994)
>>> O Mistério do Sobrado de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit (2001)
>>> Imagem do eterno de Carmen Cinira Macedo pela Moderna (1989)
>>> A Gêneses de Allan Kardec pela Federação Espírita Brasileira (2000)
>>> Manual de Boas Práticas em Ensaios Clínicos de Conceição Accetturi, David Salomão Lewi e Greyce Balthazar Lousana pela Usp (1997)
>>> Filho do Sol de Savitri Devi pela Renes (1981)
>>> Encontros com o Insólito de Raymond Bernard, F. R. C. pela Renes (1970)
>>> Introdução à Filosofia da Rosacruz Áurea de J. van Rijckenborgh pela Escola Espiritual da Rosacruz Áurea (1982)
>>> Biografias de Personalidades Célebres de Prof. Carolina Rennó Ribeiro de Oliveira pela do Mestre (1970)
>>> As Últimas Horas de Gibran de Kahlil Gibran pela Nova época (1980)
>>> El Misterio De Los Templarios de Louis Charpentier pela Bruguera (1970)
>>> Valongo Arte e Devoção de Ana Maria C. Silva De Biasi, Elias Jorge Tambur e Maria Rabello da Motta pela A Tribuna (1995)
>>> Eu, Detetive O Caso do Sumiço de Stella Carr e Laís Carr Ribeiro pela Moderna (2003)
>>> Dinheiro Público e Cidadania de Silvia Cintra Franco pela Moderna (1998)
>>> Quando o espiritual domina de Simone de Beauvoir pela Nova Fronteira (1980)
>>> Coração de Vidro de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1972)
>>> Transformadores de Alfonso Martignoni pela Globo (1981)
>>> Guia Técnico do Alumínio - Extrusão de Associação Brasileira do Alumínio pela Tecnica (1990)
>>> História da Literatura em Santo André de Tarso M. de Melo pela Fundo de cultura de santo andré (2000)
>>> Cinco Minutos - A Viuvinha de José de Alencar pela Ática (2001)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 4 de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Amo Poesia de J. Dellova pela Do escritor (1989)
>>> Folhas aos Ventos Maçônicos de Breno Trautwein pela A Trolha (2000)
>>> Os Segredos dos Construtores de Maurice Vieux pela Difel (1977)
>>> Antigos Manifestos Rosacruzes de Joel Disher pela Amorc (1982)
>>> Breve História da Maçonaria de Rubens Barbosa de Mattos pela A Trolha (1997)
>>> Por Mares há Muito Navegados de Álvaro Cardoso Gomes pela Ática (2002)
>>> Isso Ninguém me Tira de Ana Maria Machado pela Ática (1996)
>>> Um Dono para Buscapé de Giselda Laporta Nicolelis pela Moderna (1996)
>>> Encontro com os Deuses de Jaime Guedes pela Mandála (1978)
COLUNAS

Segunda-feira, 16/5/2005
Nós, os escritores derrotados
Marcelo Maroldi

+ de 6400 Acessos
+ 7 Comentário(s)

Eu sempre tive pouquíssimas certezas na minha vida. Uma delas era a certeza de que me tornaria um escritor... As primeiras lembranças de minha existência me remetem a sala de aula da primeira série na escola pública onde estudei, e eu lendo a cartilha. E lembro que ia semanalmente à biblioteca municipal aos 7 anos, como já citei aqui no Digestivo. Não sei precisamente quando e nem o motivo, mas os livros monopolizaram grande parte da minha vida, fizeram-me escravo das palavras e minha certeza primeira ia se fortalecendo, crescendo no meu peito sonhador. Não havia nenhuma dúvida! Mas jamais alguém soube disso... só eu mesmo. Era como se tivesse feito um pacto com alguém superior e eu tivesse tanto convicção do que me tornaria escritor que não precisaria correr atrás do meu sonho, não era importante compartilhá-lo, pois ele estava ali me aguardando e era questão de tempo até se consolidar e as pessoas verem o resultado... e ninguém iria assassinar meu maior sonho!

Aos sete anos, ainda, escrevi meu primeiro poema, lembro de um dos versos até hoje... Depois não parei, até que aos 17 anos escrevi meu primeiro livro, já com mais seriedade. Era um romance que hoje classificaria como existencial, e que me fez acreditar no meu suposto destino. Sem ajuda de ninguém e sem que nem um outro ser humano soubesse, imprimi 3 cópias e enviei a 3 grandes editoras brasileiras. Até hoje eu mal sei o que é uma editora, então escolhi pelo nome, pela fama, pelo tamanho. Uma delas jamais respondeu. As outras, sim. Uns 7 ou 8 meses depois, recebi um telefonema de uma pessoa. Queriam conversar a respeito da obra. Disseram explicitamente que iam publicar... E então, ruma à capital o menino do interior, sem que sua mãe desconfie. Na primeira reunião, ouvi: nossa, não esperava alguém tão jovem... ninguém aos 17 anos escreve assim... Hoje rio disso... No começo, pediram para eu mudar algumas "coisinhas", como nomes dos personagens. Concordei, não vi problema nisso. Depois, começaram a querer que eu refizesse parágrafos inteiros... a pressão editorial foi aumentando e já falavam em mudar o final... Um pouco desanimado, mas ainda entorpecido pelo perfume do sonho de escritor, ia aceitando (nessa época, não tinha muita convicção do que desejava publicar). Assinei algo como um pré-contrato que dava prioridade a eles se quisessem publicar meu livro naqueles próximos 5 anos (que tolice a minha!). Até que um dia vieram dizer que, sendo eu jovem, desconhecido e tendo uma obra tão "seca e dura" (isto é, pouco comercial), eu teria que investir na publicação da obra... Eu não tinha dinheiro para um sorvete, e, ainda que tivesse, não sei se teria aceitado. Só sei que virei as costas e voltei para casa, totalmente derrotado. Não é fácil dizer isso, mas um pedaço de mim morreu naquele dia... Até hoje lembro da cara dessas pessoas, mas me permiti esquecer seus nomes, os nomes de suas empresas, etc., e fiquei só, cozinhando meu primeiro grande revés em fogo baixo, em uma chama bem pequena e lenta, eterna... Lembro muito bem dessa volta para casa... (a propósito, a outra editora também quis publicar meu livro, por isso a primeira me fez assinar um pré-contrato).

Os meses seguintes ao fato foram terríveis... Então, recém completos 19 anos, ingressava na Universidade de São Paulo(USP), onde cometi a incomensurável estupidez de estudar ciências de computação. Meu primeiro ano foi difícil, talvez o mais difícil de toda minha vida... Por mais que eu tentasse, só uma lembrança ocupava minha mente, só uma idéia conduzia minha vida, eu era, ainda que debutante na vida, um fracassado. Afastei-me dos livros, das pessoas, do meu próprio livro. Não tinha cópias impressas, apenas no computador, o que facilitou sobremaneira a exclusão daquela prova factível de minha condição (mas, se um dia contar esse fato aos meus netos, direi que o queimei no quintal, pois é muito mais poético).

Um ano depois resolvi reagir. Esqueci dessa conversa de ser escritor... E deixei de ler e escrever. E só voltei a fazê-lo quando me apaixonei, e naquelas separações ordinárias que descreve tão bem o Fabrício Carpinejar, escrevi uns poemas. Terríveis, aliás... creio que meu cérebro fora lesado no episódio supracitado. Fiquei sozinho, com minha predileção pela chuva, pela madrugada e pelas histórias de velhos. Só alguns anos depois retornei a leitura... (ainda na universidade, estive próximo de publicar um livro técnico, mas aquilo foi uma bobeira de minha parte que nem menciono e considero).

Voltei a escrever há uns 2 anos... Precisava voltar a confeccionar frases ou não sei o que seria de mim! Já tinha uma idéia e um título: Confissões de um jovem arrogante. Que belo título! Eu compraria um livro que tivesse um título desses, mesmo que o escritor fosse um derrotado (bem, acho que isso não é possível, pois um escritor derrotado não publica). Mas logo vieram os problemas... as confissões não poderiam ser feitas, pois eram íntimas demais. E eram tão arrogantes! Se escrevesse o livro, teria que mutilar tantas partes boas que desfigurariam toda a obra... Ai, Deus... isso não tem fim?

Outras idéias vieram, novas páginas foram escritas, muitas delas apaguei... e começou tudo de novo. Diferente da primeira vez, não enviei cópias às editoras... Confiei num sonho! Eu, que tenho uma visão freudiana do sonho, tive uma alucinação (ou sonho) que me apontou um nome de uma editora. Puf... foi incrível! Acordei e ela estava na minha mente, prometendo que me levaria as livrarias do país, onde a falsa intelectualidade vai "ler" e bebericar café, citando nas rodinhas escritores arrogantes recém surgidos (sic) e que escrevem em blogs formidáveis que ninguém jamais lê. Não, leitor, não sei dizer se foi a tequila a autora do sonho... Sei apenas que imprimi uma única cópia e enviei. Não precisava correr atrás disso (mais uma vez!), afinal, eu houvera sonhado! Dessa vez sim era questão de tempo... 60 Dias depois recebo uma carta (que, para quem não sabe, já demonstra a derrota de quem enviou um original para análise). Eu não me enquadrava na linha editorial deles. Curioso isso, qualquer coisa que se faça eles enviam a mesma carta. Você pode ser péssimo, você pode não se encaixar na linha editorial deles, eles podem já estar com a programação completa, podem só publicar autores consagrados, não importa! Você sempre está fora da linha editorial deles... O sonho errara! Diabo! Não é possível... Ai, Deus... isso não tem fim?

Todos os dias surgem novos escritores derrotados. Alguns devem ser bons, mas serão sempre derrotados, até que a linha editorial os obrigue a trabalhar em um escritório qualquer ou abrirem uma loja de roupas, esquecendo-se de que um dia ousaram tentar publicar. Infelizmente, são sempre os mesmos que estão na livraria e lá não há espaço para derrotados. Os problemas são muitos e aqui no Digestivo Cultural o assunto é sempre abordado. Alguns escritores derrotados sonham em ter sua própria editora... E, então, daqui uns anos dirão a nova geração de escritores derrotados: venha retirar seu original, você não se encaixa na nossa linha editorial. O ciclo se fecha... E eu me respondo: sim, isso não tem fim. Ah, perdoe-me, leitor, eu nem me apresentei: meu nome é Marcelo Maroldi e eu sou um escritor derrotado... E joguei fora as minhas certezas lá em cima, aos 17...

Nota do Autor
Copiei descaradamente o título dessa coluna do Julio Daio Borges, que escreveu "Nós - os jornalistas de alma vendida" (outra coisa, aliás... só roubei o título mesmo). Ela iria se chamar "Confissões de um jovem arrogante" e ter continuação, mas já não tenho muito a dizer...

Nota do Editor
Sobre o mesmo assunto, leia também "Os desafios de publicar o primeiro livro", de Luis Eduardo Matta.


Marcelo Maroldi
São Carlos, 16/5/2005



Quem leu este, também leu esse(s):
01. Vida conjugal de Guilherme Pontes Coelho
02. A decadência do herói de André Graciotti
03. Pelas mãos habilidosas dos grandes escritores de Marta Barcellos
04. Anjos Caídos, de Tracy Chevalier de Ricardo de Mattos
05. Oscar de Juliano Maesano


Mais Marcelo Maroldi
Mais Acessadas de Marcelo Maroldi em 2005
01. Como escrever bem — parte 1 - 13/6/2005
02. Como escrever bem — parte 2 - 27/6/2005
03. Como escrever bem – parte 3 - 11/7/2005
04. A ousadia de mudar de profissão - 28/11/2005
05. O que é ser jornalista? - 22/8/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
16/5/2005
17h30min
Você não está derrotado. Tampouco sofreu alguma lesão com as decepções sofridas. Só precisa recuperar a esperança.
[Leia outros Comentários de Claire]
19/5/2005
13h22min
Sou absolutamente solidário a você. No meu caso, eu me consideraria um crítico de cinema frustrado - não diria derrotado, acho que estou no ramo há pouco tempo. Ainda mantenho esperanças de um dia conseguir dar uma guinada, repercutir meu trabalho, gerar discussões. Escrever aqui no Digestivo, como tenho feito, é um grande passo pra isso - e acredito que para você também, que não está derrotado. Uma pessoa que escreve tão bem, se expressa de maneira tão sincera, franca e emotiva não pode se considerar um derrotado. Os caminhos continuam. Abraço!
[Leia outros Comentários de Marcelo Miranda]
3/8/2005
18h38min
Acredite: exitem situações em que é melhor não ter sua obra publicada do que vê-la com grande vendagem e não receber nada por isso.
[Leia outros Comentários de Marcos Garcia]
6/1/2006
20h14min
meu caro, na verdade, ser escritor no brasil, significa quase utopia, assim como nas outras artes, como cinema e musica... mas acredite... acredite sempre.
[Leia outros Comentários de mayanna]
24/7/2006
13h27min
Puxa... ótimo texto. Relato intrínseco de um escritor "derrotado".
[Leia outros Comentários de Anderson Castro]
4/8/2006
14h24min
Eu leio muitos romances, percebo que, na sua maioria, os autores são estrangeiros, então tive a brilhante idéia de começar a escrever um, hoje me pego sozinha, sem apoio algum, quando meu marido me vê escrevendo no computador, ele balança a cabeça em sinal negativo me deixando arrassada. Creio que não é só a dificuldade com as editoras, mas também a falta de cultura e apoio das pessoas, hoje tenho dúvidas se prossigo no sonho ou se enterro ele no jardim?
[Leia outros Comentários de Vera Raganhan]
4/8/2006
16h51min
Marcelo, sou escritora. Desde que resolvi publicar meu segundo conto sabia exatamente como iria acontecer. Paguei para publicar minha primeira obra, vou pagar pelo segunda e não vou me arrepender. Prefiro pagar por eles e deixar que o leitor decida se é bom ou não. Depois se alguma editora se interessar, podemos conversar. Acho uma humilhação o autor enviar uma obra para as editoras e esperar até seis meses ou mais para receber uma carta te aceitando ou não, ou simplesmente não receber resposta nenhuma. Quanto a termos outro emprego, é verdade. No Brasil, escritor tem que ter um emprego fixo e fazer de seu dom literário um hobby. Ou seja, quando der publica-se algo que esteja guardado na gaveta. Bem, esse artigo foi publicado em 2005 e, como estou chegando agora, quem sabe você já publicou algo. Caso contrário, espero que não desista. abrs... Elaine Paiva
[Leia outros Comentários de Elaine Paiva]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO - 4ª EDIÇÃO
DIOGO DE FIGUEIREDO MOREIRA NETO
FORENSE
(1983)
R$ 49,00
+ frete grátis



GONZO! 30 ANOS DE REPORTAGENS
ARTHUR VERÍSSIMO
REALEJO
(2014)
R$ 39,90



CHILE 1973: DO FOGO À LUZ: UM ENCONTRO COM A TORTURA
PEDRO HIDALGO
SENGE
(2012)
R$ 10,50



GRANDES ARTISTAS BRASILEIROS VOLPI
MARCOS A MARCONDES
CIRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 5,00



O QUE FAZER?
V. I. LÉNINE
EDIÇÕES AVANTE
(1977)
R$ 46,82



ESPORTE E EDUCAÇÃO:
ERIKA KARLA DE FREITAS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



ESTUDO DE TEMPOS PARA SUPERVISORES
GIUSEPPE MICHELINO
PUBLICAÇÕES EDUCACIONAIS
(1964)
R$ 4,90



METODOLOGIAS QUALITATIVAS NA SOCIOLOGIA
TEREZA MARIA FROTA HAGUETTE
VOZES
(2001)
R$ 20,00



A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EM CURRÍCULOS DE UNIVERSIDADES PÚBLICAS
ELIMAR PONZZO DUTRA LEAL
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



JÚLIO A MURALHA- FERAS FUTEBOL CLUBE
JOACHIM MASANNEK &JAN BIRCK
VIDA & CONSCIÊNCIA
(2009)
R$ 17,50





busca | avançada
41731 visitas/dia
1,1 milhão/mês