As crianças cheirando cola | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
46027 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Exposição sobre direito das mulheres à cidade ocupa o Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica
>>> A Quatro Vozes canta o Clube da Esquina em Guararema pela Caravana Sotaques do Brasil
>>> Série para TV retrata o trabalho da Pecuária brasileira
>>> Na’amat promove espetáculo musical beneficente baseado em ‘Aladdin’
>>> Concertos gratuitos levam obras de Mozart e Schumann para a população em outubro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
>>> Poesia sem oficina, O Guru, de André Luiz Pinto
>>> Ultratumba
>>> The Player at Paramount Pictures
>>> Do chão não passa
>>> Nasce uma grande pintora: Glória Nogueira
>>> A pintura admirável de Glória Nogueira
>>> Charges e bastidores do Roda Viva
Colunistas
Últimos Posts
>>> Graham Allison no All-In Summit (2023)
>>> Os mestres Alfredão e Sergião (2023)
>>> Como enriquecer, segundo @naval (2019)
>>> Walter Isaacson sobre Elon Musk (2023)
>>> Uma história da Salon, da Slate e da Wired (2014)
>>> Uma história do Stratechery (2022)
>>> Uma história da Nvidia (2023)
>>> Daniel Mazini, country manager da Amazon no Brasil
>>> Paulo Guedes fala pela primeira vez (2023)
>>> Eric Santos sobre Lean Startup (2011)
Últimos Posts
>>> CHUVA
>>> DECISÃO
>>> AMULETO
>>> Oppenheimer: política, dever e culpa
>>> Geraldo Boi
>>> Dê tempo ao tempo
>>> Olá, professor Lúcio Flávio Pinto
>>> Jazz: 10 músicas para começar II
>>> Não esqueci de nada
>>> Júlia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Jon Udell’s Interviews With Innovators
>>> Sim-me-drogo-sou-fútil-rica-e-escrevo-blogs
>>> Literatura de entretenimento e leitura no Brasil
>>> Querem proibir as palavras
>>> Blogo, logo existo
>>> O cinema de Weerasethakul
>>> A política brasileira perdeu a agenda
>>> Lady Gaga, uma aula do pastiche
>>> História (não só) de livraria
>>> Vias da dialética em Platão
Mais Recentes
>>> Noite de natal de Cassiano Nunes pela Saraiva (1954)
>>> O Foco Narrativo 531 de Ligia Chiappini Moraes Leite pela Ática (2002)
>>> Raízes do Brasil + Formação do Brasil Contemporâneo de Sérgio Buarque de Holanda; Caio Prado Jr. pela Companhia das Letras; Brasiliense (2005)
>>> Para Viver um Grande Amor - Crônicas e Poemas de Vinicius de Moraes pela Folha de são paulo (2008)
>>> Crisis económicas en España de Francisco Comin e Mauro Hernandez pela Alianza (2013)
>>> Livro Capa Dura Filosofia Tratado Sobre a Tolerância de Voltaire pela Folha de São Paulo (2015)
>>> Educação e psicanálise 531 de Rinaldo Voltolini pela Zahar (2011)
>>> Xenotransplante - Ética e Teologia de Mário Marcelo Coelho pela Loyola (2004)
>>> Histórias Que Elevam a Alma de Guilherme Victor M. Cordeiro pela Dpl (2002)
>>> Auto da Compadecida de Ariano Suassuna pela Folha de são paulo (2008)
>>> Garimpos do Mato Grosso de Hermano Ribeiro da Silva pela Saraiva (1954)
>>> Bescherelle Poche 531 de Bescherelle Poche pela Hatier (1999)
>>> Morte e Vida Severina e Outros Poemas de João Cabral de Melo Neto pela Folha de são paulo (2008)
>>> O Que é semiótica 531 de Lúcia Santaella pela Brasiliense (2007)
>>> A Vaca e o Hipogrifo de Mario Quintana pela Folha de são paulo (2008)
>>> O Desenvolvimento Econômico Brasileiro + História Econômica do Brasil de Agemiro J. Brum; Caio Prado Jr. pela Vozes; Brasiliense (1982)
>>> Livro Desenhando Joias Com Rhinoceros de Eliania Rosetti pela Leon (2011)
>>> Operações espirituais de Urbano Pereira pela Ide (1974)
>>> Memorial de Maria Moura de Rachel de Queiroz pela Folha de são paulo (2008)
>>> O Direito ao Avesso de Izá Tilde pela Massao Ohno (1989)
>>> Dom Santiago: Vida e Obra do Senhor Santiago Bovisio de Fabiana Mastrangelo pela Ece (2006)
>>> MÉDICI: A Verdadeira História de Agnaldo Del Nero Augusto pela Inconfidência (2012)
>>> Primeiras Estórias de João Guimarães Rosa pela Folha de são paulo (2008)
>>> Aparência do Rio de janeiro de Vivaldo Coaracy pela José Olympio (1965)
>>> Os Cem Melhores Poemas Brasileiros do Século de Seleção de Italo Moriconi pela Objetiva (2001)
COLUNAS

Quinta-feira, 7/12/2006
As crianças cheirando cola
Elisa Andrade Buzzo
+ de 6500 Acessos
+ 4 Comentário(s)

as crianças cheirando cola

vão se espraiando pelas avenidas, aos bandos, com seus
cachorros

maltrapilhos, conversando em voz alta e ininteligível, o séqüito
bizarro sai

em diligência, alterando o branco e reiterando o escuro as
crianças

cheirando cola perdem a virgindade e o amor-próprio nos ladrilhos
paulistanos ao seu bel-prazer

libertas da sociedade patriarcal, as crianças cheirando cola
bailam em

ritmo de éter, passando rasteiras às ações das ONGs e das gestões municipais as

crianças cheirando cola amanhecem deitadas nas calçadas do centro
da

cidade, esquentando-se uma com o calor da outra, os passantes

lançam frutas ou sacos pardos com pão nos corpos angélicos das

crianças adormecidas que cheiram cola, cujos narizes não têm mais
o direito

de aspirar o mundo além da boca da garrafa, refratárias, as
crianças nômades cheirando

cola criam um problema de paisagem urbana com seus cabelos pixaim
de fuligem

acumulada e atitudes subversivas, as crianças cheirando cola grudam-se em portinaris

subterrâneos, sendo logo após descoladas pela manutenção e
limpeza dos logradouros

públicos, as crianças cheirando cola por debaixo das pontes
movimentadas da cidade são

rechaçadas pelos cidadãos amedrontados e penalizados pela
aparência desgrenhada das

crianças cheirando cola em migração sazonal do centro em direção
ao oeste da cidade,

expulsas pela guarda metropolitana, infiltrando-se nas ruas
residenciais espargindo a

mulatice de seus narizes aspirantes de garrafas pet verdes, as
crianças

cheirando cola quebram a tranqüilidade dos bairros classe média,
diante das ruas

arborizadas horrorizadas, que abrem passagem tapando o nariz e
desviando o

olhar das crianças cheirando cola, crescendo na velocidade da

passagem dos carros, virando moçadinha esperta e graúda as
crianças entumescidas cheirando cola

vão procriando fetos viciados, o que já chega a ser caso de saúde
pública, até

que, por um passe de mágica, as crianças cheirando cola, não mais
tão crianças assim, foram

finalmente desintegradas pela prefeitura a pedido da sociedade
civil organizada.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 7/12/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Indignação, de Philip Roth de Rafael Rodrigues
02. Dalton Trevisan revisitado de Luiz Rebinski Junior
03. A vida: um teatro de Rennata Airoldi


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2006
01. Mia Couto revisitado - 14/9/2006
02. Novos autores na poesia brasileira - 18/5/2006
03. FLAP! Uma bofetada na indiferença* - 10/8/2006
04. Qual é o seu departamento? - 26/10/2006
05. As crianças cheirando cola - 7/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/12/2006
04h24min
Essa poesia feita de vórtices, de redemoinhos e vertigem é sempre poderosa. Isso faz com que qualquer tema nunca soe melodramático, sentimental ou nostálgico. Aqui, nesse caso específico, a denúncia social perde seu costumeiro caráter didático, foge da costumeira ingenuidade moralizante e ganha, como um ciclone, alturas insuspeitadas. Muito belo esse poema, e forte também.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
7/12/2006
18h17min
Forte e lancinante, cachaça barata no esôfago. Crianças cheirando cola, sem o colo dos pais, da sociedade. Infância embrutecida pela dor, fome, frio, ausência dos suprimentos mais básicos. Fez-me lembrar o Ensaio Sobre a Cegueira, onde o sofrimento é diretamente proporcional ao alcance da visão. De quem narra e de quem vive.
[Leia outros Comentários de Everton Lodetti]
7/12/2006
18h40min
Muito bom. As orações amarradas em coordenadas, através das imagens, me fez lembrar de um poema de Lêdo Ivo chamado "os pobres na estação rodoviária".
[Leia outros Comentários de William Eloi]
8/12/2006
19h05min
A sua poesia me surpreende porque transcende o discurso barato quando denuncia a mais triste das realidades urbanas. Lembra o "Eu sou um leãozinho que ainda não morde", do Arnaldo Jabor. Um grande beijo da leitora do DF.
[Leia outros Comentários de Gisele Lemper]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Catálogo de Abordagens Terapêuticas
Ana R. Ribeiro, Fátima Andrade Souza
Casa do Psicólogo
(2005)



She
H. Rider Haggard
Stampa
(1976)



/826 Notas de Amor para Emma
Garth Callaghan
Leya
(2014)



A 25ª Hora
Virgil Gheorghiu
Intrínseca
(2014)



Fractais - uma Breve Introdução
Maria Cecilia Costa e Silva Carvalho
Maria Cecilia Costa
(1986)



Arte de Bem Saborear
Auronanda
Livraria Simões Lopes



Batman Live World Arena Tour
Stan Berkowitz; Alan Burnett
Water Lane
(2011)



O Grupo
Mary McCarthy
Civilização brasileira
(1965)



Faces da Decisão
Maria José Bretas Pereira, João Gabriel Fonseca
Ltc
(2009)



Gestão pela formação humana: Uma abordagem fenomenológica
Valderez Ferreira Fraga
Manole
(2009)





busca | avançada
46027 visitas/dia
1,7 milhão/mês