Minha formatura | Eduardo Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 5/8/2005
Minha formatura
Eduardo Carvalho

+ de 8900 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Eu acabei me formando - depois de cinco anos e meio na faculdade - três vezes: uma formatura espiritual, com os amigos que entraram no curso comigo; outra prática, quando eu estava, apesar de ainda ligado à faculdade, praticamente formado; e a última, teórica, em que GV finalmente reconheceu que eu merecia estar em outro lugar. Tenho quatro camisetas de formatura. Nenhuma delas foi completa. A festa da formatura espiritual foi naturalmente a melhor. O fato de estar praticamente formado acelerou bastante minhas outras atividades, porque liberou tempo para eu me dedicar a elas. E a formatura teórica formalizou meu desligamento definitivo do ambiente universitário, pelo menos por enquanto e como estudante. O normal é que as pessoas concentrem essas três formaturas em uma só: depois de quatro anos do vestibular, com uma classe e em uma festa. Eu preferi diluir essa emoção. E pensei que a sensação de estar formado, para mim, seria menor em cada um desses momentos. Não foi.

E percebi isso com clareza quando vesti a toga e subi no palco para buscar meu canudo. A sensação não foi a de que aquela era uma formatura teórica. Ao contrário. Foi a conclusão do meu curso de graduação e, além disso, do meu processo de formatura: que já estava durando mais de um ano. Senti a emoção de um formando - em vez de dividida por três - elevada ao cubo. Foi uma realização e um alívio. E foi, sobretudo, um momento para repensar e relembrar o meu curso. E uma época da minha vida que - se não foi a melhor - acho pelo menos que aproveitei da melhor forma que pude. Hoje, não me sinto frustrado nem incompleto por nada que deixei de fazer. E se fiz menos uma coisa do que outra, se estudei mais um assunto em vez de outro, se me dediquei mais a uma atividade do que a outra, estou confortável em saber que experimentei o máximo que pude. Não há nada mais a fazer.

O começo do curso de Administração de Empresas foi, em vários sentidos, decepcionante. Achei as matérias e os professores, em geral, desconectados com o que acontecia fora do ambiente acadêmico. E isso mesmo em Administração da Produção, por exemplo. Parecia que faltava alguma coisa. E não era, decididamente, o que nos foi apresentado em Filosofia, Psicologia, Sociologia, e outros assuntos parecidos que só me entediaram. Era uma época em que eu estava absorvido - e disso me lembro bem - por temas como Ética. Eu me lembro de, numa ocasião, explicar para a classe a diferença entre a pegada de Kant e de Santo Agostinho; entre as Virtudes Cardinais e Teologais; sabia buscar a origem etimológica da palavra ética e conseguia detonar argumentos relativistas dos professores mais arrogantes. Não sei se estava certo nem se sei responder isso agora. Mas eram temas que me interessavam - e são muito mais atuais do que um sistema de controle de estoque japonês hoje em desuso.

Eu não acho que li muito durante a faculdade. Deveria ter lido mais, talvez. Ou começado antes. Mas combinei esse interesse por temas de filosofia com literatura - a literatura pura. E me convenci de que os romances são a expressão artística mais completa e mais influente. Huxley, Conrad, Twain, Exupéry e Proust ampliaram minhas perspectivas, espirituais e geográficas, até um ponto que não imagino ser possível alcançar de outra forma. Foi um momento em que Álvaro Lins também me apresentou impressões inéditas, sobre livros e personagens. Era muito mesquinho alternar esse tipo de estudo com Sistemas e Métodos num modelo atrasado, ensinado de forma arrastada. Busquei alternativas. Montei com amigos um grupo de discussão sobre política, que se reunia sistematicamente com professores e organizou seminários bacanas. Escrevi algumas edições de uma coluna literária para o jornal da faculdade. Nunca fui, porém, de viver no DA: preferia sempre, por exemplo, ir ao clube ou ao cinema à tarde. Adorava voltar sexta-feira para casa à pé, andando pela Paulista, num dia azul, comprar a Gazeta Mercantil, pelo "Caderno de Fim de Semana", e assistir a um lançamento no Espaço Unibanco ou no Cinsesc - depois de ler todas as resenhas sobre o filme.

Acho que vivi os melhores momentos da faculdade longe dela. No cinema, no clube, em casa - ou na casa de amigos e namoradas. Em Juneau, Havana, Pipa, Winnipeg, Varsóvia, Araguaína, Brugges. Viajei todas as férias, para vários lugares, em vários estilos e com várias intenções. Foi sensacional, por exemplo, com 19 anos, rodar por dois meses o Brasil de carro, por 12 mil quilômetros, como eu fiz nas férias com um amigo. Contei sempre com o apoio dos meus pais. É bom ser responsável. Certas experiências não se repetem mais: o roteiro pode ser o mesmo, mas a curiosidade e a disposição - maiores ou menores - são outras. E a viagem acaba sendo diferente. Fiz todas que consegui.

Eu escrevi, na na minha apresentação, que já quis ser marinheiro, tenista, fazendeiro, etc. Uma coisa não exclui necessariamente a outra. Hoje, avalio minha experiência na faculdade como extremamente positiva. Considerei seriamente estudar Direito ou Economia. Comecei a estudar História. Acho que acertei em escolher Administração. O curso - apesar de todas as falhas - me ofereceu uma formação prática que provavelmente eu não encontraria em outro ambiente. A GV me treinou a pensar racionalmente sobre assuntos diferentes. É importante entender como uma empresa funciona, porque - sem forçar muito - praticamente tudo que a gente consome é produzido por uma delas: de cinema a passagens de avião. É muito importante entender o que é VPL, IRR, margem de EBITDA, eficiência operacional, etc. - até porque vários conceitos de Marketing e Finanças ilustram precisamente situações que acontecem fora da empresa. Você reclama menos do mundo - que, em grande parte, é controlado por empresas mesmo - quando começa a entendê-lo. E pode até aproveitar a vida melhor também.

Muita gente tem preconceito contra o aluno de Administração e, mais ainda, da GV. Às vezes, o estereótipo coincide com a realidade: alguns alunos são malas mesmo, deslumbrados com o mundo corporativo, e adquirem hábitos e jargões de ambientes fechados, limitados, que imaginam ser os lugares mais interessantes e sofisticados do mundo. E nunca vão descobrir belezas mais sutis, que não têm capital aberto nem geram caixa. Só que essas são as exceções. Acho que a maioria das pessoas - a maioria das pessoas com quem convivi, pelo menos - também está interessada em temas que passam longe do cotidiano empresarial: da coleção de gravuras modernistas ao cultivo de abelhas exóticas. Não foi difícil, num ambiente assim, eu também encontrar o meu lugar.


Eduardo Carvalho
São Paulo, 5/8/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dostoiévski era um observador da alma humana de Luiz Rebinski Junior
02. Personagens secundários em séries de Rafael Fernandes
03. Verão, de J.M. Coetzee de Daniel Lopes
04. O Código de Defesa do Consumidor e Maradona de Daniel Bushatsky
05. Projeto Itália ― Parte II de Eduardo Mineo


Mais Eduardo Carvalho
Mais Acessadas de Eduardo Carvalho em 2005
01. Por que eu moro em São Paulo - 8/7/2005
02. Minha formatura - 5/8/2005
03. Uma conversa íntima - 11/2/2005
04. A prática e a fotografia - 25/2/2005
05. Com pouco peso - 14/1/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/8/2005
02h01min
Eu adorei a minha formatura. Para mim foi mais um ocasião para agradecer minha família, do que propriamente encerrar um ciclo de aprendizado e estudos. Sempre pensei, e penso, em continuar estudando. Quanto aos alunos de administração, sem querer generalizar, você é uma exceção. A maioria com os quais já interagi me dizem sempre que não ganharam muito com a faculdade. E a boa parte é meio mala mesmo, porque administração se conta por objetivo (este era o argumento deles, quando lhes perguntava porque faziam uso de tanta "jargonice"). Sinceramente, em termos de malice, os engenheiros não ficam muito atrás. Exceto que apanham muito na faculdade, aí saem com egos um pouco mais sob controle. Mas só para te deixar com a pulga atrás da orelha, os melhores livros de administração, e as maiores teorias foram feitas por engenheiros, e em especial engenheiros químicos! Vai entender... Boa sorte com sua carreira atual, e não deixe nunca de estudar.
[Leia outros Comentários de Ram]
8/8/2005
09h23min
PARABÉNS pela formatura e pela coluna. Adorei!
[Leia outros Comentários de Vera Lúcia]
12/8/2005
14h52min
Olá, amigo Edu,
Sinceramente, eu compartilho do senso comum sobre os GVs da vida – uns chatos! Felizmente, eu omiti informação, pois compartilho em parte. Conheço bem você e também conheço uma Isabel, que aproveita os ensinamentos em economia de mercado etc. pra trabalhar no dia-a-dia com a questão dos índios e crescimento sustentável na Amazônia. Devem, obviamente, existir mais exemplos, mas tendo você achado o seu lugar ou não, nunca é tarde pra relembrar Conrad: "Vivemos como sonhamos – sozinhos."
Abraço,
[Leia outros Comentários de Palhinha]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS GRANDES PROCESSOS DA HISTÓRIA - I SÉRIE
HENRI ROBERT
GLOBO
(1961)
R$ 12,50



O LEGISLATIVO NA CONSTRUÇÃO DA REPÚBLICA
ZILDA M. GRICOLI IOKOI
CONTEXTO
(1990)
R$ 16,82



AS SETE CHAVES PARA O SUCESSO DO 5S
MASAO UMEDA
QFCO
(1997)
R$ 9,90



GÁLVEZ Y EL CAMBIO DEL CAMBIO
JORGE REVERTE
ANAGRAMA
(1995)
R$ 15,00



ROSSI A VIDA DE UM LUTADOR
ANTONIO JULIO BALTAZAR
TERCEIRO MUNDO
(1998)
R$ 10,00



RELAÇÕES DE TRABALHO NA PAN-AMAZÔNIA - A CIRCULAÇÃO DE TRABALHADORES
GEORGENOR DE SOUSA FRANCO FILHO
LTR
(1996)
R$ 50,00



O NOVO CÉREBRO: COMO CRIAR RESULTADOS INTELIGENTES
NELSON SPRITZER
L&PM
(1996)
R$ 15,00



QUERIDO DIÁRIO OTÁRIO - 10
JIM BENTON
FUNDAMENTO
(2010)
R$ 10,00



NO MUNDO DOS HOMENS
PERRY GARFINKEL
MELHORAMENTOS
(1988)
R$ 4,00



ARRAIA DE FOGO
JOSÉ MAURO DE VASCONCELOS
EDIÇÕES MELHORAMENTOS
R$ 6,90





busca | avançada
42881 visitas/dia
1,2 milhão/mês