O papel ainda importa | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Publicar em papel ou não?

Sexta-feira, 1/6/2007
O papel ainda importa
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 3500 Acessos

Uma crítica bastante comum aos jornalistas e ao seu ofício se justifica graças ao resultado do seu trabalho. Numa linguagem menos sinuosa e mais direta: o fato de os jornalistas escreverem em papel e, mais do que isso, o fato desse papel servir para toda a sorte de coisas - de limpar vidro de carro a ser receptáculo das fezes e urinas dos cães - torna bastante discutível a relevância do trabalho jornalístico, uma vez que este, como se nota, se pauta pelo efêmero, por aquilo que não resiste, mesmo quando lida com histórias, narrativas e fatos que são absolutamente capitais do ponto de vista histórico, como é o que acontece quando há um grande acontecimento, como a recente vinda do papa Bento XVI ao Brasil. O que houve, do ponto de vista jornalístico? De um lado, jornais e revistas gastaram tintas e mais tintas para registrar as declarações, a repercussão, as imagens do ilustre visitante. De outro lado, poucas pessoas, com efeito, leram, sobretudo porque estamos no Brasil, o que esta imprensa publicou. Resultado: este trabalho será importante, no futuro, se - e somente se - os historiadores desejarem resgatar os acontecimentos destas primeiras semanas de maio. Do contrário, como gostam de enfatizar alguns colunistas de esquerda, os jornais e sua visão de mundo estarão relegados à lata de lixo da história, como se fossem os apontamentos de um diário que sequer busca flertar com seu público.

Nesse sentido, cumpre observar que o papel do jornal tem sofrido, pelo menos nos últimos tempos, constantes investidas e decretos que anunciam sua morte. Uns dizem que os jornais insistem num modelo que, por cobrar por acesso à informação, vai de encontro às novas tecnologias da Era da Informação, esta, por sua vez, caracterizada pela abertura de seus conteúdos ao público sem que exista a necessidadade de pagar por este acesso. Outros, ainda, afirmam que o modelo dos veículos impressos se encontra estagnado porque os jornais e as revistas não souberam captar o timing da mudança, investindo, portanto, em exemplos que tentam mimetizar o formato televisivo (no passado) ou o da internet (agora). A propósito, é comum nos cursos de jornalismo os professores utilizarem como exemplo os canais Bloomberg, cuja tela permanece em constante mudança, num fluxo interminável de informação. No que se pode considerar exagero dessa perspectiva, tome-se como caso modelar a rede de TV a cabo BandNews que, há alguns anos, se vangloriou pelo prêmio internacional que ganhou. Melhor jornalismo? Não, melhor vinheta...

Com efeito, todo este cenário corrobora certa descrença na representação do jornalismo como papel. Pois de que adianta preencher laudas e mais laudas de texto se, no final das contas, ninguém vai ler? Mais do que isso: os meios eletrônicos já conseguem conjugar formatos mais eficazes, que trazem não somente mais conteúdo, como também fazem com que o jornalista seja um gestor de informação, em vez de um redator de notícias prontas, oriundas de agências noticiosas, com uma linguagem mais ou menos pasteurizada, que forma consenso em vez de dar lugar ao benefício da dúvida. De fato, tudo isso é verdade. Então, a pergunta sobrevive: por que publicar? Para não ser lido? A resposta é, a um só tempo, simples e complexa. Para tanto, é necessário um pouco de abstração. Confio que os leitores deste Digestivo Cultural possuem essa capacidade. Ao próximo parágrafo, onde a resposta se inicia.

Ainda que os blogs e demais sites noticiosos se abram como verdadeiras janelas da alma literária para o mundo de leitores, não é preciso ser nenhum gênio para descobrir por que é que as pessoas insistem nas publicações impressas. Ops. Sinto que fui jornalisticamente determinista no início deste parágrafo. Melhor apagar? Não! Às palavras, à escrita! Em verdade, os meios impressos possuem algo que a mídia eletrônica ainda não possui. E este detalhe, caro leitor, é a sensação de permanência. Imagine só que o escritor, alguém cioso e ávido por opiniões, não se contenta em ter elaborado um texto. Para ele, é fundamental que esse texto seja publicado. Com a internet, isso tornou-se, para o bem e para o mal, muito democrático. O que antes era improvável agora é bastante possível (alguns cliques e, voilà, você tem um blog). Ocorre que se no período que antecedeu a internet o mundo se dividia entre os publicados e os não-publicados, agora, o planeta literário - repleto de intrigas e vaidades - está mais para publicados na internet vs. publicados em papel. Aqueles desejam alcançar este estado, como bem definiu o Julio em seu artigo.

Nesse sentido, as opções que restam, e agora volto aos proto-jornalistas, é, um dia, ser publicado em papel, até para que o eventual blog/site alcance um status de maior reconhecimento nessa selva que é a internet hoje em dia. Funciona mais ou menos assim: os jornalistas até topam ser blogueiros e tudo mais; no entanto, é essencial que, de vez em quando, eles apareçam com textos nos veículos impressos. Por quê? Ora, para os jornalistas, o papel, ainda que sirva de embrulho de peixe no dia seguinte, permanece. Ou seja, para o bem ou para o mal, o registro está feito. Já na internet, para esses mesmos jornalistas, o desenho nas telas é tão efêmero quanto a última banda de todos os tempos da última semana. Quem se lembra? Para alguns abnegados e sonhadores, o papel importa, afinal.


Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 1/6/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin de Jardel Dias Cavalcanti
02. Fazendo a coisa certa de Fabio Gomes
03. O irmão alemão, de Chico Buarque de Jardel Dias Cavalcanti
04. Noites azuis de Elisa Andrade Buzzo
05. Anzol de pescar infernos, de Ana Elisa Ribeiro de Wellington Machado


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso
01. Orgulho e preconceito, de Jane Austen - 5/5/2006
02. Desonra, por J.M. Coetzee - 21/12/2004
03. Por que quero sair do Orkut (mas não consigo) - 2/2/2006
04. Brasil e Argentina: uma História Comparada - 3/5/2005
05. Teoria da Conspiração - 10/2/2004


Mais Especial Publicar em papel ou não?
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VÍCIOS NÃO SÃO CRIME
LYSANDER SPOONER
AQUARIANA
(2003)
R$ 13,41



ECO EMPREENDEDOR - OPORTUNIDADES DE NEGOCIOS DECORRENTES DA REVOL
STEVEN J. BENNETT
MAKRON
(1992)
R$ 9,90



O CONFLITO
MARY WESTMACOTT
NIVA FRONTEIRA
(1974)
R$ 10,00



A MÃO E A LUVA
MACHADO DE ASSIS
EDIGRAF
R$ 6,28



O LEITE VOL 3 OUTROS PRODUTOS LEITEIROS
F. M. LUQUET
EUROPA-AMÉRICA
(1985)
R$ 97,00



A MÁQUINA INFERNAL DO ENGENHEIRO GÁRIN
ALÉXIS TOLSTÓI
ED. BRASILIENSE
(1959)
R$ 13,90



RETRATO FOTOGRÁFICO
MICHAEL FREEMAN
LIVROS E LIVROS
(2005)
R$ 60,00



A REBELIÃO NA TERRA SANTA - 1935
MENAHEN BEGUIN
FREITAS BASTOS
(1970)
R$ 10,00



THEMEN 1 KURSBUCH
HARTMUT AUFDERSTRASSE / HEIKO BOCK / M. GERDES / H
EPU / HUEBER
(1991)
R$ 16,00



MERGULHE NA MAGIA - OS BASTIDORES DE ANIMAIS FANTÁSTICOS...
IAN NATHAN
HARPER COLLINS
(2016)
R$ 32,00





busca | avançada
44947 visitas/dia
1,2 milhão/mês