O computador de antigamente | Marcelo Maroldi | Digestivo Cultural

busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
>>> Curso de Formação de Agentes Culturais rola dias 8 e 9 de graça e online
>>> Ciclo de leitura online e gratuito debate renomados escritores
>>> Nano Art Market lança rede social de nicho, focada em arte e cultura
>>> Eric Martin, vocalista do Mr. Big, faz show em Porto Alegre dia 13 de abril
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vamos comer Wando - Velório em tempos de internet
>>> Cinema em Atibaia (IV)
>>> Curriculum vitae
>>> Entrevista com Milton Hatoum
>>> Discutir, debater, dialogar
>>> Eu e o Digestivo
>>> A lei da palmada: entre tapas e beijos
>>> A engenharia de Murilo Rubião
>>> Qualidade de vida
>>> O pior cego é o que vê tevê
Mais Recentes
>>> Bipolar: Memórias de Extremos de Terri Cheney pela Larousse (2008)
>>> O Psicótico: Aspectos da Personalidade de David Rosenfeld pela Vozes (1993)
>>> O Efeito Sombra de Deepak Chopra pela Lua de Papel (2010)
>>> Dicionário Técnico de Psicologia de Álvaro Cabral pela Cultrix (1997)
>>> Gerações: Mal-entendimento e Verdades Históricas de Haydée Faimberg pela Sp (2001)
>>> Aspectos Clínicos do Desenvolvimento na Infância e Adolescência de Melvin Lewis pela Artes Medicas (1993)
>>> Teoria Psicanalítica das Neuroses de Fenichel pela Atheneu
>>> Adolescência: Uma Interpretação Psicanalítica de Peter Blos pela Martins (1994)
>>> Introdução á Metapsicologia Freudiana - 3 Volumes de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Jorge Zahar (1991)
>>> Psicologia da Conduta de José Bleger pela Artes Medicas (1984)
>>> Sol Nas Almas de Waldo Vieira pela Boa Nova (2010)
>>> Como Freud Trabalhava de Paul Roazaen pela Companhia das Letras (1999)
>>> Não é Fácil Ser Jovem de Rando Kim pela Sextante (2013)
>>> Crônicas do Mundo aos Revés de Flávio Aguiar pela Boitempo (2011)
>>> Guia de Bolso do Gerente de Stephen G. Haines pela Hrd (2002)
>>> Neuromarketing de Alex Born pela Uprema (2007)
>>> Aline 2: TPM - Tensão Pré Monstrual de Adão Iturrusgarai pela LPM Pocket (2007)
>>> Sem Perdão de Frederick Forsyth pela Pioneiro (2000)
>>> O Mala de Mario Kostzer pela BelasLetras (2011)
>>> Pergunte a Alice de Cristina Barczinsky pela Record (1971)
>>> A Queda de Diogo Mainardi pela Record (2012)
>>> Os Quinzes Anos de Carol de Patricia de Freitas Barboza pela Rbg (2002)
>>> Revista Brasileira de Psicoterapia Volume 6 N. 1 de Dpml pela Dpml (1999)
>>> Dez Quase Amores de Claudia Tajes pela Lpm (2001)
>>> Homens São de Marte Mulheres São de Vênus de John Gray pela Rocco (1997)
COLUNAS

Segunda-feira, 8/8/2005
O computador de antigamente
Marcelo Maroldi
+ de 10500 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Há muitos anos, ganhei meu primeiro computador. Eu era pré-adolescente e lembro que um amigo do meu irmão, mais velho, disse-me que eu iria apenas brincar nos joguinhos do computador, nada mais. Pensei, "cara besta, claro que não. Eu vou usar o computador, ora!" Mas, embora tenha aprendido uma ou duas coisas nesse período, eu não fiz nada além de me "divertir" com games. Naquela época, quando não existia Internet no Brasil, os garotos limitavam-se a jogar e brincar com uns softwares que alguém arrumava, distribuía, e que geralmente traduziam palavras do inglês para o português, ou faziam uma bolinha se mover na tela e mudar de cor, imitavam as notas musicais de um piano, jogo da forca (em inglês). Só isso... Daquele jeito, o computador não ensinava as crianças... e, embora eu tivesse tido um computador na minha época de escola, não posso dizer que fui educado com (ou pelo) computador.

Depois, a Internet comercial surgiu. E, creiam-me, o mundo mudou! Hoje, qualquer menino de 10 anos com acesso a Internet faz mais no computador em 6 meses do que eu o fiz nos meus primeiros 5 anos utilizando um PC. Alguns podem dizer que é porque o computador se popularizou, criaram-se softwares (educacionais, aliás), os pais ensinam os filhos. Concordo parcialmente. Se não fosse a Internet, o computador continuaria a funcionar como um videogame para as crianças, de modo geral. Seria mera diversão.

Mas o que as crianças fazem no computador hoje em dia? Bom, elas se divertem, é verdade, mas aprendendo. O computador passou a ser útil na alfabetização das pessoas (e, portanto, das crianças). E a indústria logo percebeu isso. Algumas das diferenças que destaco entre meu início com o computador e o início de uma criança hoje em dia:

* Social - O computador pode funcionar como elo de união entre pessoas, pais e filhos, por exemplo. O filho pode mostrar um site para o pai. O pai pode comprar um software que ensine francês para o filho dele (e acompanhar as aulas do menino). Juntos, eles podem participar do bolão virtual da copa do mundo, etc. Isso aconteceu porque hoje os pais sabem usar os computadores e os incorporaram à vida social da família. Além disso, ainda que algumas pessoas explorem o lado individualista da Internet e do computador, o que vejo é justamente o contrário. Alguém que gosta de cultivar amizades o fará ainda mais intensamente através da Internet. Ninguém jamais deixará de ter amigos e uma vida social (e de contato entre as pessoas) simplesmente porque "ficam" no computador. Aliás, muitos pais até preferem que os filhos fiquem navegando a ficarem na rua, longe de suas vistas (antes que você diga que na Internet eles também estão longe do controle dos pais, devo lembrá-los de que é possível controlar o acesso das crianças a sites indesejados, etc). O computador, segundo meu entendimento, pode aproximar as pessoas, em especial as que possuem interesses comuns. Penso, até, que ela pode potencializar as relações sociais, afinal, se quiser, posso arrumar nesse instante um amigo virtual que viva em Pequim, algo que seria impossível sem o computador.

* Educacional - É inegável a facilidade que o computador e a Web oferecem para o apoio educacional das crianças (pessoas de modo geral). Qualquer assunto que você queira estudar está na Internet, e são precisos apenas alguns conhecimentos simplórios para alcançar essa quantidade astronômica de informações, livros, mapas, museus virtuais, animações surpreendentes, imagens raras, bibliografias dos grandes (e dos pequenos) homens da História, etc. Pode-se, inclusive, fazer um curso de graduação reconhecido pelo MEC à distância. A Internet deve necessariamente ser usada pelos estudantes e pelos profissionais que querem se aprimorar em seus ofícios.

* Diversão - O computador continua sendo um instrumento de diversão tanto quanto você deseje. Ele pode funcionar como videogame, como cinema, telefone, rádio, jornal, televisão, ponto de encontro, diário, álbum de fotos, etc.

Portanto, acredito que muita coisa mudou com o surgimento da Internet. Conhecer este fundamental recurso que hoje temos disponível e obter o máximo proveito de sua utilização na nossa educação e de nossos filhos é nossa responsabilidade. Deixar de usá-lo por algum motivo (não gostar de computador, não querer usá-lo, por exemplo) pode fazer muita diferença no nosso desenvolvimento intelectual. É um acessório que veio para ficar (e para ajudar).

Torquato Neto

Torquato Neto está na moda. Bom, não sei dizer se ele saiu dela algum dia, mas, nesse momento, o poeta, compositor, jornalista e cineasta parece estar em todo lugar. Até um documentário sobre ele estão fazendo. Muito justo, aliás, porque sua obra é muito interessante e bela.

Torquatália - Do Lado de Dentro (Rocco, 368 páginas) e Torquatália - Geléia Geral (Rocco, 408 páginas), organizados por Paulo Roberto Pires, reúnem toda a obra conhecida desse sensacional personagem que se suicidou em 1972, aos 28 anos de idade, de uma vida agitada e com uma importante obra, sem nenhum livro publicado, porém.

Os livros contêm poemas, canções, roteiros, críticas musicais publicadas em jornais e alguns dos primeiros manifestos tropicalistas, do qual Torquato é sempre lembrado como um dos primeiros nomes a se manifestar.

Simplesmente imperdível!

Para ir além









Marcelo Maroldi
São Carlos, 8/8/2005

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Olavo de Carvalho (1947-2022) de Julio Daio Borges
02. Esse Caro Objeto do Desejo de Adriane Pasa
03. Lula, ardis do poder e destino de Humberto Pereira da Silva
04. Steve Jobs (1955-2011) de Julio Daio Borges
05. Hiperbóreo nos trópicos: a poesia de Oleg Almeida de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marcelo Maroldi
Mais Acessadas de Marcelo Maroldi em 2005
01. Como escrever bem — parte 1 - 13/6/2005
02. Como escrever bem — parte 2 - 27/6/2005
03. Como escrever bem – parte 3 - 11/7/2005
04. A ousadia de mudar de profissão - 28/11/2005
05. O que é ser jornalista? - 22/8/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
16/9/2005
11h49min
adorei o texto sobre computador. flavia
[Leia outros Comentários de flavia]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tabelas Estatísticas para Biologia Medicina e Agricultura
Fisher e Yates
Polígono
(1971)



Livro - Do Espírito Geométrico-pensamentos: Grandes Obras do Pensamento-61
Blaise Pascal
Escala
(2006)



Cuidando do Seu Planeta - Eca! o Lixo
Ciranda Cultural
Ciranda Cultural
(2010)



Rota dos Amantes
Roberto Brant Campos
Asadepapel
(2012)



No Fundo do Rio Amazonas
Glorinha Novaes
Melhoramentos
(1986)



Ler e Escrever, Muito Prazer!
Beatriz Cardoso e Madza Ednir
Atica
(2002)



How We Believe, 2nd Edition: Science, Skepticism, and the Search
Michael Shermer
Holt Paperbacks
(2003)



Namoro Relacao de Amor e Sexo 2ªed
Flavio Gikovate
Moderna
(1997)



Por um Fio
Drauzio Varella
Cia das Letras
(2004)



O País dos Mexíveis
Carlos Eduardo Novaes
Nordica
(1990)





busca | avançada
39901 visitas/dia
1,6 milhão/mês